Prefeitura firma parceria com Governo Federal para acelerar informatização de serviços públicos

SEMCOM

O prefeito Firmino Filho assinou na tarde desta quinta-feira (13), em Brasília, o convênio de adesão ao Gov.br, projeto do Governo Federal de digitalização e informatização dos serviços públicos, que vai oferecer cooperação técnica e apoio para o Teresinense Digital. A assinatura aconteceu na Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia.

Através do projeto Teresinense Digital, que está sendo executado pela Empresa Teresinense de Processamento de Dados (PRODATER), a Prefeitura conta com o processo eletrônico implantado em 90% dos seus órgãos. Tais processos são totalmente virtuais, sem a utilização de papel, e com tramitação online.

Segundo o prefeito, esse convênio é importante para o poder executivo pois dará celeridade à digitalização dos serviços para o cidadão. “Com a adesão do Gov.br, teremos o apoio do Governo Federal, o que vai acelerar a disponibilização desses serviços on-line através da alocação de recursos, cursos de capacitação, ferramentas e sistemas de tecnologia que a administração pública federal já adquiriu. Além disso, estaremos agora seguindo o padrão de serviços on-line do Governo”, destaca Firmino.

Vários serviços públicos já estão disponíveis on-line, através de aplicativo de celular e peticionamento eletrônico, como: acesso e recurso as infrações de trânsito; solicitação de limpeza de ruas, fossas, áreas verdes, galerias e praças; demandas dos servidores; alvarás, licenciamentos e solicitação de áreas para eventos; além de requerimentos em geral para órgãos que estão com o processo eletrônico já implantado.

“O objetivo do nosso projeto é beneficiar o cidadão com 100% dos serviços on-line, suprimindo a necessidade de deslocamento para os órgãos da Prefeitura para resolver qualquer tipo de pendência”, finaliza o presidente da PRODATER, Eduardo Aguiar.

 

Teresina aprimora o serviço de exames com nova sede do laboratório Raul Bacellar

Foto: Rômulo Piauilino

Teresina recebeu hoje (09) uma nova estrutura laboratorial, de acordo com os padrões de biossegurança do Ministério da Saúde, para a realização de exames laboratoriais no Sistema Único de Saúde (SUS). É a nova sede do Centro de Diagnóstico Raul Bacellar, que agora se localiza na Rua Professor Joaquim Gomes s/n, ao lado da Praça Prefeito João Mendes do bairro Saci, zona Sul.

O prédio vem para comportar o novo momento de mudança e modernização do laboratório, que nos últimos três anos passou por um processo de automatização e informatização do seu processo de trabalho. “O antigo prédio funcionava em situação provisória, por isso nós construímos uma sede definitiva. Ele vai atender toda a rede, seus exames, e vai trazer uma melhoria não apenas na qualidade, mas também na organização e na agilidade de todo o atendimento”, comentou o prefeito Firmino Filho.

O laboratório Raul Bacellar realiza uma média de 220 mil exames por mês e atende toda a rede SUS em Teresina, o que inclui 90 Unidades Básicas de Saúde (UBS), 10 hospitais, quatro maternidades e três Unidades de Pronto Atendimento (UPA), entre outros. “Com a modernização, os resultados dos exames solicitados com urgência saem em até 3 horas. Já os de rotina estão disponíveis em até três dias. Qualquer usuário pode acessar o resultado de seu exame por meio do site da Fundação Municipal de Saúde”, ressaltou o presidente da FMS Charles da Silveira.

Os exames englobam as áreas de bioquímica, hematologia, imunologia, hormônios, sorologia, citologia oncótica, urinálise, parasitologia, baciloscopia, TRM e cultura para tuberculose. Além disso, o laboratório é também um grande processador de dados de saúde imprescindíveis ao gerenciamento das ações estratégicas em saúde pública do Piauí.

A nova estrutura também vai trazer mais segurança e melhores condições para seus funcionários, como comenta a diretora Evelma Vasconcelos. “Com nossa nova sede poderemos atender ainda melhor a rede. Além de nossos profissionais estarem trabalhando em ambiente adequado com todos os Equipamentos de Proteção Individual”, afirma. Durante a solenidade, o promotor Eny Marcos Vieira frisou a importância da obra para a saúde municipal. “Dignidade para quem trabalha e segurança para o paciente, ao dar um resultado fidedigno sobre aquela patologia”, disse.

Informatização

Atualmente o Laboratório Raul Bacelar conta com uma equipe de 135 colaboradores nas mais diversas áreas, como administrativa, técnica laboratorial e bioquímica. No total dos postos de coleta do Raul Bacelar, todos estão informatizados, imprimindo os resultados na própria unidade, bem como o usuário pode acessar estes resultados em qualquer computador. Para que o paciente visualize seu exame basta acessar o site da FMS através do endereço http://fms.teresina.pi.gov.br/resultados_de_exames ou ainda pelo site  www.pulsesaude.com.br .

“Quando ele sai da sala de coleta ele recebe um usuário (localizador) e senha para que possa ter acesso ao resultado de seus exames. É fácil e rápido e faz com que o paciente não precise ir à unidade de saúde várias vezes ver se seus exames estão prontos. O paciente ainda pode imprimir o resultado, de casa, ou na própria unidade de saúde”, finalizou a diretora do laboratório.

 

Informatização das UBS é apresentada a pesquisadores da ABRASCO

Mostrar a informatização e os processos de trabalho em saúde é a pauta do segundo de dia de visita dos pesquisadores da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO), que estarão em Teresina até o fim da semana. A visita é uma etapa do Laboratório de Inovação em Atenção Primária à Saúde (APS Forte) da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) na capital, que tem como objetivo acompanhamento e a sistematização das transformações que estão ocorrendo na saúde da cidade, além de também dar visibilidade para práticas que respondam de forma inovadora para problemas comuns da saúde.

Os pesquisadores Luiz Augusto Facchini, Patty Fidelis e Lígia Giovanella, além da representante da OPAS Iasmine Ventura, conheceram hoje (26) os sistemas que atuam na informatização das Unidades Básicas de Saúde (UBS). “Além dos sistemas E-SUS e Hórus do Ministério da Saúde, contamos com o sistema Site Centreon ITc que permite visualizar em tempo real a situação da internet das UBS; o SIGMA que monitora as condições de funcionamento dos consultórios odontológicos; o Qlikview que gera relatórios sobre os atendimentos e o Gestor Saúde, nova versão de sistema para regulação de consultas especializadas”, informa Francisco Pádua, diretor de Atenção Básica da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Segundo Kledson Batista, Gerente de Informação em Saúde da Atenção Básica da FMS, o processo de informatização da atenção básica se deu em etapas, com aquisição de equipamento, instalação de internet mesmo nas UBS mais distantes e capacitação de todos os profissionais que iriam usar com o E-SUS no dia a dia. “Desde dezembro de 2017 todas as UBS do município já se encontram com o sistema E-SUS operando”, diz. Atualmente o sistema já conta com mais de 350 mil usuários cadastrados, processo esse que se encontra em ascensão.

Este processo chamou a atenção da pesquisadora da ABRASCO Patty Fidelis, que o considera fundamental para a qualificação da assistência ter um diagnóstico real da produção e das necessidades de saúde do território. “Além da informatização em si, me chamou atenção que Teresina pôde contar com a adesão da equipe, a educação permanente, a mudança no processo de trabalho que foi fomentada junto com essa informatização”, comenta.

A comitiva teve ainda a oportunidade de ver pessoalmente o funcionamento da UBS Monte Castelo, desde a sala de marcação de consultas (SAME), passando por sala de vacina, consultórios e outros espaços. Os pesquisadores vieram fazer registros e recolher depoimentos das experiências exitosas em Atenção Básica desenvolvidas pela FMS na capital. Cada experiência é abordada de acordo com a especificidade do território, a partir do levantamento de informações sobre a organização da atenção primária, a situação de saúde da população e as metas da gestão voltadas para a melhoria da saúde municipal.

Teresina foi escolhida para o projeto graças a seu sistema de saúde de atenção básica sólida, com uma estrutura sedimentada e que atende toda a cidade, composta por 90 unidades de saúde com 100% de cobertura, além de 10 hospitais, quatro maternidades e três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Ascom FMS