Pesquisa revela que transmissão da Covid-19 em Teresina já saiu do pico

A taxa de contágio da Covid-19 em Teresina caiu esta semana e está em 0,72. O dado foi revelado pela 12ª etapa da pesquisa sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina nos dias 03 e 05 de julho na capital. A sondagem atestou também que o número de casos positivados para a doença diminuiu 6% em relação a etapa anterior: foram 156.623 confirmados, contra 167.175 casos na semana anterior. Os dados evidenciam que Teresina já saiu do momento de pico de transmissão do novo Coronavírus.

Outro dado positivo nesta etapa diz respeito à quantidade de pessoas na fase ativa e que pode transmitir a Covid-19. A pesquisa mostrou que 29.897 estão infectantes, número 28% menor que o apresentado na sondagem anterior, que foi de 37.448. A pesquisa aponta também que 57.685 estão imunes à doença e 72.041 pessoas estão na fase intermediária da infecção, ou seja, estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade.

“Esta etapa da pesquisa nos mostrou três evidências de que já saímos do momento de pico da Covid-19 em Teresina. Diminuímos o número de casos positivados para a doença, a quantidade de pessoas imunes à doença aumentou e, o mais importante, diminuímos a taxa de transmissibilidade da doença, com o R0 abaixo de 1. Portanto, podemos afirmar que já estamos em um momento de estabilidade da doença na nossa cidade, realidade bastante positiva desde que começamos a realizar a investigação sorológica da doença em Teresina”, afirmou o prefeito Firmino Filho.

Para ele, a pesquisa dessa semana mostra que Teresina avançou bem, mas que a situação ainda não é tranquila. “Para garantir que a gente saia rápido desse platô, temos que fortalecer o isolamento para que evolução da queda desses índices seja ainda maior. O interesse coletivo tem que ser colocado acima dos interesses individuais. O poder público de forma responsável coloca em primeiro lugar a vida dos teresinenses. Salvar vidas é o nosso maior compromisso, mas a população precisa colaborar também nessa missão para que a gente possa sair mais rápido desse momento”, enfatizou Firmino.

A pesquisa revela ainda que a quantidade de positivados é 21 vezes maior que os 7.466 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no domingo anterior à pesquisa.

Sobre a amostra da distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa, que é realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou que a zona Sudeste aumentou a quantidade de casos e representa 32% dos positivados. A zona Norte aparece em seguida, com 29%, e apresentou uma tendência de queda em relação a sondagem passada. A zona Sul nesta etapa da pesquisa representa 21% das pessoas positivas para a Covid-19. A zona Leste aparece com 18% dos casos.

No que diz respeito à faixa etária, as pessoas com idade entre 25 a 34 anos continuam liderando entre os positivados e representam 29% dos casos. Os jovens entre 15 e 24 anos estão logo em seguida, com 18%, bem como os adultos com idade entre 35 a 44 anos, no qual o índice de positivados está também em 18%.  Logo abaixo, com 14%, estão as crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos e os adultos com 45 a 54 anos aparecem entre os 11%. Já nas idades entre 55 a 69 a taxa está em 7%, e entre maiores de 70 anos o índice de positivados é de 4%, aumentou em relação a etapa anterior, onde esse índice tinha sido zerado.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

Prefeito diz que curva da Covid-19 em Teresina está próxima da estabilidade

A décima etapa da pesquisa de investigação sorológica sobre o Coronavírus em Teresina apresentou a menor taxa de crescimento da doença desde o início da sondagem, ficando em 17%. O R0 (R-zero) também apresentou certa estabilidade e está em torno de 1. Os resultados, divulgados pelo prefeito Firmino Filho nesta quarta-feira (24) durante videoconferência com a imprensa, apontam que a capital pode estar no pico ou perto de alcançar o pico da Covid-19.

Desde quando a Prefeitura de Teresina iniciou a pesquisa, em parceria com o Instituto Opinar, em 16 de abril, os índices de crescimento dos casos de Covid-19 variaram entre 31% e 91% em diferentes etapas. A maior taxa foi de 91%, identificada entre a quarta e a quinta fase da pesquisa.

“Quando iniciamos as sondagens, ainda em abril, a quantidade de casos foi só aumentando, mas vem caindo a partir da sétima etapa. Agora, tivemos a menor taxa de crescimento e isso pode ser o indício de que estamos na parte da curva que está crescendo, mas com menos intensidade. Isso pode evidenciar que estamos no pico ou perto do pico da doença”, acredita o prefeito, ressaltando que será necessário aguardar o resultado das próximas pesquisas para confirmar essa tendência.

Ele também destacou a estabilidade no número de pessoas infectantes, que estão na fase ativa da doença, e do R0 (R-zero). “Entre 5 a 7 de junho, na oitava etapa da pesquisa, houve um crescimento do IgM positivo. Eram 41.340 pessoas infectantes, que caiu para 34.594 na nona etapa e agora teve um leve crescimento na décima fase, onde tivemos 36.456 casos. Isso mostra que seguimos a mesma tendência da nona etapa, nos levando a concluir que esse IgM está estacionado. Quanto ao R0, a taxa de reprodução do vírus, nessa etapa ficou em 1,06, como se estivesse estável. São dados que nos permitem dizer que estamos flutuando, mais uma evidência de que estaríamos no pico ou próximo dele”, explicou Firmino.

A pesquisa mostrou que o número de pessoas positivadas para a Covid-19 na capital chegou a marca dos 156.623 casos, número 35 vezes maior que a quantidade de casos oficiais divulgados pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no domingo anterior à pesquisa, que é de 4.420. Desse total de positivados atestados pela pesquisa, 36.496 estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença. A sondagem aponta também que 69.188 pessoas estão na fase intermediária do vírus, ou seja, estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade, e outras 59.939 estão imunes à doença.

Sobre a amostra da distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa demonstrou que as zonas Norte e Sudeste continuam com o crescimento no número de casos. A zona Norte aparece com 33% dos casos e a zona Sudeste, com 18%. Já a zona Sul apresentou uma queda nos casos e representa 31% dos positivados. A zona Leste segue uma tendência de estabilidade no número e aparece com 18%.

Quanto à idade, a faixa etária de 25 a 34 anos continua sendo a mais infectada, com 23% dos casos. Em seguida aparecem os jovens entre 15 a 24 anos, que são 19% dos positivados. Nas crianças entre 0 a 14 anos o índice de positivados está em 17%. Logo abaixo, com 16%, estão os adultos com 35 a 44 anos. Em seguida, com 12%, aparecem as pessoas com 45 a 54 anos. Já as idades de 55 a 69 anos aparecem entre os 10% dos positivados. Os maiores de 70 anos permanecem entre os 3% dos casos atestados positivos.

“Todos esses dados nos mostram que, eventualmente, estamos próximos de sair desse pico e nossa capacidade de responder à crise estará bem posicionada. Se tivermos a confirmação no decréscimo de casos de internações nas próximas semanas e de óbitos, já estaremos preparados para dialogar sobre a retomada gradual das atividades. Nesse período das duas ou três próximas semanas, seria importante intensificar o isolamento, nosso próprio esforço na reta final é necessário para garantir de fato esse distanciamento, sentimento que precisa ser partilhado também entre as instituições e a sociedade para que todos possam fazer um pacto. E neste caso, um lockdown forte não está descartado”, alertou o prefeito.

CONFIRA AQUI O RESULTADO DA PESQUISA.

Taxa de contágio e número de pessoas infectantes para a Covid-19 caem em Teresina

Teresina apresentou uma redução no número de pessoas infectantes para a Covid-19 e queda do R0 (R-zero) para menor que 1, segundo dados da nona etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina. O prefeito Firmino Filho, alertou que, apesar de positivos, os números devem ser visto com cautela por serem dados estatísticos e que é necessário avaliar se será mantida a constância das informações nas próximas semanas.

De acordo com a sondagem, a cidade possui 133.532 pessoas positivadas para a doença, e desse número, 34.594 estão com o vírus ativo. Na etapa anterior esse número de infectantes foi de 41.340. As informações sobre a pesquisa, realizada entre os dias 12 e 14 de junho, foram apresentadas nesta quarta-feira pelo prefeito Firmino Filho em videoconferência com a imprensa.

“Temos indícios de boas notícias. Apesar da cidade ter apresentado um crescimento no número de positivados nesta nona etapa da pesquisa sorológica, com um número de casos 40 vezes maior ao de confirmados oficiais, tivemos uma redução significativa no número de pessoas infectantes. Os casos diminuíram de 41.340, dados da oitava sondagem, para 34.594 nesta semana. Este é um bom sinal em relação à progressão da doença e em relação ao que vínhamos observando”, explicou Firmino.

Já a taxa de reprodução do vírus, o R0 (R-zero), pela primeira vez ficou abaixo de 1. “Nesta etapa tivemos o R0 de 0,83. Se esse índice se confirmar nas próximas sondagens é que diremos com certeza se houve ou não essa queda do R0. Mas reafirmamos que essa é uma luta diária e temos que fazer um esforço para que a taxa de isolamento volte a crescer e a gente saia mais rápido dessa crise. Se houver a falsa sensação de segurança poderemos caminhar para um desastre. Mas se continuarmos com essa tendência de queda nas taxas, poderemos reavaliar com mais segurança a abertura das atividades econômicas”, avaliou o prefeito.

Quanto à distribuição do vírus pela cidade, a pesquisa, que é realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou que a zona Sul precisa de uma atenção especial em relação ao isolamento social, pois apresenta 42% dos casos positivados. A zona Leste aparece em seguida, com 25%. A zona Norte apresentou uma queda em relação à oitava etapa e nesta sondagem representa 22% das pessoas positivas para a Covid-19. A zona Sudeste continua na tendência de redução e nesta pesquisa aparece com 11% dos casos.

Em relação à idade, a faixa etária mais infectada é de 25 a 34 anos, que representa 31% dos positivados. Em seguida aparecem as pessoas entre 15 e 24 anos, que são 19% dos casos. Nas pessoas com idade entre 45 a 54 anos o índice de positivados está em 17%. Logo abaixo, com 14%, estão os adultos com 35 a 44 anos. As crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos estão entre os 11%, em seguida, com 6%, as pessoas de 55 a 69 anos, e seguindo a tendência das últimas sondagens, os maiores de 70 anos permanecem entre os 3% dos casos atestados positivos.

“A realidade da doença, mesmo com alguns dados positivos nesta última sondagem, é dura e a população precisa se conscientizar. Muitas pessoas politizaram a questão do isolamento social e precisamos mostrar um choque de realidade para que cada um assuma sua responsabilidade. Aparentemente estamos numa situação que traz alguma expectativa positiva, mas ao mesmo tempo estamos em ponto crítico no que diz respeito à ocupação de leitos de UTI. Portanto, é necessário um esforço concentrado nas próximas semanas para termos um crescimento do isolamento e para que a gente possa sair mais rápido e sair bem dessa situação, que ainda inspira cuidados. Não podemos brincar com essa doença”, destacou Firmino Filho.

Confira AQUI os resultados da pesquisa.

Mais de 30 mil pessoas em Teresina estão na fase de transmissão da Covid-19

A sétima etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada entre os dias 29 e 31 de maio na capital, revela que 30.788 do total de positivados para a Covid-19 são infectantes, portanto, estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença. Na fase intermediária encontram-se 30.703 pessoas, que estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade, e outras 10.551 estão imunes à doença. De acordo com o prefeito Firmino Filho, a pesquisa revela também que a quantidade de positivados é 41 vezes maior que os 1.771 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no domingo anterior à pesquisa.

“No período de um mês e meio a quantidade de pessoas infectadas na cidade foi multiplicada por 14,8, um crescimento explosivo. Passamos de 4.843 casos em abril para 72.042 pessoas que já foram infectadas pela Covid-19 na cidade”, afirmou o prefeito ao apresentar nesta quarta-feira os dados para a imprensa durante videoconferência.

“Nesta etapa da sondagem foi observado um crescimento de 44% no número de casos positivados em relação à sexta etapa, onde foram atestados 49.988 pessoas. A quantidade de infectantes, que está com vírus ativo e ainda não desenvolveu a imunidade, continua crescendo. Na quarta etapa tínhamos 5.794 e agora passou para 30.788, uma multiplicação superior a cinco vezes. Muita gente está transmitindo a doença. Mas a boa notícia é que houve uma queda na evolução da doença. Aparentemente não estamos mais no crescimento exponencial, ou seja, eventualmente estamos nos aproximando do platô do pico, da estabilidade”, destacou Firmino.

A pesquisa, realizada em parceria com o Instituto Opinar, faz também uma amostra sobre o comportamento do vírus na cidade. Nesta sétima sondagem, os dados mostram que o cenário segue a tendência da sexta coleta de dados e a zona Norte continua com o maior número de positivados, 33%. A zona Sul aparece logo em seguida, com 30%. A Sudeste permanece na faixa dos 20% de casos e a zona Leste continua com o menor percentual, 17%. “Os dados mostram que a doença está espalhada na cidade como um todo”, ressaltou o prefeito, acrescentando que as mulheres também continuam sendo maioria e representam 55% dos casos positivados para a Covid-19.

No que diz respeito à faixa etária, as pessoas com idade entre 25 a 34 anos lideram entre os positivados e representam 21%. Os jovens entre 15 e 24 anos e 25 a 34 anos apresentaram a mesma porcentagem e estão com 18% dos casos, cada. As pessoas com idade entre 45 a 54 anos o índice de positivados está em 14%. Em seguida, com 13%, estão as crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos. Já nas idades entre 55 a 69 a taxa está em 12% e os maiores de 70 anos figuram entre os 3% dos casos atestados positivos.

“Em relação à faixa etária acontece um fenômeno reverso. No começo eram os jovens adultos que estavam numa maior proporção. Agora são os mais velhos, o que aumenta o risco e é mais preocupante”, avaliou o prefeito.

Confira AQUI os dados da pesquisa.

Pesquisa identifica quase 6 mil pessoas imunes à Covid-19 em Teresina

A sexta etapa da pesquisa de investigação sorológica em Teresina mostrou que 49.998 pessoas já foram infectadas pela Covid-19 na capital. Desse total, 19.833 estão no estado ativo da doença, portanto, podem transmitir o vírus; outras 23.611 estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade; e 5.667 pessoas já estão imunes à doença. A sondagem revelou ainda que a quantidade de positivados é 40 vezes maior que os 1.260 casos confirmados oficialmente no domingo anterior à pesquisa.

Segundo o prefeito Firmino Filho, desde a quarta etapa da sondagem estão sendo realizados testes que distinguem os dois tipos de anticorpos para o vírus: o IgM e o IgG. “Os anticorpos IgM indicam infecção na fase ativa, recente. Já os anticorpos IgG também são uma resposta ao vírus, porém atuam na fase mais tardia da infecção, indicando já uma possível imunidade instalada contra o vírus. Inicialmente, eram realizados testes rápidos que detectavam os anticorpos totais das pessoas. Mas, passamos a realizar também os testes que fazem essa diferenciação das pessoas que estão infectantes das que foram infectadas há mais tempo, não transmitem mais o vírus e já tem uma defesa instalada. E esses dados são muito importantes e nos dão mais clareza sobre a situação do vírus na cidade e para a nossa tomada de decisões no enfrentamento à doença”, explicou.

Por meio da pesquisa, realizada em parceria com Instituo Opinar, é possível afirmar também que o vírus já está em toda a cidade, sem diferenciação de regiões. Nesta etapa, o número maior de casos está na zona Norte, com 35%. A zona Sul aparece em seguida, com 28%. A zona Sudeste permanece com 23% dos positivados e a zona Leste segue com o menor percentual, de 15%. “Isso mostra a evolução da doença, que iniciou pela zona Leste, depois seguiu para a Sudeste, e ficou por um tempo com a zona Sul apresentando os maiores índices de positivados. E agora, cresce bastante o número de casos pela zona Norte”, informou.

Quanto à faixa etária, a pesquisa mostra que já não há tanta diferença de contaminação entre as idades, com percentuais variando entre 15% e 18%.  O maior percentual está entre as idades de 15 a 24 anos e 35 a 44 anos, sendo de 18%.  Em seguida aparecem as pessoas com idade entre 25 e 34 anos, representando 17 % dos casos.  Na faixa de idade entre 45 e 54 anos o índice de positivados está em 16%. Já o número de casos entre crianças e adolescentes com idade entre 0 e 14 anos está em 11%. “A população maior de 70 anos na cidade corresponde a 3%  e o número de positivados chega a 5%. Isso é preocupante. A vida dos nossos idosos continua sendo colocada em risco”, lembrou Firmino.

Sobre a taxa de propagação do novo Coronavírus em Teresina, esta etapa da pesquisa apresentou crescimento e está em 1,89. “Em relação à taxa de reprodução do vírus, o conceito denominado de R0 (R-zero), que corresponde ao número médio de contágio causado por cada pessoa, houve crescimento considerável. A média mundial varia entre 2% e 2,5%, segundo a Organização Mundial de Saúde, e o ideal, que nos garante uma segurança para a flexibilização na quarentena, é que esta taxa esteja menor do que 1. Portanto, precisamos perseverar, fortalecer as medidas preventivas e volto a afirmar que a nossa grande arma continua sendo o isolamento social”, destacou o prefeito Firmino Filho.

A pesquisa leva em consideração uma população estimada em 864.845 habitantes em Teresina.  Os números da sondagem são baseados pelos índices positivos dos testes para Covid-19, e são levadas em consideração comorbidades ou doenças prévias, além do quadro atual de saúde do entrevistado. Também são apresentadas as características demográficas coletadas. A última etapa da sondagem aconteceu entre os dias 22 e 24 de maio.

Confira AQUI os dados da pesquisa.

Número de positivados para a Covid-19 em Teresina cresce 90%, revela pesquisa

O número de casos de pessoas positivadas para a Covid-19 em Teresina cresceu 90% na última semana. O dado foi comprovado pela quinta etapa da pesquisa realizada pela Prefeitura de Teresina, em parceria com o Instituto Opinar, que atestou também que 32.691 pessoas devem estar infectadas pelo novo Coronavírus na capital. A sondagem foi realizada entre os dias 15 e 17 de maio e demonstrou ainda que a quantidade de positivados é 42 vezes maior que os 786 confirmados oficialmente no domingo anterior à pesquisa. Os dados foram apresentados pelo prefeito Firmino Filho em videoconferência realizada nesta terça-feira.

O crescimento saltou de 38% da semana passada para 90% nesta etapa da sondagem. “Este dado é bastante preocupante se levarmos em consideração também a taxa de ocupação de leitos de UTIs da cidade para pessoas com a Covid-19. O Censo Hospitalar da Fundação Municipal de Saúde já aponta que 68,86% dos leitos de UTI exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19 existentes em Teresina estão ocupados. Teresina possui hoje, cadastrados para atendimento de pacientes com Covid-19, 167 leitos de UTI, sendo que 115 deles estão ocupados. Portanto, é perceptível a evolução do vírus na capital, o risco elevado de contaminação e poderemos ter dias dramáticos nas próximas semanas”, avalia o prefeito Firmino Filho.

Outro dado preocupante atestado pela pesquisa diz respeito à taxa de propagação do vírus, denominado de R0 (R-zero). Este número também cresceu e está em 1,62%. Na quarta etapa da sondagem a taxa estava em 1,24%. De acordo com o prefeito Firmino Filho, a meta é ter essa taxa menor do que 1. “Essa taxa maior do que 1 diz muito sobre o nosso comportamento e mostra que o isolamento social precisa ser levado a sério. O R0 corresponde ao número médio de contágio causado por cada pessoa, e o ideal é que este número esteja abaixo de 1, e aqui na capital esse número só tem crescido”, alerta Firmino.

Em relação ao comportamento do vírus pelas regiões da cidade, os dados mostram que os números estão se igualando em toda a cidade, mas o crescimento maior, nesta etapa, foi na zona Norte, que aparece com 29% – na quarta etapa o número foi de 21%. A zona Sul apresentou uma queda e agora são 29% de positivados na região.  A zona Sudeste aparece com 23% e a zona Leste figura ainda com a menor taxa, 19%.

“Já chegamos a marca de 40 óbitos em Teresina e a gente percebe que o isolamento está passando por uma redução bastante grande. Precisamos ter consciência que o isolamento social é uma das poucas armas que nós temos. A doença está em ascensão e temos que continuar fortalecendo as ações que nos levam a uma maior taxa de isolamento, que é grande instrumental para evitar a propagação do vírus na cidade, como também para termos tempo de expandir a nossa capacidade de atendimento hospitalar”, disse o prefeito.

Quanto à faixa etária, a pesquisa mostra que tem crescido o número de positivados nas pessoas acima de 70 anos, que já representam 7% dos casos – na etapa anterior este número estava em 3%.  Entre as pessoas de 55 a 69 anos também foi observada uma elevação nos números, que estão em 15% (na sondagem passada estava em 7%). O número também cresceu entre crianças e adolescentes e esta faixa etária já apresenta 14% dos casos (foram 11% na quarta sondagem), bem como na faixa etária de 35 a 44 anos, que agora são 18% dos positivados (na quarta etapa este número foi de 16%).

A população com idade entre 15 a 24 anos apresentou uma ligeira queda nos números e nesta etapa a taxa é de 17% (na quarta sondagem foi de 25%). Houve queda também entre as pessoas com idade entre 25 a 34 anos e agora são 17%. Na faixa etária de 45 a 54 anos o cenário é o mesmo da quarta etapa da sondagem e representa 14% dos positivados. A novidade desta etapa também é em relação ao número de positivados entre homens e mulheres, que se igualou e está em 47%. Em todas as outras quatro sondagens, o número de mulheres infectadas sempre foi superior ao de homens.

Confira AQUI a apresentação da pesquisa.

PMT inicia 5ª etapa da pesquisa para investigar a situação da Covid-19 em Teresina

Inicia hoje (15) e segue até domingo(17), a quinta etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina, em parceria com o Instituto Opinar, para conhecer a situação da pandemia do novo Coronavírus na capital. De acordo com a quarta etapa da sondagem, realizada entre os dias 08 e 10 de maio, Teresina já apresenta 17.297 pessoas infectadas pela Covid-19.

Durante a sondagem, serão realizadas visitas residenciais com 15 equipes composta por pesquisadores, que aplicam os questionários, e técnicos da Fundação Municipal de Saúde (FMS), que fazem os testes rápidos para Covid-19. A amostragem das pesquisas é aleatória por estratos de sexo e idade, conforme dados populacionais atualizados das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da zona urbana. A cada etapa da pesquisa são testadas 900 pessoas.

Segundo dados da pesquisa, o índice de positivados na cidade saltou de 0,56%, quando foi realizada a primeira etapa da pesquisa entre os dias 16 a 19 de abril, para 2,0% na quarta etapa da sondagem. “Com essas pesquisas realmente sabemos a dimensão do problema e como está o vírus na capital. Está existindo o crescimento dos casos, o quadro ainda não é de estagnação e precisamos continuar tomando medidas para conter a disseminação do vírus”, afirma o prefeito Firmino Filho.

A pesquisa leva em consideração uma população estimada em 864.845 habitantes em Teresina.  Os números da sondagem são baseados pelos índices positivos dos testes para Covid-19, e são levadas em consideração comorbidades ou doenças prévias, além do quadro atual de saúde do entrevistado.

Também são apresentadas as características demográficas coletadas (sexo, idade, nível de instrução, renda e situação de trabalho). As quatro últimas pesquisas foram realizadas entre os dias 16 e 19 de abril, a primeira etapa, a segunda entre os dias 24 a 26, a terceira etapa entre os dias 01 e 03 de maio e quarta etapa entre os dias 08 e 10 de maio.

“Precisamos seguir esse processos de testes, rastreamento e isolamento, pois se continuarmos com crescimento de casos positivados isso pode impactar na situação dos leitos clínicos e leitos de UTIs, que já estão com 64,46% da sua capacidade ocupada. E quanto mais soubermos onde estão as pessoas infectadas, mais teremos condições de tomarmos as medidas necessárias para conter a disseminação do novo Coronavírus na nossa cidade”, destacou o prefeito.

Quarta etapa da pesquisa sobre a situação da Covid-19 em Teresina inicia amanhã (08)

A Prefeitura de Teresina inicia amanhã (08) e segue até domingo (10) a quarta etapa da pesquisa de investigação sorológica para conhecer a situação da pandemia do Novo Coronavírus na capital. Teresina é a primeira cidade do Brasil a ter essa série de pesquisas em três etapas e já testou 2.700 pessoas.

De acordo com o prefeito Firmino Filho, os dados desta quarta etapa da pesquisa de investigação sorológica serão decisivos para a definição de novas medidas para o enfrentamento da crise sanitária na capital. “Se o número de infectados continuar crescendo na mesma proporção das semanas anteriores, vamos buscar iniciar o debate e o planejamento sobre um eventual lockdown ainda neste mês de maio”, informou.

Na terceira sondagem, que aconteceu entre os dias 01 e 03 de maio, o índice de pessoas com a doença foi de 1,44%, ou seja, a cidade tinha 12.492 infectados, quantidade 53 vezes maior que os 237 casos notificados no domingo anterior à pesquisa. Da primeira etapa da pesquisa para a segunda houve um crescimento de 59% no número de infectados. Já da segunda para terceira, o aumento foi de 62%.

“A pesquisa tem nos permitido acompanhar a evolução do vírus e mostra a luz que deveremos ter como guia para que possamos construir nossa curva epidemiológica. Precisamos de boas informações para que possamos tomar boas decisões. A terceira etapa da pesquisa nos mostrou que poderemos ter até o final do mês 10% da população de Teresina infectada, se continuarmos nessa projeção de aumento de 60% dos casos por semana. E com os dados desta quarta etapa nos guiaremos para mais tomadas de decisões. Nossa intenção é proteger a vida dos teresinenses”, destaca Firmino.

Durante a sondagem, serão realizadas visitas residenciais com 15 equipes composta por pesquisadores, que aplicam os questionários, e técnicos da Fundação Municipal de Saúde (FMS), que fazem os testes rápidos para Covid-19. A amostragem das pesquisas é aleatória por estratos de sexo e idade, conforme dados populacionais atualizados das Unidades Básicas de Saúde (UBS) da zona urbana. A cada etapa da pesquisa são testadas 900 pessoas.

A pesquisa, realizada pela Prefeitura de Teresina em parceria com o Instituto Opinar, leva em consideração uma população estimada em 864.845 habitantes em Teresina.  Os números da sondagem são baseados pelos índices positivos dos testes para Covid-19, e são levadas em consideração comorbidades ou doenças prévias, além do quadro atual de saúde do entrevistado.

Também são apresentadas as características demográficas coletadas (sexo, idade, nível de instrução, renda e situação de trabalho). As três últimas pesquisas foram realizadas entre os dias 16 e 19 de abril, a primeira etapa, a segunda entre os dias 24 a 26, e a terceira etapa entre os dias 01 e 03 de maio.