Prefeitura amplia capacidade de atendimento da Maternidade Prof. Wall Ferraz

O prefeito Firmino Filho visitou, nesta sexta-feira (18), a Maternidade Prof. Wall Ferraz, que ganhou recentemente mais três novos leitos de UTI Neonatal. Agora, o estabelecimento passa a contar com 10 leitos dotados de estrutura e suporte avançado para esse cuidado intensivo, o que contribui para a ampliação do atendimento a recém-nascidos com quadro de saúde grave.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) já havia feito outros investimentos na Maternidade, tendo ampliado de cinco para dez os leitos de Unidades de Cuidados Intermediários Convencionais (UCINCO), que são unidades semi-intensivas para bebês.

“Essas foram duas importantes reformas na maternidade, ampliando a capacidade de atendimento às nossas crianças. Esse investimento é uma forma de aperfeiçoar o cuidado tanto para as mães quanto para os bebês”, disse o prefeito Firmino Filho.

Jesus Mousinho, diretora de atenção especializada da FMS, relembra que, na década de 90, a Prefeitura de Teresina implantou UTI Neonatal na Maternidade Wall Ferraz e que a medida foi um grande avanço. “O porte do estabelecimento não o obriga a ter UTI, mas a Prefeitura implantou para aperfeiçoar o serviço oferecido”, afirma.

A Maternidade Prof. Wall Ferraz funciona 24 horas para atendimento de urgências obstétricas e neonatal. O local é referência para partos de risco habitual, porém, casos mais graves eventualmente aparecem. Entre os serviços realizados, destacam-se atendimento de urgência a grávidas, puérperas e bebês, internação hospitalar, atendimento ambulatorial, coleta de leito materno, oferta de exames e de cursos voltados para esse público.

Prefeitura disponibiliza 10 leitos de UTI para pacientes com Covid-19 no Hospital São Marcos

A Prefeitura de Teresina firmou contrato com o Hospital São Marcos e, a partir desta segunda-feira (15), está disponibilizando 10 leitos de UTI no local para atender pacientes do SUS que estejam com quadro grave da Covid-19. Com o crescimento de casos da doença na cidade, o município tem trabalhado para ampliar a rede de atendimento para a população.

“Além dos leitos da rede pública municipal, estamos ampliando leitos de UTI para atender pacientes do SUS nos hospitais privados. Instalamos também mais 12 no Hospital São Paulo.  Nestes locais, já existe todo o suporte tecnológico e profissionais qualificados”, explica o presidente da FMS, Manoel de Moura Neto.

Na rede do município, o trabalho da FMS é para ampliar os leitos de UTI do HUT, mas como não foram preenchidas todas as vagas abertas através das convocações, foi feito um novo chamamento, em caráter de urgência. O hospital precisa de médicos com experiência em terapia intensiva.

O presidente da FMS informa que a Prefeitura de Teresina já instalou também 28 leitos de UTI para Covid-19 no HUT e 05 no Hospital do Monte Castelo. Está sendo construído ainda um hospital de campanha que vai disponibilizar mais 60 leitos de UTI. “Embora a criação desses leitos seja de responsabilidade do Governo do Estado do Piauí, a Prefeitura está criando leitos desse tipo para atender a população, em meio à pandemia”, explica Manoel.

Os novos leitos de UTI são controlados pela Regulação da Prefeitura de Teresina, que coordena as atividades hospitalares. “Temos uma equipe qualificada, que segue protocolos e que organiza toda a demanda  para utilizar os leitos de internação e de UTI de acordo com a prioridade dos casos”, afirma o diretor de regulação, Francisco Pádua.

 

HUT atinge 100% de ocupação dos leitos de UTI’s Covid-19

O Hospital de Urgência de Teresina atingiu a taxa de 100% de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI’s) destinados a tratamento de pessoas diagnosticadas com Covid-19 na capital. Ao todo, o HUT apresenta 30 leitos de UTI’s nas áreas de tratamento Covid-19.

Os pacientes com coronavírus estão sendo recebidos devidamente regulados de outras unidades de saúde, como Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais de bairro, geralmente em estado grave. Para ampliar a capacidade de atendimento de pacientes com Covid-19, o HUT está em fase de conclusão dos dois primeiros módulos do Hospital de Campanha, construído em terreno anexo ao prédio principal. “No total, essa unidade provisória contará com 60 leitos, sendo que 24 deles têm previsão de entrega no dia 17 de junho”, explica o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins.

Estudiosos garantem que o isolamento social ainda é a solução para redução de casos de coronavírus e a consequente queda na necessidade de internação em leitos de UTIs. “Ontem, apenas 42% dos teresinenses ficaram em casa, bem abaixo do índice de 73% recomendado por órgãos de saúde. É importante que o cidadão entenda a importância de barrar o avanço do Covid, já que não há leitos na rede de saúde para atender a todos os casos graves”, alerta Rodrigo Martins.

Teresina atinge quase 70% de ocupação de UTIs para atendimento de Covid-19

68,86% dos leitos de UTI exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19 existentes em Teresina estão ocupados. É o que apontam os dados da última segunda-feira (18) do Censo Hospitalar da Fundação Municipal de Saúde. O sistema considera os leitos das redes municipal, estadual, filantrópica e privada da capital.

“Esta é uma situação muito preocupante. Em primeiro de maio eram 57 leitos de UTIs ocupados na cidade com pacientes de Covid-19. Em 14 de maio já eram 109 leitos ocupados e hoje já são 115. O crescimento tem sido constante e se continuar nessa tendência iremos ter problemas no sistema de saúde já neste fim de semana. Nosso desafio é aumentar a quantidade de leitos na capital, pois os médicos revelam que a cada 10 casos de pessoas infectadas com a Covid-19, 3 agravam e precisam de UTI. Estamos buscando a expansão desses leitos e da nossa rede própria de UTIs”, disse o prefeito Firmino Filho.

Segundo os dados do sistema, Teresina possui hoje, cadastrados para atendimento de pacientes com Covid-19, 167 leitos de UTI, sendo que 115 deles estão ocupados. A capital possui também 418 leitos de enfermaria para pacientes infectados com o novo coronavírus; destes, 206 estão ocupados, um percentual de 49,28%. Existem ainda 102 leitos de observação exclusivos para Covid-19, com 42 ocupados, uma taxa de ocupação de 41,18%.

“O Censo Hospitalar é um sistema alimentado diariamente, conforme a legislação municipal vigente (Decreto Municipal nº 19.694/2020), com dados informados pelos próprios hospitais. A Fundação Municipal de Saúde consolida os dados, como gestora do SUS, às 16h. Assim, essa taxa de ocupação é referente aos dados que foram enviados e consolidados ontem (18)”, explicou Sammia Barros, assessora técnica da Presidência da Fundação Municipal de Saúde.

Além do aumento na taxa da ocupação de leitos hospitalares, que revela o agravamento da doença, Teresina registra também o crescimento no número de casos confirmados de Covid-19. De acordo com os dados do boletim epidemiológico divulgado ontem (18) pela Fundação Municipal de saúde e pela Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi), a capital já registra 1.327 casos e 40 óbitos causados pelo novo coronavírus.

Mais de 25% das internações por Covid-19 em Teresina são de pacientes de outras localidades

Uma porcentagem de 25,12% das internações por suspeita de COVID-19 em Teresina são de pacientes vindos de outras cidades. Os dados, que abrangem o total de leitos públicos, privados e filantrópicos existentes na capital, correspondem ao período de março – quando iniciaram os registros da doença na cidade – até 13 de maio de 2020.

Segundo informações da Diretoria de Regulação Avaliação e Auditoria da Fundação Municipal de Saúde (FMS), até 13 de maio foram registradas 625 internações de casos suspeitos de infecção pelo novo Coronavírus nos hospitais de Teresina. Destas, 468 são de pessoas residentes na capital e 157 de outras cidades. “A maior parte das internações (142) são de pessoas do interior do Piauí, mas há também registros de 12 casos oriundos do Maranhão, dois casos de Rondônia e um do estado do Amazonas”, informa Manoel de Moura Neto, presidente da FMS.

Somente nos primeiros dias do mês de maio, Teresina registrou 42 internações de pessoas residentes em outros municípios, o equivalente a 27,1% dos 155 casos. Destes, 3% vieram de cidades do Maranhão, o que corresponde a quatro casos.

Segundo dados do Censo hospitalar da FMS, Teresina tem atualmente 584 leitos exclusivos para atendimentos de casos suspeitos de infecção pelo novo Coronavírus, sendo 419 leitos de enfermaria e 165 de UTI. Na data de hoje (18), a capital apresenta uma taxa de ocupação de 66,67% dos leitos de UTI destinadas a tratamento de pacientes diagnosticados com Covid-19. O levantamento revela ainda que 49,16% das enfermarias Covid-19 e 45,63% dos leitos de observação destas unidades de saúde estão ocupados.

Quase 65% das UTIs Covid em Teresina estão ocupadas

De acordo com o Censo Hospitalar da Fundação Municipal de Saúde (FMS), divulgado neste sábado (16), a taxa de ocupação de leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em Teresina, destinadas a tratamento de pacientes diagnosticados com Covid-19, atingiu 64,46%.

Ao todo, de 166 UTIs disponíveis para casos positivados da doença, 107 delas já estão ocupadas com pacientes infectados. Esse número é referente a leitos de unidades de saúde estaduais, municipais, filantrópicos e privados sediados na capital.

O índice preocupa autoridades em saúde e reforça a importância do isolamento. “No Hospital de Urgência de Teresina, por exemplo, os 18 leitos disponíveis para receber pessoas com Covid-19 estão ocupados. É um momento delicado desta pandemia, tendo em vista que o número de casos e mortes só aumentam na cidade”, alerta o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins.

O levantamento da FMS revela ainda que 44,82% das enfermarias Covid e 50,49% dos leitos de observação destas unidades de saúde estão ocupados.

No sábado (16), Teresina registrou mais quatro mortes pelo novo Coronavírus. “Não é hora de a população relaxar, mas sim de redobrar os cuidados de higiene e de ficar em casa para evitarmos o avanço do contágio pelo vírus”, destaca Rodrigo Martins.

FMS compra 70 ventiladores mecânicos para ampliação de leitos de UTI

A Fundação Municipal de Saúde está negociando a aquisição de 70 ventiladores pulmonares mecânicos fabricados por estatal turca para a ampliação dos leitos de UTI da capital. A aquisição representa um investimento de R$ 8.177.400,00. Os estados de São Paulo e Bahia e a Prefeitura de Recife, também estão adquirindo juntamente ao mesmo fabricante.

Pelos termos do contrato, a Prefeitura de Teresina repassará 10% do valor da compra à empresa Shayra, única representante mundial autorizada pelo Ministério da Saúde da Turquia a comercializar os ventiladores. Os 90% restantes ficarão custodiados por uma empresa americana mundialmente conceituada e só serão liberados após a comprovação do embarque do produto para o Brasil.

“Os ventiladores são fundamentais para a ampliação dos leitos de UTI e a Prefeitura de Teresina está envidando todos os esforços para sua aquisição. Em virtude da pandemia de Covid-19, esse é um produto escasso no mercado mundial, de difícil fornecimento. Por isso nos cercamos de segurança jurídica para realizar essa compra e fazer o equipamento chegar à capital”, comenta Manoel de Moura Neto, presidente da Fundação Municipal de Saúde.

64,46% dos leitos de UTI para atendimento de Covid-19 em Teresina estão ocupados

A taxa de ocupação dos leitos semi-intensivos (leitos de estabilização) e de UTI exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19 é de 64,46% em Teresina, se considerados os leitos das redes municipal, estadual e privada existentes na capital. Os dados são da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e foram apresentados hoje pelo prefeito Firmino Filho em videoconferência com a imprensa.

De acordo com o prefeito Firmino Filho, dos 166 leitos de UTIs destinados para o atendimento de pacientes com a Covid-19, 107 já estão ocupados. “A evolução da ocupação dos leitos de UTIS destinadas para pessoas com o novo Coronavírus tem acontecido de forma muito rápida. No dia 01 de maio existiam 57 leitos de UTIs ocupados com pessoas infectadas com a Covid-19.  E a ocupação está se acelerando. Portanto, os cuidados para evitar a proliferação do vírus devem ser redobrados e chegou a hora da adoção de medidas mais restritivas, bem como reforçar o isolamento social para que esse crescimento não chegue ao seu pico e o poder público, bem como a iniciativa privada, não possam mais dar vazão a este atendimento”, disse o prefeito.

O sistema com a ocupação dos leitos é alimentado diariamente, conforme a legislação municipal vigente (Decreto Municipal nº 19.694/2020). “Combinamos com todos os hospitais a consolidação dos dados sempre às 16h. Os hospitais enviam os dados mais cedo, no sistema, e a FMS consolida, como gestora do SUS. Assim, essa taxa de ocupação é referente aos dados que foram enviados e consolidados ontem (13)”, explicou Sammia Barros, assessora técnica da Presidência da Fundação Municipal de Saúde.

Segundo os dados do sistema, Teresina possui hoje, cadastrados para atendimento de pacientes com Covid-19, 102 leitos de observação, 406 leitos de enfermaria e 166 leitos de UTI.  “Essa doença agrava rapidamente, de cada 10 pacientes, três precisam ser levados imediatamente para UTI. E o desafio que temos no momento é aumentar cada vez mais a quantidade de leitos na nossa cidade. Compramos 12 leitos de hospital particular, e já estamos vendo a compra de mais leitos, compramos também 70 respiradores, para que assim possamos criar as condições mínimas para enfrentar esta crise de saúde causada pela pandemia do Coronavírus e o mais importante, para que possamos salvar vidas”, destacou Firmino.

A Prefeitura de Teresina está trabalhando na finalização dos hospitais de campanha, para ampliar a oferta de leitos na capital. “Todo o esforço está sendo feito para dotar a cidade de mais estrutura para o atendimento à população. Temos uma grave expansão do vírus em Teresina, os números continuam crescendo, os leitos continuarão sendo ocupados e precisamos ficar seguros. Portanto, o meu apelo continua para que possamos praticar mais o isolamento, ficar mais em casa”, ressaltou o prefeito.

A capital chegou à marca dos 1.033 casos confirmados de Covid-19 nesta quarta-feira (13). Foram 96 novos casos somente nas últimas 24 horas. A cidade já registrou também 26 mortes causadas pelo novo Coronavírus.

Confira AQUI os dados sobre ocupação de leitos em Teresina.

Prefeitura constrói novo hospital de campanha com 60 leitos de UTI para Covid-19

Ascom/HUT

A Prefeitura de Teresina iniciou a construção de um novo hospital de campanha para atender pacientes com insuficiência respiratória aguda grave em casos suspeitos ou confirmados de Covid-19. A estrutura está sendo montada em um terreno cedido pelo Grupo Claudino e  Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) , anexo ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT), na zona Sul da capital, e vai contar com 60 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

A obra iniciou na semana passada e está na fase de terraplanagem. No local, serão instalados cinco módulos com 12 leitos de UTIs em cada um deles. A Fundação Municipal de Saúde (FMS) já contratou uma empresa responsável pela montagem da estrutura física em pré-moldados e alguns equipamentos médicos. A previsão para entrega dos dois primeiros módulos do novo hospital de campanha é de 15 dias.

A diretoria geral do HUT reuniu todos os setores internos para definir estratégias. “Estamos na fase de levantamento de recursos humanos, alimentação, equipamentos médicos, insumos, enxoval, medicamentos, dentre outras necessidades, para se construir um hospital de campanha, que vai funcionar por até seis meses”, explica o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins.

Mais dois hospitais de campanha estão sendo instalados pelo município, sendo um na quadra de badminton da Universidade Federal do Piauí (UFPI), e outro no Lar da Fraternidade. Estruturas temporárias, os hospitais de campanha devem ter vagas dos leitos reguladas e disponibilizadas, exclusivamente, para pacientes vindos de outros hospitais e UPAs de Teresina, em ambulância do Samu e classificados como casos de média e alta gravidade decorrentes da Covid-19.