Leitura de poesia ao ar livre ajuda no processo de alfabetização das crianças

Utilizando outros espaços da escola e com uma dinâmica divertida, os alunos do Centro Municipal de Educação Infantil Monte Verde estão exercitando a leitura com poesias. Todos os dias a equipe escolar desafia as crianças em atividades como essa para liberar a imaginação.

A turma é do II Período e está em ciclo de alfabetização recebendo estímulos para desenvolver as habilidades de leitura e escrita. Na aula ao ar livre, os alunos leram três poesias estudadas anteriormente em sala, duas delas criadas pela diretora do CMEI, Kelly Machado.

“Essa é uma metodologia pensada para incentivar a prática da leitura de maneira divertida, onde todos os alunos lêem em voz alta. As poesias falam sobre natureza, animais, cores e sonhos, tudo que povoa a imaginação dos pequenos. Assim, conseguimos alcançar os objetivos que queremos, e as crianças aprendem brincando”, destacou a diretora.

Pais participam efetivamente e crianças começam a ler no berçário

Ascom/Semec

As turmas de berçário e toda educação infantil da Rede Municipal de Teresina possuem um diferencial que contribui com os resultados alcançados atualmente. Longe de ser apenas um espaço de brincadeiras e cuidados, as creches da Prefeitura têm uma programação cotidiana para estimular as habilidades das crianças.

Teresina é hoje referência em alfabetização no país, isso porque quase 90% dos alunos concluem o 1º ano do ensino fundamental lendo e escrevendo com fluência. No CMEI Thereza Christina, localizado no Centro da cidade, até a turma de berçário está envolvida com a prática. Cada turminha acaba de ganhar seu próprio projeto para 2019, com metas e objetivos bem definidos.

A escola lançou cinco projetos de leitura para o berçário e as turmas de maternal, todos apresentando como ponto em comum a participação da família. A ideia é que os alunos levem livros infantis para casa, leiam com os pais, façam atividades relacionadas às histórias e compartilhe o aprendizado com os colegas em sala de aula.

A diretora Raimunda Soares também pediu para a família registrar os momentos de leitura, revelando como têm sido prazeroso. “Eles já estão apaixonados pelos livros, mas a criança sozinha não consegue, então a casa precisa ser uma extensão do projeto, onde os pais assumem responsabilidades, assim temos obtido resultados incríveis. Estamos falando de crianças de 2 e 3 anos comentando os personagens, recriando, visitando bibliotecas e dando os primeiros passos com as palavras”, declara.

O Daniel de Carvalho, que é pai do pequeno Thomas Gabriel, conta que a leitura em casa virou um hábito. Desde que o CMEI passou tarefas específicas para fortalecer a participação dos pais nesse processo, acompanhar as atividades é uma responsabilidade ainda maior. “A leitura está contagiando a todos”, conclui Daniel.

Escola e família trabalham em conjunto para melhorar o aprendizado dos alunos

Ascom/Semec

O Centro Municipal de Educação Infantil Tia Jane, localizado na zona Norte de Teresina, organizou um momento com os familiares dos alunos para compartilhar as atividades do Projeto Alfabetiza Teresina: Semeando Leitores. Durante as apresentações, cada turma do maternal I ao 2º período apresentaram atividades e materiais utilizados e produzidos durante as aulas.

Ana Carina da Rocha Silva, diretora da escola, explica que o processo de alfabetização inicia-se a partir dos primeiros contatos com o mundo literário, das letras, números, cores e formas. “Quanto mais cedo a criança entrar em contato com o universo da leitura, mais cedo se apropriará das habilidades de leitura e escrita, as quais abrem portas para o mundo do conhecimento. Por isso, o CMEI Tia Jane concentra esforços na realização do Projeto Alfabetiza Teresina: Semeando leitores, ultrapassando o mundo das letras, uma vez que um livro contêm mais que letras”, destaca.

Ana Carina explica que os alunos do Maternal I possuem contato diário com o mundo literário através do projeto ‘Hora do Conto’. Já o Maternal II, além do contato com as leituras em sala de aula, realizam atividades dentro do projeto ‘Senhor Alfabeto’, onde uma criança com os pais se responsabilizam em cuidar do ‘Senhor Alfabeto’ durante o final de semana, trazendo na semana seguinte à leitura e Ilustração do livro ‘Aniversário do Senhor Alfabeto’.

Para os alunos do 1º período a atividade é alimentar a imaginação com a ‘Lancheira da Leitura’. Neste projeto, as crianças levam o livro para casa e juntos com os pais realizaram a leitura e atividade sobre o livro, e em sala de aula recontam sobre o que aprendeu para os colegas. Os estudantes do 2º período participam do projeto ‘Maleta: Semeando Leitores’. Nele, os alunos levam livro para compartilhar a leitura e atividades com os pais.

“Estamos aproximando os familiares para dentro da escola e envolvendo-os em todo o contexto escolar. Todas as ações são realizadas com auxílio de jogos e livros de forma lúdica e criativa. Assim alcançaremos o objetivo em comum, a aprendizagem das crianças”, finaliza Ana Carina.

Estudantes participam de atividades de incentivo a leitura e conscientização ambiental

Ascom/Semec

O Centro Municipal de Educação Infantil Dona Maria de Jesus Araújo Silveira realizou o seu 1º Café Literário buscando despertar o interesse e o gosto dos alunos pela leitura. A iniciativa segue as orientações da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), objetivando estimular o prazer pelas diversas obras da literatura, criando o hábito da leitura e colocando os livros na rotina das crianças, seja em casa, na escola ou em qualquer outro lugar.

O evento contou com a participação especial da professora, escritora e contadora de história Márcia Evelin, que com envolventes histórias chamou a atenção das crianças que participaram ativamente durante a contação dos clássicos infantis; o boi do Piauí, o segredo da chita voadora, Tampinha e o Macaco e Velha.

Durante a atividade os alunos participaram de momentos com música, leitura e recital. Tudo organizado de forma criativa e colorida em todo o ambiente escolar para chamar a atenção da criançada.

“Toda a equipe escolar se envolveu na atividade. Organizamos cantinhos de leitura destacando contos infantis, literatura de cordel e jogos de alfabetização, visando o fortalecimento do hábito da leitura na escola e em casa”, destaca Ranuze Gomes, gestora do CMEI.

Conscientização Ambiental

Os alunos do CMEI Dona Maria de Jesus Araújo Silveira, também receberam a equipe de Educação Ambiental do Consórcio Teresina Ambiental, (CTA), que realizou uma palestra através do teatro de bonecos com a temática ‘Coleta seletiva de resíduos domésticos’.

Ranuze explica que as crianças se divertiram com a atividade proposta pelo CTA e aprenderam de forma dinâmica sobre a importância da reciclagem, coleta seletiva e consciência ecológica. “As crianças se envolveram com as atividades propostas pelo grupo. Os profissionais utilizaram o teatro de bonecos para ensinar de forma divertida e criativa por que é importante destinar o lixo no local correto e sobre o reaproveitamento. As crianças conseguem aprender de forma mais rápida quando são estimuladas com diferentes recursos pedagógicos. E o teatro e personagens deixam as crianças mais concentradas, facilitando assim o aprendizado”, explica.

 

Mapa das Bibliotecas é lançado para divulgar espaços de leitura

O Mapa das Bibliotecas é um catálogo que pretende apresentar e facilitar a procura por esses espaços em Teresina e teve lançamento no último sábado (08). A estreia, que contou com a participação dos idealizadores do projeto, fez parte da programação do 17º Salão do Livro do Piauí – Salipi.

Muitas pessoas ainda enfrentam dificuldades para localizar bibliotecas na capital, mesmo elas existindo em todas as zonas. Pensando nisso, a bibliotecária Bruna Dayane e a professora Maria Aparecida tiveram a brilhante ideia de criar um mapa com endereços. “A iniciativa surgiu a partir da experiência que tenho como bibliotecária e por ter frequentado todas, então tivemos a iniciativa de criar o mapa para propagar esse projeto de modo que beneficie toda a população”, conta Bruna.

Durante o lançamento, os idealizadores responderam perguntas a respeito do Mapa das Bibliotecas e, aproveitando a visibilidade, falaram sobre sua importância. “O mapa traz a consciência de que existem esses espaços públicos na cidade que são de acesso a todos. Nós temos o nosso patrimônio público, o livro, e temos o direito ao acesso a esses lugares”, diz Bruna.

Alguns serviços GPS ainda não disponibilizam a localização de todos os acervos  da cidade e, segundo o coordenador de bibliotecas da Fundação Monsenhor Chaves Etevaldo Oliveira, o mapa chegou com o propósito de somar com esse e outras ferramentas. “Na internet, nós temos endereços e tudo mais. Agora, com o mapa, vejo que ele vai facilitar o acesso aos consulentes e aos visitantes de fora da cidade”, enfatiza.

O Mapa das Bibliotecas estará disponível no Instagram (instagram.com/brunasilvalibrarian), nas bibliotecas públicas, na FMC, na UFPI, na Uespi, nos Sistemas da Empresa S e será relançado no aniversário de 2 anos do clube de leitura Leia Mulheres Teresina. Entre os espaços de estudo municipais estão: Biblioteca Abdias Neves, Biblioteca Municipal da Costa e Silva, Biblioteca Municipal Fontes Ibiapina, Biblioteca Municipal H. Dobal, Biblioteca São João, Biblioteca Municipal de Artes Professor Raimundo Wall Ferraz e Carlos Castelo Branco, Biblioteca Zilma Gomes Ferreira de Moraes e Biblioteca Francisca das Chagas de Carvalho Costas – CEU – Norte.

Alunos realizam atividades de incentivo à leitura e aprendem sobre meio ambiente

Ascom Semec

O Centro Municipal de Educação Infantil Zélia Gattai Amado ficou mais bonito e colorido para a abertura oficial do Projeto Alfabetiza Teresina uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), que tem como objetivo principal intensificar as ações de leitura e escritas nas unidades de ensino de Teresina.

Socorro Lima, diretora do CMEI explica que para a realização das atividades os alunos vivenciaram momentos lúdicos de leitura e escrita. “Os alunos passaram dias realizando diferentes atividades. Fizeram trabalhos artísticos para expor aos pais e conheceram vários autores e obras que fazem parte da literatura infantil. Na culminância, eles realizaram a exposição de seus trabalhos e registros e fizerem apresentações  relacionadas a leitura e as obras estudadas. Foram feitos desde recital a apresentações infantis de dança e dramatização”, conta.

Na ocasião a escola organizou uma festa de aniversário para o personagem Senhor Alfabeto, do livro de Amir Piedade. A comemoração teve direito a decoração, bolo e parabéns dos alunos das turmas de 1° período, sobre a obra: ‘O Aniversário do Senhor Alfabeto’. “As atividades fortalecem os projetos de incentivo à leitura de cada turma”, destaca Socorro.

O CMEI trabalha com ações do Projeto “Leitura Viajante: Conte outra Vez”, fortalecendo a alfabetização das crianças e incentivando o hábito da leitura.

 

Meio Ambiente

O CMEI Zélia Gattai Amado também realizou atividades sobre a conscientização ambiental. E para fortalecer as ações que vem sendo trabalhadas na escola a equipe escolar realizou um momento descontraído com alunos e familiares.

Um momento de vivência e diversão através de aula passeio na Fazendinha Bernads com as turmas de 1º e 2º períodos. As crianças realizaram passeio de charrete, participaram de brincadeiras e banho de piscina, além de conhecerem alguns animais, e tipos de plantas. Na ocasião também foi realizado um momento de conscientização sobre a água.

Alunos pedem leitura no recreio e escola municipal monta espaço com paradidáticos e gibis

Ascom Semec

Nem só de brincadeiras e jogos se faz a hora do recreio nas unidades de ensino da Prefeitura de Teresina. Na Escola Municipal Roberto Cerqueira Dantas, localizada na zona Norte, a turma de 4º ano do professor Francisco Rodrigues viu no intervalo entre as aulas uma oportunidade para exercitar as habilidades de leitura com um dos gêneros literários preferidos: os gibis.

O projeto “Boteco da Leitura” disponibiliza revistas em quadrinhos e livros paradidáticos para a apreciação no pátio da escola. A ideia partiu diretamente dos alunos, que já estão praticando junto com outros sete projetos desenvolvidos na turma. Com o “Leitura em Família”, por exemplo, criaram o hábito de levar livros para casa e compartilhar com os familiares. Algumas ações envolvem teatro, poesia e inclusão.

O mais novo espaço, organizado em forma de boteco, mas onde o principal item do cardápio são os livros, deixou os estudantes empolgados. A escola contou com doações de gibis para a construção de um acervo com mais de 200 exemplares. Além de desenvolver a competência da leitura e o trabalho em grupo, já que o espaço será coordenado pelos próprios estudantes, o professor Francisco ressalta que o projeto promove interações significativas entre a turma do 4º ano e a própria escola.

“Estamos trabalhando, sobretudo, valores como o protagonismo, focando nas habilidades de leitura e escrita. Uma postura tradicional em sala de aula não seria apropriada para o potencial dessas crianças, então pensamos em projetos integrados que colocam o aluno como protagonista do processo de ensino e aprendizagem. A ideia é também envolver toda a escola, criando o hábito da leitura por prazer”, explica o professor.

De acordo com a aluna Geovanna Grazielle, de 10 anos, a turma é exemplo de fluência em leitura na escola. “Estamos mostrando como pode ser divertido exercitar a leitura. Desenvolvemos bastante com gibis e paradidáticos, levando também para casa, mostrando para os irmãos, pais e outros familiares. Na volta para a sala de aula, recriamos as histórias, treinando a criatividade” conta.

Thalles, de 9 anos, também acredita que esse é um caminho para exercitar as habilidades. “Vamos ter que ler e escrever durante toda a vida, então temos que praticar mesmo, para mais na frente não correr o risco de não saber interpretar o que os outros escrevem”, finaliza o menino.