SDU Centro Norte coletou mais de 4 mil toneladas de lixo em janeiro

Ascom/SDU Centro Norte

O descarte irregular de lixo em ruas e avenidas da cidade é um dos fatores responsáveis pela obstrução da passagem de águas naturais e entupimento de galerias e bueiros. Somente no mês de janeiro, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano – SDU Centro/Norte recolheu mais de quatro mil toneladas de lixo na região, sendo 2.165,12 coletados manualmente e 2.035,30 toneladas recolhidas de forma mecanizada.

O gerente de Serviços Urbanos da SDU Centro Norte, José Neto, enfatiza que o trabalho de coleta e limpeza faz parte do trabalho diário da gerência, mas é preciso que a população evite depositar lixo de maneira irregular, especialmente em período chuvoso, para evitar transtornos. “Trabalhamos todos os dias para coletar lixo e assim proporcionar uma melhor qualidade de vida para os moradores da região”, enfatiza o gerente.

Dentre os serviços desempenhados pelos integrantes da equipe da SDU Centro Norte, estão os serviços de poda de árvores, capina, varrição e limpeza. A ação é promovida periodicamente pela equipe de limpeza da Gerência de Serviços de Serviços Urbanos (GSU) da Superintendência, composta por equipes de profissionais que se dividem de acordo com as demandas que surgem na comunidade.

A população precisa colaborar para evitar o acúmulo ou descarte irregular. A participação da comunidade é fator importante para evitar o acúmulo ou descarte irregular de lixo em áreas de proteção ambiental. O cidadão também pode ajudar e informar casos de depósito irregular através do aplicativo Colab ou entrando em contato com o Programa Lixo Zero pelos números 3226-2028 ou 99806-6171.

Terminal do Parque Piauí recebe ação de incentivo à coleta seletiva

Ascom/Semduh

O embarque da manhã de hoje foi rumo a uma Teresina mais limpa e consciente ambientalmente. O Terminal da Integração do Parque Piauí foi o ponto escolhido para a ação “Ambiental nos Terminais”, que tem o objetivo de incentivar a prática da coleta seletiva pela população, garantindo uma destinação correta para materiais de plástico, papel, vidro e metal.

Durante os horários de maior movimentação, de 7h às 9h, e de 11 às 13h,  quem passou pelo terminal foi recebido pelo Pevinho, o mascote da educação ambiental, e sua turma, com orientações sobre como separar os resíduos recicláveis em casa e destinar a um dos 21 Postos de Entrega Voluntária (PEVs) disponíveis na capital.

“Nossas equipes estão diariamente em campo conversando com a população com o intuito de incentivarmos que cada munícipe faça sua parte por uma Teresina mais limpa e sustentável. Orientamos que em casa, os moradores separem os resíduos recicláveis dos orgânicos, o que é de papel, metal, vidro e plástico. Ele leva para um dos PEVs e a Prefeitura garante a destinação e transporte ideal desse material para associação de catadores de lixo, que vende esses resíduos. E o que for orgânico ou não reaproveitável, é só colocar na porta da residência para a coleta domiciliar, no dia e horário da coleta”, explica a coordenadora de limpeza pública da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), Lílian Guimarães.

Para o morador do Angelim, Joaquim Pereira, que passou pelo terminal durante a ação, a iniciativa foi bem aceita e bastante engrandecedora. “Todo dia aprendemos um pouco mais. Agora já sei que em vez de colocar tudo junto para o caminhão de lixo pegar, posso ajudar o meio ambiente levando em um PEV”, comentou.

Para mais informações sobre a coleta seletiva e localização dos PEVs acesse: https://semduh.teresina.pi.gov.br/celimp/

Teresinense deve redobrar cuidados com o lixo em período chuvoso

O período chuvoso no início do ano já é conhecido no calendário do teresinense e, junto com ele, surge uma lista de cuidados que cada cidadão deve ter com o resíduo sólido que produz para evitar o entupimento de galerias e, consequentemente, zonas de alagamentos e enchentes.

As orientações vão desde o acondicionamento correto do lixo, que deve ser feito em sacolas de plástico reforçadas, para caso fiquem cheias de água, não rasguem durante o manuseio dos coletores, bem como a indicação de local e horário ideais para o descarte.

“A coleta domiciliar acontece de segunda a sábado, três vezes na semana. Então nossa orientação é que a população disponha as sacolas de lixo na porta de sua residência no dia da coleta, já próximo ao horário em que o caminhão passa. Assim evitamos que as chuvas carreguem essas sacolas, sujando as ruas e entupindo os bueiros. São atitudes simples, mas que fazem toda a diferença para uma cidade limpa”, explica Lílian Guimarães, coordenadora de limpeza pública da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh).

A coordenadora também explica que cada pessoa é responsável pelo seu lixo e que consta no Código de Postura do Município que a população deve acondicionar seus resíduos de forma correta e se responsabilizar por ele até que seja coletado.

“Além disso, a disposição desses resíduos em canteiros centrais, praças e terrenos baldios é proibida e passível de multa. Em caso de eventuais falhas na coleta, o munícipe deve recolher o seu lixo para dentro da residência e entrar em contato com a nossa equipe pelo telefone (86) 3221-7050 para que possamos regularizar a coleta de forma imediata”, completa Lílian Guimarães.

 

PMT instala 30 câmeras para flagrar descarte irregular de resíduos

Com o intuito de reduzir a ação de disposição irregular de resíduos na capital, por parte dos munícipes, a Prefeitura de Teresina está instalando câmeras de videomonitoramento em tempo real em 30 pontos da cidade que serão fiscalizados pelo Programa Lixo Zero. Ao todo, já foram implantadas 22 câmeras e a previsão de instalação total do sistema é até o fim de janeiro.

De acordo com o assessor técnico da coordenação de limpeza da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), Robispierre Leite, a Prefeitura conta com as equipes do Programa Lixo Zero atuando em vários pontos da cidade, mas que alguns locais apresentam ocorrência constante de descarte irregular necessitando de um monitoramento mais incisivo.

“Essas câmeras transmitem as imagens via rádio em tempo real para uma sala monitorada pela coordenação do Programa Lixo Zero. Um diferencial ainda melhor, é que as câmeras podem ser modificadas de lugar, então, quando conseguirmos solucionar o problema de um local, ela pode ser instalada em outro ponto. E assim sempre teremos 30 câmeras distribuídas pela cidade”, explicou Robispierre.

Denis Sena, coordenador do Programa Lixo Zero, destaca que as equipes de fiscalização atuam tanto com ações educativas, quando identificam que a disposição irregular é resultado de falta de instrução, ou ações punitivas, quando o infrator possui consciência do descarte irregular, como é o caso de descartes geralmente cometidos por pessoas jurídicas.

“O videomonitoramento já está em operação, ainda que a fase de implantação não esteja completa. Está sendo usado inicialmente como uma plataforma de apoio às nossas equipes em campo. Assim que constatamos uma situação de flagrante de descarte irregular pelas câmeras, caso não seja possível identificar o infrator pelos vídeos, acionamos nossas equipes que estão em campo para verificar o local e os resíduos descartados”, destaca Denis.

O Programa Lixo Zero ainda é responsável pelas penalidades decorrentes e condução do processo administrativo. “De acordo com o caso, o autor do descarte pode receber uma notificação preliminar, uma espécie de aviso seguido de orientação para adequação da situação, ou um auto de infração, sendo este utilizado em casos mais graves ou danosos ao meio ambiente, no qual a penalidade pecuniária pode variar de R$ 354,02 a R$ 3.540,27” completa o coordenador do Programa Lixo Zero.

SDU Leste recolhe mais de 47 mil toneladas de lixo

Ascom/SDU Leste

A população precisa se conscientizar quanto aos perigos do descarte irregular de lixo em áreas verdes e públicas. De janeiro a dezembro de 2019, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste (SDU-Leste) recolheu aproximadamente 48 mil toneladas de lixo na região, sendo cerca de 20 mil toneladas coletadas manualmente e quase 29 mil toneladas de lixo recolhidos de forma mecanizada.

Na última terça-feira (07), em virtude da chegada do período chuvoso, a equipe da Gerência de Serviços Urbanos percorreu os principais pontos de alagamento, desobstruindo galerias e bocas de lobo, na chamada “Rota das Chuvas”. De acordo com o gerente de Serviços Urbanos, Renato Lopes, os profissionais da limpeza recolheram colchões, sofás, materiais de construção, pneus, brinquedos, restos de podas e outros tipos de lixo descartados incorretamente.

“É muito triste ver tantos materiais sendo descartados assim sem nenhum controle ou consciência. Tudo isso obstrui os canais das galerias por onde as águas das chuvas deveriam passar. Temos uma programação organizada anualmente para executar a limpeza em todos os bairros e, com a chegada das chuvas, procuramos dar prioridade à limpeza dessas galerias, de forma célere e preventiva”, destacou Renato Lopes.

Conscientização dos moradores e a preservação do meio ambiente

A colaboração da população é fator importante para evitar o acúmulo ou descarte irregular de lixo em áreas de proteção ambiental. Agir em parceria com o órgão é um elemento crucial das frentes de trabalho. Sobre isso, a SDU Leste também conclama o apoio do cidadão para atuar em conjunto.

“O nosso maior objetivo, neste aspecto, é promover a conscientização das pessoas para que elas se sintam mobilizadas a participarem conosco das limpezas nos bairros. Juntos, podemos trabalhar com ações mais direcionadas com a finalidade de manter a nossa região mais limpa. Solicitamos também o apoio da população no sentido de fazer o acondicionamento do lixo da maneira correta e também evitar despejar materiais em praças e no meio de ruas e avenidas”, destacou o superintendente João Pádua.

A Superintendência conta sempre com a colaboração da população no trabalho de conservação desses espaços. Nesse sentindo, a comunidade pode ajudar o órgão com informações ou denúncias sobre descarte incorreto de lixo domiciliar ou material sólido pelos números (86) 3215-7875 e 7874 ou pelo aplicativo Colab.

Av. Zequinha Freire recebe ação reforçando orientações de coleta domiciliar

Os moradores e comerciantes da Avenida Zequinha Freire, localizada no bairro Satélite, zona leste da capital, receberam a visita das equipes de Educação Ambiental da Prefeitura de Teresina na manhã desta terça-feira (7) em ação da campanha “Cidade limpa, gente feliz!”. As equipes conversaram com a população da área a fim de sensibilizar e orientar sobre a correta disposição de resíduos sólidos domiciliares.

De acordo com a coordenadora de Limpeza Pública da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), Lilian Guimarães, foram distribuídos panfletos informativos com o correto horário da coleta domiciliar e os agentes reforçaram a necessidade da população colocar as sacolas de lixo exclusivamente na porta da sua residência, no dia correto e próximo ao horário do recolhimento.

“Estamos destacando para a população que canteiros centrais não são locais adequados para disposição de sacolas de lixo e que o hábito de colocar a sacola no local, dia e horário correto, evita a ação de animais ou terceiros que possam espalhar os resíduos pela rua”, explica a coordenadora.

Ainda segundo Lilian, é preciso lembrar que a correta destinação dos resíduos não só garante uma cidade limpa, mas é um cumprimento do Código de Postura do Município.

“Quando verificamos um problema de disposição irregular de sacolas de lixo em canteiros centrais, as equipes de educação ambiental vão ao local para atuar na conscientização da população e, caso não haja mudança de hábitos, a equipe de fiscalização do Programa Lixo Zero é encaminhada para penalizar os infratores”, finaliza.

Na Av. Zequinha Freire a coleta domiciliar acontece às terças, quintas-feiras e sábados, a partir das 6h.

 

Lixo recolhido na zona Sul em 2019 foi 21% maior que mesmo período do ano passado

Levando em conta todo o lixo recolhido das ruas e de terrenos baldios pelas equipes da Prefeitura de Teresina na zona Sul da cidade, entre os meses de janeiro e novembro deste ano, houve um aumento de 21% em relação ao mesmo período de 2018.

Mais precisamente, foram 26,5 mil toneladas recolhidas manualmente após o trabalho de capina e varrição e mais 26,7 mil toneladas retiradas com o uso de máquinas nas chamadas áreas de transbordos, totalizando mais de 53 mil toneladas de lixo.

Na avaliação do gerente de Serviços Urbanos do órgão, Marcelo Mourão, além de uma ampliação no trabalho realizado pelas equipes de limpeza, esses números comprovam que a falta de conscientização ainda é uma realidade no tocante às formas corretas de descarte do lixo e limpeza das áreas públicas de um modo geral.

“As pessoas precisam entender que, por mais que a Prefeitura faça investimentos, por mais que se organize, nunca será possível ter equipes de limpeza em todas as ruas da cidade ao mesmo tempo. A população precisa atuar de forma mais ativa nesse processo, fazendo sua parte, descartando seu lixo da forma adequada”, ressaltou Mourão.

De acordo com a organização do serviço de coleta de lixo da cidade, os caminhões coletores passam sempre três vezes por semana: às segundas, quartas e sextas ou terças, quintas e sábado, de acordo com a programação. Além disso, cada SDU possui equipes para realizar o trabalho de varrição, capina, limpeza de galerias, controle e limpeza de áreas verdes e praças, entre outras coisas.

“Estamos sempre atendendo as solicitações dos moradores e nunca vamos deixar de fazer isso, mas é importante destacar que o lixo jogado nas ruas e em terrenos baldios representa sempre muito prejuízo, seja de recursos financeiros, que poderiam estar sendo utilizados em outras demandas, seja no tocante à saúde pública”, complementou o gerente.

Um dos trabalhos realizados pela SDU Sul atualmente é uma ação de limpeza preventiva nas galerias e bueiros da região. “Essa é uma atividade que realizamos todos os anos antes do início do período chuvoso e sempre encontramos muito material jogado nesses locais. A medida visa evitar alagamentos e outros transtornos para a comunidade”, lembrou Mourão.

 

 

SDU Sudeste intensifica limpeza na região

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste (SDU Sudeste) vem intensificando neste final de ano os serviços de limpeza na região. Ao todo, são 15 equipes divididas para atender diversos serviços de limpeza executados pelo órgão, como capina, varrição, roço de área verde, galeria e manutenção de cemitérios. Além disso, a SDU também faz o recolhimento do material descartado irregularmente pela população.

De janeiro a novembro, as equipes de limpeza da SDU Sudeste coletaram mais de 28 mil toneladas de transbordo (descarte irregular de lixo) em toda a região, o que acarretou um desembolso de, aproximadamente, R$ 1.000,000,00 aos cofres públicos.

A ação é decorrência do trabalho contínuo e programado que a Superintendência realiza em todos os bairros da zona Sudeste. Porém, de acordo com o gestor do órgão, Evandro Hidd, com o auxílio da população esse valor poderia ser menor. Ele também reforça a importância da contribuição dos moradores para a limpeza de espaços públicos, sobretudo para diminuir os gastos com o recolhimento do lixo que são descartados incorretamente.  “É um valor muito alto, que poderia ser usado em outras prioridades da população, como calçamentos e construção de espaços públicos, dentre outros”, disse.

Evandro explica que a ação é feita por etapas, para assegurar a manutenção de todos os espaços públicos da região. “Temos uma programação pré-definida através da Gerência de Serviços Urbanos em que fazemos o atendimento de todas as áreas da região Sudeste. A população também pode participar nesse contexto, fazendo a solicitação de limpeza por meio do aplicativo Colab, que é hoje a forma mais moderna e rápida de atendimento. A pessoa nos envia a foto e a localização e nós enviamos uma equipe para averiguar a situação do local e o atendimento”, esclareceu Hidd.

O compromisso da Prefeitura de Teresina é manter a cidade limpa, proporcionando qualidade de vida para a sociedade. Para isso, a Superintendência pede a colaboração da população no trabalho de conservação desses espaços. Nesse sentido, a comunidade pode ajudar com informações ou denúncias sobre descarte incorreto de lixo pelos números (86) 3215-7875 e 7874, ou ainda pelo aplicativo Colab.

 

SDU Centro Norte coletou 34 toneladas de lixo de janeiro a novembro

Levantamento realizado pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano Norte mostra que, de janeiro a novembro deste ano, o órgão recolheu 34.173,65 toneladas de lixo na região, sendo 15.791,88 coletados manualmente e 18.381,77 toneladas de lixo recolhidos de forma mecanizada.

O lixo que é descartado de forma irregular em ruas e avenidas da cidade é considerado um dos fatores responsáveis pela obstrução da passagem de águas naturais e entupimento de galerias e bueiros, o que causa transtornos, principalmente, em período chuvoso, por isso a Superintendência recomenda que esse tipo de atitude seja evitada.

Dentre os serviços desempenhados pelos integrantes da equipe da SDU Centro Norte estão os serviços de poda de árvores, capina, varrição e limpeza. A ação é promovida periodicamente pela equipe de limpeza da Gerência de Serviços de Serviços Urbanos (GSU) da Superintendência, composta por equipes de profissionais que se dividem de acordo com as demandas que surgem na comunidade.

O gerente de Serviços Urbanos do órgão, José Neto, enfatiza que o trabalho de coleta de lixo e limpeza faz parte da rotina diária da Gerência. “Trabalhamos todos os dias para coletar lixo e proporcionar uma melhor qualidade de vida para os moradores da região”, enfatiza o gestor.

A colaboração da população é fator importante para evitar o acúmulo ou descarte irregular de lixo em áreas de proteção ambiental. O cidadão também pode ajudar e delatar casos de depósito irregular através do aplicativo Colab ou entrando em contato com o Lixo Zero pelos números (86) 3226-2028 ou (86) 99806-6171.