Laboratório Maria da Penha tem sua aula inaugural na Assembleia Legislativa

Ascom/SMPM

Na manhã de hoje (12) foi realizada a aula inaugural do Laboratório Maria da Penha, no Cine Teatro da Assembleia Legislativa do Piauí. A palestra abordou o tema “Mulher Negra na Sociedade” e foi ministrada pela professora Luciana Farias, presidente do Conselho dos Direitos da Mulher. Estiveram presentes coordenadores e alunos dos cursos de Enfermagem, Direito e Psicologia. A aula inaugural teve o objetivo de discutir questões sobre a violência que a mulher sofre diariamente.

O Laboratório é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), em parceria com o Núcleo de Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID). Tathyana Bernardes, apoio à Gerência de Empoderamento Feminino e Enfrentamento à Violência contra a Mulher, destacou em sua fala a importância de reconhecer quais fatores estruturais fazem algumas pessoas como mulheres negras, por exemplo, serem socialmente excluídas ou inseridas à margem da sociedade.

“Em que momento nós lemos homens negros e mulheres negras na faculdade? Eu lembro que eu tive um contato com Paulo Freire, em uma ou duas disciplinas, mas o contato é pouco. Então espero que o laboratório instigue vocês e a gente que está dentro de uma política pública a esses questionamentos, e que sirva para posteriormente, quando estivermos no campo de trabalho, refletirmos sobre essa desigualdade social”, ressaltou Tathyana.

De acordo com Francisco de Jesus, promotor de justiça NUPEVID, o projeto acarreta uma importante responsabilidade social para todos os envolvidos. “Como futuros profissionais, temos que saber que curar a dor dessa mulher que sofre violência não é a única solução, mas buscar saber as causas dessa violência e encaminhá-la à rede de proteção é o que realmente importa. Se a cada 15 segundos uma mulher é vítima de violência, nós enquanto sociedade, família, poder público, temos o poder de fazer afirmativas contra a violência”, afirmou.

Instituições de Ensino podem se inscrever no Laboratório Maria da Penha

As Instituições de Ensino Superior (IES) têm até o dia 10 de maio para se inscreverem no Laboratório Maria da Penha, programa da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, em parceria com a 5ª Promotoria de Justiça do Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID).

As ações do projeto serão desenvolvidas através do estudo das questões de gênero, análise da Lei Maria da Penha, identificação dos avanços e desafios da rede de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, conhecer o perfil das mulheres que sofrem violência e ainda, a vivência social através das práticas nas comunidades do município de Teresina.

Serão selecionadas oito IES com 15 discentes em cada uma, dos cursos de Direito, Psicologia, Serviço Social, Enfermagem Pedagogia, Medicina e áreas afins. “É importante que as Instituições se inscrevam para que possamos trazer aos discentes uma reflexão sobre a situação da mulher, as desigualdades de gênero, os avanços alcançados após a Lei Maria da Penha e para que se busquem novas estratégias, a partir dos próprios alunos, em relação ao enfrentamento a violência contra a mulher”, declara Tathyana Bernardes, apoio à gerência de Empoderamento Feminino e Enfrentamento à Violência contra a Mulher.

As inscrições deverão ser realizadas presencialmente na sede da SMPM, localizada na rua Agripino Maranhão, 235, Bairro dos Noivos, ou no NUPEVID, na Avenida Lindolfo Monteiro, 911, bairro de Fátima, das 08h às 12h.

Leia o edital aqui.