Fundação Municipal de Saúde recebe 1.100 protetores faciais doados pela UFPI

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) recebeu 1.100 protetores faciais (face shield) nesta quinta-feira (16) como doação da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Os materiais serão disponibilizados para agentes comunitários de saúde e profissionais que realizam testes rápidos da Covid-19 nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Esses equipamentos serão distribuídos nesta sexta-feira (17) para as Regionais de Saúde fazerem a entrega aos profissionais.

A utilização desse equipamento de proteção individual é importante para garantir mais segurança no desenvolvimento das atividades. Emanuelle Dias, gerente de Ações Estratégicas da FMS, explica que esse é um dos equipamentos que são disponibilizados aos profissionais. “Serão muito úteis aos agentes comunitários de saúde que retornam as atividades com as visitas domiciliares e para os profissionais que realizam os testes rápidos da Covid-19 nas UBS”, cita.

O Face Shield, escudo facial ou viseira de proteção hospitalar, como costuma ser chamada a máscara, é um equipamento muito parecido com uma viseira de capacetes, atuando como primeira barreira física de proteção contra a COVID-19. Ela evita a transmissão do vírus que se dá pelo contato próximo, através de gotículas de saliva, tosse, espirro e contato direto com as mãos ou olhos.

Uso correto de máscaras ainda é uma das principais armas no combate ao coronavírus

Rômulo Piauilino

O uso de máscara durante a pandemia do coronavírus tornou-se uma das medidas mais importantes para evitar a disseminação da doença. Com o início do processo de reabertura das atividades econômicas em Teresina, anunciado pela Prefeitura para o próximo dia 6 de julho, essa precaução se faz indispensável para a população que precisar sair do isolamento. (mais…)

CMEI faz varal de máscaras e doa para a comunidade para prevenção à Covid-19

Ascom/Semec

‘Pare, pegue uma máscara’. Este é o nome da ação realizada pela equipe do Centro Municipal de Educação Infantil Helena Medeiros, zona Norte da cidade, por meio da qual é disponibilizado diariamente um varal com algumas máscaras para serem doadas às pessoas da comunidade que não têm condições de adquirir esse equipamento de proteção contra a Covid-19.

Adriana de Oliveira Lopes, gestora do CMEI, conta que a ideia é ajudar quem não tem como comprar. “Produzimos inicialmente 100 máscaras, colocamos dentro da embalagem e estamos sempre abastecendo o varal. É uma forma de ajudar as famílias que não tem condições de comprar as máscaras, que hoje é um item essencial de proteção. Assim, estamos ajudando na prevenção e no combate ao coronavírus”, destaca.

A gestora também explica que para que as crianças não fiquem distante do ambiente escolar por conta da suspensão das aulas, foi criado um grupo de WhatsApp com os pais dos alunos onde é disponibilizado atividades e orientações às famílias. “Também realizamos a impressão de material que são entregues aos pais. Dessa forma, as crianças mesmo em casa estão realizando as atividades escolares”, conclui.

SEMEST fabrica protetores faciais para doar a instituições de saúde

Protetores faciais, conhecidos como máscara-escudo ou “face shield”, são importantes dispositivos para evitar a contaminação de agentes de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19. A necessidade de uso desse dispositivo nos hospitais mobilizou Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) a viabilizar a confecção de 275.000 máscaras de proteção facial, em parceria com os Centros de Produção de Teresina e dos projetos Vitória e Sustentabilidade, mantidos pela Prefeitura Municipal.

“Vamos entregar 3 mil protetores faciais, confeccionados na capital, à Fundação Municipal de Saúde para ajudar os trabalhadores que estão na linha de frente do combate à epidemia do coronavírus. Temos o dever de ajudar a proteger a saúde da população, além de ajudar os pequenos empreendedores da cidade, e estamos fazendo várias ações nesse sentido”, afirmou o secretário da Semest, Ricardo Bandeira.

O protetor facial é feito por meio da impressão 3D e, em Teresina, os produtos estão sendo confeccionados em uma impressão mais moderna, com custo menor, mas com a mesma eficácia.

A SEMEST também assumiu o compromisso de entregar 75 mil kits de Equipamentos de Proteção Individual em Teresina (EPIs), compostos por aventais, máscaras e toucas, para trabalhadores da saúde da capital, que atuam na linha de frente de combate ao novo coronavírus. Até agora, já foram entregues 34 mil kits e novos poderão ser entregues nos próximos dias.

Campanha distribuirá máscaras com estampas informativas de combate à exploração sexual

Ascom/Semcaspi

No dia 18 de maio, se reconhece oficialmente a luta de enfrentamento ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. A campanha de conscientização em alusão à data, articulada localmente pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), contará com a produção de máscaras de proteção com estampa temática. As unidades da rede socioassistencial devem começar a receber o material na próxima semana para distribuição aos colaboradores e ao grande público.

“Estamos fazendo uma campanha que contextualiza o momento em que vivemos, que é de combate ao Coronavírus, trazendo como pauta justamente o enfrentamento à exploração sexual da criança e do adolescente. A construção de uma sociedade livre desses tipos de abuso é a sociedade pela qual lutamos, e acreditamos que Teresina caminha junto, nesse sentido”, explicou o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

Segundo Layla Paiva, técnica da Gerência de Proteção Social Especial (GPSE) da Semcaspi, o novo contexto de isolamento social fez com que a campanha tivesse de achar novos caminhos de conscientização. “Nos anos anteriores sempre fizemos campanhas com abordagens, panfletagens, distribuição de material informativo e apresentações culturais. Porém, por conta da Covid-19, pensamos em algo diferente. A confecção das máscaras já é uma sugestão do Fórum Nacional”, explica.

Em Teresina, a rede municipal de combate à exploração da criança e do adolescente conta com as quatro unidades dos Centros de Referência em Assistência Social (CREAS) e com a Casa de Zabelê. As equipes são capacitadas para atender essas demandas de crianças e adolescentes que sofrem situações de violência e exploração sexual.

“Já a Casa de Zabelê é uma unidade específica para atender essas adolescentes do sexo feminino”, explica Layla. O espaço realiza atividades profissionalizantes e de fortalecimento de vínculos e conta com equipe psicossocial. Atualmente, a meta de atendimento, de 100 adolescentes, já foi ultrapassada.

A população pode ser encaminhada tanto aos CREAS, quanto aos Conselhos Tutelares, através do contato com o 153. As ligações são gratuitas e o sigilo do nome do denunciante é mantido. As denúncias podem ser feitas também por meio do Disque Direitos Humanos: o Disque 100, serviço nacional de atendimento telefônico gratuito, que funciona 24 horas por dia, nos sete dias da semana. Os casos recebidos são analisados, tratados e encaminhados aos órgãos de proteção, defesa e responsabilização em direitos humanos, no prazo máximo de 24 horas. O objetivo é romper o ciclo de violência e garantir a proteção da vítima.

Moradores em situação de rua recebem doação de máscaras caseiras

Ascom/Semcaspi

Os moradores em situação de rua que estão alojados desde o dia 10 de abril no Estádio Municipal Lindolfo Monteiro receberam na manhã desta quinta-feira (07) a doação de 35 máscaras personalizadas caseiras para prevenir contra a Covid-19.

Os profissionais da microempresa de artesanato conhecida como “Cruzartes” fizeram as doações, explicaram sobre a importância das máscaras, que precisam cobrir a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais para evitar a possibilidade de contaminação.

O secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, informou que diversos grupos independentes estão se colocando à disposição para realizar alguma atividade lúdica e de conscientização com a população em situação de rua durante esse período de necessidade de isolamento social.

“Hoje nós estamos acolhendo 35 moradores em situação de rua, mas a nossa meta é chegar ao número de 70 pessoas. Eles estão recebendo por parte dos assistentes sociais todas as refeições necessárias do dia e o atendimento constante de uma equipe da área da saúde do município. A doação das máscaras faz parte do trabalho preventivo que as nossas equipes e colaboradores estão promovendo em favor da higienização pessoal e de prevenção contra a propagação do vírus. Os produtos doados atendem as especificações do Ministério da Saúde”, explicou o secretário.

Além das doações para as medidas protetivas contra o coronavírus, os moradores em situação de rua estão participando de diversas atividades religiosas, esportivas e de entretenimento que possuem o caráter de informar sobre as mudanças ocorridas na sociedade devido à pandemia.

“Várias dinâmicas, gincanas e palestras estão sendo realizadas para que eles tenham a capacidade de enxergar o seu potencial e mude a realidade em que estão inseridos. Nosso objetivo é que cada um encontre uma nova forma de viver durante e após esse momento de isolamento social”, disse Edson Araújo, coordenador da Casa do Caminho.

A estrutura montada pela Semcaspi no Estádio Lindolfo Monteiro conta com alojamentos, refeitório, estande para atendimento em saúde, banheiros e estande administrativo. Os alojamentos estão separados em alas feminino, masculino e para pessoas idosas. Ao todo, 70 vagas foram disponibilizadas no abrigo.

A Prefeitura atende a população em situação de rua através de vários projetos da Assistência Social e Saúde, por meio do Albergue Casa do Caminho, Centro Pop e o Consultório na Rua, que percorre a cidade levando profissionais de saúde até eles. Com a disseminação da Covid-19, a intenção da Prefeitura é que essa população permaneça em um espaço amplo, com o distanciamento adequado, atendimento, estrutura e segurança para conviver de forma saudável.

FWF produz vídeos ensinando a produzir equipamentos de proteção contra o coronavirus

O uso de máscaras de proteção facial por toda população passou a ser obrigatório em espaços públicos de Teresina devido a pandemia do novo coronavírus. Para orientar a população que produz esses e outros equipamentos de proteção individual básicos, a Fundação Wall Ferraz (FWF) lançará vídeos de passo a passo através da série #saibacomofazer.

A iniciativa é mais uma medida da Prefeitura de Teresina para agir de forma preventiva à propagação do coronavírus. Nas redes sociais, serão divulgados uma sequência de vídeos curtos, com orientações práticas, proporcionando acesso rápido e descomplicado a conteúdos de educação profissional.

Segundo a Presidente da FWF, Heline Santos, a partir das informações disponíveis nos vídeos, as pessoas que buscam orientação para a produção poderão facilmente confeccionar os EPIs com maior segurança, pois a produção está alinhada às orientações da Organização Mundial da Saúde. “Teremos o passo a passo para a confecção de equipamentos de proteção individual básicos, como máscaras, toucas e aventais, que estão entre os itens mais demandados nesse novo contexto”, disse.

Heline Santos destaca ainda que a ação possibilita que mesmo em contexto adverso, a Fundação Wall Ferraz continue cumprindo sua missão de qualificação da população. “Os vídeos são curtos e de fácil difusão nas redes sociais, o que facilita o acesso de quem tiver interesse em assistir e receber a orientação. As pessoas só terão que seguir os passos e produzir para uso pessoal ou para comercialização, já que a esses itens se tornaram de extrema necessidade no cenário atual”, comenta.

Diretora de CMEI confecciona máscaras para quando alunos voltarem às aulas

A equipe gestora do Centro Municipal de Educação Infantil Santa Teresinha, localizado no Povoado Campestre Norte, teve uma boa ideia para receber os alunos quando retornarem à escola. Cada criança receberá uma máscara de proteção contra a Covid-19, doença que motivou a suspensão temporária das aulas em todo o país.

A diretora Hilneth Azevedo conta que mandou confeccionar 100 máscaras de tecido, coloridas e com imagens de desenhos animados para os alunos. Mesmo sem data certa para o retorno das atividades presenciais, a comunidade escolar já planeja formas de garantir a segurança das crianças quando puderem voltar à sala de aula.

“Estamos em fase de planejamento e preparação para a volta às aulas em breve. Cada aluno vai receber sua máscara, feita com carinho, para manter a proteção. Mas por enquanto temos que ficar em casa, nos cuidando e protegendo”, disse a diretora.

 

FWF confecciona mais de 4.500 mil máscaras para profissionais da saúde de Teresina

As instrutoras de corte e costura da Fundação Wall Ferraz (FWF) também estão unidas no combate do Covid-19. Desde o início da pandemia do novo Coronavírus, elas confeccionaram, de forma voluntária, mais de 4.500 mil máscaras para serem doadas aos profissionais de saúde que atuam nos hospitais de Teresina.

A ação está acontecendo em parceria com a Rede Pense Piauí, que possui materiais para a produção dos Equipamentos de Proteção Individuais – EPIs, mas que precisava da mão de obra de costureiras para a confecção das máscaras.

A artesã Adriana Borges é instrutora da Fundação Wall Ferraz há três anos e produziu voluntariamente mais de 1.100 mil máscaras para serem doadas aos profissionais de saúde do município. “Eu me sinto como uma verdadeira cidadã teresinense. Colaborar com o combate a esse vírus é uma sensação de dever cumprido. Eu pensei nos meus amigos e familiares que atuam na linha de frente da saúde, e que todos os dias precisam de equipamentos para se manterem seguros. Já que eu não posso colaborar financeiramente, eu contribuo com a minha força de trabalho”, declara a artesã.

A presidente da FWF, Heline Santos, ressalta que o órgão sempre trabalhou em parceria com instituições que têm o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos teresinenses. Segundo ela, esse é um momento de unir forças no combate ao Coronavírus. “Esse é um trabalho muito significativo e que ajuda no enfrentamento da pandemia de forma efetiva. Gentilmente estamos cedendo nossa mão de obra para alcançar o maior número de pessoas possível”, comenta a presidente.

Estabelecimentos têm 15 dias para fornecerem máscaras aos trabalhadores de serviços essenciais

Estabelecimentos, órgãos e instituições de trabalho que prestam serviços essenciais têm um prazo de 15 dias para fornecerem máscaras de proteção de tecido aos seus trabalhadores. A obrigatoriedade entrou em vigor no dia 14 deste mês e está de acordo com a Nota Informativa do Ministério da Saúde, que prevê ainda o fornecimento de água, sabão e álcool em gel 70% aos trabalhadores.

A medida é para evitar a disseminação do novo coronavírus, que tem apresentado um período de ascensão em Teresina. “Essas medidas são necessárias para combater a proliferação do vírus na nossa cidade, sem comprometer o funcionamento das atividades essenciais e oferecendo aos trabalhadores e servidores públicos um mínimo de segurança possível. Para isso, os estabelecimentos terão um prazo de 15 dias para se adequarem e cumprirem essa determinação”, destacou o prefeito Firmino Filho.

Trabalhadores que precisem fazer uso de outros Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), devem recebê-los dos estabelecimentos, órgãos e instituições. Somente em casos especiais, comprovados e justificados, serão dispensados o uso de máscaras e de EPIs. Caso a determinação não seja cumprida, os órgãos e instituições sofrerão penalidades legais.

Em duas semanas, o número de casos confirmados de Covid-19 na capital cresceu mais de 500%, passando de 20 no domingo (05) para 122 neste último domingo (19). Segundo dados da Fundação Municipal de Saúde (FMS), até o momento, 137 residentes de Teresina testaram positivo para a Covid-19 e 7 óbitos foram registrados.