Prefeitura amplia capacidade de atendimento da Maternidade Prof. Wall Ferraz

O prefeito Firmino Filho visitou, nesta sexta-feira (18), a Maternidade Prof. Wall Ferraz, que ganhou recentemente mais três novos leitos de UTI Neonatal. Agora, o estabelecimento passa a contar com 10 leitos dotados de estrutura e suporte avançado para esse cuidado intensivo, o que contribui para a ampliação do atendimento a recém-nascidos com quadro de saúde grave.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) já havia feito outros investimentos na Maternidade, tendo ampliado de cinco para dez os leitos de Unidades de Cuidados Intermediários Convencionais (UCINCO), que são unidades semi-intensivas para bebês.

“Essas foram duas importantes reformas na maternidade, ampliando a capacidade de atendimento às nossas crianças. Esse investimento é uma forma de aperfeiçoar o cuidado tanto para as mães quanto para os bebês”, disse o prefeito Firmino Filho.

Jesus Mousinho, diretora de atenção especializada da FMS, relembra que, na década de 90, a Prefeitura de Teresina implantou UTI Neonatal na Maternidade Wall Ferraz e que a medida foi um grande avanço. “O porte do estabelecimento não o obriga a ter UTI, mas a Prefeitura implantou para aperfeiçoar o serviço oferecido”, afirma.

A Maternidade Prof. Wall Ferraz funciona 24 horas para atendimento de urgências obstétricas e neonatal. O local é referência para partos de risco habitual, porém, casos mais graves eventualmente aparecem. Entre os serviços realizados, destacam-se atendimento de urgência a grávidas, puérperas e bebês, internação hospitalar, atendimento ambulatorial, coleta de leito materno, oferta de exames e de cursos voltados para esse público.

Semana de amamentação: Mãe com Covid-19 pode amamentar seu bebê com segurança

Ascom/FMS

A Semana Mundial da Amamentação, celebrada entre os dias 1 e 7 de agosto, despertou novos questionamentos entre gestantes e mães que estão passando por essa fase durante a pandemia de Covid-19. Não há comprovação da transmissão do vírus através leite materno e, por isso, amamentar ainda é a forma mais segura de alimentar os bebês, mas requer uma nova rotina de cuidados para as mães e seus recém-nascidos.

Em Teresina, a Maternidade do Promorar realiza o atendimento exclusivo de grávidas com quadro de síndromes gripais e que apresentem sintomas leves e moderados de infecção pelo novo coronavirus. Mirela Viveiros dos Santos, neonatologista da Maternidade, informa que o local segue todas as orientações do Ministério da Saúde e da Sociedade de Pediatria para um aleitamento seguro para mãe e filho.

“O Ministério orienta que não há necessidade de suspender a amamentação por todas as mães, quer sejam elas assintomáticas, sintomáticas ou com confirmação diagnóstica de Covid-19. Antes e depois do parto, repassamos a mãe e ao seu acompanhante, todas as orientações sobre medidas de precaução para não haver a transmissão do vírus para o bebê. É realizada uma avaliação de riscos e benefícios e, se o bebê está bem e em condições de permanecer com a mãe, eles são colocados em alojamento conjunto e ela pode amamentar em livre demanda, pois todas as medicações que usa são seguras”, destaca.

A equipe da Maternidade também adota um protocolo especifico para evitar a transmissão da infecção para o bebê. O uso de máscara é essencial, assim como o distanciamento de dois metros entre o berço do recém-nascido e o leito da mãe. “O vírus tem um tipo de deslocamento junto com as gotículas de tosse, espirro ou da fala. E com isso, em algum momento que a mãe não está com máscara devido as suas necessidades de alimentação e cuidados de higiene, como tomar banho e escovar os dentes, essas gotículas podem chegar até o bebê se ele estiver próximo”, explica a médica.

Antes da amamentação, a mãe deve fazer a higienização dos braços e antebraços com água e sabão e/ou usar álcool em gel 70%. Durante o processo, ela deve usar máscara facial e evitar falar, tossir ou espirrar. A máscara deve ser trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada quatro horas. Após a mamada, todos os outros cuidados com o bebê como dar banhos, colocar para dormir, arrotar, devem ser realizados por outra pessoa que não tenha sintomas ou que não seja também confirmado para Covid-19.

“Após a alta médica, caso a mãe ainda esteja em período de isolamento, os cuidados devem permanecer em casa. Estamos trabalhando assim há mais de três meses e, até o momento, não registramos nenhum caso de bebê que tenha sido infectado quando as mães seguiram todas as recomendações”, comemora Mirela.

BENEFÍCIOS

A amamentação é fundamental para a promoção da saúde das crianças e suas mães. A prática do aleitamento pode proporcionar uma vida mais saudável, diminuindo o risco de doenças crônicas, alergias e infecções em crianças. “A amamentação exclusiva nos seis primeiros meses de vida do bebê tem inúmeros benefícios nutricionais, emocionais, imunológicos, econômicos e sociais e contribui para o desenvolvimento do bebê por toda a vida”, destaca Izabel Santana, nutricionista clínica no Hospital e Maternidade do Buenos Aires.

Ela acrescenta que a amamentação deve ocorrer em livre demanda, ou seja, sempre que o bebê apresentar sinais de que está com fome. A mãe deve procurar um local confortável para este momento e respeitar o ritmo do mamar do bebê. Em Teresina, as maternidades mantêm consultórios de aleitamento materno, onde as mães recebem orientação de nutricionistas sobre as melhores formas de amamentar, armazenamento de leite e introdução alimentar no momento certo.

Além dos muitos benefícios para os bebês, a amamentação tem reflexos na saúde das mães. “Ela diminui as chances de a mãe desenvolver câncer de mama, de útero, ovário, a ter diabetes e pressão alta, além de ajudar a perder o peso que ganhou durante a gestação”, finaliza a nutricionista.

Maternidade Wall Ferraz solicita doação de leite materno para alimentar bebês prematuros

A Maternidade Wall Ferraz, localizada no bairro Dirceu, está lançando uma campanha para incentivar a doação de leite materno. O objetivo é aumentar o estoque do alimento – essencial para os prematuros internados nas unidades neonatais da maternidade, que sofreu queda acentuada em função da pandemia de COVID-19.

O posto de coleta da Maternidade Wall Ferraz funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 14h às 17h. A nutricionista Déborah Sobral dá algumas orientações para a mãe que desejar se tornar doadora: estar com saúde, amamentando o seu filho e ter boa produção de leite. “Assim, ela pode entrar em contato com o Posto de Coleta pelo fone 3236-1968, ramal 218, para receber informações sobre doação”, afirma.

Na casa da doadora, o leite deve ser armazenado no congelador, em frasco esterilizado fornecido pela maternidade, observando o prazo de 10 dias a contar da data da primeira retirada de leite. Após esse prazo então o leite é recolhido e encaminhado ao Banco de Leite Humano da Maternidade Evangelina Rosa, para ser pasteurizado antes de ser destinado ao receptor, que é o recém-nascido prematuro. “Um pote de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. Dependendo do peso do prematuro, 1ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez em que ele for alimentado”, afirma a nutricionista.

O leite materno é essencial para os recém-nascidos porque alimenta e protege contra diarreia, infecções respiratórias e alergias. Ele deve ser o alimento exclusivo dos bebês até os seis meses de idade, e deve ser mantido até os dois anos. “Se você estiver em casa amamentando seu bebê, gozando de boa saúde e tiver leite sobrando no peito, ajude o banco de leite. É um ato de amor e de solidariedade”, pede a nutricionista da Maternidade Wall Ferraz.

IPMT Saúde credencia Maternidade da MED Imagem para atendimentos de servidores

A Prefeitura de Teresina, através do Instituto de Previdência do Município (IPMT), iniciará no próximo dia 08 de maio, o atendimento de Urgência Obstetrícia na Maternidade da Med Imagem, localizado na Rua Paissandú, 1862, Centro/Sul da capital.

A ação foi possível depois de solicitações dos beneficiários do IPMT Saúde e Sindicato dos Servidores. “Os pedidos foram prontamente estudados, negociados e atendidos junto à diretoria do IPMT e da Maternidade. Agora viabilizada, garante uma melhor assistência de saúde para as gestantes neste período”, enfatiza o Gerente de Saúde, George Hilário.

A presidente do IPMT, Tandra Furtado, também reforça que o atendimento vem em um momento importante para as servidoras gestantes que necessitarem do serviço. “Vivemos tempos difíceis e esta formalização vem exatamente quando a maioria das clínicas está com atendimentos reduzidos. Assim, nossas beneficiárias terão mais uma opção de atendimento direcionado e qualificado nessa pandemia”, finaliza.

Maternidades municipais realizam quase quatro mil partos no primeiro semestre do ano

No primeiro semestre de 2019, foram realizados 3.986 partos nas maternidades da rede pública municipal administradas pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). Teresina mantém, atualmente, quatro maternidades, uma em cada zona da cidade, que seguem as diretrizes da Rede Cegonha. Trata-se de uma série de cuidados para assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo, assim como atenção humanizada à gravidez, ao parto e ao puerpério. Também pretende garantir às crianças o direito ao nascimento seguro e ao crescimento e desenvolvimento saudáveis.

Dos 3.986 partos, 2.353 (59%) foram partos normais e 1.633 (41%) foram cesarianas. O parto natural é o método mais incentivado pela política da Rede Cegonha.

“Se o parto normal é o desfecho natural de uma gravidez, por quê fugir dele? O ideal é que o bebê escolha o dia em que quer nascer. É claro que na hora do parto às vezes surgem complicações. Aí sejamos justos! A cesariana pode salvar a vida da mãe e do filho”, afirma Iris do Amaral, gerente de Assistência Hospitalar Especializada da FMS.

Somente na maternidade do Buenos Aires, foram 1.128 procedimentos realizados no primeiro semestre de 2019, dos quais 664 foram normais e 464 cesáreos. A unidade mantém o primeiro Centro de Parto Normal (CPN) da capital, com estrutura para o atendimento conforme o modelo de assistência humanizada ao parto, preconizado pelo Ministério da Saúde. Funciona com banheira de hidromassagem, camas especiais e equipamentos para partos de diversas posições.

A Maternidade Professor Wall Ferraz, localizada no bairro Dirceu, realizou 1.122 partos este ano, dos quais 674 foram normais e 448 cesarianas. Já na maternidade no Satélite foram feitos 819 partos (423 normais e 396 cesarianas). A maternidade do bairro Promorar, por sua vez, realizou 917 partos de janeiro a junho deste ano, sendo 592 normais e 325 cesarianas.

“As maternidades da Prefeitura de Teresina contam com profissionais qualificados, possuem também insumos suficientes e uma infraestrutura que possibilita atender à gestante com qualidade”, comenta Iris do Amaral.

Maternidades municipais promovem a Semana Mundial de Aleitamento Materno

Começa na próxima segunda-feira (05) a Semana Mundial de Aleitamento Materno em Teresina. O evento, que ocorre em 120 países de todo o mundo, terá como tema o empoderamento de mães e pais em favor da amamentação, e será composto por diversas ações de conscientização nas quatro maternidades do município. A abertura será na Maternidade do Buenos Aires, a partir das 9h da manhã.

Durante o mês de agosto, chamado de Agosto Dourado em alusão à campanha, as equipes das quatro maternidades, incluindo os postos de coleta de leite, estarão promovendo rodas de conversa, exibições de vídeo e palestras voltadas tanto para a população quanto para seus funcionários. Serão abordados temas como mitos, crendices e verdades sobre a amamentação, apoio familiar, atendimento humanizado e a importância da doação de leite.

Segundo Jesus Mousinho, diretora de Assistência Especializada da Fundação Municipal de Saúde (FMS), o objetivo da campanha é conscientizar a população sobre a importância do aleitamento materno e como esta ação não é exclusiva da mãe e sim de toda a família, conforme entendimento da Organização Mundial de Saúde e Sociedade Brasileira de Pediatria. “A gente precisa empoderar essa família para ajudar no processo de amamentação, que não é muito fácil. Estudos mostram que 40% das crianças que hoje nascem têm aleitamento exclusivo, e precisamos fazer com que esse número chegue a 100%, considerando os benefícios do leite materno”, explica a diretora.

O aleitamento materno deve ser exclusivo até os seis meses de vida da criança, e intercalado com outros alimentos até os dois anos de idade. Dentre os benefícios, destaca-se a proteção contra alergias e infecções, fortalecendo a criança com os anticorpos da mãe e evitando problemas como diarreias, pneumonias, otites e meningites. Além disso, a amamentação favorece o desenvolvimento dos ossos e fortalece os músculos da face, facilitando o desenvolvimento da fala, regulando a respiração e prevenindo problemas na dentição.

A Semana Mundial de Aleitamento Materno foi criada em 1992 pela Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação (WABA). No Brasil, o Ministério da Saúde celebra o evento desde 1999. Tem o apoio de Organismos Internacionais, Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais, Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, Hospitais Amigos da Criança, Sociedades de Classe e ONGs.

 

PROGRAMAÇÃO DAS MATERNIDADES MUNICIPAIS

Maternidade do Buenos Aires

1. 05.08.2019 às 08h00min– abertura da semana mundial do aleitamento materno na rede municipal.

Maternidade do Satélite 

1. 05 a 08/08/2019 – Exposição de vídeos na sala de espera do ambulatório da maternidade;

2. 13/08/2019 às 08h30min – Roda de conversa: Apoio familiar para o sucesso do Aleitamento Materno; público alvo-pacientes do consultório de aleitamento materno.

Convidados: Nutricionista Luciana Ribeiro

3. 19,20 e 21/08/2019 às 10h00min – Roda de conversa: Atendimento Humanizado para a promoção do Aleitamento Materno; Público alvo: Funcionários da maternidade.

Mediadora: Enfermeira Aline Dantas

4. 29/08/2019 às 08h30min – Palestra: Aleitamento Materno: mitos, crendices e verdades; Público alvo: Pacientes do ambulatório da maternidade.

Mediadora: Nutricionista Luciana Ribeiro.

Maternidade do Promorar 

1. 07/08/2019 às 08h30min – Roda de conversa e sorteio de brindes: manhã acolhedora com mães e pais e especialistas que irão esclarecer dúvidas sobre a gestação, o parto, o pós-parto, aleitamento materno e sobre cuidados com o Bebê.

Local: Auditório da Maternidade/UPA

Maternidade Wall Ferraz 

1. 07/08/2019 às 10h00min – Bate papo sobre empoderamento e amamentação.

Participantes: Mães doadoras de leite humano, mães de bebês receptores de leite humano e servidora com sucesso na amamentação.

2. 30/08/2019 às 08h30min – Curso para gestantes e acompanhantes;

• Temas:

• Sinais de parto/Trabalho de parto/Tipos de parto;

• Participação do pai (na gravidez, no parto e no pós-parto);

• Aleitamento materno

• Aspectos psicológicos da gestação, parto e nascimento;

• Direitos da gestante e Lei do Acompanhante (Lei Federal nº 11.108, de 07 de abril de 2005);

Maternidade da FMS moderniza o atendimento com aquisição de mesa cirúrgica

Em mais uma iniciativa para a modernização das maternidades da capital, a maternidade Wall Ferraz (CIAMCA) adquiriu um novo modelo de mesa para o seu centro cirúrgico. A mesa KSS Vision T elétrica vem para trazer mais conforto às pacientes e facilidades para os profissionais de saúde. A gestão do CIAMCA está à cargo da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Segundo a diretora do CIAMCA, Mércia Cassandra, a nova mesa cirúrgica atende às resoluções reguladoras de saúde e foi projetada com tecnologia de ponta para disponibilizar um produto de alta qualidade, que atende os mais diversificados procedimentos cirúrgicos, diagnósticos e de exame. “O equipamento tem um colchonete revestido de courvin e um tampo em poliuretano, materiais que não apresentam nenhum risco para a pele e estão de acordo com a NBR ISO 10993-1, que não apresenta nenhum risco para os pacientes”, diz a diretora.

O sistema conta com bateria interna para que seu funcionamento continue mesmo em caso de falha do sistema elétrico. Possui ainda proteção contra choque elétrico e um sistema de movimentação acionado por controle remoto à cabo, com cabeceira regulável e movimento de pernas por meio de mola e gás. “Esta mesa tem uma capacidade de 220kg de carga, atendendo à norma RBR IEC 60601-2-46, e uma vida útil esperada de 10 anos”, diz a diretora.

A Maternidade Wall Ferraz fica na região do Dirceu Arcoverde e atende à política de humanização do Ministério da Saúde e à Portaria 930/2012, que organiza a atenção integral e humanizada ao recém-nascido grave ou potencialmente grave no Sistema Único de Saúde (SUS). A maternidade disponibiliza não só ao recém-nascido como também para a família uma equipe multiprofissional, para os cuidados e tratamento no período da internação e acompanhamento após a alta.

Hospital e Maternidade do Buenos Aires desligam energia para manutenção de subestação

A direção do Hospital e da Maternidade do Buenos Aires, localizados na zona Norte de Teresina, comunica que amanhã (18), por volta de 9horas, irá desligar a energia elétrica para realizar manutenção preventiva da subestação, localizada nas dependências das unidades. A previsão é de que até uma hora o procedimento seja realizado e a energia restabelecida.

“Como a manutenção é programada, os pacientes não serão prejudicados pela interrupção temporária de energia”, explica Rosélia Sena, diretora geral do Hospital do Buenos Aires.

Durante o desligamento, os atendimentos de urgência continuarão sendo realizados. A área da Unidade de Cuidados Intermediários também estará funcionando, já que os leitos contam com equipamentos que dispõem de baterias.

Devido à manutenção, as enfermarias e a área administrativa do Hospital e da Maternidade do Buenos Aires irão permanecer sem energia.

 

Profissionais de enfermagem de maternidade são capacitados para melhorar comunicação efetiva

O Núcleo de Epidemiologia Hospitalar (NEH), da Fundação Municipal de Saúde (FMS), realizou nesta terça-feira (21) a capacitação dos profissionais de enfermagem da Maternidade Wall Ferraz, localizada na zona Sudeste da cidade. A atividade aconteceu através de uma parceria com o Conselho Regional de Enfermagem (COREN).

“Fomos convidados para falar sobre o registro de enfermagem no prontuário do paciente. Discorremos um pouco da forma legal, trouxemos como o paciente é protegido desde a Constituição Federal, Código Civil, Processo Civil, Código Penal, Código do Consumidor, sem falar no nosso próprio Código de Ética, onde o paciente é muito protegido e a importância de estarmos registrando todas as nossas ações da enfermagem no prontuário, para evitar problemas e nos respaldar”, informa Elisângela Varonil, conselheira e responsável pelos processos éticos do COREN.

O objetivo principal foi capacitar os profissionais de enfermagem quanto ao registro em prontuário para melhorar a comunicação efetiva entre os profissionais e ser dada continuidade no cuidado ao paciente.

As capacitações fazem parte das ações do Comitê Hospitalar para Análise e Prevenção do Óbito Materno, Infantil e Fetal (CHAPO- MIF). As equipes dos hospitais Buenos Aires e Promorar já receberam as capacitações. No dia 4 de junho é a vez do Hospital do Satélite e dia 11 de junho do Hospital de Urgência de Teresina.

 

Secretaria Municipal da Mulher leva oficina de bambolês para o Teresina em Ação

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) levará para o Teresina em Ação deste sábado (17) o tema Maternidade Empoderada. O evento, realizado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), acontece no Parque Wall Ferraz a partir das 8h.

As mulheres que visitarem o stand da SMPM vão encontrar uma oficina de bambolê, que além de divertido, também proporciona equilíbrio, flexibilidade e fortalecimento muscular para quem o pratica. Além disso, também estará disponível um painel para que as mães escrevam suas impressões sobre a maternidade e distribuição de material informativo. As equipes do Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas Crianças: Amor de Tia e Centro de Referência Esperança Garcia também estarão presentes.

“Pensamos em um tema que refletisse o empoderamento feminino e que fizesse as mães pensarem um assunto que é muito importante: maternidade empoderada. Queremos mostrar para as mães o quanto é importante a inserção no mercado de trabalho após a maternidade e as várias formas de realizar um parto em que a mãe se sinta mais à vontade, sem violência obstétrica”, explicou a gerente de articulação e transversalidade da SMPM, Lisian Oliveira.