FWF está realizando cursos do projeto Capacitando para novas oportunidades na zona Sul de Teresina

A Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Wall Ferraz (FWF) em parceria com o Instituto de Gestão e Desenvolvimento (IGDS) está realizando o curso de Panificação, na U.E Antônio Maria Madeira, no bairro Parque Piauí, zona Sul de Teresina. Nesta quinta-feira (26), o presidente da FWF, Maykon Silva, juntamente com o vereador Edilberto Borges (Dudu), realizaram uma visita aos alunos do curso de panificação do projeto Capacitando Para Novas Oportunidades, que também oferta os cursos de Garçom e Confeitaria, que beneficia mais de 200 alunos.

No curso de Panificação, os alunos estão aprendendo métodos de panificação, tipos de massas, ingredientes utilizados na fabricação de massas, e também as técnicas de armazenamento, embalagem e conservação. Esse curso foi elaborado especialmente para as pessoas que desejam conseguir uma vaga no mercado de trabalho, aprender uma nova profissão e aprimorar os seus conhecimentos. O profissional egresso no curso será habilitado para executar suas atividades em padarias, confeitarias, em empresas na área de produção de alimentos e também abrir seu próprio negócio.

“É uma determinação do prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, que a FWF capacite toda a população, e esse curso tem o objetivo de formar profissionais para atuar no mercado de panificação e também em outros ramos alimentícios, já que é um mercado amplo Teresina”, afirmou Maykon Silva.

“Os cursos são elaborados especialmente para as pessoas que desejam conseguir uma vaga no mercado de trabalho, aprender uma nova profissão e aprimorar os seus conhecimentos. A qualificação profissional é uma importante ferramenta para geração de trabalho e renda e para retirar milhares de famílias da miséria”, afirmou o vereador Dudu.

A parceria tem como objetivo levar qualificação profissional gratuita para toda a população de Teresina. Os alunos recebem material didático básico gratuito e acompanhamento de instrutores durante todo o curso com aulas práticas e teóricas. Ao terminarem os cursos, os alunos estarão aptos a colocar em prática o conteúdo aprendido em sala de aula e ingressarem no mercado de trabalho. Esse projeto conta com recursos de emenda parlamentar do vereador Edilberto Borges (Dudu).

Fundação Wall Ferraz promove debate sobre mercado de trabalho de Teresina

A Fundação Wall Ferraz realizará, na quinta-feira (17/02) e sexta-feira (18/02), a partir das 8h da manhã, no Centro de Capacitação da Vermelha, um amplo debate sobre o mercado formal e informal de Teresina com o objetivo de desenvolver novas metodologias para qualificação e inserção profissional de alunos que participam de cursos realizados pela fundação.

Durante dois dias, técnicos da FWF, Balcão do Trabalhador, Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres, Secretaria Municipal de Economia Solidária e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, além de convidados de outras secretarias municipais, receberão capacitação no sentido de identificar as dificuldades da FWF e definir as ações que deverão ser executadas para superar os problemas existentes.

As ações de fortalecimento institucional da FWF serão baseadas no mapeamento feito pela empresa de consultoria Macroplan, sobre o mercado de trabalho formal e informal da capital e ainda, das demandas por cursos. As análises foram feitas para Teresina isoladamente e, também de forma comparativa, considerando o desempenho do município em relação a outras capitais do Nordeste (São Luís e João Pessoa), o estado do Piauí e o Brasil. A empresa de consultoria utilizou como fonte de dados, as bases do IBGE – Pnad Contínua e a RAIS do Ministério do Trabalho.

Essa pesquisa apresenta as características gerais do mercado de trabalho de Teresina; as horas trabalhadas e os rendimentos do trabalho em Teresina, em comparação a outros municípios, Piauí e Brasil e segundo os mesmos recortes: sexo, cor ou raça, faixa etária e nível de instrução; os ocupados por distribuição na ocupação, a informalidade e sua distribuição por sexo, e os ocupados por atividades econômicas e grupos ocupacionais; e por fim, analisa a evolução do mercado de trabalho formal de Teresina, permitindo identificar os impactos da pandemia do COVID-19, na capital do Piauí.

A expectativa é que o conteúdo da pesquisa possa oferecer “pistas” importantes para que a FWF reflita sobre sua grade de oferta de cursos, oficinas e workshops e possa melhorar as ações de qualificação profissional em Teresina.

Programa Abrace Nós disponibiliza 61 vagas de emprego para PCD’s no mercado de trabalho

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), com o Programa ‘Abrace Nós’, está disponibilizando 61 vagas de emprego para pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Serão feitos cadastros a estas vagas na segunda edição do Programa “Teresina Cuida de Você”, que ocorrerá neste sábado (27), das 8h às 14h no bairro Portal da Alegria.

O Programa Abrace Nós mantém parcerias com seis empresas, sendo elas públicas e privadas, que oferecem vagas para pessoas com deficiências.

Foto: Ascom Semcaspi

Janete Caminha, Coordenadora do Programa Abrace Nós, ressalta a importância do programa para a população PCD de Teresina.

“O Programa abriu um leque de opções para as pessoas com deficiência. A iniciativa é do coração do prefeito e vem para fazer com que essas pessoas com deficiência saiam do oculto, para estarem visíveis. Por que elas são capazes! Elas têm condições de fazer um curso, de trabalhar e elas se destacam quando são incluídas no mercado de trabalho”, pontuou.

Ricardo Oliveira, apoio técnico da coordenação da Semcaspi, comenta sobre a seleção e vagas disponíveis.

“Para as vagas de trabalho, nós participamos na seleção dos cadastros de acordo com os perfis que as empresas mencionam e fazemos as medições para as entrevistas e processos de seleção. Atualmente, nós estamos com aproximadamente 61 vagas em processo de seleção com as empresas”, pontuou.

VAGAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

· Agente de Backoffice 10 Vagas

· Atendente Jr. 10 Vagas

· Operador de Call Center 05 vagas

· Agente de Saneamento 05 vagas

· Representante de atendimento 10 vagas

· Auxiliar de Almoxarifado 02 vagas

· Empacotador 04 vagas

· Repositor 04 vagas

· Operador de caixa 04 vagas

· Demonstrador 04 vagas

· Frentista 01 vagas

· Estoquista 02 vagas

Programa ‘Abrace Nós’ encaminha pessoas com deficiência ao mercado de trabalho

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), por meio do Programa Abrace Nós, realizou, na manhã desta quarta-feira, (03), o encaminhamento de pessoas com deficiência para o mercado de trabalho.

As duas vagas efetivadas são resultados da seleção de trabalho, na área administrativa, na Secretaria Municipal De Governo (Semgov) e na Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas (SAAD) Centro.

De acordo com Janete Caminha, coordenadora do Programa Abrace Nós, a iniciativa tem facilitado a integração das pessoas com deficiência para o mercado de trabalho.

“Essas pessoas com deficiência procuraram o Programa Abrace Nós e fizeram seu cadastro, passaram pela psicóloga, assistente social, e fizemos um estudo de caso deles. Depois, encaminhamos os assistidos para a seleção de trabalho e tiveram a vaga efetivadas”, ressaltou.

Vitória Gabriela, uma das assistidas do Programa Abrace Nós, conta que foi selecionada para trabalhar na Semgov e ressalta a importância do programa para pessoas com deficiência.

“Eu acho que é muito importante esse programa para pessoas com deficiência, porque é muito difícil conseguir emprego com deficiência e eu agradeço muito ao Dr. Pessoa pela oportunidade.” fala.

Para Felipe Wesley, assistido do Programa Abrace Nós, comemora a vaga efetivada para integrar a equipe da Saad Centro e acredita ser uma grande oportunidade de emprego. “Eu já procurava um emprego há algum tempo, mas não estava encontrando essa oportunidade e através das redes sociais entrei em contato com o Programa Abrace Nós. Foi assim que consegui uma grande oportunidade e estou aqui hoje fazendo parte dessa seleção.” comenta.

Foto: Divulgação (Semcaspi)

Mulheres atendidas pelo Serviço Florescer Sudeste  participam de Workshop sobre mercado de trabalho

Devido às mudanças que a covid-19 trouxe cada vez mais recorrentes no que desrespeito ao recrutamento e entrevistas de emprego, tornando o mercado de trabalho mais exigente e os processos mais modernos. Na manhã desta quinta-feira (28), as mulheres atendidas pelo Serviço Florescer, na zona Sudeste de Teresina, participaram do Workshop do Balcão do Trabalhador. O evento foi realizado em parceria com a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) e a Fundação Wall Ferraz (FWF).

Fotos: Ascom SMPM

Durante o workshop, foram abordados  assuntos, desde a elaboração correta de um currículo a estratégias de entrevista para as mulheres. A Secretária da SMPM, Karla Berger, reforça que atividades como essa são de suma importância para que assim as mulheres tenham maior autonomia e independência financeira, reforçando o objetivo do serviço Florescer: empoderar mulheres.

“É de suma importância atividades como essas, para que tenhamos cada vez mais incentivos à inserção da mulher no mercado de trabalho, desmistificando a ideia de que a mulher é apenas a colaboradora do lar”, frisa a Secretária. “Por conta disso, é importante reforçar e contribuir para a construção de uma mulher cada vez mais independente”, reforça Karla Berger.
É o caso de Marley De Oliveira, participante do Serviço Florescer há 1 ano, na unidade da Zona Sudeste. A mulher relata que o serviço tem sido de muita importância para ela e seu filho e que, agora, se sente muito mais capacitada para participar de entrevistas de emprego. “Foi uma manhã de muitos aprendizados, atentei-me para muitas temáticas que não tinha conhecimento em relação ao mercado de trabalho, até mesmo a construção do meu currículo de forma correta”.
O palestrante do Workshosp, Átila Araújo, destacou o processo de modernização que as entrevistas sofreram após pandemia, como criação de entrevistas online e currículos digitais. Por isso, a capacitação vai desde a postura correta, vestimenta e cenário das entrevistas.

Mulheres atendidas pelo CREG participam de Workshop sobre mercado de trabalho

As mulheres atendidas pelo Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) participaram de um Workshop acerca da inserção do mercado de trabalho nessa última quinta-feira (16). As atendidas já são graduadas pelo curso de Balconista de Farmácia, que foi ofertado em uma parceria da Secretaria de Políticas Públicas Para Mulheres (SMPM) e a Fundação Wall Ferraz (FWF).

O objetivo do workshop é prestar orientação profissional, visando levar informação técnica para as mulheres na hora das oportunidade. Para a Secretária da SMPM, Karla Berger, o encontro é importante por trazer mais qualificação durante o momento de transição que vivemos economicamente por conta da pandemia da covid-19, como também para as mulheres atendidas que buscam estabilidade financeira.

“Romper a violência e se reestruturar emocionalmente é um dos primeiros passos para essas mulheres. Porém, para avançar, cursos e workshops como esses fortalecem o empoderamento e garantem que não retornem ao lar violento ou a situação de vulnerabilidade vivida”, frisa a secretária.

Durante o workshop, as mulheres aprenderam a como se apresentarem durante uma entrevista de emprego, novos formatos de entrevista, apresentação e marketing pessoal. “Essas habilidades são importantes para garantir sucesso na busca de oportunidades”, reforça o coordenador do programa Balcão do Trabalhador da Fundação Wall Ferraz, Átila Araújo.

“Depois do workshop, sinto que vou me sentir mais confiante na área de trabalho. Acredito que posso refletir melhor sobre minhas competências e como oferecer meu serviço de forma melhor”, afirmou uma das mulheres atendidas pelo Creg.

Foto: Divulgação (SMPM)

Prefeito assina decreto que viabiliza execução de programa para a inclusão de jovens no mercado de trabalho

Na manhã desta sexta-feira, o prefeito de Teresina, Doutor Pessoa, assinou o decreta que viabilidade um projeto de lei aprovado pela Câmara Municipal da cidade, que visa a capacitação e inserção e de jovens teresinenses no mercado de trabalho. A apresentação do programa ‘Jovem que Trabalha’ contou com a presença de várias autoridades comprometidas com a causa da juventude e faz parte da programação de Aniversário de Teresina.

Fotos: Rômulo Piauilino / Semcom

Para Doutor Pessoa, o programa tem como objetivo principal, atender os jovens carentes das zona Urbana e Rural da capital. “Fico muito feliz que em pleno o Aniversário de Teresina os jovens sejam contemplados com o tão almejado programa de capacitação e inserção no mercado de trabalho da nossa cidade, esperamos atingir a todos e desta forma garantir vagas de trabalho para aqueles que mais precisam. Todos, absolutamente todos, seja da zona Rural ou Urbana, terão oportunidades”, comentou Pessoa.

Entre os diversos órgãos que darão apoio na execução do Programa Jovem que Trabalha, está a Fundação Wall Ferraz, de acordo com o presidente da instituição, Maycon Santos, o programa é essencial para inclusão da juventude e a Fundação já tem muita experiência em capacitação de pessoas para encarar o mercado.

“Estamos gratos em poder executar um programa tão rico e visionário como esse. Desde quanto foi apresentado a proposta, ficamos felizes e animados com a possibilidade de capacitar e inserir nossos jovens da zona rural e urbana no mercado de trabalho”.

O programa “Jovem que Trabalha” agora é lei, conta com a autoria da vereadora Fernanda Gomes e apoiado por outras autoridades do município.

Trabalho com carteira assinada tem saldo positivo nos cinco primeiros meses de 2021 em Teresina

Teresina registrou um saldo positivo de aumento do nível de emprego e renda nos cinco primeiros meses de 2021. Os indicadores são do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados mensalmente, que tem por base as contratações de empregos formais.

Foto: Divulgação (Semdec)

Em um comparativo realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC), entre os meses de janeiro a maio de 2020 com janeiro a maio/2021, aponta para uma retomada do nível de atividade superior ao nível pré-pandemia, nos cinco primeiros meses de 2020, onde foi registrado um saldo de empregados e desempregados de – 9.047, contudo, em, 2021, para o mesmo período foi contabilizado o total de 5.234 novos empregos de carteira assinada.

Foto: Divulgação (Semdec)

“O ritmo de criação de emprego no mês de março foi um pouco menor em relação aos meses anteriores, por decorrência do aumento do número de casos da covid-19, o distanciamento social a prudência fizeram com que houvesse uma retração na geração de empregos, mas percebemos uma recuperação nesses números no mês de abril e mais expressiva ainda no mês de maio”, destaca o economista e gerente de planejamentos e projetos da SEMDEC, Fábio Camelo.

O setor do Comércio liderou no quesito criação de novos postos de trabalhos, com 1.979 pessoas empregadas na cidade de Teresina no acumulado de janeiro a maio de 2021, seguido da Construção Civil, com 1.013 pessoas, e em terceira posição o Serviços, com 1.005 postos criados. Estes valores demonstram o saldo acumulado, que representa a relação entre admitidos e desligados por setor.

No mês de maio a capital chegou a um total de 191.098 pessoas com carteira assinada, com um crescimento expressivo no segmento de serviços, com 53,6%, seguido do setor da construção civil com 27,7%, na terceira posição a indústria 9,5%, logo após o comércio 8,9% e finalizando com segmento agropecuário com 4%.

Para o segundo semestre deste ano, com o avanço da vacinação, diante do ambiente favorável espera-se crescimento mais sustentado da atividade econômica.

“No geral, a economia local tem se mostrado resiliente, influenciada por medidas de cunho nacional como a volta do auxílio emergencial, de cunho local por meio da atração de investimentos e políticas de fomento”, finaliza o economista.

Ação insere usuários dos CAPS no mercado de trabalho

Pessoas com transtorno psicossocial são plenamente capacitadas para trabalhar e ter uma vida produtiva. Pensando nisso, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Sudeste, em parceria com a Ação Social Arquidiocesana (ASA), está promovendo uma ação para seus usuários em prol desse processo de ressocialização no mercado de trabalho.

Como explica o coordenador do CAPS Sudeste, Yago Arêa, a iniciativa é voltada para os usuários que desejam conseguir um emprego formal, que são viabilizados junto às empresas por meio das cotas para deficientes. “Alguns departamentos têm disponibilidade nessas vagas como supermercados, lojas de atacado e varejo. O CAPS Sudeste abraçou essa causa, juntamente à FMS e a ASA em prol dessas pessoas”, disse o coordenador.

Ele ressalta que os benefícios de uma vida produtiva estão em uma melhor qualidade de vida, que se reflete diretamente no bem-estar do corpo e mente. “O nosso trabalho também é buscar mecanismos para fazer com que essas pessoas possam entrar no mercado de trabalho, ressocializar e se sentir parte da sociedade”, afirma Yago Arêa.

Legislação garante direitos

De acordo com a Lei de número 8213/91, também conhecida como Lei de Cotas, toda empresa com 100 ou mais empregados está obrigada a preencher de 2% a 5% dos seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas portadoras de deficiência.

A partir de 2006, a deficiência psicossocial, também chamada de “deficiência psiquiátrica” ou “deficiência por saúde mental”, foi enquadrada no rol de deficiências pela Convenção sobre os direitos das Pessoas com Deficiência (CDPD), adotada na Assembleia Geral da ONU. No Brasil, a deficiência psicossocial passou a valer quando o Congresso nacional ratificou, com equivalência de emenda constitucional, a citada convenção da ONU através do decreto legislativo 186, de 09/07/08, e a promulgou através do decreto 6.949, de 25/08/09.

Semcaspi debate inserção no mercado de trabalho de públicos com vulnerabilidade social

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) realizou na manhã deste sábado (6), uma reunião para debater projetos que tratam de qualificação e inserção de adolescentes e pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

Participaram da reunião, além da secretária da Semcaspi, Eliana Lago, a Fundação Wall Ferraz, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec) e representantes das gerências da assistência social da Semcaspi.

Segundo Eliana Lago, os públicos que apresentam vulnerabilidades, tais como os adolescentes e as pessoas com deficiências, precisam ser qualificados e inseridos no mercado de trabalho.

“A proposta é capacitar para inserir no mercado de trabalho as populações com alguma vulnerabilidade social, como: os adolescentes, inclusive, os que cumprem medidas socioeducativas; as pessoas com deficiência; e os venezuelanos que se encontram em abrigos de Teresina. É preciso planejar e gerar novas perspectivas para que estes grupos se sintam, de fato, incluídos e atuantes profissionalmente”, esclareceu.

Para a secretária Eliana Lago, os projetos estão sendo elaborados com base nas necessidades de cada público.

“A inserção no mercado de trabalho deve ser feita possibilitando o acesso à escola e a qualificações profissionais. Os projetos que estamos elaborando darão subsídios para que as populações com vulnerabilidades sociais possam expandir seus conhecimentos e as chances de inclusão profissional. O prefeito Doutor Pessoa tem olhado de forma sensível para esta demanda, com intuito de criar novas oportunidades de carreira a estes públicos”, ressaltou.

Reunião discutiu a inserção de pessoas em vulnerabilidade social no mercado de trabalho