Ministério da Saúde realiza pesquisa em Teresina para avaliar evolução da Covid-19

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina é parceira da pesquisa do Ministério da Saúde intitulada “Evolução da Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil: Estudo de Base Populacional”. A pesquisa está sendo coordenada pela Universidade Federal de Pelotas, no Rio Grande do Sul. A execução do trabalho de campo compete ao Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística – IBOPE. O estudo será dividido em três fases, sendo que em cada uma delas pessoas farão teste sanguíneo rápido que utiliza metodologia por punção digital.

“Vale ressaltar que Teresina tem agora duas pesquisas para avaliar a evolução da Covid-19:  uma realizada pela Prefeitura de Teresina, em parceria com o Instituto Opinar, que já fez sua quinta etapa, e agora esta do Ministério da Saúde”, explica Kledson Batista, diretor de Atenção Básica da FMS.

A coleta de dados durante a pesquisa do Ministério da Saúde se dá por meio da aplicação de um questionário sobre a existência de doenças preexistentes e possíveis sintomas de Covid-19 nos últimos 30 dias. “Somos parceiros do Ministério da Saúde na parte da divulgação da pesquisa a nível local, apoio logístico de execução e descarte correto dos materiais infectados utilizados”, afirma Kledson Batista.

A pesquisa do Ministério da Saúde em Teresina iniciou dia 14 de maio e segue até 12 de junho de 2020. O estudo de âmbito nacional foi submetido e aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Todos os indivíduos selecionados para a amostra do inquérito populacional são informados sobre os objetivos do estudo, riscos e vantagens.

O material e informações só serão coletados após assinatura do termo de consentimento livre e informado. Todos os indivíduos testados em campo terão um número de telefone celular registrado para que possam receber informações sobre o resultado do teste. Os casos positivos serão informados à Fundação Municipal de Saúde para as providências cabíveis.

Segundo nota técnica do Ministério da Saúde, a pesquisa envolve risco mínimo para a saúde do participante, pois consiste na aplicação de um questionário curto e realização de teste sorológico rápido.

Prefeito apresenta novos projetos durante audiências em Brasília

O prefeito Firmino Filho cumpriu agenda em Brasília no final desta semana para apresentar novos projetos no Ministério da Agricultura e na Secretaria da Família. Como 2º vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), o prefeito também fez a abertura de evento promovido pela entidade para discutir melhorias no setor de resíduos sólidos.

No Ministério da Agricultura, o prefeito esteve na Secretaria de Agricultura Familiar buscando colocar as hortas comunitárias e campos agrícolas dentro dos novos projetos do Governo Federal. Já na Secretaria da Família, Firmino tomou conhecimento de algumas propostas e campanhas que estão sendo formuladas e colocou Teresina à disposição para que a cidade seja piloto em vários dos seus programas. “Foi um dia bastante produtivo e esperamos que possa render frutos para nossa cidade”, ressaltou.

Na agenda da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Firmino participou do seminário “Resíduos Sólidos – Alternativas de Financiamento”. O encontro reuniu mais de 100 pessoas, entre prefeitos, secretários, dirigentes municipais e representantes de empresas para debater pautas importantes do setor. “Tivemos uma discussão de alto nível, especialmente sobre inovações jurídicas que devem acontecer nessa área. Esse debate sobre resíduos sólidos é muito importante para que possamos avançar nessa agenda”, afirmou o prefeito.

FMS traz técnicos do Ministério da Saúde para aperfeiçoar e-SUS da capital 

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) trouxe à Teresina técnicos do Laboratório Bridge, responsáveis por desenvolver o Sistema e-SUS Atenção Básica junto ao Ministério da Saúde. O objetivo dos técnicos virem à capital é o de aperfeiçoar o e-SUS, que é uma estratégia do Departamento de Atenção Básica (DAB) para reestruturar as informações da Atenção Básica (AB) em nível nacional. Esta ação está alinhada com a proposta mais geral de reestruturação dos Sistemas de Informação em Saúde (SIS) do Ministério da Saúde, entendendo que a qualificação da gestão da informação é fundamental para ampliar a qualidade no atendimento à população.

“A gestão da FMS viu a necessidade de melhorar ainda mais o e-SUS na capital. Então convidamos os técnicos do Ministério da Saúde para que possamos aperfeiçoar as ferramentas do e-SUS com o objetivo de aprimorarmos os acesso e darmos uma resposta mais ágil ao profissional que trabalha na ponta, ou seja: nas unidades de saúde, realizando o atendimento aos usuários do SUS, dando resoluções rápidas em relação ao uso de relatórios, atendimento no prontuário eletrônico e uso de fichas”, explica Karoline Alencar, gerente do Sistema de Informação da Atenção Básica em Saúde da FMS.

A Estratégia e-SUS AB preconiza: Individualizar o registro: registro individualizado das informações em saúde para o acompanhamento dos atendimentos aos cidadãos; Integrar a informação: integração dos diversos sistemas de informação oficiais existentes na AB a partir do modelo de informação; Reduzir o retrabalho na coleta de dados: reduzir a necessidade de registrar informações similares em mais de um instrumento (fichas/sistemas) ao mesmo tempo; Informatizar as unidades e desenvolvimento de soluções tecnológicas que contemplem os processos de trabalho da AB com recomendações de boas práticas e o estímulo à informatização dos serviços de saúde.

Além de também preconizar a gestão do cuidado: introdução de novas tecnologias para otimizar o trabalho dos profissionais na perspectiva de realizar a gestão do cuidado; Coordenação do cuidado: a qualificação do uso da informação na gestão e no cuidado em saúde na perspectiva de integração dos serviços de saúde.