Zoonoses alerta para cuidados com o Aedes aegypti durante o isolamento social

Mesmo durante a quarentena, a Gerência de Zoonoses da Fundação Municipal de Saúde (FMS) segue em vigilância para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como zika, dengue e chikungunya. O serviço foi considerado essencial para evitar o aumento destas doenças e uma sobrecarga no sistema de saúde, que no momento está focado no combate à COVID-19.

Os agentes de endemias que não estão nos grupos de risco para a COVID-19 continuam com rotina normal de visita às residências e verificação de potenciais criadouros do mosquito.  “Recomendamos que os agentes de endemia continuem verificando os imóveis, mas sempre seguindo as regras de segurança de se manter distante dos moradores durante as visitas nas casas e reforçar a lavagem das mãos”, explica Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS.

A gestora também chama a atenção dos teresinenses para que mantenham as medidas preventivas para a não proliferação de mosquito na cidade, em especial nesta época de isolamento social onde todos estão em casa e devem estar mais atentos a recipientes que possam acumular água, bem como calhas, lages e objetos expostos à chuva. “O Aedes não está em quarentena e nem de férias, por isso fazemos o alerta para que as pessoas que estão em isolamento social façam seu dever de casa, que é a verificação de seus quintais, retirando todo potencial criadouro existente no imóvel e fazendo a faxina”, alerta Oriana.

Até o dia 13 de abril a FMS registrou 279 casos confirmados de dengue e 29 de chikungunya em Teresina em 2020. O número está bem abaixo dos registrados em 2019, que foram de 1.167 casos confirmados de dengue e 206 casos de chikungunya no mesmo período. Em ambos os anos, nenhum caso de zika foi confirmado na capital.

Teresina está em médio risco para infestação do Aedes aegypti

Teresina está em médio risco de infestação pelo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. É o que indica o segundo Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2020, divulgado hoje (26) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). Segundo a pesquisa, o Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – da capital foi de 3,0. A pesquisa, feita entre os dias 16 a 20 de março, foi realizada em todos os bairros da capital, que foram divididos em 32 estratos.

“Nós da Gerência de Zoonoses estamos com nossas atividades normais, intensificando sempre todas as ações relacionadas ao controle do Aedes. Mesmo com a pandemia do coronavírus, as pessoas precisam continuar mantendo os cuidados para não acumular água em casa e também prevenir a proliferação do mosquito causador da dengue, zika e chikungunya”, alerta Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da capital.

Ela reforça que as pessoas precisam abrir a porta para os agentes de endemia, que estão em campo. “Solicitamos que as pessoas recebam os agentes de endemia para vistoria dos imóveis. Mantendo a distância de 2 metros entre o agente e os moradores, e a higiene básica das mãos, o trabalho dos agentes continua. Eliminando os possíveis criadouros e tratando”, diz ela.

Durante o LIRAa, que é feito quatro vezes ao ano, os agentes de endemias da FMS percorrem os imóveis em busca de focos em potenciais criadouros. São enviados os índices de focos por meio da identificação tanto de larvas, como da forma adulta do inseto. Os dados obtidos servirão como base para o desenvolvimento de estratégias de combate ao Aedes aegypti e trabalhos educativos voltados à prevenção da dengue, zika e chikungunya.

Bairros Campestre e Pirajá serão limpos em operação de caça a mosquito

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) convida os moradores dos bairros Pirajá (zona Norte) e Campestre (zona Leste) para a Faxina nos Bairros deste sábado (29). A ação tem o objetivo de retirar das residências todos os potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, chikungunya e zika.

“É importante ressaltarmos que os moradores podem retirar todo o tipo de utensílio e eletrodomésticos em desuso que a coleta regular não leva. Vasos sanitários, carcaças de geladeiras, fogão, armários e outros. Esse tipo de material deve ir para a calçada, que as equipes das SDUs recolherão sábado”, afirma Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS. “O envolvimento da população é essencial para termos êxito em nosso trabalho de limpeza, para mantermos os ambientes livres de criadouros. É importante não deixarmos o mosquito nascer”, alerta a gerente.

Toda semana são escolhidos dois bairros para receber a Faxina. Nos dias que antecedem a atividade os moradores são orientados a fazer uma limpeza em suas casas e depositar o lixo nas calçadas nos sábados, quando caminhões de limpeza passarão para fazer a coleta. Também aos sábados as equipes de educação em saúde e limpeza da Prefeitura de Teresina visitam os bairros orientando as pessoas de como manter os ambientes longe de focos do Aedes aegypti.

No Campestre o ponto de encontro das equipes será o CMEI Bom Samaritano. De lá elas percorrem o quadrante formado pelas avenidas Horácio Ribeiro, Dr. Aquiles Wall Ferraz, Zequinha Freire e Rua José Torquato Vianna. Já no Pirajá o ponto de encontro será na UESPI, pela rua João Cabral, e o quadrante a receber a faxina será o formado pelas ruas João Cabral, Ceará, Santos Dumont, Parnaguá, Espírito Santo, Alameda Parnaíba e Avenida Maranhão.

A Faxina nos Bairros acontece desde 2015 e tem os objetivos de sensibilizar a população para criar o hábito semanal de vistoria do seu imóvel e proporcionar a retirada de utensílios inservíveis que podem vir a se tornar criadouros do Aedes aegypti.

 

Teresina tem baixo risco de infestação pelo Aedes aegypti, aponta levantamento

Ascom/FMS

Teresina registra baixo risco de infestação pelo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. É o que indica o primeiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2020, divulgado nesta sexta-feira (17), pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). Segundo a pesquisa, o Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – da capital foi de 0,7%.

A pesquisa, feita entre os dias 08 e 14 de janeiro, foi realizada em todos os bairros da capital, que foram divididos em 32 estratos. Durante o LIRAa, que é feito quatro vezes ao ano, os agentes de endemias da FMS percorrem os imóveis em busca de focos do mosquito em potenciais criadouros. São enviados os índices de focos por meio da identificação tanto de larvas, como da forma adulta do inseto. Os dados obtidos servirão como base para o desenvolvimento de estratégias de combate ao Aedes aegypti e trabalhos educativos voltados à prevenção da dengue, zika e chikungunya.

“Este resultado de 0,4% é fruto do trabalho de rotina dos agentes de endemias e das ações de intensificação que são realizadas durante todo o ano, como a Faxina nos Bairros”, comenta Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS. A Faxina acontece todos os sábados em dois bairros de diferentes zonas da cidade. Neste sábado (18) será a vez dos bairros Samapi e Alto Alegre, zonas Leste e Norte respectivamente.

Na Faxina nos Bairros, os moradores dos locais são orientados pelos agentes de saúde a fazer uma limpeza dentro de suas casas e depositar o lixo na calçada no sábado, quando ele será recolhido pelas equipes da SDU. “Pedimos especial atenção para o lixo que não é recolhido pela limpeza regular, como eletrodomésticos e móveis de grande porte”, diz a gerente. Ainda no sábado, a equipe da FMS faz uma caminhada educativa, orientando a população sobre medidas preventivas de combate à dengue, zika e chikungunya e os males trazidos por estas doenças. As equipes se reúnem em um ponto de encontro a partir das 8h da manhã e de lá iniciam o percurso.

No Samapi, o ponto de encontro será na Capela Nossa Senhora das Graças, e será percorrido o quadrante formado pelas ruas José Torquato Viana, rua Apolo XI e Avenida Maria Antonieta Burlamaqui. Já no Alto Alegre, o ponto de encontro será no CMEI Anita Ferraz, com percurso no quadrante formado pelas ruas Castelo do Piauí, Amarante, Pescador Raimundo Salvino, Sapucaia e João Isidoro França.

“É bom ressaltar que o período chuvoso está iniciando e que a oferta de potenciais criadouros deve ser reduzida, ou seja, as pessoas devem ser vigilantes nos seus ambientes residenciais, de trabalho, de lazer e religiosos, e com isso retirar todo e qualquer depósito que possa acumular água e se transformar num criadouro. A responsabilidade é de todos”, alerta Oriana Bezerra.

Ação de prevenção ao Aedes é realizada no Mário Covas e Todos os Santos neste sábado (30)

A reprodução do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, não escolhe bairro ou casa: ele precisa apenas de locais com água parada. Por isso, o cuidado para evitar a sua proliferação deve ser feito por todos. Em uma ação de colaboração com a população a Prefeitura de Teresina promove a Faxina nos Bairros, atividade semanal que neste sábado (30), a partir das 8h, visita os bairros  Mário Covas e Todos os Santos, zonas Sul e Sudeste da capital.

A Faxina nos Bairros é uma atividade de limpeza e educação organizada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) em parceria com as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) de cada área. “A ideia é que toda a população dedique um dia da semana para verificar todos os possíveis focos do mosquito, fazendo uma limpeza geral em sua residência e impedindo a reprodução do Aedes”, comenta Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS.

Durante a semana os moradores são avisados pelos agentes de saúde e endemias a fazerem uma limpeza em suas casas e depositarem nas calçadas todo o material inservível para que seja coletado pela equipe de limpeza, especialmente aqueles de grande porte que não são recolhidos pela limpeza regular.

As equipes se encontram em um local e de lá saem percorrendo um quadrante determinado para a limpeza. Neste sábado, na zona Sul, será o quadrante formado pelas quadras T e S da Rua João Soares. Já na zona Sudeste o quadrante percorrido será aquele formado pela estrada da Usina Santana, estrada de Ferro, Rua Linha de Ferro e Rua João Felinto.

A Faxina nos Bairros tem o objetivo de incrementar as ações de controle vetorial da FMS e desde então contribuiu para redução em torno de 50% da incidência de casos de dengue, chikungunya e zika em Teresina. A principal ação para a prevenção dessas doenças é evitar o nascimento do mosquito da dengue, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação.

 

Levantamento indica baixo risco de infestação do Aedes aegypti em Teresina

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) divulga que Teresina está em baixo risco de infestação pelo Aedes aegypti. Este foi o resultado do terceiro Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2019, que registrou um Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – de 0,4% na nossa cidade.

A pesquisa foi feita entre os dias 5 e 9 de agosto em todos os bairros da capital, que foram divididos em grupos de 32 estratos. “Este resultado de 0,4% é fruto do trabalho de rotina dos agentes de endemias, bem como das ações de intensificação que são realizadas durante todo o ano, como a Faxina nos Bairros”, relata a gerente de Zoonoses da capital, Oriana Bezerra.

Além destas ações, a Gerência de Zoonoses da FMS também monitora regularmente mais de 1.200 Pontos Estratégicos (PE), que inclui lugares como borracharias, sucatas, hortas comunitárias, cemitérios e imóveis abandonados. O monitoramento é feito com o uso de armadilhas chamadas ovitrampas e na aplicação do inseticida UBV costal.

O LIRAa acontece quatro vezes ao ano e abrange todas as regiões da cidade. Durante o LIRAa, os agentes de endemias da FMS percorrem uma média de 15 mil imóveis em busca de focos em ralos, piscinas, vasos de planta e outros potenciais criadouros.

São enviados os índices de focos por meio da identificação tanto de larvas, como da forma adulta do inseto. Os dados obtidos servirão como base para o desenvolvimento de estratégias de combate ao Aedes aegypti e trabalhos educativos voltados à prevenção da dengue, zika e chikungunya.

FMS e SDU Centro Norte promovem mutirão de limpeza no bairro Aeroporto

A população do bairro Aeroporto é convocada para participar da Faxina nos Bairros, atividade de limpeza e educação da Prefeitura de Teresina. Neste sábado (10), a partir das 8h, as equipes da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU) Centro Norte estarão promovendo um grande mutirão de limpeza no bairro.

A atividade começa durante a semana, quando os moradores são orientados a fazer uma limpeza em suas casas e depositar o lixo nas calçadas. “Pedimos especial atenção para aqueles de grande porte, como eletrodomésticos e outros materiais que não são recolhidos pela coleta rotineira”, alerta Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS. No sábado os caminhões de limpeza passam para fazer a coleta.

Também no sábado agentes de endemias da FMS visitam as casas da comunidade dando orientações sobre como se prevenir contra as arboviroses, que são as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, como a dengue, zika e chikungunya. “Damos orientações sobre a importância da manutenção dos imóveis para que não surjam acúmulos de água e criadouros do mosquito”, relata Oriana Bezerra.

O ponto de encontro será a Praça Cristina Leite, no quarteirão 24. Já o quadrante percorrido será aquele formado pelas ruas Guaporé, Primeiro de Maio, Avenida Centenário e Avenida União.

Cuidados:

Além da faxina, pequenas medidas podem ser tomadas no dia a dia para evitar acúmulo de água nas residências, como:

– Manter caixas, baldes e barris de água bem tampados

– Colocar lixo em sacos plásticos e manter a lixeira fechada

– Não jogar lixo em terrenos baldios, praças e ruas

– Se precisar guardar garrafas, mantenha-as sempre com a boca para baixo

– Vigiar os pratinhos dos vasos. O ideal é colocar areia até a borda, assim as plantas não passam sede e o mosquito não faz seu ninho. Os vasos de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão toda semana. Além disso, é importante trocar a água desses vasos com frequência

– As piscinas devem ser sempre limpas e cloradas. Aquelas de plásticos, que parecem inofensivas, também devem ser protegidas

– Pneus velhos não devem ser deixados ao ar livre, e sim em locais cobertos, protegidos da chuva

– Estar atentos a lajes e calhas, que também podem acumular água da chuva

Oriana Bezerra lembra ainda da importância de conscientizar a população em evitar o acúmulo de lixo em vias públicas, como praças e terrenos baldios.

 

Bairros Extrema e Santo Antônio recebem mutirão de limpeza neste sábado (03)

A Prefeitura de Teresina promove neste sábado (03) um mutirão de limpeza e educação com o objetivo de acabar com os criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como a zika, dengue e chikungunya. É a Faxina nos Bairros, que nesta edição visita os bairros Extrema (zona Sudeste) e Santo Antônio (zona Sul).

A atividade é feita em parceria entre a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) de cada área. Durante a semana, os moradores dos locais são orientados pelos agentes de saúde a fazer uma limpeza dentro de suas casas e depositar o lixo na calçada no sábado, quando ele será recolhido pelas equipes da SDU. “Pedimos especial atenção para o lixo que não é recolhido pela limpeza regular, como eletrodomésticos e móveis de grande porte”, explica Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS.

Ainda no sábado, a equipe da FMS faz uma caminhada educativa, orientando a população sobre medidas preventivas de combate à dengue, zika e chikungunya e os males trazidos por estas doenças. As equipes se reúnem em um ponto de encontro a partir das 8h e de lá iniciam o percurso. No bairro Extrema, o ponto de encontro será a praça do antigo PPO e o quadrante percorrido será aquele formado pelas avenidas São Francisco, Joaquim Nelson, Monsenhor Zaul Pedreira e Rua Jornalista Wilson Fernandes.

Já no bairro Santo Antônio será contemplada a região do Dagmar Mazza, no quadrante formado pelas ruas Francisco Alves dos Reis, Rua Sete, Rua Dez e Avenida Agricolândia. O ponto de encontro será na Escola Municipal Lysandro Tito de Oliveira.

Com a colaboração da população a FMS tem centrado suas ações em evitar o acúmulo de lixo pela cidade, pois eles podem acumular água e se tornar criadouros do mosquito. “A população precisa ficar atenta e criar o hábito de manter sua residência e arredores sempre limpos. As atitudes rotineiras trazem muitos benefícios à saúde, não apenas em evitar zika, dengue e chikungunya, como também outras doenças decorrentes de falta de higiene”, alerta Oriana Bezerra.

“Mesmo com o fim da época de chuvas, não devemos nos descuidar com o acúmulo de água em objetos que ficam depositados nas residências, por isso pedimos a ajuda de todos nessa luta”, finaliza a gerente.

 

Equipes recolhem 45 toneladas de lixo na terceira edição do Meu Bairro é Limpeza

Renato Bezerra

Um levantamento realizado pela Gerência de Serviços Urbanos (GSU) da Superintendência de Desenvolvimento Urbano – SDU Centro Norte apontou que 45 toneladas de lixo foram recolhidas na terceira edição do projeto Meu Bairro é Limpeza, que aconteceu no bairro Parque Brasil II, zona norte de Teresina. A ação ocorreu na manhã do último sábado (27) e levou lazer, cultura, saúde e ações educativas para a comunidade.

Na semana do evento, equipes de limpeza da GSU percorreram todas as ruas do bairro Parque Brasil II realizando serviços de capina, poda, varrição e remoção de resíduos urbanos. No sábado, caminhões passaram recolhendo todo material sem uso que poderia ser criadouro para o mosquito Aedes aegypti, colocado nas calçadas pelos próprios moradores.

O gerente de serviços urbanos da SDU Centro Norte, Renato Lopes, explica que fazer com que os moradores recolham esses materiais inservíveis é uma forma de conscientizá-los do seu papel. “A população também precisa fazer a sua parte. Se podemos evitar os focos do mosquito Aedes aegypti, temos que agir”, completa.

“Tivemos um saldo bastante positivo do evento. A cada edição mapearemos e ofereceremos serviços nas áreas da saúde, limpeza e meio ambiente”, destacou o superintendente da SDU Centro Norte, Weldon Bandeira.

Ainda durante o evento do sábado, foram realizadas vistorias das equipes de fiscalização da SDU Centro Norte, ações de educação ambiental, atrações musicais, atividades recreativas, distribuição de mudas de plantas, e prestação de serviços na área de saúde com a realização de testes rápidos, exames e vacinações.

FMS leva educação e serviços de saúde para o Teresina em Ação

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) estará presente na 23ª edição do Teresina em Ação, que acontece neste sábado (20) na Praça dos Orixás, no Parque Lagoas do Norte. Os moradores da zona Norte terão à sua disposição diversos serviços e orientações na área de saúde, das 8h às 13h.

No local, que também recebe a Colônia de Férias do Lagoas do Norte, terá um espaço para as crianças para trabalhar de forma lúdica a prevenção ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da zika, dengue e chikungunya, onde os pequenos podem colorir desenhos sobre o tema. “Serão distribuídos panfletos, visualizações de amostras do mosquito e outras curiosidades como dicas para reutilização de materiais que poderiam se tornar criadouros do mosquito”, comenta Júlia Santos, do Núcleo de Educação em Saúde da FMS.

A equipe de odontologia também estará presente no evento, com orientações sobre escovação e saúde bucal, além de distribuição de escovas de dente. Profissionais de enfermagem estarão realizando aferição de pressão arterial e orientação sobre saúde do homem, hipertensão e diabetes. “Também vamos trabalhar a área de imunização, realizando a vacina contra a gripe”, comenta Emanuelly Dias, da Gerência de Atenção Básica da FMS.

Além da saúde, o Teresina em Ação vai ofertar mais de 150 serviços de diversas áreas gratuitamente, além de quatro atrações musicais. O evento, realizado em parceria com a TV Clube, leva mensalmente cidadania, lazer, cultura, saúde e assistência social a um bairro da capital.