Servidoras da SMPM participam de formação sobre direitos das mulheres trans e travestis

As servidoras e funcionárias da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) participaram na manhã desta segunda-feira (18) da capacitação mensal oferecida pelo Grupo de Convivência de Travestis e Transexuais (GPTrans), veiculada à Superintendência de Direitos Humanos – Gerência de Enfrentamento à LGBTfobia – SASC, chamada “Respeitar é preciso”. A capacitação, realizada no Centro de Formação Odilon Nunes, contou com a presença de representantes dos direitos LGTQIA+ e funcionárias dos serviços da SMPM.

Durante a ocasião foi alinhado como melhorar o atendimento às mulheres trans e travestis no Serviço Florescer e no Centro de Referência Esperança Garcia (Creg). Além disso, foi debatido sobre a legislação vigente na capital para proteger todas as mulheres em situação de vulnerabilidade e violência de gênero.

Neste mês, a Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabeleceu que a Lei Maria da Penha se aplica aos casos de violência doméstica ou familiar contra mulheres transexuais. O colegiado considerou que a lei trata de violência baseada em gênero, e não no sexo biológico.

A decisão do STJ é inédita e abre precedente para que outros casos semelhantes tenham o mesmo entendimento. Embora alguns tribunais inferiores já tenham decisões parecidas, ainda há muitos casos em que as medidas protetivas e demais dispositivos da Lei Maria da Penha são negados às mulheres trans.

A secretária Gabriela Rodrigues reforça que as capacitações qualificam os serviços da capital para ampliar o debate sobre direitos humanos. “Trouxemos todas as funcionárias dos serviços para que a gente possa atender cada vez mais mulheres, sejam elas cis ou trans, mas saibam que podem contar com nossos atendimentos”, reforça a secretária.

Para a coordenadora do Creg, Roberta Mara, o propósito da capacitação é suprir as carências de conhecimento e termos, além de saber do que há de instrumento legal para atender o segmento específico. “Sabemos da dificuldade em direcionar, pois não há equipamento público específico para atender a demanda trans”, explica a coordenadora. “Mas mesmo que incipiente o momento foi de valia acerca do que há de conquista e também para sabermos das terminologias, logo trabalhamos com gênero”, finaliza.

Foto: Divulgação (SPMP)

Abertas as inscrições do Prêmio Teresa Cristina para empresas privadas

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres – SMPM, em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo – SEMDEC, abrem as inscrições do “Prêmio Teresa Cristina – Práticas inovadoras, que promovam a inserção, permanência e a valorização da mulher no mercado de trabalho”. A premiação foi instituída por meio do Decreto nº 22.223, de 14 de março de 2022 e publicado no Diário Oficial do Município nº 3.231, de 15 de março de 2022.

A 1ª Edição do Prêmio Teresa Cristina tem por objetivo conhecer e incentivar práticas inovadoras relacionadas às políticas públicas para mulheres desenvolvidas por empresa públicas e privadas, no âmbito da cidade de Teresina e levará em conta as empresas públicas e privadas que possuam práticas e desenvolvam programas que assegurem os direitos humanos das mulheres e promovam a equidade de gênero no ambiente de trabalho.

Anualmente, o prêmio será concedido a todas as empresas entre micro, pequenas, médias e grandes empresas que desenvolverem diretrizes voltadas para políticas públicas voltadas para a igualdade de gênero.

As inscrições para o prêmio são gratuitas e deverão ser realizadas no período de 01 de abril de 2022 a 01 de maio de 2022, de forma on-line por meio de ficha de inscrição. A lista das empresas e instituições selecionadas para receber o prêmio será apresentada ao público, em agosto de 2022, com premiação entregue durante programação em alusão ao aniversário de Teresina.

As inscrições para o prêmio seguem até às 23h59 do dia 1° de maio de 2021.

INSCRIÇÕES NO LINK ABAIXO: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScsZQIAt_9jBGjhoaWh_Duht0RhSbOmsG39OfKz9zlVckfkgg/viewform

Quem foi Teresa Cristina?

Uma grande mulher, esposa de Dom Pedro II, mãe da princesa Isabel e inspiração para a transferência da capital do Piauí de Oeiras para Teresina.

Religiosa, generosa, amante das artes e das pessoas. Assim se caracterizou Teresa Cristina. Com um legado de herança no amor e respeito ao próximo, as mulheres teresinenses também herdaram força da imperatriz Cristina.

Foto: Divulgação (SMPM)mLHER

CREG comemora 7 anos com entrega de moradias à mulheres atendidas pelo Centro

O centro de Referência da mulher em situação de violência (CREG), comemorou sete anos com um café da manhã nesta quinta-feira. O local atende mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero residentes em Teresina, com idades entre 18 e 59 anos, oferecendo assistência jurídica, social e psicológica, além de práticas interativas e complementares em saúde e cursos de capacitação profissional.

“Queremos dar essa visibilidade enquanto política pública. Quando falamos em atender mulheres para empoderá-las, é buscar um atendimento transversal das políticas públicas, incluindo habitação, inclusão produtiva, inclusão no mercado de trabalho, preparando-as para a vida profissional. Pensamos em comemorar o aniversário do CREG dando um destaque a política habitacional, onde conseguimos inserir àquelas que necessitavam de uma moradia. São mulheres que estão vinculadas aos serviços prestados pelo Centro de referência, pois precisamos conhecer de perto esse contexto de cada uma delas. No total, foram 21 mulheres contempladas e já temos outras que já foram encaminhadas para que sejam contempladas. Contamos para isso com a parceria da SEMDUH”, explica a Coordenadora do CREG, Roberta Mara.

Dentre as mulheres contempladas está Maria Julia*, que tem 31 anos e tem uma filha. “ Essa é uma grande oportunidade que o CREG me proporcionou desde o primeiro momento que cheguei aqui. Sempre fui muito bem acolhida. Foi aqui que consegui melhorar da depressão que sofria. Pude contar com o apoio de todos que fazem esse centro de referência. Receber minha própria moradia, é um grande presente”, afirma.

Lúcia Santos* é mãe de duas filhas e foi contemplada com uma moradia através do projeto de habitação tendo o CREG como ponte para conseguir receber sua casa. “ Depois que conheci os serviços oferecidos pelo CREG, mudei a minha vida. Antes eu morava de aluguel, e hoje eu fico feliz em ter minha própria casa”, apontou.

“Temos feito um trabalho para retirar as mulheres em situação de violência. Temos o Florescer, que acolhe mulheres vulneráveis, onde procuramos identificar aquelas que sofrem violência doméstica e assim fazemos essa articulação com o CREG. A secretaria da mulher trabalha em parceria para articular as demais secretarias. Nosso papel é desburocratizar para que mulheres possam ser contempladas também com o programa de habitação, e para isso, a mulher precisa estar inserida junto ao CREG”, explica a Secretária Municipal da Mulher, Karla Berger.

Sobre a Lei:

A Lei Municipal dispõe que essas mulheres em situação de violência que estejam em situação de medida protetiva, bem como aquela que esteja em processo de acompanhamento em espaços especializados de atendimento à mulher, tenham prioridade nos programas habitacionais implementados ou desenvolvidos pelo poder público municipal.

Para o cumprimento do dispositivo legal fica instituído que deve ser reservado o percentual mínimo de 5% das unidades habitacionais dos programas implementados em Teresina.

*Nomes fictícios para preservar a identidade das personagens**

Teresina Cuida de Você terá orientações para casamento comunitário em parceria com TJ

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), realizará neste sábado, (26), de 8h às 12h, no Cras Sudeste II, zona Sudeste da capital, a 4ª edição do Teresina Cuida de Você. Dentre as novidades da edição está a inauguração do Cras Sudeste II e orientações para o casamento comunitário, em parceria com o Tribunal de Justiça, que acontecerá no mês de maio.

A meta é levar mais de 100 serviços, da iniciativa pública e privada, de forma descentralizada ao público, com serviços: Cadúnico; Abrace Nós, Criança Feliz; de orientações sobre assistência militar e doação de sangue, além da realização de testagem rápida para sífilis e assistência militar.

Allan Cavalcante, secretário da Semcaspi, comenta sobre as parcerias que se renovaram, para melhor atender as necessidades das regiões que recebem o programa.

“A última edição do Programa Teresina Cuida de Você aconteceu em dezembro do ano passado e este mês vamos retomar, com a 4ª edição. Esta iniciativa já tem parceiros fixos e estamos de portas abertas para novas parcerias. Todo mês, de acordo com as temáticas, nós podemos ofertar serviços diferentes ou serviços que se adequam a aquela região, tendo em vista as demandas daquela população”, ressaltou.

Segundo Karol Pinheiro, coordenadora do programa Teresina Cuida de Você, haverá ações em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), alusivas ao mês da mulher.

“Na perspectiva do mês da mulher, nós temos nossa parceria com a Secretaria da Mulher, como já vinha acontecendo, mas de forma mais ativa. Com mais serviços, a secretaria vai levar os serviços deles como: o Florescer, Creg, o Departamento Estadual de Proteção à mulher, o Procon, o Núcleo de Defesa da Mulher em Situação de Violência e a Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência, além de orientações jurídicas voltadas para mulher”, ressaltou.

O Cras Sudeste II fica localizado na Rua Breno Teodomiro de Carvalho, no Bairro Itararé, zona sudeste da capital.

AÇÕES PARA MULHERES

Além das ações para o público geral, a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) vai levar serviços especiais para o público feminino, em alusão ao mês das Mulheres, como: Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência (TJ); Núcleo de Defesa da Mulher em Situação de Violência (Defensoria Pública); Procon; Departamento Estadual de Proteção a Mulher; Publicização Florescer e CREG; Orientações Jurídicas às Mulheres.

Oficina capacita mulheres do serviço Florescer para produção de ovos de Páscoa

A capacitação é um dos alicerces da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), que garante a possibilidade de renda extra para as mulheres em situação de vulnerabilidades atendidas pelo serviço Florescer em toda Capital.

Nesta terça-feira (22), as assistidas pelo Florescer Salobro, na zona Rural de Teresina, iniciaram a oficina profissionalizante de chocolate, para confecção de ovos de Páscoa. “O objetivo é preparar as 15 mulheres participantes para terem uma renda extra, nesse período de páscoa que se aproxima, aprender a fazer, produzir para revenda”, explica a coordenadora da unidade, Francisca Araújo.

A oficina ocorreu das 8h às 12h, com duração de 4 horas de aprendizado. Segundo a assistente social da SMPM, Caroline Leal “o intuito desse tipo de atividade é a inserção produtiva das mulheres atendidas no serviço Florescer”.

Oportunidade de Renda

Para auxiliar na melhoria da renda familiar, ao final da oficina as 15 participantes também receberam um kit inicial de formas e embalagens para iniciar seu próprio negócio, ofertado pela Fundação Cajuína.

“Ao final da oficina foi entregue um kit para cada mulher, com objetivo de que nossas acolhidas já iniciem as produções, é um primeiro passo para as produções”, vibra a coordenadora.

Foto: Divulgação (SMPM)

Prefeitura de Teresina realiza ações integrativas de serviços da mulher em situação de vulnerabilidade ou violência

A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM), deu início as ações integrativas entre o Florescer (serviço que funciona de portas abertas para toda e qualquer mulher de Teresina em situação de vulnerabilidade) e o Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), na tarde de terça-feira (15), com a execução de rodas de conversas sobre os serviços jurídicos, assistência social e direitos da mulher para as assistidas em todas as unidades do Florescer.

O Florescer Norte abriu a ação recebendo cerca de 40 mulheres e moradoras da região. A psicóloga do CREG, Vivian Reis, conduziu a conversa com dinâmicas sobre o tema “Violência psicológica e Direitos das Mulheres”.”O intuito é falar da violência psicológica, mas queremos que elas reconheçam e fiquem atentas a qualquer outro tipo de violência que pode acontecer”, observa a especialista.

Segundo a coordenadora do Florescer no bairro Matadouro, Aline Guajajara, o encontro levou esclarecimentos para fortalecer as mulheres que passam por situações de violências, além de levar informações sobre os serviços do CREG. “É uma integração importante para que elas percebam se estão vivenciando algum ciclo de violência ou não. É um momento para que ela conheça o CREG e se sinta realmente pertencente ao serviço da Secretaria da Mulher”, enfatizou a coordenadora.

Ações de atendimento a mulher em situação de vulnerabilidade. Fotos: Ascom SMPM

Para Maria Clara, mãe de uma criança no Florescer, o momento levou informações essenciais para o público feminino. “Eu encontrei meu espaço e tirei muitas dúvidas sobre como devemos nos comportar num relacionamento abusivo, tem que haver uma concordância”, frisou.

Rede de atendimento

A Prefeitura de Teresina mantém o Serviço Florescer que atende mulheres em situação de vulnerabilidade e seus filhos entre 1 ano a 2 anos e onze meses de idade em Teresina. Ao todo são quatro unidades em Teresina. Na sede são desenvolvidas ações que promovem a qualificação profissional, empoderamento feminino, além de estimular o desenvolvimento psicossocial para crianças.

O CREG atende mulheres de 18 a 59 anos em situação de violência doméstica, familiar e de gênero com uma equipe multiprofissional. O Centro está localizado na Rua Benjamin Constant, 2170 – Centro Norte e funciona de Segunda a Sexta, das 08:00 às 17:00h ou através dos telefones: (86) 3233-3798 / 99416-9451, que também é WhatsApp.

Mês da Mulher: Parque da Cidadania terá diversas atividades no sábado (12)

Ainda dentro das comemorações alusiva ao “Mês da Mulher”, a Prefeitura Municipal de Teresina (PMT), realiza no próximo sábado (12), no Parque da Cidadania, que fica no Bairro Cabral, na zona Norte da capital, diversas atividades abertas à população. A ação será das 16h às 20h e faz parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher, celebrado ontem (08), e nessa iniciativa integrada estão envilvidos outros órgãos da gestão municipal.

Serão oferecidos diversos serviços gratuitos, como: aulas de aeróbica, dança e bate-papo sobre dança, corte de cabelo, maquiagem, workshops, diversos serviços de saúde, atividades esportivas como rugby e vôlei. Para finalizar o dia, o público presente poderá assistir apresentações musicais que acontecerão na tenda 01, a partir das 19h.

Na tenda 01 e na quadra esportiva ocorrerão atividades promovidas pela SEMEL. Foto: Ascom FMC

A Fundação Wall Ferraz estará oferecendo serviços de beleza e workshops. Foto: Ascom FMC

Para Ênio Portela, presidente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, essa é uma atividade que marca o retorno das atividades públicas com o fim de algumas medidas protetivas tomadas por conta do considerável aumento de casos de Covid-19 no final do ano passado. Ainda segundo o gestor, essa atividade ocorre seguindo uma orientação do prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, que desde o início da gestão vem cobrando a união das pastas na realização de atividades que contribuam com o bem estar da população teresinense.

“Essa ação por exemplo, ocorre após algumas reuniões entre os secretários Maycon Silva (Fundação Wall Ferraz), Eduardo Draga Alana (Semec), equipes da cultura e ao longo deste ano pretendemos fortalecer nossos laços com as demais pastas, assim como fizemos em 2021, onde ocorreram diversas atividades públicas com ações integradas”, conta Ênio Portela, reafirmando que sem a determinação dos secretários e do prefeito, atividades como esta, seriam inviáveis.

 

A atividade em comemoração ao Dia da Mulher é uma ação da Prefeitura Municipal de Teresina (PMT), através de uma parceria entre a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), Fundação Wall Ferraz (FWF) e a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (SEMEL). As informações sobre essa atividade podem ser acessadas nas redes sociais das secretarias, bem como no site pmt.pi.gov.br.

Programação

SEMEL – Tenda 01

16h – Aeróbica

17h – Dança

18h – Bate papo e dança

Atividades esportivas (Quadra de esportes)

16h e 17h – Rugby e Vôlei

FWF – Tenda 02

16h às 20h – Corte de cabelo, serviço de maquiagem e workshops

16h às 20h – Serviços de saúde oferecidos em parceria com a Uninassau

FMC – Tenda 01

19h às 21h – Atrações culturais

 

O Parque da Cidadania será palco de atividades voltadas para as mulheres. Foto: Ascom FMC

Dia da Mulher: Sucesso e força feminina é tema de palestra na Secretaria Municipal de Planejamento

A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação, reuniu nesta quarta-feira (8), as servidoras da pasta para celebrar o Dia Internacional da Mulher. No encontro, as mulheres do planejamento tiveram um momento especial de palestra com a Master Coach Integral Sistêmico Patrícia Gomes, música ao vivo e também um café da manhã.

“Hoje é um dia especial e comemorar esta data ao lado de tantas mulheres batalhadoras é muito bom. Celebramos este dia com as servidoras da Secretaria de Planejamento e tivemos um aprendizado muito interessante sobre acreditar na força da mulher e que o sucesso pode sim ser alcançado por nós”, disse Liana Ísis Castelo Branco, Chefe de Gabinete da Secretaria.

Durante a palestra, a Master Coach Patrícia Gomes falou sobre o poder que a mente tem de conceber e acreditar que é possível realizar e alcançar coisas extraordinárias. “Nós, mulheres, já somos destemidas e fortes. Para alcançarmos nossos sonhos e metas, precisamos modificar nossas atitudes, modo de pensar e nosso comportamento. Somos mulheres de fibra e com o poder da ação em nós”, discorreu Patrícia.

As servidoras da Semplan também foram presenteadas com suculentas, que representam a capacidade de prosperar mesmo em situações desfavoráveis, são plantas que protegem o lar, purificam os ambientes ao passo que os embelezam.

Dia da Mulher

Oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975, o chamado Dia Internacional da Mulher é comemorado desde o início do século 20. A origem da data escolhida para celebrar as mulheres tem algumas explicações históricas.

No Brasil, é muito comum relacioná-la ao incêndio ocorrido em Nova York no dia 25 de março de 1911 na Triangle Shirtwaist Company, quando 146 trabalhadores morreram, sendo 125 mulheres e 21 homens (na maioria, judeus), que trouxe à tona as más condições enfrentadas por mulheres na Revolução Industrial.

 

 

HUT tem 69% de trabalhadoras mulheres em cargos variados

No Hospital de Urgência de Teresina (HUT), unidade pública vinculada a Fundação Municipal de Saúde (FMS) da Prefeitura de Teresina, cerca de 69% dos 2.041 servidores são mulheres. Médicas, enfermeiras, técnicas de enfermagem, fisioterapeutas, assistentes sociais, profissionais de setores administrativos dentre outras no cuidado ao paciente SUS. Por isso, o Grupo de Trabalho em Humanização (GTH) em parceria com coordenadores e gerentes de postos prepararam nesse 8 de Março – Dia Internacional da Mulher, uma homenagem a todas as servidoras, com participação também dos pacientes e visitantes da unidade de saúde.

Trabalhadoras do HUT foram recepcionadas na entrada do hospital com música, chocolates, distribuição de plantas frutíferas e uma tenda com espelhos com mensagens, frases e expressões, a proposta é que as mulheres tirem fotos. Um dia para reconhecer o que somos todos os dias, a ação foi pensada para empoderar e seguirmos fazendo a diferença em tantas vidas. Explica Diaponira Santos, assistente social e membro do GTH.

Além da tenda dedicada as mulheres, as gerências das UTIs 01, 02, 03 e 04; Pronto Atendimento; Clínica Cirúrgica, Médica, Ortopédica e Pediátrica; Unidade de Queimados; Serviço de Fisioterapia e Núcleo de Regulação distribuíram brindes personalizados a cada uma das servidoras.

As mulheres têm conquistado cada vez mais espaço, a mulher tem essa vocação para o cuidar, um cuidar no sentido da proteção. Aqui no hospital elas assumem papel importante na assistência diária e na missão de manter a qualidade e o bom desempenho de todas as áreas”, destacou o diretor geral do HUT, Fábio Marcos de Sousa.

O Dia Internacional da Mulher é celebrado pelas Nações Unidas desde 1975 lembrando as conquistas das mulheres nos cenários sociais, políticos e econômicos ao longo dos anos e busca a reflexão que ainda há um longo caminho a percorrer.

Mulheres se destacam tocando instrumentos e provam que talento independe de sexo

De fato, a música tem a essência feminina, não só na etimologia, mas no fervor da emoção e, sobretudo, na delicadeza da sonoridade. Os investimentos feitos pela gestão municipal, através das ações da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves (FMC), têm cada vez mais atraído um número maior de mulheres em espaços instrumentistas que antes eram ocupados apenas por pessoas do sexo masculino.

Em Teresina, o mercado musical vem se abrindo para o novo e a sociedade vem acompanhando essa mudança. As mulheres passaram a comandar instrumentos como sanfona, violino, violão, fagote, trompete, entre outros, quebrando barreiras e, claro, se destacando em suas áreas, como é o caso da sanfoneira e professora Écore Nascimento, única mulher que integra a Orquestra Sanfônica de Teresina.

Écore Nascimento. Foto: Ascom FMC

 

“Para chegar até aqui não foi fácil, pois não é comum termos mulheres tocando esse lindo e pesado instrumento. Comecei meus primeiros passos como aluna e aos poucos, com muito esforço, conquistei uma vaga na Orquestra Sanfônica de Teresina, que antes era formada apenas por homens”, conta Écore Nascimento, enfatizando ainda que além de fazer parte de uma outra banda formada apenas por mulheres, ela passou a ministrar aulas de sanfona no Palácio da Música, que é a maior referência em ensino musical do Estado do Piauí.

Na Banda 16 de Agosto, que é a banda oficial do município de Teresina, são três mulheres, elas tocam trompete, bateria e bombardino, instrumentos que geralmente são ligados a pessoas do sexo masculino. Apesar de parecer pequeno, esse número de mulheres já é considerado como um avanço, já que a banda foi criada em 1968, e a chegada da primeira mulher na equipe só ocorreu cerca de 35 anos depois, sendo que hoje elas estão em evidência.

Há mais de 20 anos atuando como instrumentista, Irisneide Araújo é trompetista da Banda 16 de Agosto. Ela fala que no passado, apesar de já ter mulheres atuando no mercado, elas tocavam apenas em instrumentos específicos. Porém ela se apaixonou pelo som do trompete e resolveu se dedicar ao instrumento, superando as dificuldades de aprender a tocá-lo, se qualificou e conseguiu representar as mulheres na mais tradicional banda da cidade, comprovando que o talento independe do sexo.

Há mais de 20 anos, Irisneide Araújo, da Banda 16 de Agosto se dedica ao trompete. Foto: Ascom FMC

 

“Os desafios foram muitos, pois por ser mulher, tinha que me dedicar aos filhos, além dos estudos e a trabalhos secundários, pois no passado era bem mais difícil viver apenas da música. No caminho até aqui ví muitos olharem com olhos tortos, havia um certo preconceito, muitos afirmavam que eu deveria buscar outro tipo de instrumento, porém, soube lidar com isso e hoje sigo aqui firme e feliz por não ter desistido desse sonho”, conta Irisneide Araújo, afirmando ainda que já teve inclusive experiências em outros estados, fato que contribuiu com o seu crescimento profissional.

Com o seu fagote, Miranísia Freitas faz sucesso na Orquestra Sinfônica de Teresina. Foto: Ascom FMC

As mulheres também vêm ganhando outros espaços dentro dos demais projetos musicais mantidos pela Prefeitura de Teresina, como por exemplo na Orquestra Sinfônica de Teresina, na Orquestra de Violões e no Projeto Banda Escola. Apesar de pequeno, o número de mulheres instrumentistas vem aumentando e esse número de integrantes femininas pode aumentar, isso por conta do crescente número de mulheres inscritas em projetos como o Banda Escola, que é uma espécie de porta de entrada para quem deseja ingressar nas orquestras e na banda municipal.

Silvana Lys e Sorane Costa, integrantes da Orquestra de Violões de Teresina. Foto: Ascom FMC