Hospital de Campanha fará evento para comemorar alta de 500 pacientes com Covid-19 em Teresina

Em meio à redução de mortes por Covid-19 em Teresina, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) irá celebrar as 500 altas médicas de pacientes que tiveram Covid-19 e ficaram recuperados após assistência no Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi. O evento irá acontecer nesta quarta-feira (23), às 9h, na área externa da unidade e seguirá todos os protocolos de segurança. Haverá também alta de novos pacientes e distribuição de flores.

“Essas 500 altas representam 500 pessoas que venceram a batalha contra Covid-19, saíram bem do nosso hospital, voltaram para casa, para o convívio familiar. Isso é muito gratificante. Todos os profissionais de saúde e os que integram a gestão da FMS são vitoriosos. Nós realizamos um tratamento humanitário dessas pessoas e sentimos que aprendemos muito mais sobre o assunto, embora seja uma doença nova, que ainda é alvo de estudos científicos pelo mundo”, ressalta a diretora geral do Hospital de Campanha, Gina Nogueira.

Sediado na quadra de Badminton da UFPI, esse Hospital é uma estrutura temporária com capacidade para atender simultaneamente 86 pacientes. Os leitos são regulados e disponibilizadas, exclusivamente, para usuários vindos de outros hospitais e UPAS de Teresina, em ambulâncias do SAMU, e que se enquadrem em casos de baixa e média complexidades da Covid-19. Se houver necessidade, eles são transferidos para outros hospitais de alta complexidade.

O Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi é administrado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Fundação Municipal de Saúde e já registrou a internação de 682 pacientes com Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus. Desse total, 500 ficaram recuperados da doença após tratamento e 21 permanecem internados no local. Houve ainda 127 pessoas que foram transferidas para outros estabelecimentos de saúde.

Teresina tem mais de 10 mil pessoas recuperadas da Covid-19

Dados da Fundação Municipal de Saúde (FMS) apontam que 10.229 pessoas foram curadas da Covid-19 em Teresina, desde o início da pandemia, em março, até esta quinta-feira (20). Desse total, 86% dos recuperados não tinham doenças crônicas, sendo que 79% eram adultos e 56% do sexo feminino. A FMS alerta que, mesmo sendo crescente o número de casos de pessoas recuperadas, a doença ainda é alvo de estudos científicos pelo mundo, o que requer cuidados preventivos por parte da população.

A FMS registrou ainda que 82% dos pacientes recuperados teve sintomas da infecção e que 18% eram assintomáticos. Em relação à faixa etária, 79% eram adultos, 13% eram idosos, 4% eram crianças e 3,9% adolescentes. Entre a estatística, chamaram a atenção duas mulheres que venceram a Covid-19: uma com 103 anos e registro de doença cardíaca, residente no bairro Monte Castelo e outra com 104 anos de idade, sem comorbidade, residente no bairro Zoobotânico.

A empresária Raimunda Barros, de 49 anos de idade, e a sua família estão na lista dos recuperados da Covid-19. “É uma doença nova, traiçoeira e que a pessoa não sabe como vai ser o trajeto do vírus dentro do organismo. Estávamos preocupados, mas, graças a Deus, todos ficaram bem: eu, meu marido que foi internado no Hospital do Monte Castelo, meus cunhados e meu filho de 9 anos”, conta.

Ela faz ainda um alerta à população para que todos cumpram as medidas de higiene e de distanciamento social para evitar a proliferação do Coronavírus. “As pessoas acham que não pegam essa doença. Tenham cuidado para não se contaminarem. Tenham amor por si e pelo próximo. Então, usem máscara, lavem as mãos, mantenham distância de segurança. É preciso empatia nesse momento difícil que o mundo enfrenta. Minha família passou por uma fase muito difícil e ficamos bem. Mas, infelizmente, o vírus pode matar”, finaliza Raimunda.

A coordenadora do Centro de Operações em Emergência (COE) da FMS, Wesllany Santana, ressalta que integram o grupo dos recuperados aquelas pessoas com Covid-19 que tiveram alta após atendimento na rede hospitalar e também as que estavam com quadro leve da doença e fizeram o tratamento em casa. “Após cumprimento de 14 dias de isolamento, essas pessoas tiveram melhora do quadro clínico de saúde”, afirma, informando que o número de recuperados na cidade é ainda maior e está sendo atualizado diariamente no sistema.