Alunos da Rede Municipal serão testados em pesquisa sorológica da Covid-19

Alunos e professores da Rede Municipal de Ensino participarão de uma pesquisa sorológica para investigar a presença de anticorpos do coronavírus. As aulas presenciais permanecem suspensas, mas a Prefeitura de Teresina pretende iniciar a pesquisa em outubro para acompanhar a saúde desse público.

A pesquisa sorológica por amostragem já é realizada com frequência pela Prefeitura e o Instituto Opinar para monitorar o comportamento do vírus na capital. Agora, a mostra será com uma porcentagem de alunos do Ensino Fundamental e docentes. De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Semec), as informações por amostragem estatística serão importantes para a avaliação do cenário, com dados sobre a intensidade e a maneira com que ocorre a disseminação do novo coronavírus nesse grupo.

“O estudo será feito em duas etapas, monitorando de perto as condições de saúde dos nossos alunos e professores. Essa é uma medida importante de cuidado e proteção”, afirma a secretária municipal de Educação, Kátia Dantas.

Pesquisa aponta queda de 18,09% no número de infectados com a Covid-19 em Teresina

Raíssa Morais

O número de positivados para a Covid-19 em Teresina caiu 18,09% esta semana em relação à etapa anterior da Pesquisa de Investigação Sorológica. No período entre 18 e 20 de setembro foram identificadas 126.873 pessoas com o vírus, enquanto na sondagem realizada na 19ª fase, esse número era de 154.721. Os dados foram apresentados durante videoconferência na manhã desta quinta-feira (24) pelo prefeito Firmino Filho, que mostrou também outros indicadores de que a capital continua em tendência de queda nos atendimentos e mortes por Coronavírus.

De acordo com a sondagem, a taxa de transmissão do vírus continua a flutuar próxima ao valor 1. “O R0, que indica o índice de contágio da Covid-19, é um dado estimativo, então ele oscila naturalmente. Fazendo o cálculo matemático dos resultados observados no inquérito sorológico, tivemos o R0 de aproximadamente 1,09. Já a partir do comportamento da curva de notificações das semanas epidemiológicas, o R0 ficou em 0,97”, explicou o prefeito.

A quantidade de pessoas com o vírus identificada na sondagem é quatro vezes maior que os 28.332 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados. A cidade possui 24.994 pessoas com infecção recente, o que significa que estão com o vírus ativo e na fase de transmissão. Já quanto à infecção remota, que representa o número de imunes, a quantidade foi de 51.891.

Nesta etapa da sondagem, a zona Norte lidera o ranking de casos de Covid-19 e aparece com 33% de pessoas infectadas com o Coronavírus. Em seguida aparece a zona Sul, registrando 30% dos casos. A zona Leste representa 19% dos casos, e a zona Sudeste confirmou 17% das pessoas da região com a doença.

A faixa etária entre 25 e 34 anos foi a mais infectada com o novo Coronavírus e apresentou 23% dos casos. Em seguida aparecem as idades entre 15 a 24 anos e 0 a 14 anos, com 20% e 17% dos casos, respectivamente. A faixa etária de 35 e 44 anos registrou 16% dos casos. Já as pessoas com idade entre 45 e 54 anos representam 11% dos casos positivos para a Covid-19. A faixa etária das pessoas entre 55 e 69 anos representaram 10% dos casos positivos. Nas pessoas com idade acima de 70 anos, a pesquisa registrou 2% de casos positivados.

Durante a videoconferência, o prefeito também apresentou dados relativos à assistência médica na rede de saúde da capital. Com relação aos atendimentos a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), houve um crescimento de 23,5% se comparadas as médias móveis da etapa atual com a de 14 dias atrás. “Já vimos esse aumento antes. Observando o gráfico desse processo de queda nos atendimentos às síndromes gripais graves, podemos ver que tem altos e baixos. Mas é um dado que precisamos monitorar ao longo das próximas semanas, verificar com atenção se esse aumento é contínuo ou não,” destacou o gestor.

Segundo o levantamento, as taxas de ocupação dos leitos Covid seguem abaixo de 70%. “Mesmo com a desativação de muitos leitos Covid, ainda temos uma folga no sistema de saúde. As taxas de ocupação apresentaram um pequeno crescimento nesta etapa, mas isso se deve ao fato de estarmos desativando muitos desses leitos, convertendo-os para atendimentos de outra natureza, e não necessariamente que a demanda de pacientes com o Coronavírus tenha aumentado”, comentou Firmino.

O Painel Covid-19 também confirma uma redução no número de atendimentos por síndromes gripais e óbitos decorrentes da doença. “Quanto à evolução dos óbitos na cidade, estamos chegando no platô mínimo. A queda nos números de morte registradas continua de forma consistente. Já chegamos a ter uma média de 15 por dia, mas nossa média atual é de cerca de três óbitos diários. Continuaremos monitorando para verificar se esses dados se deterioram e, a partir daí, decidiremos nossos próximos passos, como temos feito desde o início. Mas esses resultados mostram que, até o momento, temos feito nossa retomada da melhor forma possível”, finalizou o prefeito.

Teresina tem 154.721 pessoas com a Covid-19 e número de mortes continua em queda

Raissa Moraes

O número de positivados para a Covid-19 em Teresina é de 154.721 pessoas, segundo a 19ª Pesquisa de Investigação Sorológica, realizada pela Prefeitura entre 04 e 06 de setembro. Os dados foram apresentados na manhã desta quarta-feira, 09, durante videoconferência pelo prefeito Firmino Filho, que mostrou também outros dados indicando que a capital continua em tendência de queda nos casos e mortes por coronavírus.

“Essa etapa da pesquisa mostra que a maioria das pessoas está possivelmente imunizada, ou seja, um total de 81.641 pessoas estão na fase de infecção remota. Além disso, Teresina possui 20.151 pessoas com infecção recente, o que significa que estão com o vírus ativo e na fase de transmissão”, explicou o prefeito Firmino Filho.

A quantidade de pessoas com o vírus identificada na sondagem é seis vezes maior que os 25.115 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados. Nesta etapa da sondagem, a zona Sul lidera o ranking de casos de Covid e aparece com 43% de pessoas infectadas com o Coronavírus. Em seguida aparece a zona Norte, registrando 24% dos casos. A zona Sudeste representa 19% dos casos, e a zona Leste confirmou 14% das pessoas da região com a doença.

A pesquisa não registrou casos positivados nas pessoas com idade acima de 70 anos. A faixa etária entre 35 e 44 anos foi a mais infectada com o novo Coronavírus e apresentou 29% dos casos. Em seguida aparecem as idades entre 25 a 34 anos e 45 a 54 anos, com 24% e 19% dos casos, respectivamente. A faixa etária de 0 e 14 anos registrou 14% dos casos. Por último, pessoas com idade entre 15 e 24 anos representam 5% dos casos positivos para a Covid-19.

Durante a videoconferência, o prefeito também apresentou dados relativos aos atendimentos na rede de saúde da capital. O Painel Covid-19 confirma uma redução significativa no número de atendimentos por síndromes gripais e óbitos decorrentes da doença. Considerando a média móvel de 14 dias, houve uma queda de 38,89% no total de óbitos registrados.

“A maior parte dos atendimentos de pessoas com sintomas gripais em Teresina aconteceu na ultima semana de junho, quando mais de 20 mil pessoas foram atendidas. Já na última semana, este número caiu para 8.923 atendimentos. Isso representa mais de 50% de queda da doença na nossa cidade, e é importante ressaltar que essa redução tem permanecido mesmo com a continuidade do processo de retomada da economia. Isso nos certifica de que estamos avançando dentro da estratégia de retorno gradual e que precisamos manter todos os cuidados”, acrescentou Firmino Filho.

Pesquisa aponta que Teresina tem 134.570 pessoas com a Covid-19

Em Teresina, o número de positivados para a Covid-19 é de 134.570 pessoas, segundo a 18ª Pesquisa de Investigação Sorológica, realizada pela Prefeitura entre 21 e 23 de agosto.  Os dados foram apresentados pelo prefeito Firmino Filho, na manhã desta quarta-feira (26), durante videoconferência com a imprensa.  O número de positivados é seis vezes maior que os 21.804 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados.

“Estamos iniciando uma nova série de pesquisa, com intervalo de duas semanas, e com uma marca diferente de teste. Isso altera os resultados e, por isso, não podemos comparar com os dados das etapas anteriores”, explicou o prefeito Firmino Filho.

De acordo com a sondagem, a cidade possui 18.248 pessoas com infecção recente, o que significa que estão com o vírus ativo e na fase de transmissão. Já quanto à infecção remota, que representa o número de imunes, a quantidade foi de 34.594.

A zona Norte aparece sem nenhum caso de positivado para a Covid-19 nesta etapa. A zona Sudeste lidera o ranking de casos e registrou 42% de pessoas infectadas com o Coronavírus. Em seguida aparece a zona Sul, com 32% dos casos. Já a zona Leste confirmou 26% das pessoas da região com a doença.

Esta etapa da sondagem não registrou casos positivados nas pessoas com idade acima de 70 anos e nas crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. A faixa etária entre 55 a 69 anos foi a mais infectada com o novo Coronavírus e apresentou 26% dos casos. Em seguida aparecem as idades entre 25 a 34 anos e 45 a 54 anos, com 21% dos casos. Por último, as faixas etárias de 15 a 24 anos e 35 a 44 anos registraram 16% dos casos positivos para a Covid-19.

O prefeito também apresentou dados relativos aos atendimentos a síndromes gripais na rede de saúde da capital. “Se observamos a média móvel da última semana, podemos ver que o número chega a ser quase a metade dos atendimentos registrados no pico da Covid-19 em Teresina. No dia 24 de agosto foram atendidas 1.513 pessoas com sintomas gripais, enquanto que lá em 30 de junho, durante o pico, foram 2.822 atendimentos. É uma queda significativa, mas 1.500 pessoas sendo atendidas com suspeita de Covid-19 em um dia é quantidade muito grande. A doença tem caído, no entanto, ainda não desapareceu. Precisamos seguir com todos os cuidados possíveis”, destacou o prefeito.

Número de pessoas com imunidade para a Covid-19 cresce em Teresina

A quantidade de pessoas positivas para a Covid-19 em Teresina cresceu na última semana, chegando a 217.673 casos, mas aumentou também quantidade daqueles que têm anticorpos para a doença. Já são 83.631 pessoas imunes ao novo Coronavírus.  Esse dado foi revelado pelo prefeito Firmino Filho durante apresentação do resultado da 13ª etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada entre os dias 11 e 13 de julho na capital.

Segundo o prefeito Firmino Filho, o dado sobre a quantidade de pessoas imunes é positivo. “Nesse último fim de semana a quantidade de pessoas com anticorpos para a Covid-19 aumentou, o que representa uma barreira para a progressão da doença”, explicou, ressaltando que a pesquisa revelou ainda que 102.744 pessoas estão na fase intermediária da infecção, ou já estão imunes ou desenvolvendo a imunidade.

Quanto ao número de pessoas com o vírus ativo, que podem transmitir a doença, houve um aumento de 14% em relação à semana passada. Nesta etapa são 30.788 infectantes contra 26.897 registrados na etapa anterior. “Mesmo com esse aumento, a quantidade de pessoas infectantes continua estável, não houve uma tendência ascendente, o que é positivo. O R0 (R-zero), que representa a taxa de transmissão, tem ficado em torno de 1 e nessa etapa ficou em 1,14. Esse aumento na circulação do vírus na cidade pode ter acontecido devido ao início do processo de reabertura das atividades econômica ou pode ter sido uma correção de rota na pesquisa. Vamos aguardar os resultados das próximas semanas etapas para fazer nova avaliação”, ressaltou o prefeito.

No que diz respeito à distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou uma queda bastante significativa na quantidade de casos na zona Leste, que aparece com apenas 3% dos positivados. Em contrapartida, a zona Sul surpreendeu com uma piora considerável nos índices, sendo 59% dos casos. A zona Sudeste também ainda preocupa, aparecendo com o segundo maior índice, 22%. A zona Norte continua apresentando uma tendência de queda e chegou a 22% nos casos positivados para o Coronavírus.

Quanto à faixa etária, nesta etapa da sondagem, não foram registrados casos positivos entre os maiores de 70 anos. Os adultos jovens com idade entre 15 a 24 anos e os adultos entre 35 a 44 anos representam, respectivamente, 22% dos positivados. “Os jovens e adultos mais maduros estão sendo mais positivados, o que nos permite afirmar que estão relaxando mais no isolamento e se contaminando mais”, disse o prefeito. Já nas faixas etárias de 25 a 34 anos, 45 a 54 anos e 55 a 69 anos as taxas de casos foram de 16%. As crianças e adolescentes de 0 a 14 anos aparecem entre os 9% dos positivados.

Ao final da apresentação da pesquisa, o prefeito ressaltou que a sondagem tem sido um importante instrumento para embasar as ações de enfrentamento à pandemia. “Vamos continuar monitorando o quadro nesse processo de reabertura das atividades econômicas e a confirmação das fases seguintes vai depender da evolução dos casos. Entendemos que os meses de julho e agosto serão de transição e que a doença vai ceder gradualmente. Esperamos que em setembro as condições sejam mais tranquilas em termo de circulação do vírus e nossa economia já tenha se recuperado”, concluiu Firmino.

Confira AQUI o resultado  da pesquisa.

“Teresina atingiu platô de circulação do Coronavírus”, diz prefeito Firmino Filho

O prefeito Firmino Filho afirmou que Teresina já atingiu o platô de circulação do novo Coronavírus, de acordo com os dados da 11ª etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada pela Prefeitura de Teresina entre os dias 26 a 28 de junho. O resultado da sondagem apresentado nesta quarta-feira mostra também que a taxa de crescimento do vírus segue caindo, tendo chegado a 7%, e que a taxa de contágio, denominado de R0 (R-zero), continua em torno de 1.

Quanto ao número de infectados, o histórico das pesquisas mostra que o pico da Covid-19 foi entre 05 e 07 de junho, onde o número de pessoas com o vírus ativo foi de 41.340.  De lá pra cá, foi registrado o mesmo patamar de infecção ativa e, essa semana, o número de pessoas com o IgM positivo foi de 37.448. “Esses dados nos induzem a pensar que estamos dentro de um momento de platô. O R0 também vem caindo semana pós semana e estamos muito próximo de 1”, analisou o prefeito.

Durante a videoconferência com a imprensa, Firmino mostrou que, até a etapa nove o crescimento do vírus foi muito elevado e agora percebe-se uma desaceleração, com taxas cada vez menores nas últimas semanas. “Provavelmente, esse número significa o nosso pico e isso nos dá algum parâmetro para que a gente possa estimar as próximas semanas, especialmente para a tomada de decisão quanto à retomada das atividades econômicas”, disse.

O número de casos positivados nesta etapa da sondagem foi de 167.175, o que representa 29 vezes mais que os 5.856 casos confirmados oficialmente divulgados pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Desse total de positivados atestados pela pesquisa, 37.448 estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença.

O prefeito alertou que o pico de circulação do vírus não bate com o pico de internações e de óbitos, sendo necessário um esforço maior de todos para a redução dos números. “A ideia é que possamos fazer, durante todo o mês de julho, essa política de medidas mais restritivas durante os finais de semana para que possamos melhorar os nossos índices de isolamento social, dando continuidade ao nosso planejamento para a retomada das atividades de forma mais segura para a população”, destacou o prefeito, ressaltando que a Prefeitura vem fazendo sua parte e está trabalhando para aumentar a quantidade de leitos de UTI e de enfermaria.

Um dado bastante positivo nesta etapa da sondagem em relação à idade das pessoas positivadas é que os maiores de 70 anos não pontuaram e o índice ficou em 0%.  Outra faixa etária que se mostrou também com baixo índice de infecção foi a de 45 a 54 anos, com 3%.  As pessoas de 55 a 69 anos representam 8% dos positivados. Os jovens de 15 a 24 anos e as crianças e adolescente de 0 a 14 anos aparecem, respectivamente, como 18% dos casos.  Já na idade entre 25 a 34 anos esse índice sobe para 23%.  E os adultos entre 35 a 44 anos foram os mais infectados e aparecem como 31% dos positivados para a Covid-19.

A zona Norte da cidade continua com um aumento preocupante em relação ao número de pessoas positivadas para o novo Coronavírus. Nesta décima primeira etapa da pesquisa sorológica, a zona Norte aparece com 38% dos casos, na sondagem anterior esse número foi de 34%. Já a zona Sul reagiu positivamente no que diz respeito à etapas anteriores e representa agora 21% dos positivados (na sondagem anterior o índice foi de 31%). A zona Leste teve um leve aumento e aparece com 23% dos casos. A zona Sudeste segue a tendência da semana passada e o índice de positivados é de 18%.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

Taxa de contágio e número de pessoas infectantes para a Covid-19 caem em Teresina

Teresina apresentou uma redução no número de pessoas infectantes para a Covid-19 e queda do R0 (R-zero) para menor que 1, segundo dados da nona etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina. O prefeito Firmino Filho, alertou que, apesar de positivos, os números devem ser visto com cautela por serem dados estatísticos e que é necessário avaliar se será mantida a constância das informações nas próximas semanas.

De acordo com a sondagem, a cidade possui 133.532 pessoas positivadas para a doença, e desse número, 34.594 estão com o vírus ativo. Na etapa anterior esse número de infectantes foi de 41.340. As informações sobre a pesquisa, realizada entre os dias 12 e 14 de junho, foram apresentadas nesta quarta-feira pelo prefeito Firmino Filho em videoconferência com a imprensa.

“Temos indícios de boas notícias. Apesar da cidade ter apresentado um crescimento no número de positivados nesta nona etapa da pesquisa sorológica, com um número de casos 40 vezes maior ao de confirmados oficiais, tivemos uma redução significativa no número de pessoas infectantes. Os casos diminuíram de 41.340, dados da oitava sondagem, para 34.594 nesta semana. Este é um bom sinal em relação à progressão da doença e em relação ao que vínhamos observando”, explicou Firmino.

Já a taxa de reprodução do vírus, o R0 (R-zero), pela primeira vez ficou abaixo de 1. “Nesta etapa tivemos o R0 de 0,83. Se esse índice se confirmar nas próximas sondagens é que diremos com certeza se houve ou não essa queda do R0. Mas reafirmamos que essa é uma luta diária e temos que fazer um esforço para que a taxa de isolamento volte a crescer e a gente saia mais rápido dessa crise. Se houver a falsa sensação de segurança poderemos caminhar para um desastre. Mas se continuarmos com essa tendência de queda nas taxas, poderemos reavaliar com mais segurança a abertura das atividades econômicas”, avaliou o prefeito.

Quanto à distribuição do vírus pela cidade, a pesquisa, que é realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou que a zona Sul precisa de uma atenção especial em relação ao isolamento social, pois apresenta 42% dos casos positivados. A zona Leste aparece em seguida, com 25%. A zona Norte apresentou uma queda em relação à oitava etapa e nesta sondagem representa 22% das pessoas positivas para a Covid-19. A zona Sudeste continua na tendência de redução e nesta pesquisa aparece com 11% dos casos.

Em relação à idade, a faixa etária mais infectada é de 25 a 34 anos, que representa 31% dos positivados. Em seguida aparecem as pessoas entre 15 e 24 anos, que são 19% dos casos. Nas pessoas com idade entre 45 a 54 anos o índice de positivados está em 17%. Logo abaixo, com 14%, estão os adultos com 35 a 44 anos. As crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos estão entre os 11%, em seguida, com 6%, as pessoas de 55 a 69 anos, e seguindo a tendência das últimas sondagens, os maiores de 70 anos permanecem entre os 3% dos casos atestados positivos.

“A realidade da doença, mesmo com alguns dados positivos nesta última sondagem, é dura e a população precisa se conscientizar. Muitas pessoas politizaram a questão do isolamento social e precisamos mostrar um choque de realidade para que cada um assuma sua responsabilidade. Aparentemente estamos numa situação que traz alguma expectativa positiva, mas ao mesmo tempo estamos em ponto crítico no que diz respeito à ocupação de leitos de UTI. Portanto, é necessário um esforço concentrado nas próximas semanas para termos um crescimento do isolamento e para que a gente possa sair mais rápido e sair bem dessa situação, que ainda inspira cuidados. Não podemos brincar com essa doença”, destacou Firmino Filho.

Confira AQUI os resultados da pesquisa.

Mais de 30 mil pessoas em Teresina estão na fase de transmissão da Covid-19

A sétima etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada entre os dias 29 e 31 de maio na capital, revela que 30.788 do total de positivados para a Covid-19 são infectantes, portanto, estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença. Na fase intermediária encontram-se 30.703 pessoas, que estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade, e outras 10.551 estão imunes à doença. De acordo com o prefeito Firmino Filho, a pesquisa revela também que a quantidade de positivados é 41 vezes maior que os 1.771 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no domingo anterior à pesquisa.

“No período de um mês e meio a quantidade de pessoas infectadas na cidade foi multiplicada por 14,8, um crescimento explosivo. Passamos de 4.843 casos em abril para 72.042 pessoas que já foram infectadas pela Covid-19 na cidade”, afirmou o prefeito ao apresentar nesta quarta-feira os dados para a imprensa durante videoconferência.

“Nesta etapa da sondagem foi observado um crescimento de 44% no número de casos positivados em relação à sexta etapa, onde foram atestados 49.988 pessoas. A quantidade de infectantes, que está com vírus ativo e ainda não desenvolveu a imunidade, continua crescendo. Na quarta etapa tínhamos 5.794 e agora passou para 30.788, uma multiplicação superior a cinco vezes. Muita gente está transmitindo a doença. Mas a boa notícia é que houve uma queda na evolução da doença. Aparentemente não estamos mais no crescimento exponencial, ou seja, eventualmente estamos nos aproximando do platô do pico, da estabilidade”, destacou Firmino.

A pesquisa, realizada em parceria com o Instituto Opinar, faz também uma amostra sobre o comportamento do vírus na cidade. Nesta sétima sondagem, os dados mostram que o cenário segue a tendência da sexta coleta de dados e a zona Norte continua com o maior número de positivados, 33%. A zona Sul aparece logo em seguida, com 30%. A Sudeste permanece na faixa dos 20% de casos e a zona Leste continua com o menor percentual, 17%. “Os dados mostram que a doença está espalhada na cidade como um todo”, ressaltou o prefeito, acrescentando que as mulheres também continuam sendo maioria e representam 55% dos casos positivados para a Covid-19.

No que diz respeito à faixa etária, as pessoas com idade entre 25 a 34 anos lideram entre os positivados e representam 21%. Os jovens entre 15 e 24 anos e 25 a 34 anos apresentaram a mesma porcentagem e estão com 18% dos casos, cada. As pessoas com idade entre 45 a 54 anos o índice de positivados está em 14%. Em seguida, com 13%, estão as crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos. Já nas idades entre 55 a 69 a taxa está em 12% e os maiores de 70 anos figuram entre os 3% dos casos atestados positivos.

“Em relação à faixa etária acontece um fenômeno reverso. No começo eram os jovens adultos que estavam numa maior proporção. Agora são os mais velhos, o que aumenta o risco e é mais preocupante”, avaliou o prefeito.

Confira AQUI os dados da pesquisa.

Firmino pede apoio de lideranças comunitárias para combate à Covid-19 em Teresina

Na manhã desta segunda-feira (20), o prefeito Firmino Filho realizou uma videoconferência com lideranças comunitárias de Teresina para apresentar os resultados da quinta etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura em parceria com o Instituto Opinar. O objetivo foi mostrar a situação da pandemia do novo coronavírus na capital e explicar medidas adotadas pela Prefeitura, além de esclarecer dúvidas dos participantes.

O prefeito explicou que a cada fase da pesquisa são testadas 900 pessoas. De acordo com os dados da quinta etapa, 32.961 pessoas estão infectadas com o novo coronavírus em Teresina. O resultado da primeira etapa, realizada há cerca de um mês, havia registrado 4.843 infectados. “É uma diferença significativa e que reforça as consequências do afrouxamento do isolamento social observados no começo de maio”, comentou Firmino.

Ainda de acordo com o prefeito, Teresina ainda não está em uma situação confortável em relação à contaminação pelo novo coronavírus. Ele justificou usando os dados do R0, que é uma média de contágios causados por cada pessoa infectada: quando ele está acima de 1, a doença tende se espalhar. “O R0 de Teresina está em 1,62, um número maior que os registrados nas duas últimas etapas da pesquisa. No mundo inteiro, as autoridades de saúde só recomendam a liberação do comércio e retorno às atividades quando o R0 está igual, ou menor, a 1. Esse é o ideal. É para isso que estamos trabalhando, para diminuir o R0 da nossa cidade, só assim poderemos respirar mais aliviados”, destacou o prefeito.

O prefeito também compartilhou levantamentos dos serviços de saúde em unidades da rede pública e privada. Firmino comenta que o crescimento do número de atendimentos a sintomas gripais já não pode ser associado apenas ao clima da cidade. “O nosso inverno acabou em abril e mesmo assim a ocorrência das síndromes gripais está crescendo no mês de maio. Isso nos leva a crer que esses sintomas podem ser realmente resultado do coronavírus”, afirmou.

Outra preocupação do prefeito está relacionada a taxa de ocupação de leitos na capital. Até o domingo, 110 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dedicados a pacientes com o coronavírus em Teresina, seja em unidades de saúde públicas ou privadas, estavam ocupados. Apenas 55 leitos estavam livres. Já nos leitos de enfermaria para Covid-19, 206 estavam ocupados e 213 livres.

O prefeito também explicou novas medidas tomadas pela Prefeitura para combater os números e cuidar mais ainda da população. Está sendo construído um anexo no Hospital de Urgências de Teresina (HUT) com 60 leitos de UTI para pacientes com a Covid-19 e foram adquiridos 70 novos respiradores para equiparem esses leitos e outros. Também foi entregue o Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi, sediado no centro de treinamento de Badminton na Universidade Federal do Piauí (UFPI), que conta com 86 leitos.

“Além disso, esta semana vamos enviar para a Câmara um projeto de lei para que possamos antecipar o feriado municipal referente ao dia Nossa Senhora da Conceição, comemorado no dia 8 de dezembro, para talvez esta sexta ou a próxima. A ideia é reforçar o isolamento, já que se observa um maior cumprimento nos feriados,” compartilhou Firmino. Ele também disse que está sendo analisada a possibilidade de se adotar rodízio de carros para diminuir o fluxo no Centro de Teresina e garantir o isolamento.

O gestor municipal também respondeu a questionamentos relacionados às barreiras sanitárias entre Teresina e Timon. “O Maranhão tem explodido o número de casos da doença, inclusive já foi determinado até lockdown. O vírus se espalha lá mais rápido do que no Piauí. Temos a pactuação com 17 municípios e vamos respeitá-la, existe solidariedade entre as cidades. Mas os pacientes deverão vir devidamente regulados pelo SUS, não de forma espontânea. O secretário de saúde do Maranhão informou que o estado tem autossuficiência em relação ao Covid-19 então não precisamos nos preocupar com isso. Vamos cuidar da nossa população”, acrescentou.

Outro questionamento está relacionado ao protocolo de tratamento dos pacientes com o novo coronavírus. Ele esclareceu que Teresina já adota um protocolo de uso de medicamentos, mas que a decisão final cabe ao médico, já que não há comprovação técnica e científica de um tratamento específico para a doença. “O medicamento existe nas UBSs, UPAs e hospitais municipais e caso o médico achar que é indicado, ele irá ministrar com todo um aparato de segurança e se o paciente estiver ciente dos riscos e aceite. A Prefeitura não pode ditar o que a população deve tomar nem o que o médico tem que prescrever. O paciente também não pode escolher o que quer tomar. A decisão é da pessoa que estudou para isso, ou seja, o médico”, disse.

O prefeito encerrou a reunião pedindo a colaboração das lideranças no combate à Covid-19. “Temos uma dívida muito grande com Teresina por ter confiado em nós para cuidar da cidade e da nossa gente, estamos trabalhando para isso. Não é uma gripezinha e muitas pessoas podem morrer se não fizermos o que é correto para preservar a vida. Peço ajuda das lideranças para que conversem com as comunidades e reforcem as orientações de higiene e do isolamento. Vamos vencer essa guerra”, finalizou