PMT e empresa responsável pela execução do Plano de Ação Climática na capital alinham desenvolvimento de ações

A Prefeitura de Teresina se reuniu de forma virtual nesta quinta-feira (07), através do Departamento Agenda 2030, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), com representantes da empresa Codex Remote, escolhida através de processo licitatório para ser responsável pela execução do diagnóstico e elaboração do Plano de Ação Climática para a realização de um diagnóstico de vulnerabilidades à mudança do clima na capital.

Durante a reunião foram alinhados pontos importantes quanto ao desenvolvimento do planejamento e a execução deste projeto, que consiste em mapear as áreas, populações e atividades potencialmente afetadas por essas mudanças, o inventário de Emissão de Gases do Efeito Estufa, permitindo o monitoramento de fontes emissoras e sumidouros.

O projeto começa a ser executando ainda neste ano de 2021 e com perspectiva parcial para o primeiro semestre de 2022. “A previsão de conclusão é para o segundo semestre do mesmo ano e procura envolver outras secretarias para uma maior abrangência resolutiva e consequentemente melhor aproveitamento de recursos e execução, pensando na melhora da população teresinense”, explica Cíntia Bartz, coordenadora da Agenda Teresina 2030.

A empresa ficará responsável pela definição dos limites do inventário e fontes de emissão de gases poluentes, além de categorizar as emissões, identificar as fontes e sumidouros, coletar dados e calcular emissões e remoções, apresentar resultados e gerenciar a qualidade e verificação do inventário.

“É importante ter em mente que este projeto é uma oportunidade para que mais ações dessa natureza ocorram dentro da gestão, englobando vários pastas administrativos da Prefeitura com o intuito de fazer um trabalho cada vez melhor para nossa capital“ finalizou Ítalo Portela, Secretário Executivo de Captação de Recursos e Monitoramento.

Prefeitura de Teresina terá Plano de Ação Climática para capital

A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação, definiu a empresa responsável pela elaboração do Plano de Ação Climática para a realização de um diagnóstico de vulnerabilidades à mudança do clima na capital.

A ação servirá para mapear as áreas, populações e atividades potencialmente afetadas por essas mudanças, o inventário de Emissão de Gases do Efeito Estufa, permitindo o monitoramento de fontes emissoras e sumidouros.
“Teresina é especialmente vulnerável à mudança climática e já vem sentindo esses efeitos ao longo das últimas décadas. A tendência é que essa temperatura suba cada vez mais e o objetivo é monitorar melhor as fontes emissoras, subsidiando políticas públicas que visam a redução dessas emissões”, explica Cíntia Bartz, coordenadora da Agenda Teresina 2030, departamento da Secretaria Municipal de Planejamento, responsável pelo projeto.

(Foto: Ascom/Semplan)

Através de processo licitatório, a empresa Codex Remote será a responsável pela execução deste diagnóstico. O valor estimado do projeto é de R$ 498.900,00, com recursos do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).  O extrato do contrato foi publicado no Diário Oficial de Teresina Nº 3.098, de hoje, 02 de setembro.

A empresa ficará responsável pela definição dos limites do inventário e fontes de emissão de gases poluentes, além de categorizar as emissões, identificar as fontes e sumidouros, coletar dados e calcular emissões e remoções, apresentar resultados e gerenciar a qualidade e verificação do inventário.