Estádio Lindolfo Monteiro acolheu 140 pessoas durante a pandemia

Foto: Renato Bezerra

Como parte do plano de enfrentamento ao novo coronavírus, o estádio Lindolfo Monteiro tornou-se lar para 140 pessoas em situação de rua ao longo dos últimos três meses. O abrigo montado pela Prefeitura de Teresina no local garante atendimento de saúde e várias ações necessárias para proteger essa parcela da população contra os riscos da pandemia da Covid-19.

“O trabalho social com pessoas em situação de rua se fortaleceu nessa pandemia. As ações já ofertadas foram ampliadas, garantindo o acolhimento 24 horas no cumprimento de medidas de proteção a esse público. Vamos garantir essas ações enquanto for necessário. De forma articulada com a FMS, temos oferecido um conjunto de ações que garantem dignidade e proteção social”, afirma Janaína Carvalho, secretária Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas. 

Com a transferência do público idoso para uma nova instituição de longa permanência no mês de junho, o espaço abriga, hoje, um total de 25 pessoas. Elas permanecem recebendo atendimento à saúde, alimentação, higiene e assistência social, além da participação em atividades socioeducativas, como roda de conversa sobre diversos temas.

O coordenador do abrigo, Édson Araújo, destaca que o trabalho assistencial será continuado para evitar o possível retorno às ruas. “Nossa equipe já trabalha com a possibilidade de tentar o restabelecimento dos vínculos familiares e uma série de outras ações para esse público”, informa.

Plano de enfrentamento à violência na pandemia é apresentado para municípios piauienses

Nesta sexta-feira (19), a secretária Municipal de Políticas para as Mulheres de Teresina, Macilane Gomes, participou de um diálogo virtual com as representantes dos Organismos de Políticas para Mulheres (OPMs) de diversos municípios do Piauí. Realizado pela Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para Mulheres do Governo do Estado, a secretária compartilhou práticas exitosas desenvolvidas pela SMPM durante o período de pandemia.

Segundo a secretária, o distanciamento social obrigatório registrou aumento exponencial nas situações de violência de gênero.  Diante desse contexto, foi necessário adequar o planejamento estratégico da SMPM para um plano emergencial denominado ‘Teresina para elas’.

“Nosso principal objetivo era de criar novas estratégias de ações que chegassem até as mulheres em situação de violência ou em risco, que neste período estão passando mais tempo com seus agressores. Assim, pensamos formas de ajudar também quem não têm acesso à tecnologia (aparelho telefônico, internet) nem dispõe de uma rede de apoio. Para isso, estamos fazendo uma ampla divulgação dos meios disponíveis para denúncias, orientações nos diversos canais de comunicação como rádios, redes sociais, TVs e dentre outros”, pontua Macilane.

Outra atividade bastante importante executada a partir desse período de distanciamento social foi o acompanhamento da Guarda Maria da Penha às mulheres em situação de violência doméstica e familiar. “Inicialmente, serão acompanhadas pela Guarda o total de 57 mulheres do Centro de Referência Esperança Garcia (CREG).Todas tiveram a decisão judicial de medida protetiva homologada antes do período de isolamento”, esclarece a secretária.

Para a representante da OPM de Cocal de Telha, Ronnycleyde Oliveira, o compartilhamento de informações e do plano estratégico de Teresina é bastante relevante, pois além das práticas já desenvolvidas no município para esse enfrentamento à violência contra a mulher, o novo aprendizado abre a visão para a realização de novas práticas.

“Em nossa cidade já desenvolvemos o projeto ‘Você não está Sozinha’, que além de trabalhar o empoderamento dessa mulher, trabalha também o encorajamento a denúncia. Mas algumas das experiências como a expansão dos canais de comunicação, já desenvolvidas na capital, devem ser também brevemente aplicadas por nós”, afirma Ronnycleyde Oliveira.

Na oportunidade participaram do encontro virtual, representantes de Organismos de Políticas para Mulheres (OPMs), dos municípios de Pedro II, Sussuapara, Cocal de Telha, São Raimundo Nonato e São João do Piauí.