Psiquiatra orienta como manter a saúde mental durante a pandemia

A crise gerada pela Covid-19 tem um forte impacto na vida das pessoas, com mudanças bruscas no dia a dia que afetam também a saúde mental. Para discutir este assunto, o prefeito Firmino Filho conversou com o psiquiatra Luciano Luz em live no Instagram nesta segunda-feira (04).

Durante a conversa, o prefeito questionou o motivo de muitas pessoas não cumprirem o isolamento social, apesar de ser uma medida essencial para conter a contaminação pelo novo coronavírus. O especialista explicou que a negação, um dos mecanismos de defesa do indivíduo, blinda o organismo no primeiro momento. “Só após a negação, é que o indivíduo segue para a contemplação, fase em que ele passa a acreditar que aquilo realmente existe. Mas, infelizmente, algumas pessoas só reagem mediante a concretude da coisa”, acrescentou o especialista.

No final do mês de abril, Teresina apresentou um dos piores índices de isolamento social, quando 43% da população ficou em casa. A estatística pode ter relação com uma reação comum entre as pessoas, que estão sempre buscando alguma recompensa. “Nosso cérebro é movido à novidade, socialização e busca por entretenimento, e para driblar a sensação de estar privado de liberdade, o indivíduo começar a burlar o confinamento. Isso não é linear, porque trabalhamos com recompensas. Assim que conquistamos o que queremos, ficamos satisfeitos”, disse.

Segundo o psiquiatra, neste período de quarentena, as pessoas transitam por momentos em que ficam mais deprimidas, ansiosas e mais irritadas. Para enfrentar essa situação, é importante que elas não se prendam apenas à pandemia, para que não desenvolvam um pensamento obsessivo. “É preciso lidar com outras coisas, se distrair, extrair o que a pessoa tem de criatividade e fazer uma reflexão sobre o que pretende executar depois da pandemia. E, o mais importante, acreditar que com o isolamento, isso logo vai acabar. Vamos instigar a esperança, mas todos precisam contribuir”, ressalta o médico.

O psiquiatra disse ainda que é necessário estar preparado para o período pós pandemia, onde haverá mais pessoas doentes e ainda o agravamento daquelas que já estavam em tratamento. “Teremos um grande aumento nos casos de depressão, nos níveis de ansiedade e teremos que enfrentar alguns desafios no tocante a pensamentos suicidas”, lamentou o médico.

O prefeito Firmino Filho frisou a importância de cuidar da saúde mental das pessoas neste período de quarentena. “Com uma nova rotina e novos hábitos, mais pessoas podem adoecer e doenças psíquicas podem se agravar, por isso é fundamental cuidar não só do corpo, mas também da mente”.

As pessoas que precisam de ajuda nesse período podem contar com três alternativas da Prefeitura de Teresina: psicólogos pelo telefone 0800 291 0084,  assistência nos sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) para pessoas com transtornos mentais graves e, ainda, o Provida, específico para atender quem tenta suicídio.

Prefeito envia para Câmara de Vereadores projeto de lei para solicitação de empréstimo

O prefeito Firmino Filho enviou para apreciação da Câmara Municipal de Teresina projeto de lei que autoriza o município de Teresina a contratar operação de crédito externo no valor de 36 milhões de euros junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), com a garantia da União. O recurso será destinado ao Teresina 2030, Programa de Desenvolvimento Integrado do Município de Teresina.

Os recursos serão destinados ao financiamento de intervenções em infraestrutura urbana, saneamento, mobilidade urbana, requalificação habitacional, meio ambiente, fortalecimento institucional e fomento ao empreendedorismo.

Na mensagem enviada ao presidente da Câmara de Vereadores é ressaltado que o município de Teresina não tem medido esforços para garantir a aplicação dos recursos públicos, buscando atender as diversas demandas nas áreas da saúde, educação, segurança, infraestrutura viária, empreendedorismo, saneamento básico, dentre outras. “Contudo, a demanda financeira é crescente e exige imprescindível busca de soluções para a consecução dos anseios sociais”, destaca o texto da mensagem.

Aluno da Rede Municipal escreve carta de incentivo ao prefeito Firmino Filho

Um aluno da Escola Municipal Professor José Camilo da Silveira Filho emocionou o prefeito Firmino Filho ao escrever uma carta agradecendo pelo trabalho que vem sendo realizando nesse momento de pandemia do novo coronavírus. Antônio Wesley Santos da Silva Pereira tem 7 anos e cursa o 2º ano do Ensino Fundamental.

Na carta que o aluno pediu para o diretor da escola, o professor Renato Silva, encaminhar ao prefeito, ele escreveu “Estou em casa e tenho uma palavra para você. Mateus 5.45, Deus abençoe a todos. Prefeito, não ligue para as críticas, pois as pedras são todas iguais, mas poucas brilham, e você é um escolhido de Deus. Por isso, brilhe muito por onde passar. Muito obrigado por lutar por cada um de nós. Não desista, Deus é contigo. Amém”. A mensagem emocionou o prefeito e o fez refletir ainda mais sobre as ações de enfrentamento a Covid-19.

Foi Tania Santos da Silva Pereira, mãe de Antônio Wesley, que encaminhou a postagem da carta para o diretor da escola, solicitando que ele fizesse chegar até o prefeito. De acordo com a mãe do aluno, a iniciativa do menino a emocionou por ser uma demonstração de carinho e atenção no momento difícil que o mundo enfrenta.

“É emocionante ver a conscientização de nossas crianças em relação ao problema que estamos passando. A carta do Antônio Wesley demonstra que as crianças têm sensibilidade nesse momento e estão apoiando todas as medidas que vem sendo adotadas”, conta Renato Silva, diretor da escola.

O prefeito Firmino Filho e toda a equipe da Prefeitura têm trabalhado muito para proteger Teresina do coronavírus. Seu empenho é reconhecido por todos. “Fiquei emocionado com a carta e quero dizer para o Antônio Wesley que continuarei empenhado com ações de enfrentamento a essa pandemia. Com vidas não podemos brincar”, conclui o prefeito.

 

 

Teresina registra sexta morte por Covid e Prefeito alerta para necessidade de isolamento

Na noite deste último domingo (19), Teresina registrou a 6° morte decorrente de complicações da Covid-19. A informação foi confirmada pelo Comitê de Operações de Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Trata-se de uma pessoa do sexo masculino, de 98 anos de idade, que não tinha doenças crônicas e estava internado em ambiente hospitalar.

Esse é o primeiro óbito em que a infecção ocorreu durante o período da quarentena em Teresina. “Considerando o período de incubação máximo da doença, que varia de 1 a 14 dias, e a data do início dos sintomas desse paciente que foi a óbito, certamente ele se infectou a partir do dia 26 de março, ou seja, durante o período da quarentena na cidade.”, afirma o médico infectologista da FMS, Kelsen Eulálio.

A Prefeitura de Teresina iniciou a quarentena na cidade no dia 21 de março, com decreto de medidas restritivas de circulação, baseada em orientações de autoridades de saúde.

O prefeito Firmino Filho lamentou a nova morte de residente de Teresina e afirmou que a curva epidemiológica da doença tende a subir na cidade. “Precisamos atingir o patamar de 73% de isolamento social, percentual recomendado para diminuir a disseminação do vírus. Se metade da população continuar desrespeitando essa medida e ficar circulando na cidade, esse número de casos confirmados e de óbitos vai aumentar nas próximas semanas.”

A diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba, alerta que, segundo a literatura científica mundial, é grande a quantidade de pessoas com Coronavírus que não apresentam sintomas. “Mesmo assim, a pessoa está infectada e é transmissora do vírus. Por isso, nem todo infectado apresenta sinais. É preciso considerar que todos estão infectados e adotar rigorosamente as medidas de prevenção”.

Em artigo sobre pandemia, Firmino diz que espera o melhor, mas se prepara para o pior

Em artigo publicado nesta quarta-feira, o prefeito Firmino Filho relatou a situação que Teresina vem enfrentando nos últimos dias por conta do novo coronavírus. O chefe do executivo municipal destacou que os efeitos da pandemia ainda são “bastante incertos”, tanto na saúde das pessoas quanto na economia e nas instituições. Segundo ele, nesse momento, enquanto gestor público, ele torce para que os problemas com a pandemia não se agravem, mas ressalta que as medidas administrativas que vem adotando têm como objetivo preparar a cidade para o Piauí cenário.

Firmino destacou que, ao mesmo tempo que é necessária a prudência na tomada de decisões, é preciso também decisões proativas. “Saindo do imobilismo e da retórica, prefeitos de todo o Brasil estão tomando medidas duras, mas necessárias, compatíveis com os cargos que ocupam. Estão exercitando a liderança de uma cidade no meio de uma quarentena global comparável às grandes guerras do século passado. Os governos locais são os mais demandados pela população. Pela proximidade, precisam garantir o atendimento às necessidades mais rápidas e às mais urgentes”, pontuou.

Em todo o mundo, mais de 100 mil pessoas já morreram vítimas do novo coronavírus. No Brasil, já passam de 1200. Estados vizinhos, como o Ceará, já registram um número significativo de pessoas contaminadas. No Piauí, são 75 casos confirmados, sendo 63 deles na nossa capital. Um vírus que já deixou cinco óbitos apenas em Teresina. Diante dos números, o prefeito destacou que, nesse momento, é necessário manter e ampliar rapidamente serviços básicos como saúde, assistência social, limpeza urbana e garantir que as medidas de isolamento social sejam efetivas.

Firmino Filho, que é vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos, revelou também a preocupação com a economia nos municípios, que estão experimentando queda nas receitas por conta da retração da atividade econômica, motivada pelo isolamento social. Ele fala do “choque de oferta e de demanda” e que, por conta disso, se espera também uma alta inadimplência em relação ao pagamento dos tributos municipais. “O efeito final ainda não está plenamente quantificado, mas é certo que será um choque bastante adverso, visto que o PIB (Produto Interno Bruto) nacional poderá encolher até 7%, segundo estimativas da revista The Economist”, contabiliza, lembrando que o déficit fiscal irá ser ampliado mundialmente.

O prefeito reiterou que, nesse momento, o Governo Federal precisa ser mais proativo no auxílio aos Estados e municípios e citou exemplos como o dos Estados Unidos onde o presidente Donald Trump lançou um pacote de USD 2,3 trilhões, quase 10% do PIB americano, para auxílio aos Estados e prefeituras de cidades com mais de 500 mil habitantes. Soma-se a isso, os recursos de um pacote extra de USD 250 bilhões que está em tramitação no Congresso Americano. “Apenas o Governo Federal pode atuar nesse momento de calamidade. Aliás, tem a obrigação de reagir ao extraordinário. E é exatamente por isso que os municípios precisam que as lideranças de Brasília demonstrem responsabilidade com sua população”, conclamou.

Ainda de acordo com o prefeito, até o momento, apenas a garantia dos recursos do FPM nos níveis de 2019 foi encaminhada pelo Palácio do Planalto. “Este fato é importante, especialmente para os municípios menores, FPM dependentes, mas insuficientes para garantir a sobrevivência dos Municípios médios e grandes, que dependem fortemente da cota-parte municipal do ICMS e da arrecadação própria, como o ISS, e que concentram nos seus territórios mais de 80% da rede de média e alta complexidade dos serviços de saúde. Além disso, 95% dos casos da COVID-19 estão em cidades com mais de 80 mil habitantes”, lembra, destacando que o que os municípios pedem ainda é que seja expandida essa equalização de receitas à arrecadação de ISS e à da Cota-Parte de ICMS. Para os Municípios, essa conta não deve passar dos R$ 30 bilhões, valor equivalente à cerca de apenas 0,4% do PIB nacional.

O prefeito finaliza o artigo destacando que não se fala em “farra fiscal” e que as medidas garantidoras da responsabilidade fiscal devem ser observadas e que elas são necessárias para o crescimento econômico sustentável a longo prazo. “No entanto, medidas de curtíssimo prazo são necessárias, sob pena de recriarmos a barbárie. O fato de se usar a escada de emergência durante o incêndio não significa que o elevador é uma tecnologia superada que tem que ser abandonada depois que o fogo foi debelado e a vida normal retomada”, compara, pedindo ainda que as pessoas permaneçam em casa para evitar prejuízos ainda maiores por conta da proliferação do vírus.

Firmino Filho participa de videoconferência com prefeitos italianos nesta quarta (15)

O prefeito Firmino Filho participa, às 11h desta quarta-feira (15), de uma videoconferência articulada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) com governantes municipais italianos. A reunião tem como objetivo promover o compartilhamento de experiências na gestão da crise do novo coronavírus. O diálogo contará com tradução consecutiva e será transmitido ao vivo por meio das redes sociais da FNP.

Além do prefeito de Teresina, que também é 2º vice-presidente da entidade, o prefeito de Campinas/SP e presidente da FNP, Jonas Donizette, participará da reunião. Pela Itália, os prefeitos de Bari, Antônio Decaro, presidente da Associação Nacional dos Municípios Italianos (ANCI), e de Bergamo, Giorgio Gori.

A Itália é o país europeu mais afetado pelo novo coronavírus e o segundo com mais mortes no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. A cidade de Bergamo reúne o maior foco do coronavírus no país. “É importante dialogar com prefeitos da Itália, que já foi o epicentro da pandemia, e ter acesso as experiências de quem já viveu ou ainda está enfrentando o pico da crise”, justificou o prefeito Firmino Filho.

Durante a videoconferência, os participantes debaterão sobre isolamento social, medidas econômicas e de assistência social aos mais vulneráveis. Segundo informações da FNP, a imprensa poderá participar do debate, enviando perguntas por whatsapp para 61 9 9655 4081.

Firmino pede apoio de vereadores e deputados para o enfrentamento ao coronavírus

“Agindo agora, vamos salvar vidas”, afirmou o prefeito Firmino Filho durante duas videoconferências realizadas na manhã desta segunda-feira (06): uma com a participação de vereadores e outra com deputados. Na oportunidade, o prefeito chamou a atenção dos parlamentares para a gravidade da pandemia, falou das estratégias traçadas pela Prefeitura de Teresina e discutiu temas como o cumprimento do isolamento social, fornecimento de leitos para o tratamento da população e a busca de recursos para o município lidar com a disseminação da doença.

Firmino respondeu aos questionamentos do parlamentares sobre ações que estão sendo desenvolvidas nas áreas da saúde, assistência social e economia e fez um apelo para que todos tenham consciência da gravidade do problema. “Precisamos alinhar o entendimento sobre essa situação e peço ajuda dos parlamentares nesse diálogo com a população. Precisamos ter senso de realidade. Temos que mostrar ao nosso povo o que nossas lideranças poderão fazer. Líderes têm que mostrar a sua capacidade de liderança. Nós não podemos nos apequenar no meio desta confusão. É fundamental que a gente ultrapasse esse período, juntos, porque o vírus ataca a todos”, afirmou.

Firmino destacou ainda a importância da destinação de emendas para auxiliar o município no enfrentamento da pandemia, com a disponibilização de recursos para a manutenção de setores da população que estejam em vulnerabilidade econômica, social e de saúde. “Devem ser cobradas ações do Ministério da Saúde no que diz respeito ao envio de EPIs, de testes, garantir ventiladores e outros recursos para enfrentarmos essa crise”, completou.

Na oportunidade, o prefeito falou sobre a crise econômica, que vem em decorrência da crise sanitária, e citou algumas das ações que a Prefeitura de Teresina está fazendo para amenizar o sofrimento da população mais carente. “Em Teresina, tem pessoas vão receber os recursos que serão liberados pelo governo federal, mas enquanto ele não chega, nós estamos fazendo a distribuição de cestas básicas, tanto para as famílias de crianças matriculadas na rede pública municipal, como também para famílias carentes que se cadastraram no programa Teresina Solidária. 10 mil cestas já foram distribuídas para estas famílias e mais 10 mil serão repassadas para trabalhadores autônomos que estão sem trabalhar”, afirmou.

O prefeito ressaltou, ainda, que a população necessita do apoio dos deputados e vereadores neste momento. “É fundamental que ultrapassemos esse período difícil, assim, dentro de um mês estaremos colhendo frutos positivos e bons resultados em relação a essa disseminação”, assegurou Firmino.

No último domingo (05), 66% dos teresinenses cumpriram o índice de isolamento social, sendo registrado um aumento de 3% comparado ao domingo anterior. “Nossa meta é atingir os 73% recomendados. A saída contra a disseminação do vírus é o isolamento social. Precisamos nos antecipar e achatar essa curva de espalhamento do vírus”, disse o prefeito.

Firmino Filho fez ainda um apelo às famílias teresinenses para que elas não viajem neste período de Semana Santa, para evitar que o vírus seja levado para o interior do Estado. “Quem vai visitar sua cidade, pode estar levando o exército inimigo, então vamos ficar em casa para que no final desta quarentena possamos sair dessa situação vivos”, finalizou.

Prefeito Firmino Filho reforça que população deve permanecer em isolamento social

O prefeito Firmino Filho reafirmou nesta sexta-feira (27) que Teresina continuará obedecendo as determinações da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre o isolamento social necessário para a contenção da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). Ele ressaltou, durante live nas suas redes sociais,  que a prioridade no momento é salvar vidas e que a suspensão de atividades não essenciais, como comércio, continua em vigor até segunda ordem.

“Enfrentaremos uma crise econômica, mas as restrições são necessárias. Sou economista e sei que podemos nos recuperar de uma recessão. Existem instrumentais para reavivar uma economia, mas os médicos não têm instrumental para ressuscitar uma vida”, enfatizou.

O prefeito também afirmou que, sobre a economia dos municípios e estados, a resposta virá do Governo Federal. “Já começaram a adotar medidas para amenizar os transtornos econômicos. Foi aprovado essa semana um auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais e autônomos, famílias que recebem Bolsa Famílias e donas de casa receberão R$ 1.200. Isso vai amenizar a recessão”, apontou.

No âmbito do município, o gestor afirmou que a Prefeitura vai ajudar as famílias dos alunos da rede municipal de ensino, que estão com aulas suspensas desde a semana passada. Na próxima semana, será iniciada a distribuição de 44 mil cestas básicas. Ele também mencionou a campanha que está sendo lançada para a arrecadação de cestas básicas destinadas para pessoas de baixa renda.

Firmino destacou ainda a importância de medidas restritivas para evitar colapso da saúde devido à COVID-19. “Ainda não há vacinas, não há cura, então a única alternativa que temos é o isolamento social. Se o vírus se propagar rapidamente, a quantidade de casos será tão grande que a rede hospitalar não vai dar conta e o sistema ficará caótico. As pessoas poderão morrer sem conseguir acessar o hospital. É o que está acontecendo na Itália, por exemplo”, lembrou.

Segundo o gestor, com o objetivo de aumentar essa capacidade da rede hospitalar para atender a demanda de pacientes, a Prefeitura está estudando possibilidade de transformar o Ginásio de Badminton da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em um hospital de campanha com 40 leitos para pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus. Além disso, a ASA (Ação Social Arquidiocesana) disponibilizou o prédio do antigo Lar da Fraternidade para instalação de mais 30 leitos.

Firmino finalizou a live reforçando o pedido para que a população continue com o isolamento social. “Precisamos continuar mantendo a população dentro de casa. Percebemos que nessa sexta-feira muita gente saiu e isso não é o que aconselhamos. Precisamos sair vivos desta crise. Se o país fizer boas escolhas, não tenho a menor dúvida de que vamos minimizar os custos econômicos e sociais dessa situação”, disse.