HUT realiza ações educativas em alusão ao Maio Amarelo

Ascom HUT

Com o intuito de sensibilizar seus pacientes, acompanhantes e servidores sobre prevenção de acidentes de trânsito, o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) realizou durante toda a manhã desta quarta-feira (14) ações educativas em alusão ao Maio Amarelo. Em parceria com a Polícia Rodoviária Federal do Piauí (PRF), Superintendência Municipal de Transportes de Trânsitos (STRANS) e Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) foram realizadas palestras e blitzen educativas, distribuição de panfletos informativos e lacinhos amarelos, símbolo da campanha.

Josélia Carvalho, assistente social do HUT, coordenou a campanha no hospital e falou da importância de se realizar ações como essa. “Por ser um hospital de urgência e emergência, nós atendemos a maior demanda de vítimas de acidentes de trânsito, não só da capital, mas também pacientes de outras cidades do estado do Piauí e Estados vizinhos. Temos uma demanda bem significativa envolvendo vítimas de acidente de trânsito, portanto ter acesso a essas informações de como prevenir, pode no futuro ajudar a diminuir esses números. Educação no trânsito é essencial e fundamental na vida de todos nós”, destacou Josélia.

Daniel Veras, inspetor da Polícia Rodoviária Federal, explicou o porquê do HUT fazer parte da campanha Maio Amarelo. “A gente sabe que mais de 80% das pessoas vítimas de acidentes de trânsito atendidas no HUT foram acidentes envolvendo motocicleta. Nossa ação é direcionada, principalmente, para esse público. Existe uma campanha mundial onde todos os órgãos se juntam, e nós da Polícia Rodoviária Federal estamos aqui para sensibilizar nossa população e contribuir para reforçar a necessidade de se obedecer as leis de trânsito”, disse o inspetor.

Samyra Motta, gerente de educação no trânsito da STRANS, explica que essas informações precisam ser repassadas para que as pessoas tenham uma postura melhor no trânsito. “Nada melhor do que estar aqui conversando com todos para que adotem uma postura melhor no trânsito e não precisem voltar aqui outra vez. Um dos fatores de riscos que a gente trabalha mais é alta velocidade, pois agravam e muito o acidente no trânsito. Outro fator preocupante é a combinação de bebida alcoólica e direção, pois a pessoa perde a noção de tempo e espaço”, explicou Samyra.

Lucas da Silva, 29 anos, trabalha como mototaxista e está internado no HUT após ter sofrido um acidente de trânsito a poucos metros de sua casa. “Eu estava saindo de casa, a poucos metros, um cara veio em minha direção e colidiu de frente comigo. Ele estava embriagado, na contramão e a moto com o farol apagado. Tive fratura exposta na perna. Já passei por cirurgia e agora é esperar ter condição de alta” disse o paciente.

No primeiro trimestre desse ano, o HUT atendeu 3.231 vítimas de acidente de trânsito, destas 2.734 foram vítimas envolvendo motocicletas, o que corresponde a 85% do total de acidentes. Os demais foram 327 atropelamentos, 136 vítimas de acidentes de carro e 34 com outros veículos. Durante todo o ano de 2018, o HUT atendeu 10.631 casos de acidentes de trânsito.

O ‘Maio Amarelo’ é uma campanha intitulada pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de reduzir os acidentes de trânsito. Este ano, em sua 6ª edição a campanha traz o tema “No trânsito, o sentido é a vida”, aprovado pelo Conselho Nacional de Trânsito e recomendado na Resolução nº 771, de 28 de fevereiro de 2019.

HUT promove evento sobre prevenção de acidentes de trabalho

Em alusão ao Dia Mundial de Segurança e Saúde (28 de abril) e ao Dia do Trabalhador (01 de maio), o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) promoveu uma palestra sobre prevenção de acidentes de trabalho e valorização da vida. A palestrante foi a psicóloga Sara Ramalho Sá, especialista em análise de comportamento aplicado e MBA em gestão estratégica de pessoas, com atuação na área clínica e empresa organizacional.

Durante o evento, Sara Ramalho destacou como algumas atitudes podem contribuir para melhorar a qualidade de vida no ambiente de trabalho. “É muito importante esse olhar da gestão no ambiente de trabalho dos seus colaboradores. Essa preocupação é essencial para melhorar a qualidade de vida dos servidores, visando inclusive a saúde mental e psicológica. A pessoa quando está bem em todos os campos da vida consegue desenvolve com muito mais qualidade seu trabalho”, ressaltou a psicóloga.

Segundo Miriam Coimbra, presidente da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), durante o mês de maio serão desenvolvidas várias ações educativas direcionadas à prevenção e saúde dos trabalhadores. “Vamos promover ações que possam contribuir para melhorar ainda mais as condições de trabalho dos nossos colaboradores. Com isso, eles estarão aptos para desenvolverem suas atribuições com mais segurança”, explicou a presidente.

Clara Leal, diretora geral do HUT, destacou a importância da realização de eventos voltados à saúde do servidor. “Estamos sempre preocupados com o bem-estar dos nossos colaboradores. São eles que tornam nosso serviço uma referência em urgência e emergência para todo o Piauí e até outros estados”, disse.

A campanha Maio Verde foi sancionada pelo prefeito Firmino Filho em fevereiro de 2018 pela Lei n°5.175 e já faz parte do calendário oficial do município. O evento foi realizado pelo HUT por meio da sua Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), em parceria com a Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema).

 

Projeto de Unidade de Saúde diminui quedas de idosos no bairro Poty Velho

 

Ascom/FMS

Com a chegada da terceira idade, aumenta a necessidade de realizar ações para prevenir quedas. Pensando nisso, a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Poty Velho desenvolveu o projeto “Cair de Maduro Só Fruta” e o Esquadrão Anti-Queda “Me Segura Se Não Eu Caio”, que conta com profissionais que visitam as casas da região para alertá-los sobre pequenas ações que os idosos e seus cuidadores podem fazer para evitar quedas.

A iniciativa, que partiu da enfermeira da UBS do Poty Velho, Nancy Loiola, já tem surtido efeito e diminuiu, naquele bairro, de 10 quedas de idosos assistidos pela Estratégia de Saúde da Família, entre janeiro a março de 2018 para 2 quedas no mesmo período em 2019. Segundo o presidente da FMS, Charles Silveira, “o projeto é uma das ações criativas e proativas de servidora. É preciso valorizar as atividades dos profissionais, que impactam na qualidade de vida da população”.

“No ano de 2014, a equipe percebeu que os idosos estavam faltando às atividades da UBS e descobriu que um dos principais motivos era queda. Para reverter à situação, desenvolvemos o projeto ‘Cair de Maduro Só Fruta’ e então realizamos reuniões e, desde o ano passado, fazemos visitas domiciliares para alertar à população sobre fatores de risco para queda, porque queremos os idosos em pé e saudáveis”, ressalta Nancy Loiola.

De acordo com a médica geriatra do Centro de Saúde Lineu Araújo, Janaína Costa Cavalcanti, os idosos apresentam algumas condições que os tornam mais vulneráveis a quedas, como fragilidade ósteo-articular, perda de massa muscular, déficits sensoriais (diminuição da acuidade visual e auditiva), uso de medicamentos, doenças neurológicas, dentre outros fatores.

“As complicações decorrentes de quedas podem impactar na qualidade de vida desses indivíduos. Como consequência, há ocorrências de fraturas, medo de cair, abandono de atividades, modificação de hábitos e imobilidade. Pode até levar a morte, que é consequência menos frequente”, finaliza a médica geriatra do Lineu Araújo.

Dicas para prevenir as quedas de idosos:

-Elimine tudo aquilo que possa ser obstáculo ou provocar escorregões dentro de casa, como fios, tapetes e outros objetos.

-Instale suportes, corrimãos e outros acessórios de segurança no banheiro, na sala, nos corredores e no quarto.

-Use sapatos com sola antiderrapante; nunca ande só de meias e substitua os chinelos que estão deformados ou frouxos.

-Instale iluminação ao longo do caminho da casa, principalmente para chegar até o banheiro.

-Evite o consumo de bebidas alcoólicas.

-Tome os medicamentos sempre no horário correto e informe o médico no caso de efeito colateral.

Restaurante Popular promove ação de prevenção à hipertensão arterial

Ascom/Semcaspi

O Restaurante Popular de Teresina recebe, nesta sexta-feira (26), ação de prevenção e combate à hipertensão arterial. O evento tem início às 11h e acontece em virtude do Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial. O objetivo é ressaltar a importância do diagnóstico e tratamento da doença.

 

A ação visa ainda orientar sobre o controle adequado por meio da dieta saudável. “Momentos como esse são fundamentais para reforçar junto à população a importância de uma alimentação equilibrada e que garanta qualidade de vida. A hipertensão arterial traz muitos problemas e o melhor é prevenir através da informação”, declara Ítalo Rodrigues, da administração do Restaurante Popular.

 

A entidade é administrada pela Semcaspi, em parceria com a Comunidade terapêutica Fazenda da Paz. São cerca de 17 profissionais envolvidos. O público-alvo do Restaurante são os trabalhadores formais e informais, desempregados, estudantes, aposentados, beneficiários de programas sociais e pessoas em situação de rua.

 

O Restaurante Popular está localizado na Rua Lisandro Nogueira, no segundo piso do Mercado Central São José, no Centro de Teresina. Está aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 11h às 14, e tem capacidade de receber 286 pessoas por vez. O valor da refeição é de R$2,50. A instituição é administrada pela Fazenda da Paz, assim também propicia a inclusão social, pois emprega egressos do tratamento terapêutico em decorrência do uso de drogas.

Maternidade do Buenos Aires disponibiliza DIU para mulheres que desejam evitar gravidez

Ascom/FMS

A maternidade do Buenos Aires, localizada na zona norte de Teresina, implantou 105  DIU’s (dispositivo intrauterino) de cobre em mulheres que desejam evitar uma gravidez, entre setembro do ano passado e março de 2019. Este método contraceptivo consiste na inserção de objeto em formato de “T” no útero da mulher e, nesse estabeleciemento, o procedimento é realizado nos períodos pós-parto e pós-aborto.

Ana Cláudia Resende, enfermeira obstetra da maternidade Buenos Aires, informa que o DIU é um método contraceptivo reversível, de boa eficácia e de longa duração (pode durar cerca de 10 anos). Ela alerta ainda para os cuidados após a sua colocação. “A mulher deve realizar exame de ultrassonografia um mês após a implantação do dispositivo e, frequentemente, fazer acompanhamento com ginecologista”, afirma.

Segundo Rosélia Sena, diretora da maternidade do Buenos Aires, a oferta do DIU na maternidade é uma estratégia que complementa as ações de saúde reprodutiva realizadas nas Unidades Básicas de Saúde da cidade. “Para ter acesso, basta que a mulher, durante atendimento na maternidade ou durante o pré-natal, manifeste interesse. Ela então receberá todas as orientações necessárias e após a colocação do DIU o acompanhamento também é garantido”, afirma.

O fluxo para ter acesso ao DIU é diferente nos casos em que as mulheres não estejam no ciclo gravídico-puerperal. “Ela pode se direcionar a uma das 90 Unidades Básicas de Saúde. Ali recebe orientações e consegue encaminhamento para ser atendida no Lineu Araújo, local que coloca o DIU de maneira planejada, em qualquer fase do ciclo menstrual, exceto se ela estiver grávida”, explica Mariluce Ferreira, diretora do Centro Lineu Araújo.

O DIU é contraindicado para mulheres com câncer de colo uterino, anormalidades uterinas; miomas que distorçam a cavidade uterina. O DIU também não pode ser inserido em vigência de infecções sexualmente transmissíveis, tais como clamídia, gonorreia e AIDS nos estágios clínicos 3 e 4; em caso de presença de infecção inflamatória pélvica, endometrite, cervicite mucopurulenta e tuberculose pélvica.

FMS disponibiliza gratuitamente outros métodos contraceptivos em Teresina

De acordo com Francisco Pádua, diretor de Atenção Básica da FMS, outros métodos contraceptivos são ofertados às mulheres na rede do SUS: “Nas Unidades Básicas de Saúde, disponibilizamos preservativos masculinos e femininos, pílula combinada, diafragma, anticoncepcional injetável, minipílula e pílula do dia seguinte. As mulheres devem buscar o médico da Unidade para escolher o método ideal para o seu perfil”, ressalta, informando que a laqueadora e vasectomia são métodos contraceptivos definitivos.

Mais de 350 mil ovos de Aedes aegypti foram eliminados este ano

Ascom FMS

Borracharias, sucatas, hortas comunitárias, cemitérios e imóveis abandonados são alguns locais com maior propensão à proliferação do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da zika, dengue e chikungunya. Por isso, a gerência de Zoonoses de Teresina realiza um trabalho específico nestes locais, onde já recolheu mais de 350 mil ovos do mosquito só em 2019.

Teresina possui atualmente mais de 1.200 locais monitorados, que são conhecidos como Pontos Estratégicos (PE) e estão em todas as regiões da cidade. Segundo a Gerência de Zoonoses, que é vinculada à Fundação Municipal de Saúde, até o dia 15 de março deste ano, 350.989 ovos foram retirados destes locais, sendo 127.638 na zona Norte; 106.695 na zona Sul; 74.934 na zona Leste e 41.722 na zona Sudeste.

Estes pontos são escolhidos pelos médicos veterinários da Gerência de Zoonoses, que coordenam um trabalho de monitoramento dos eventuais acúmulos de água e ovos do Aedes aegypti. O monitoramento é feito com o uso de armadilhas chamadas ovitrampas, que atraem a fêmea do mosquito para a postura de seus ovos. “Sabemos que a fêmea na sua fase adulta dura em torno de 42 dias, e embora ela produza ovos de uma vez a postura é feita gradualmente, então precisamos fazer o esgotamento desteS ovos toda semana”, explica a gerente Oriana Bezerra.

“Se nós considerarmos que esses ovos não se tornarão adultos, com esta ação nós retiramos de circulação uma grande quantidade de possíveis larvas e vetores na sua fase adulta”, esclarece a gerente. O trabalho é complementado com o uso de larvicida e também do UBV, que como explica Oriana Bezerra é uma máquina pulverizadora de inseticida. “Além disso, fazemos um trabalho educativo com os proprietários destes locais, com orientações e esclarecimento de dúvidas”, complementa.

População

Oriana Bezerra alerta que o trabalho da gestão pública em combater o Aedes aegypti deve contar ainda com a contribuição da população, que deve estar atenta para evitar o acúmulo de água em suas residências. “A principal arma de combate ao Aedes aegypti é a prevenção, que começa dentro das nossas casas. Atitudes corretas em nosso dia a dia são essenciais para a redução dos casos de dengue, zika e chikungunya em nossa cidade”, lembra a gerente.

FMS levou palestras educativas para mais de 7 mil empresas em 2018

Ascom FMS

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) tem o Núcleo de Educação em Saúde e Comunicação (NESC) com o objetivo de desenvolver trabalhos educativos de prevenção em saúde. O NESC visita escolas, empresas e entidades com palestras e demonstrações sobre as formas de prevenir a dengue, zika e chikungunya, infecções sexualmente transmissíveis, diarreia, dentre outras doenças. Somente em 2018, 7.489 empresas foram visitas pelo NESC FMS, que realizou palestras educativas e distribuiu matéria informativo sobre diversas doenças. Ao todo 58.912 pessoas participaram dos eventos do NESC.

“Temos uma boa programação para o fim deste mês de  março. Esta semana intensificamos o trabalho de divulgação sobre a tuberculose, pois ontem, 24, foi o Dia Mundial de Combate à essa doença. Estaremos nesta segunda-feira, 25, com quatro estandes em locais diferentes, abordando a temática tuberculose. Mercado do Dirceu, Shopping da Cidade, Nova Ceasa e auditório do CRAS Sudeste”, informa Júlia Rocha, coordenadora do NESC.

Já no dia 30, sábado, estaremos na Ponte Estaiada, de 8h às 12h, com estande realizando trabalho de educação em saúde. “Levaremos nosso estande com material informativo sobre prevenções de inúmeras doenças, distribuição de hipoclorito de sódio, preservativos”, diz Júlia.

Em 2018, o NESC FMS distribuiu 202.046 folderes sobre dengue e chikungunya, além de 79.072 cartazes com a temática. “Ao todo 16.107 pessoas visitaram nossos estandes para visualizar o mosquito Aedes aegypti no microscópio”, esclarece Júlia Rocha. Ela completa ainda que o setor NESC realiza constantemente Oficinas de Resíduos Sólidos com a comunidade. “Produzimos com a comunidade enfeites a partir de material reciclado. Um trabalho muito importante para eliminar possíveis criadouros de mosquito naqueles locais. Além da oficina aproveitamos a oportunidade para falar sobre prevenção de doenças com eles”, enfatiza.