Programa de Combate ao Tabagismo volta a funcionar de forma presencial

Os pacientes têm atendimento por cerca de um ano por uma equipe multidisciplinar com vários profissionais Fotos(Ascom/FMS)

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) desenvolve o Programa de Combate ao Tabagismo, aberto à população, com funcionamento no setor de Serviço Social do Hospital Municipal da Criança, no Parque Piauí, zona Sul de Teresina, e, desde a última semana, o serviço está sendo presencial.

Os pacientes têm atendimento por cerca de um ano por uma equipe multidisciplinar com vários profissionais: médicos, enfermeiros, assistentes sociais, nutricionista e pedagoga. “O tratamento, que dura cerca de um ano, concilia terapia em grupo e uso de medicamentos”, explica Alba Valéria Batista, coordenadora do programa.

A coordenadora comenta que o tabagismo é um grave problema de saúde pública. “A nicotina do tabaco causa dependência química similar à dependência de drogas como cocaína e é um fator que causa quase 50 diferentes doenças incapacitantes e fatais. Os malefícios do cigarro não são apenas individuais, mas também coletivos”, afirma.

Sobre o tratamento

A pessoa que procura atendimento inicia o tratamento com um encontro semanal por um mês com o objetivo de promover a cessação do tabagismo. Depois desse período, a pessoa passa a fazer parte de dois encontros, a cada quinze dias, e na fase seguinte é um encontro por mês.

Todos os encontros têm a finalidade de prevenir recaídas ou tratá-las, caso aconteçam, para que os pacientes se mantenham sem fumar.

As reuniões do programa acontecem às quintas-feiras, nos turnos da manhã, de 8h às 10h e a tarde, de 15h às 17h, de acordo com a disponibilidade do paciente. O contato para mais informações é pelos telefones 3220-4747 e 3220-5939.

Programa de combate ao tabagismo volta a funcionar de forma presencial

O tabagismo é uma doença crônica e epidêmica que causa dependência física, comportamental e psicológica. Em Teresina, a população que deseja parar de fumar tem acesso gratuitamente ao Programa de Combate ao Tabagismo, que atualmente funciona no bairro Parque Piauí.

O programa de combate ao tabagismo é realizado pelo setor de Serviço Social do Hospital Municipal da Criança, que fica no bairro Parque Piauí e conta com uma equipe multidisciplinar. “O tratamento, que dura cerca de um ano, concilia terapia em grupo e uso de medicamentos”, explica Alba Valéria Batista, coordenadora do programa.

Ao iniciar o tratamento serão realizados quatro encontros semanais no primeiro mês, com objetivo de promover a cessação do tabagismo. Em seguida são realizados dois encontros quinzenais e dez mensais, com objetivo de prevenir recaídas ou tratá-las caso aconteçam para que os pacientes se mantenham sem fumar. As reuniões do programa acontecem às quintas-feiras nos turnos da manhã de 08h às 10h e a tarde de 15h às 17h, de acordo com a disponibilidade do paciente.

Atualmente, cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o planeta são fumantes. Uma em cada dez mortes de adultos está relacionada ao tabaco. Somente no Brasil morrem cerca de 200 mil pessoas por ano por doenças relacionadas ao tabagismo. “O tabagismo é um grave problema de saúde pública. A nicotina do tabaco causa dependência química similar à dependência de drogas como cocaína e é um fator que causa quase 50 diferentes doenças incapacitantes e fatais. Os malefícios do cigarro não são apenas individuais, mas também coletivos”, afirmou Alba Valéria Batista.

Os interessados em ingressar no tratamento devem procurar a sala do serviço social do Hospital Municipal da Criança, que funciona de segunda a sexta das 07h às 18h. Eles podem ainda entrar em contato por telefone pelo número 3220-4747 ou 3220-5939.

Unidade de saúde organiza programação em alusão ao Dia Mundial sem Tabaco

O Hospital do Parque Piauí, na zona Sul de Teresina, terá uma programação especial para alertar sobre os malefícios do uso do cigarro e mostrar os resultados do Programa de Combate ao Tabagismo implantado na unidade e ativo desde 2010. A iniciativa é em alusão ao Dia Mundial sem Tabaco. O evento ocorrerá dia 31 de maio, das 9h às 11h, no auditório da unidade.

“O evento é restrito e seguiremos todos os protocolos de segurança para evitar a propagação do Coronavírus. O tabagismo é um grave problema de saúde pública. A nicotina do tabaco causa dependência química similar à dependência de drogas como cocaína e é um fator que causa quase 50 diferentes doenças incapacitantes e fatais. Os malefícios do cigarro não são apenas individuais, mas também coletivos”, afirma Gardene Lacerda, psicanalista do hospital do Parque Piauí.

Ela explica ainda que o Programa de Combate ao Tabagismo do Hospital do Parque Piauí conta com uma equipe multidisciplinar. O tratamento, que dura cerca de um ano, concilia terapia em grupo e uso de medicamentos. Os interessados em ingressar no tratamento devem dirigir-se à sala do serviço social do hospital e funciona de segunda a sexta-feira.

Confira programação do evento do dia 31/05/2021:

– Acolhida da gestora Lucifrancis Leal e equipe do programa aos pacientes
– Momento cultural
– Vivência: “Eu me comprometo agora a parar de fumar” (Drª Gardene Lacerda (Psicanalista e psicopedagoga)
– Palestra: Tabagismo e Coronavírus –  a importância de parar de fumar para uma vida saudável- Dr. Rivaldo Macedo (médico)
– Resultados do programa de tabagismo com Alba Valéria (assistente social)
– Encerramento

Programa de combate ao tabagismo realiza atendimentos on-line

O Programa Municipal de Controle e Tratamento do Tabagismo, do Hospital do Parque Piauí, continua suas atividades mesmo durante a pandemia de Covid-19. Cerca de 40 pessoas que já estavam em tratamento na unidade recebem atendimento on-line semanal. Em 10 anos de existência, o Programa já realizou 1.460 inscrições para ingresso no tratamento por demanda espontânea; desses, 61% pararam de fumar.

Os encontros presenciais dos grupos encontram-se suspensos, mas está sendo realizado acompanhamento remoto aos pacientes que já estavam em tratamento, através de grupos de whatsapp e de contatos telefônicos realizados pela equipe do programa. As turmas novas estão suspensas temporariamente, mas as inscrições continuam sendo realizadas diariamente pelo telefone 3220-4747.

“Com a chegada da pandemia, percebemos que não poderíamos parar o tratamento das pessoas que já estavam inseridas no programa, pois o nível de ansiedade nesta época é muito elevado. Nós enviamos no grupo on-line as sessões de relaxamento e eu faço atendimentos individuais no meu privado do whatsapp, onde eles podem me relatar como estão dormindo, nível de ansiedade e se tiveram alguma recaída quanto ao uso do cigarro”, explica Gardene Lacerda, que é psicopedagoga, psicanalista e terapeuta em hipnose.

Para Ana Barros, que participa do Programa Municipal de Controle e Tratamento do Tabagismo, do Hospital do Parque Piauí, o atendimento on-line é um apoio na desafiadora decisão de deixar de fumar: “Estou com sete meses e 26 dias que parei de fumar. Os agradecimentos são para muitas pessoas. Primeiro para Deus, porque parar de fumar não é fácil. Depois quero agradecer aos profissionais de saúde, que nos incentivam. Não posso esquecer da minha família, que também é parte essencial nesse processo. E digo que não é fácil,o cigarro não é companheiro de ninguém e ficar sem fumar é muito melhor. Não fumem e fiquem em casa, se sair usem máscara”, relata.