Autopoiese: Projeto 6ª às 6 faz jogo de improviso com bailarinos

Nesta sexta-feira (26), o Projeto 6ª às 6 vai apresentar a proposição “Autopoiese”, da artista Amanda Oliveira. A apresentação será às 18h, na Casa da Cultura, com entrada franca. Em sua proposição, Amanda dá ao intérprete a autonomia de criar através do improviso, experimentando, no corpo, a imagem e investigação da improvisação em dança, sendo assim um laboratório em tempo real.

“Os intérpretes irão usar a escuta, o estado de alerta e a prontidão, a eficiência, a criação de cena e a complementação de cena como ferramenta. O improviso vai ser o produto final do projeto. A ideia é que os intérpretes sejam ao mesmo tempo produtor e produto, sendo a improvisação um acontecimento que se elabora no ato.”, explica a artista.

Amanda visitou o termo “autopoiesis”, que originou-se na literatura da biologia em 1974, em um artigo publicado por Varela, Maturana e Uribe, que define os “seres vivos como sistemas que produzem continuamente a si mesmos”. Para exercer a autopoiesis, os intérpretes recorrem a cinco elementos: corpo, luz, som, acasos e escolhas.

Autopoiese é a próxima edição do Projeto 6ª às 6, do Balé da Cidade de Teresina, com o apoio da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina, que tem como objetivo propor criações, interações, debates e abrir espaço para os artistas. O projeto surgiu em 2014 e desde então, apresenta algo novo, se tornando um dos projetos mais importantes dentro da companhia.

O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Vem aproximando a dança da cidade através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada. Conta atualmente com 18 membros e é mantido pela Prefeitura Municipal de Teresina, através da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves e Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina.

“Corpo Brinquedo” é tema do Projeto 6ª às 6

Nesta sexta-feira (6), o Projeto 6ª às 6 irá apresentar a proposição “Corpo Brinquedo”, da bailarina Hellen Mesquita. Em sua proposição, Hellen vê o corpo como um brinquedo com inúmeras possibilidades e inesgotáveis maneiras de mexer e brincar.

“É a partir do corpo que conhecemos o mundo. O corpo é o nosso primeiro brinquedo, onde descobrimos o pé, as mãos, sensações, movimentos. É essa vivência inventiva, brincante”, explica Hellen.

O Projeto 6ª às 6, do Balé da Cidade, tem o apoio da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina, que propõe criações, interações, debates e abre espaço para que os artistas façam parte da dança na cidade. Além disso, o espaço é usado para a divulgação dos trabalhos feitos por essas companhias, assim como para a aproximação e a formação de público, com a apresentação de processos artísticos criados em poucos encontros e que ocupam os ambientes da Casa da Cultura.

A ideia surgiu em 2014 e de lá para cá vem se repensando e se atualizando, voltando a cada ano com algo novo, mais maduro. A primeira apresentação deste segundo semestre de 2019 será no próximo dia 6 de setembro, às 18h, na Casa da Cultura. A entrada é franca.

Sobre a Companhia

O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Seu papel tem sido aproximar a dança da cidade à população, através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada.

Conta, atualmente, com 18 membros e é mantido pela Prefeitura Municipal, através da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina. Tem direção de Chica Silva, coordenação artística de Janaína Lobo e ensaios de Carla Fonseca.