Projeto Dançando na Praça retorna nesta terça-feira (08) com duas turmas

As atividades do Projeto Dançando na Praça serão retomadas nesta terça-feira (08), no Complexo Esportivo Parentão, zona sul de Teresina. Para evitar aglomerações, as aulas serão divididas em duas turmas: a primeira é das 18h às 19h e a segunda, das 19h às 20h. A iniciativa, desenvolvida pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semel), busca levar até a população ações de lazer através da dança, promovendo saúde e qualidade de vida para quem participa.

O projeto retorna seguindo todas as recomendações e protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias para o combate à disseminação da Covid-19, como o uso obrigatório de máscaras e higienização das mãos. “Também teremos demarcações no local indicando o distanciamento entre as pessoas, e as equipes da Semel estarão presentes para orientar e organizar os participantes. Faremos ainda a medição de temperatura de todos os alunos antes da aula”, ressalta Mateus Chaves, coordenador do Dançando na Praça.

Mateus explica ainda que os professores foram capacitados para que possam ministrar aulas respeitando o espaço individual de cada aluno, de forma que o distanciamento não seja violado. “Os instrutores também vão focar em atividades simples que possam ser feitas com a máscara, sem prejudicar a resistência física dos alunos”.

Esta semana, extraordinariamente, as aulas do Dançando na Praça acontecem na terça, quinta e sexta-feira. “Nossas atividades na verdade vão acontecer toda segunda, quarta e sexta, mas por causa do feriado que caiu na segunda-feira dia 7, resolvemos mudar os dias das aulas esta semana. Manteremos um retorno gradual, com apenas três dias na semana por enquanto”, comenta.

Antes da pandemia do novo coronavírus, o projeto era executado em vários bairros da cidade, mas no momento o retorno acontecerá apenas no Lourival Parente. “Nessa primeira fase retomaremos as atividades apenas no Parentão. Posteriormente, nossa segunda fase levará o projeto aos parques ambientais de Teresina e por fim, na terceira fase, voltaremos a todos os bairros. Mas não há data definida para essas ações, por enquanto vamos apenas monitorar o retorno gradual e a partir daí decidimos os próximos passos”, destaca Mateus.

Por meio do Projeto Dançando na Praça são ofertadas, de forma gratuita, aulas de aeróbica, ginástica e dança para toda a população de Teresina. O objetivo é sensibilizar as comunidades sobre a importância da atividade física para a saúde e bem-estar, além de proporcionar lazer e maior interação entre as pessoas.

Mais de 300 homenagens são validadas no projeto Se Essa Rua Fosse Minha

O Projeto Cultural “Se Essa Rua Fosse Minha”, que homenageia pessoas comuns com nomes de vias e logradouros públicos em Teresina, chegou à sua fase final com mais de 300 nomes aprovados pela comissão especial formada para validar os nomes inscritos. Na próxima quarta-feira (26) serão sorteados locais que receberão o nome de cada homenageado.

“Ficamos satisfeitos porque houve uma grande participação dos teresinenses nesta edição, com recorde de inscrições, talvez por conta das medidas de isolamento social durante a pandemia. Agora nós vamos dar continuidade a esse projeto e prestar uma justa homenagem a essas pessoas que ajudaram a construir a história de Teresina”, afirma Jhamille Almeida, secretária executiva de planejamento urbano da Semplan.

No total, mais de 700 inscrições foram realizadas através dos sites da Semplan e da Prefeitura de Teresina, além do aplicativo Colab. Após uma primeira avaliação e exclusão de nomes repetidos ou de homenageados em anos anteriores, 470 foram encaminhados para uma comissão especial, formada por representantes de diversos órgãos ligados ao tema, como universidades, IBGE, Iphan e Câmara de Teresina.

Após os membros da comissão avaliarem a biografia dos inscritos, 334 nomes foram validados e serão homenageados em vias ou logradouros públicos da cidade. Na próxima quarta-feira será realizado um sorteio, que será transmitido online para os familiares dos homenageados, onde serão definidos quais nomes irão ser oficializados em cada via, de acordo com a zona escolhida no ato da inscrição.

Depois de cumpridas todas as etapas, a Semplan irá elaborar um Projeto de Lei que será encaminhado para a Câmara Municipal de Teresina. Com a lei aprovada, os novos nomes dos logradouros sorteados estão definitivamente oficializados.

Teresina assina projeto pioneiro para obras de drenagem por meio de PPP

Teresina foi contemplada com um projeto pioneiro no Brasil para obras de drenagem por meio de Parceria Público Privada. O contrato com o Fundo Federal de Estruturação de Projetos (FEP) foi assinado nesta quarta-feira, 05, em Brasília, pelo prefeito Firmino Filho, pela secretária especial do Programa de Parcerias e Investimentos do Governo Federal, Martha Seillier, além de representantes da Caixa Econômica Federal e prevê investimentos de R$ 3,8 milhões para a realização dos estudos e na prestação de apoio técnico. O valor será totalmente financiado pelo Governo Federal.

A proposta é que, com os estudos, a Prefeitura consiga delegar à iniciativa privada a realização dos investimentos necessários à solução do problema de drenagem urbana, antecipando benefícios à população.  A iniciativa também atribui ao parceiro privado a obrigação de operar e manter as estruturas construídas por um prazo de até 35 anos, garantindo sua plena funcionalidade.  Os estudos deverão estar concluídos em 2021, permitindo que a Prefeitura realize a licitação para contratação do parceiro privado que irá executar as obras.

“A Prefeitura de Teresina já realizou muitos investimentos para amenizar os problemas que a cidade enfrenta no período de chuvas, mas obras nessa área demandam um investimento muito grande e teríamos dificuldade de executar com recursos próprios. Agora, nossa cidade foi contemplada com esse projeto piloto no país na área de drenagem pluvial”, destacou o prefeito Firmino Filho.

O projeto de Teresina está em consonância com o Plano Diretor de Drenagem Urbana da Cidade e vai contemplar a construção das estruturas de proteção contra enchentes na parte central da cidade, localizada entre os Rios Parnaíba e Poti. Além disso, pelo menos duas microbacias que atendem os bairros de Horto, Fátima, Jóquei, Morada do Sol, São Cristóvão, Santa Isabel, Piçarreira e Campestre e Noivos também foram incluídas. Para as obras, deverão ser investidos cerca de R$ 160 milhões.

O projeto também buscará uma estruturação integrada para a gestão das águas pluviais urbanas de Teresina. Segundo a secretária municipal de Parcerias e Concessões, Monique Menezes, após ser implementado, o modelo de projeto realizado em Teresina será levado para outras cidades. “Nós vamos fazer um projeto inovador, que foi acatado pelo Governo Federal por entender que esse é um problema que não atinge só Teresina, mas todas as grandes e médias cidades do país. Nos próximos meses vamos dar início à estruturação desse projeto que trará grandes benefícios para Teresina”, ressalta.

A Prefeitura de Teresina já desenvolve parcerias com a iniciativa privada através de concessões nas áreas de abastecimento de água, esgotamento sanitário e, mais recentemente, de iluminação pública. Para os próximos meses, a expectativa é também a de implementar a concessão de manejo de resíduos sólidos urbanos.

Firmino se reúne com Rodrigo Maia para tratar de Programa Emergencial para o Transporte Coletivo

O prefeito Firmino Filho integrou o grupo de dirigentes da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) que esteve em audiência hoje (05), em Brasília, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. O objetivo do encontro era pedir apoio na aprovação do substitutivo ao Projeto de Lei 3364/2020, que trata sobre programa emergencial para o transporte coletivo e prevê a partilha de recursos entre estados e municípios para a área de mobilidade urbana.

A FNP propôs ao deputado Rodrigo Maia algumas alterações ao Projeto de Lei no sentido de contemplar mais municípios na iniciativa. Firmino é o primeiro vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos e esteve na audiência acompanhado do presidente da entidade, o prefeito Jonas Donizette, de Campinas/SP.

“Defendemos junto ao presidente da Câmara de Deputados que o Projeto de Lei atinja municípios com mais de 200 mil habitantes e não apenas para as cidades com mais de 300 mil, como está no projeto atual. Além disso, apresentamos também critérios de distribuição mais justa dos recursos”, explicou Firmino. O Projeto de Lei 3364/2020 institui o Regime Especial de Emergência para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Remetup).

A FNP defende também que o número de passageiros transportados em 2019 seja considerado na partilha dos recursos. “Esse número deve ser levado em consideração, tendo em vista que o sistema público de transporte está operando com muito menos passageiros atualmente devido às medidas de isolamento social por causa da pandemia do Coronavírus”, acrescentou Firmino.

Ainda durante o encontro com Rodrigo Maia, os prefeitos discutiram a proposta de unificação dos mínimos constitucionais de Saúde e Educação, totalizando 40%, de forma que os governantes tenham autonomia para direcionar os recursos transferidos para as áreas de maior demanda em sua localidade. Os dirigentes defenderam ainda junto ao deputado a construção de uma pauta municipalista a ser debatida ainda neste semestre.

Projeto “Se Essa Rua Fosse Minha” recebe mais de 700 inscrições

A edição de 2020 do projeto cultural “Se Essa Rua Fosse Minha” atingiu mais de 700 inscrições através dos sites e do aplicativo COLAB. A iniciativa tem como objetivo nomear ruas e logradouros públicos de Teresina em homenagem a pessoas falecidas que contribuíram de alguma forma para a cidade.

Apesar do momento de pandemia e isolamento social, a população participou ativamente do projeto. Após o encerramento das inscrições, na última sexta-feira (31), o projeto segue para a etapa de validação de cada nome dos inscritos. “Iremos iniciar uma nova etapa, com reuniões de uma comissão especial para analisar e aprovar os nomes que representem bem a cidade”, conta a secretária executiva de planejamento urbano, Jhamille Almeida.

A comissão, formada por membros de instituições de conhecimento sobre o assunto, como IBGE e IPHAN, entre outros, irá avaliar e validar os nomes inscritos que atenderem aos critérios pré-estabelecidos. Após essa fase, será realizado um sorteio para definir quais ruas ou logradouros receberão os nomes dos homenageados.

Todo o processo, desde a realização das inscrições até as reuniões da comissão especial, será feito de forma virtual, cumprindo as medidas de isolamento social. O sorteio, que normalmente ocorre na presença das famílias dos homenageados, este ano será transmitido através das redes sociais da Prefeitura de Teresina.

Após o período de inscrições, validação da comissão especial e sorteio das ruas, a Prefeitura de Teresina irá encaminhar à Câmara Municipal um projeto de lei com as denominações das novas ruas. O projeto será votado e, após aprovação, transformado em lei e publicado no Diário Oficial do Município.

 

Inscrições do Projeto “Se essa rua fosse minha” encerram nesta sexta-feira (31)

As inscrições para a edição 2020 do Projeto Cultural “Se Essa Rua Fosse Minha” estão na última semana. A iniciativa tem como objetivo nomear ruas e logradouros públicos de Teresina em homenagem a pessoas falecidas que contribuíram de alguma forma para a cidade. Quem tiver interesse em participar tem até as 14h da próxima sexta-feira (31) para efetuar a sua inscrição. Em respeito às medidas de isolamento social no combate à pandemia de Covid-19, tudo será realizado on-line.

Os interessados deverão preencher um formulário que pode ser acessado nos sites da Prefeitura de Teresina (pmt.pi.gov.br) e da SEMPLAN (semplan.teresina.pi.gov.br), além do aplicativo Colab, disponível para celulares Android e IOS. “Em meio a esta pandemia, optamos pela forma mais segura de realizar esse projeto, que é utilizando a internet. Esperamos que nesta última semana a população continue participando em peso e que muitas outras homenagens sejam feitas”, afirma o secretário municipal de Planejamento, José João Braga.

No formulário, além de informações do homenageado, são solicitados também dados de contato de quem está fazendo a inscrição e a zona do município onde deverá se localizar a rua nomeada. É importante que seja incluída uma breve biografia da pessoa que se pretende homenagear, contando um pouco de sua história e de sua contribuição para a cidade e para a comunidade em que viveu, seja através do seu trabalho, de seu envolvimento com causas para melhorar a sociedade, ou uma história de vida inspiradora, por exemplo.

Uma comissão formada por membros de instituições de conhecimento sobre o assunto, como IBGE, IPHAN, entre outros, irá avaliar e validar os nomes inscritos que atenderem aos critérios previstos. Após essa fase, será realizado um sorteio para definir quais ruas ou logradouros receberão o nome dos homenageados.

Todo o processo, desde a realização das inscrições até as reuniões da comissão especial, será feito de forma virtual, cumprindo as medidas de isolamento social. O sorteio, que normalmente ocorre na presença das famílias dos homenageados, este ano será transmitido através das redes sociais da Prefeitura de Teresina.

“O projeto Se Essa Rua Fosse Minha é de grande relevância para a cidade. Ao mesmo tempo em que estimula a participação popular no planejamento urbano, participando da nomeação dessas ruas e facilitando serviços de entregas e de prestação de serviços, homenageia pessoas comuns da cidade, mas que merecem serem reconhecidas”, completa a secretária executiva de Planejamento Urbano, Jhamille Almeida.

Após o período de inscrições, validação da comissão especial e sorteio das ruas, a Prefeitura de Teresina irá encaminhar à Câmara Municipal um projeto de lei com as denominações das novas ruas. O projeto de lei será votado e, após aprovação, transformado em lei e publicado no Diário Oficial do Município.

Projeto da Prefeitura disponibiliza R$ 1 milhão para financiar e capacitar pequenos empreendedores

A Prefeitura de Teresina vai investir R$ 1 milhão no projeto “Tecnologia comercial e criativa”, que tem como objetivo de abrir linha de crédito através do Banco Popular, além de capacitar e prestar consultoria gratuita aos pequenos empreendedores. O projeto, lançado nesta sexta-feira pelo prefeito Firmino Filho, integra as ações de seis órgãos municipais e deve beneficiar mais de 1.000 empreendedores interessados em adaptarem seus negócios diante do cenário de pandemia.

Os recursos deverão ser empregados no financiamento de equipamentos de tecnologia de informação e comunicação para possibilitar transações comerciais por meio das mídias sociais. Entre os empreendedores que serão contemplados estão clientes do Banco Popular, comerciantes do Shopping da Cidade, mulheres e servidores municipais que têm algum pequeno negócio, bem como a população em geral.

Uma das exigências para participar do projeto é que o faturamento anual de cada negócio não ultrapasse R$ 81 mil. A linha de financiamento terá condições especiais de pagamento, sendo 120 dias para o empreendedor começar a pagar e os valores podendo ser quitados em até 24 meses. “A pandemia segue impactando a nossa vida em diferentes aspectos e o setor econômico é um dos que mais tem sofrido com a queda de faturamento, principalmente os pequenos empreendedores. Pensando nisso, formatamos esse projeto como forma de apoio nesse momento”, destaca o prefeito de Teresina, Firmino Filho.

O secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Nonato Moura, ressalta a relevância deste projeto. “Os empreendedores estão tendo que se adequar abruptamente ao novo cenário imposto pela pandemia do Coronavírus. Muitos sequer tinham presença digital ou prestavam serviço de delivery. Preocupados com esta situação, unimos esforços e cada secretaria está dando sua contribuição para que possamos ajudar esses empreendedores na continuidade de suas atividades”, pondera.

Os empreendedores interessados em participar do projeto devem procurar a Semest (Secretaria Municipal de Economia Solidária). Todos serão encaminhados para as capacitações oferecidas pela Fundação Wall Ferraz.
“Após analisarmos o perfil de cada um e sua necessidade, abriremos linha de crédito via Banco Popular para capital de giro ou aquisição de equipamentos. Em seguida, a Semdec (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo) vai disponibilizar uma página na internet para que esse empreendedor possa divulgar seu negócio através do Empreende THEch”, detalha o gestor da Semest, Ricardo Bandeira, ressaltando que também apoiam o projeto a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPPM) e a Prodater.

Teresina para Elas: equipe debate auxílio habitacional para mulheres em situação de violência na capital

Em reunião virtual realizada nesta quarta-feira (01), pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM), com representantes Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Habitação (SEMDUH) e Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), foi discutida a portaria nº 86, de 1º de junho de 2020, que trata do auxílio habitacional às mulheres em situação de violência que estão convivendo com seus agressores nesse período de pandemia. O benefício tem o objetivo de favorecer o rompimento do contexto ciclo de violência e fortalecer às mulheres.

O auxílio habitacional compreende a proposta de um aluguel social, ou seja, valores em dinheiro que serão repassados às mulheres inseridas em contexto de violência, para que possam ter um suporte financeiro e consigam sair do espaço doméstico onde estão seus agressores.

Na oportunidade foi abordada também a verificação das demandas de habitação encaminhadas à SEMDUH, com base na Lei Municipal nº 5.445, de 12 de novembro de 2019, que garante às mulheres vítimas de violência doméstica prioridade nos programas habitacionais do município. Tais demandas visam beneficiar mulheres acompanhadas pelo Centro de Referência Esperança Garcia.

De acordo com a secretária municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Macilane Gomes, a viabilização dos benefícios caracteriza a política de assistência social àquelas que estão em situação de risco e vulnerabilidade.
“Precisamos trabalhar essa alternativa de autonomia, de acesso e garantia de direitos das mulheres que se encontram em situação de violência na nossa capital. Para isso, é necessário também discutir essa articulação habitacional.

Quando a mulher é atendida pela rede de enfrentamento à violência, essa mulher precisa se sentir acolhida. Com isso a gente ajuda ela a superar, reduzir, todo esse problema de complexidade que é a violência sofrida. É importante dar condições de superação a essas mulheres nesse momento”, pontua.

Segundo a assistente social da Coordenação de Planejamento, Regulação e Gestão do Trabalho da (Semcaspi), Selene Santos, a proposta de viabilização dos recursos busca articular várias ações com as políticas públicas que já estão em atuação.

“Essa proposta precisa ser discutida por outros órgãos do município, para garantir um atendimento mais amplo. Fizemos algumas anotações específicas, com orientações para o atendimento de alta e média complexidade, garantindo o sigilo e assistência de forma remota. Queremos que o projeto contemple tudo que foi proposto”, declarou Selene Santos.

As sugestões discutidas serão apresentadas ao prefeito Firmino Filho para que sejam regulamentadas em decretos oficiais.

CMEI Júlio Romão cria projeto para um São João diferente

Com o objetivo de manter a tradição das festas juninas entre os alunos, o Centro Municipal de Educação Infantil Júlio Romão está realizando o Projeto “São João do Júlio Romão: eu recito daqui, você daí”. A partir desta iniciativa, foi montada uma programação repleta de atividades pedagógicas com a temática junina, para serem desenvolvidas durante todo o mês de junho, sem que as crianças precisem sair de suas casas.

Na prática, os alunos gravarão vídeos em casa recitando quadrinhas, que são fragmentos de um poema escrito. A temática central é a situação atual que o mundo enfrenta com a pandemia do novo coronavírus.

“Queremos manter essa tradição das festas juninas com as crianças, destacando as manifestações culturais nordestinas e ainda refletir sobre o difícil momento no qual estamos. O projeto é uma forma de adequar-se à nova modalidade de ensino de aulas não presenciais, mantendo o ensino de conteúdos importantes para nossos alunos”, informou a diretora Andreia Coelho.

A ideia é promover a valorização da cultura nordestina, envolvendo elementos importantes da educação infantil, como identidade, autonomia, música, arte, matemática, linguagens oral e escrita, movimento, natureza e sociedade.