SEMDUH alerta para risco das queimadas e explica como descartar corretamente o lixo

O último quadrimestre do ano é conhecido como B-R-O Bró em Teresina devido às altas temperaturas registradas. Esse fator climático contribui para a seca do solo e da vegetação nativa, o que torna mais favorável o aumento de focos de queimadas na capital. Esse hábito surge principalmente quando as pessoas resolvem queimar seus resíduos.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH) alerta, entretanto, que, de acordo com a Lei 5073 de 2017, a queima de resíduo sólido, mato ou qualquer outro material orgânico ou inorgânico no âmbito do perímetro do Município de Teresina é proibida. Os valores das penalidades variam de R$ 1.500, a R$ 4.500.

“Essa prática, além de agredir o meio ambiente, também põe em risco a vida de munícipes e de animais.
As queimadas podem causar ainda interrupções nos serviços elétricos, pois quando realizadas próximas à rede elétrica geram danos às estruturas e cabos condutores”, explica o secretário da SEMDUH, Edmilson Ferreira.

Em casos de incêndios próximos à rede elétrica, a Equatorial Piauí deve ser acionada por meio da Central de Atendimento, no número 0800 086 0800. A Defesa Civil também cumpre importante papel na prevenção às queimadas, mantendo fiscalizações diárias contra essa prática.

A SEMDUH também atua para orientar a população sobre os lugares onde devem ser depositados seus resíduos corretamente para que não ocorra, de forma alguma, a queima desses materiais.

Nesta e em outras situações de descontrole do fogo, deve-se acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros pelo número 193. A população pode ainda colaborar informando os focos de incêndio pelos telefones da Defesa Civil: 199 e (86) 3223 7366.

Principais medidas preventivas:

– Evite acender fogueiras, principalmente próximo à rede elétrica;
– Não jogue pontas de cigarro acesas às margens de rodovias ou próximo a qualquer tipo de vegetação;
– Apague com água as cinzas de fogueiras para evitar que o vento leve as brasas para as matas e não coloque fogo em terrenos baldios ou lixões;
– Não acenda velas e fogueiras próximo à vegetação mais seca;
– Não faça queimadas para limpar pastagens ou plantio agrícola;
– Realize os aceiros (faixas ao longo de divisas, cercas e áreas de vegetação nativa livres de vegetação) para a segurança da área – quando em período de estiagem ou com a queimada programada. Evita-se, assim, queimadas descontroladas ou incêndios.

Forma correta de descarte de lixo:

Ponto de Recolhimento de Resíduos (PRRs): Distribuídos por todas as zonas da cidade os contêineres na cor laranja são para colocar restos de material de construção e/ou reformas (limitado a 1 metro cúbico ou uma carroceria pequena), móveis usados e podas de árvores.

Atualmente, a Prefeitura de Teresina disponibiliza 55 PRRs, mas enfrenta problemas quanto ao uso indevido dos containers. “Muitas vezes, a pessoa coloca o lixo do lado do PRR, ao invés de colocar dentro. Também é comum jogarem lixo doméstico e animais mortos, o que não é permitido. Ao lado de cada container tem uma placa explicando as regras, mas as pessoas teimam em não obedecer”, lamenta o secretário Edmilson Ferreira.

Postos de Entrega Voluntária (PEVs): Existem 21 PEVs em Teresina, também distribuídos em todas as zonas da cidade, especialmente em praças. São lixeiras coloridas que armazenam material reciclável: vidro, metal, papel e plásticos. Nesses PEVs há um funcionário da limpeza pública para orientar a população sobre a forma correta de armazenar esses materiais, além disso, todos os materiais estão listados na própria lixeira. Quando há mais de 50 quilos de material reciclável a ser recolhido, a Prefeitura busca esse material sem custos, basta ligar e agendar o recolhimento. A coleta gratuita de material reciclável também acontece rotineiramente em condomínios e empresas.

Coleta domiciliar: Em dias alternados, os caminhões da coleta domiciliar recolhem os sacos de lixo em toda a cidade. Os resíduos devem ser armazenados em sacos plásticos resistentes, devidamente amarrados. Caso contenha material cortante, é necessário colocar esse material dentro de uma caixa de papelão e fechar a caixa com fita, para garantir a segurança das equipes de limpeza.

Campanha educativa alerta para os perigos das queimadas em Teresina

Angela Gomes e Naisis Castelo Branco em palestra sobre os perigos das queimadas descontroladas Fotos(Ascom/Semam)

O segundo semestre, em Teresina e por vários municípios do Piauí, apresenta alguns fatores climáticos ainda mais áridos como a seca do solo e da vegetação, baixas umidades e altas temperaturas, o chamado B-R-O Bró, que, juntos, acabam contribuindo para o aumento do número de focos de queimadas.

A legislação brasileira prevê e autoriza a prática das queimadas controladas para fins de produção agropastoris e de pesquisa científica e tecnológica. Para isso, é necessária a autorização do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama). No entanto, de acordo com a Embrapa, quando descontroladas, as queimadas passam a ser caracterizadas como incêndios. Essa já é uma realidade em Teresina.

O Núcleo de Educação Ambiental, NEA, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), segue com a campanha educativa iniciada em 2021, alertando sobre os riscos das queimadas sem planejamento e dos incêndios nesta época de vegetação mais seca. Gerente do NEA, a professora Naisis Castelo Branco tem realizado palestras em escolas, como a que fez na Escola Municipal Piripiri, na Cerâmica Cil, Distrito Industrial da capital.

“Nosso encontro de hoje faz parte do projeto Teresina Contra Queimadas, uma continuação da campanha ‘Fogo Pra Quê? Essa Queimada Não Precisa Acontecer’, do ano passado. Nosso objetivo é alcançar todo tipo de público. E o que pode ser melhor do que jovens estudantes, ávidos por conhecimento e abertos para a nova agenda do planeta, que é a da sustentabilidade?”, destacou Naisis, ao lado de Ângela Gomes e Iza Mata, também do NEA. A próxima escola a receber a palestra é a mais nova instituição particular da cidade, a Great International School.

Vários prejuízos

Sem as medidas de segurança necessárias, as queimadas podem ocasionar, inclusive, interrupções nos serviços elétricos, já que, quando realizadas próximas à rede elétrica, geram danos às estruturas e cabos condutores.
Executivo de Estudos Operacionais da Equatorial, Abraão Galeno aponta os prejuízos que as queimadas podem trazer para os clientes da empresa. “O calor oriundo da queimada pode danificar cabos e postes, prejudicando o fornecimento de energia. Quando a rede elétrica é atingida, são necessárias manutenções mais complexas, o que demanda um tempo maior para a recomposição do sistema elétrico”, frisou Galeno.

Em casos de incêndios próximos à rede elétrica, a Equatorial Piauí deve ser acionada por meio da Central de Atendimento no número 0800 086 0800. A Defesa Civil também cumpre importante papel na prevenção às queimadas, mantendo fiscalizações para orientar a população sobre os lugares onde devem ser depositados os sacos de lixo, coletados, em média, três vezes por semana pela Prefeitura e sobre o risco de deixar resíduos em via pública, que podem virar combustível para incêndios.

A Lei de Municipal nº 5073, de 8 setembro de 2017, descreve em seu Artigo 1º, que é proibida a queima de resíduo sólido, mato ou qualquer outro material orgânico ou inorgânico no âmbito do perímetro do Município de Teresina. Os valores das penalidades variam de R$1 500, a R$4 500.

Nesta e em outras situações de descontrole do fogo, deve-se acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros pelo número 193. A população pode ainda colaborar informando os possíveis focos de incêndios pelos telefones da Defesa Civil: 199 e (86) 3223 7366.

As principais medidas preventivas:

-Evite acender fogueiras, principalmente próximo a rede elétrica;
-Não jogue pontas de cigarro acesas às margens de rodovias ou próximo a qualquer tipo de vegetação;
-Apague com água as cinzas de fogueiras para evitar que o vento leve as brasas para as matas e não coloque fogo em terrenos baldios ou lixões;
-Não acenda velas e fogueiras próximo à vegetação mais seca;
– Não faça queimadas para limpar pastagens ou plantio agrícola;
-Realizar os aceiros (faixas ao longo de divisas, cercas e áreas de vegetação nativa livres de vegetação) para a segurança da área – quando em período de estiagem ou com a queimada programada. Evita-se, assim, queimadas descontroladas ou incêndios.

Angela Gomes, Iza Mata e Naisis Castelo Branco, do NEA, são recebidas pela diretora da Escola Municipal Piripiri

Defesa Civil registra queimada na zona Rural de Teresina

Queimada registrada no Povoado Santa Luz de Cima Fotos(Ascom/Semdef)

Na manhã desta quarta-feira (24), a Defesa Civil Municipal (SEMDEF) esteve no povoado Santa Luz de Cima, zona Rural de Teresina. Através de uma notificação registrada pelo 199, foram registradas queimadas provocadas pelos moradores.

As queimadas, práticas criminosas, são proibidas por Lei Municipal e causam danos ao meio ambiente e a população da região.

“Há uma preocupação da Defesa Civil, pois no povoado existem crianças com problemas respiratórios, idosos causando assim prejuízos à saúde dos moradores. Diante disso, notificamos a Secretaria do Meio Ambiente (SEMAM) para as devidas providências”, afirmou o gerente de operações da SEMDEF, Marcos Rolf.

Com isso, a Defesa Civil alerta sobre o perigo das queimadas, em especial nessa época do ano. No caso de ocorrências, a população pode colaborar informando os possíveis focos, através do telefone da Defesa Civil 199 (ligação gratuita) ou pelo (86) 3223-7366.

Defesa Civil orienta como evitar queimadas na zona Rural

A ação tem como objetivo a conscientização e prevenção sobre queimadas Fotos(Ascom/Semdef)

Nesse domingo (21), a Defesa Civil Municipal (SEMDEF), em parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMAM), promoveram uma ação educativa no Assentamento 17 de abril, localidade da Chapadinha Sul, zona Rural de Teresina.

A ação, que tem como objetivo a conscientização e prevenção sobre queimadas, foi ministrada pelo bombeiro civil, Érico Nunes, com apoio do Núcleo de Educação Ambiental da SEMAM, onde foi reforçada a importância de não usar o fogo como agente de limpeza em qualquer que seja o local como, por exemplo, para renovar a pastagem.

“Entre os principais fatores que contribuem para a incidência de queimadas estão a queima de lixo, bitucas de cigarro no chão, e descarte incorreto de garrafas, por exemplo, que quando descartadas em vegetação seca, passa pelo processo de combustão ocasionando o fogo”, destacou o instrutor Érico Nunes.

Na oportunidade, a secretária da Meio Ambiente, Elisabeth Sá e o secretário da Defesa, Civil Carlos Ribeiro, destacaram que, mesmo com as chuvas ocorrentes nos últimos meses, a população deve ficar alerta quanto às queimadas e distribuíram kits de Equipamentos de Proteção Individual – EPI para ajuda-los em casos de queimadas.

No caso de ocorrências, a população pode colaborar informando os possíveis focos, através do telefone da Defesa Civil 199 (ligação gratuita) ou pelo (86) 3223-7366.

PMT e SEMAM vão doar kits de combate a incêndios durante campanha contra queimadas em assentamento da zona Rural

A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMAM), vai doar kits de combate a incêndios como uma das ações efetivas da campanha contra as queimadas.

No domingo (21), a partir das 9h, o prefeito Dr. Pessoa, acompanhado da secretária do Meio Ambiente, Elisabeth Sá, irão visitar o assentamento 17 de abril, na chapadinha Sul, zona Rural da capital.

O local foi o primeiro a se destacar com ações permanentes e inovadoras no combate a incêndios, conseguindo reduzir os focos após a realização do curso de brigadistas promovido em parceria com a Defesa Civil Municipal.

“Ao longo do ano realizamos diversas ações educacionais dentro da Campanha contra as Queimadas. Agora vamos ‘premiar’ as que mais se destacaram no combate aos incêndios. Essa campanha foi um pedido do nosso prefeito que agora vai doar equipamentos de proteção individual para auxiliar o trabalho dentro da comunidade, como capacetes, luvas, bombas e abafadores”, destacou a secretária.

Campanha contra queimadas já beneficiou 10 localidades

Ao todo já foram visitadas 10 localidades nas zonas urbana e rural de Teresina. Comunidades, assentamentos, escolas e povoados já receberam a visita de técnicos da SEMAM, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros e IBAMA que promoveram palestras e ações educacionais.

“Esse momento vai fortalecer as ações de proteção e preservação do Meio Ambiente, principalmente nos meses mais quentes do ano. Todos os EPI’s serão doados gratuitamente pela Prefeitura às comunidades. Vamos intensificar ainda as palestras com informações para amplificar nossa mensagem em toda cidade. É importante que as pessoas entendam que provocar queimadas é crime ambiental,” alertou a gerente de educação ambiental, Naisis Castelo Branco.

Foto: Divulgação (SEMAM)

Campanha contra as Queimadas chega ao assentamento Nova Esperança e orienta moradores

Fotos: Ascom/Semam

O seu Antônio vive da roça, é produtor rural e sabe bem os perigos que uma queimada descontrolada pode causar em sua comunidade. Ele, que é o presidente da Associação de moradores do assentamento Nova Esperança, localizado as margens da BR-343, foi um dos anfitriões que fez questão de ressaltar a importância do trabalho de educação ambiental que vem sendo realizado em toda zona rural de Teresina através da Campanha contra as Queimadas.

“Estamos aqui hoje para aprender mais sobre os perigos que o fogo pode causar em nossas roças e em nossas casas. Peço aqui a atenção de todos para esse problema perigoso que atinge a nossa comunidade”, alertou o morador Antônio Alves.

A prática das queimadas é comum na zona rural. A queimada é uma técnica muito antiga e foi herdada pelos índios. O fogo era usado para eliminar restos de cultura e de exploração florestal, renovar pastos e para eliminar pragas e doenças agropecuárias.

“Mas o que de fato acontece é que o fogo empobrece o solo, causa desertificação a longo prazo e ainda pode acarretar incêndios descontrolados e matar a biodiversidade animal e vegetal. A campanha que estamos desenvolvendo quer chamar atenção pra isso. Educar para preservar, esse é o objetivo”, explicou Juliana Campelo, do Núcleo de Educação Ambiental da SEMAM.
Oficina de Compostagem ajuda moradores a repensarem o Meio Ambiente  

Entre as ações desenvolvidas no assentamento que fazem parte da campanha, a oficina de compostagem foi que mais chamou atenção dos moradores. Técnicos do NEA ensinaram sobre a prática da compostagem e seus benefícios: transformando resíduos orgânicos em adubo de qualidade para o solo e as plantas.

“Falamos sobre a prática da compostagem e seus vários benefícios: transformação de resíduos orgânicos em adubo de qualidade para o solo e as plantações; produção de biofertilizante, que deixa as plantações mais resistentes a pragas etc. (SIC) Ações como essas ajudam as pessoas a repensarem suas ações relacionadas ao Meio Ambiente. Queremos exatamente isso, fazer com que práticas antigas sejam substituídas por novas que protegem e preservam nosso Meio Ambiente”, pontuou a técnica do NEA.

Fotos: Ascom/Semam

Fotos: Ascom/Semam

Fotos: Ascom/Semam

 

Campanha contra as queimadas leva informação e oficinas de combate a incêndio para as comunidades rurais

A comunidade Árvores Verdes, na zona rural de Teresina, foi mais um povoado da região a receber as ações educativas da Campanha contra as Queimadas, idealizada pela Prefeitura de Teresina e realizada através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) em parceria com a Defesa Civil Municipal.

Os moradores participaram de uma oficina de combate a incêndios, ministrada pelo gerente de Defesa Civil Municipal, Marcos Rolf e de uma palestra preventiva sobre Queimadas com a participação do Núcleo de Educação Ambiental da SEMAM.

“Precisamos chegar a cada vez mais comunidades. A nossa ideia é promover a educação ambiental junto aos moradores e mostrar o quanto o fogo pode ser perigoso para eles e para suas casas. Com ações como essa conseguimos minimizar os impactos ambientais que podem ser causados pelas Queimadas”, destacou Naisis Castelo Branco, gerente do NEA.

Teresina contra as Queimadas: Tocar fogo é crime Ambiental!

A campanha contra as Queimadas esse ano vem com o tema: “Fogo pra que? Essa Queimada não precisa acontecer.” O projeto “Teresina contra as Queimadas” chega para alertar as pessoas que tocar fogo é crime ambiental e as consequências podem ser devastadoras.

“A campanha foi um pedido pessoal do nosso prefeito Dr. Pessoa. Montamos uma equipe na Secretaria do Meio Ambiente com outros parceiros para chegarmos a cada vez mais pessoas com nossas ações educativas. As comunidades que desenvolvem ações que evitem as Queimadas serão ainda beneficiadas com vários outros incentivos”, explicou a secretária Elisabeth Sá.

Levar informação e incentivar as pessoas a evitar as Queimadas é o objetivo da campanha. “Tocar fogo, além de ser um crime ambiental, coloca muitas vidas em risco. Por isso lançamos o Teresina contra as Queimadas, apague esse perigo. O fogo mata, a fumaça também.”, alerta.

Foto: Divulgação (Semam)

Prefeitura de Teresina e SEMAM iniciam ações educativas para lançamento de campanha contra as queimadas

O trabalho de conscientização dentro das comunidades chega a um momento onde quase mil focos de queimadas já foram registrados no Piauí Fotos(Ascom/Semam)

Os povoados Alegria e a Chapadinha Sul foram as primeiras localidades da zona Rural de Teresina a receberem a visita de uma equipe de técnicos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) e da Defesa Civil com ações educativas que darão início a campanha contra as queimadas.

O trabalho de conscientização dentro das comunidades chega a um momento onde quase mil focos de queimadas já foram registrados no Piauí, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e PrevFogo Ibama, antes mesmo do período mais quente do ano.

“Precisamos falar sobre essa prática que ainda permanece em muitas propriedades rurais. O fogo mata não só a vegetação, mas também animais que muitas vezes já estão em extinção. Levar o conhecimento até essas pessoas é o objetivo da campanha que vamos lançar e uma preocupação do nosso prefeito Dr. Pessoa”, explicou a secretária de Meio Ambiente, Elisabeth Sá.

Durante toda a manhã, especialistas alertaram sobre os perigos e cuidados que devem ser tomados quanto aos incêndios. Orientações de como fazer a roça de forma segura, sem agredir o meio ambiente, também foram temas junto aos moradores que têm propriedades rurais.

“Eu fico muito feliz em poder fazer parte disso porque precisamos chegar a cada vez mais pessoas. O que queremos é chamar atenção e alertar sobre esse problema que sempre existiu, mas que precisa acabar. Precisamos trabalhar juntos e unir esforços para, pelo menos, minimizar os estragos que podem ser causados pelo fogo”, finalizou Marcos Rolf, gerente da Defesa Civil Municipal.

Programa educacional da Prefeitura de Teresina vence Olimpíada Brasileira de Satélites

Foi da Rede Municipal de Ensino de Teresina o projeto campeão da 1ª Olimpíada Brasileira de Satélites do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). A equipe do Programa Cidade Olímpica Educacional construiu um protótipo de sistema com inteligência artificial para detectar queimadas e desmatamento ilegal no território brasileiro. A proposta levou o 1º lugar na categoria Satélites e Inteligência Artificial no Desafio da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

O time de Teresina foi formado por quatro alunos de escolas municipais, liderados pelo professor Edwar D. Montenegro, todos componentes do programa desenvolvido pela Prefeitura de Teresina para aprofundar os conhecimentos dos alunos em disciplinas específicas. A turma é famosa por subir no pódio em diversas competições de conhecimento.

Os alunos ficaram, ainda, com o 3º lugar da categoria Contos de Ficção Científica. O feito é da turma de Língua Portuguesa, liderada pelos professores Orlando e Carlos André.

Além do reconhecimento nacional, como prêmio o grupo ganhou material para construir um satélite de verdade. De acordo com Valdete Silva, coordenadora do Cidade Olímpica Educacional, o satélite deve compor o planetário que será construído em breve na capital.

“Essa foi uma das nossas maiores conquistas, principalmente por desbancar estados brasileiros com avançado desenvolvimento tecnológico. Foram seis dias de imersão total em pesquisas e desafios”, conta Valdete.

Para a aluna Marillia Lurylenne, a dedicação levou à vitória. “Estou muito orgulhasa de mim e da minha equipe, trabalhamos juntos, tudo minimamente planejado. Felicidade é o que nos define nesse momento, mostra que somos capazes disso e de muito mais”, declarou.

Defesa Civil leva palestra abordando controle e combate às queimadas ao povoado Chapadinha Sul

A Defesa Civil Municipal de Teresina realizou nesta terça-feira (20)encontro educacional junto à população do assentamento 17 de Abril, localizado no povoado Chapadinha Sul. Durante a ação, articulada em parceria com o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) Sul II, Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR), Guarda Municipal e a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), foi abordado o uso do fogo e o controle e combate às queimadas.

“A Defesa Civil, através de seus agentes, tem ministrado palestras nas comunidades, principalmente na zona rural, onde estamos levando uma conscientização a respeito do uso do fogo e a prevenção das queimadas”, explica o coordenador, Tenente Antônio Linhares. “Tentamos conscientizar as pessoas através da palestra para que evitem estar ateando fogo em lixo e vegetação, principalmente nesse período, quando a temperatura está muito elevada, a umidade do ar baixa e a vegetação muito seca”.

O momento contou com um público de 56 pessoas e foi sediado pelo espaço a céu aberto da Unidade Escolar Lucas Meireles Alves. O uso da máscara se fez obrigatório por todos os presentes, em prevenção ao contágio do Covid-19.

“Orientamos que deixem para queimar roça, que é uma agricultura de subsistência que culturalmente já se faz há muito tempo aqui na nossa região, após as primeiras chuvas e de maneira controlada. Já fizemos várias ações como essa nas comunidades e continuaremos até o final do período de estiagem”, pontua Linhares.

A população pode entrar em contato com a Defesa Civil gratuitamente através do telefone 153 ou através de oficio encaminhado à sua sede, localizada no prédio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).