Cerca de 31 mil metros quadrados de calçamento são recuperados na zona Leste de Teresina

Recuperar o bem público também faz parte do trabalho da Prefeitura de Teresina, com o objetivo de melhorar ainda mais a mobilidade urbana da cidade. Em 2019, a equipe de obras da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste (SDU Leste) recuperou aproximadamente 31 mil metros quadrados de calçamento que não estavam em boas condições. As obras tiveram o investimento de R$ 1.898.070,89.

O trabalho de recuperação de pavimentação, segundo informações da Superintendência, contempla os serviços de drenagens, canteiros centrais, passeios, obras de contenção e serviços em geral.

No ano passado (2018), foram recuperados 30 mil metros quadrados de calçamentos, somando investimentos no valor de R$ 1.405.070, 89. “Temos que levar em consideração que a cidade cresceu e o poder municipal procura acompanhar esse crescimento, sem deixar de pensar nos aspectos da mobilidade urbana a favor da população”, explicou o superintendente João Pádua.

O período chuvoso se aproxima e, com ele, as ações da SDU também serão intensificadas. De acordo com Ângelo Cavalcante, superintendente executivo da Superintendência, a SDU tem a preocupação de verificar e atender todas as demandas de forma célere e efetiva. “Estamos atentos para verificar os anseios dos moradores e agir de forma efetiva na recuperação dos calçamentos. Nosso maior objetivo é levar uma melhor qualidade de vida aos moradores, por meio do aprimoramento da mobilidade urbana”, ressaltou.

Para solicitar os serviços de reparo ou recuperação da SDU, além de colaborar com o trabalho da Prefeitura, a população pode usar os números (086) 3215-7875 e (086) 3215-7874, com funcionamento de segunda a sexta, das 7h30 às 13h30. “É importante que a população também possa nos ajudar. Caso o calçamento da sua rua esteja danificado, é só nos comunicar via telefone, ou requerimento, pelo aplicativo Colab. Quando identificado um problema, acionamos os responsáveis para saná-lo”, concluiu o executivo.

Atos de vandalismo em áreas públicas da zona Sudeste causam prejuízos de R$ 70 mil

De janeiro a agosto deste ano, a SDU Sudeste investiu R$ 70 mil na recuperação de áreas públicas devido a ação de vandalismo. Os estragos são danos em lixeiras, calçadas e até em obras recentemente inauguradas. Pichações e furtos de cabos de energias também são cada vez mais frequentes.

A depredação e furtos de luminárias e cabos elétricos ocorrem, principalmente, em áreas onde há pouca trafegabilidade e no período noturno, quando se tornam vulneráveis.

Além do prejuízo causado para a Prefeitura, a ação de vândalos afeta atividades desenvolvidas nos espaços públicos no período da noite pelos moradores da região.

“É difícil controlar os atos de vandalismo e furtos. Pedimos que a população nos avise sempre ao perceber este tipo de ação. Essa prática custa caro ao contribuinte e é importante que o cidadão denuncie”, disse o superintendente executivo da SDU Sudeste, Isaac Meneses.

Evandro Hidd, superintendente da SDU Sudeste, explicou que investimentos para renovar os equipamentos danificados, causam prejuízos consideráveis para o orçamento municipal. “Toda vez que nós somos obrigados a investir em recuperação, por conta do vandalismo, deixamos de investir em outros equipamentos. Hoje está acima de R$ 70 mil de investimento, de retrabalho, em função do vandalismo na cidade. A gente sabe que essa conta pode crescer até o final do ano, infelizmente, mas nós não vamos descansar”, garantiu Hidd.

O superintendente alerta ainda que os recorrentes casos de vandalismo descaracterizam a cidade. “É uma situação muito complexa, um prejuízo financeiro, moral e comportamental em termos de sociedade. É um reflexo da falta de respeito com espaço público e o próximo”, finalizou.

PMT investe R$ 1,4 milhões na recuperação e manutenção de áreas e vias públicas na zona Sudeste

Ascom/SDU Sudeste

A Prefeitura de Teresina tem intensificado os investimentos em manutenções preventivas e corretivas de áreas públicas, tanto de infraestrutura quanto de edificações de uso comum da população. De acordo com dados divulgados pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste (SDU Sudeste), de janeiro até setembro de 2019, o órgão investiu aproximadamente R$ 1,4 milhões, oriundos de recursos próprios, em contratos ativos para execução de obras relativas da região.

Foram executados aproximadamente 40 mil metros quadrados de recuperação de pavimento, sarjetas e canaletas. Para realizar esse trabalho, segundo o superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, existem empresas previamente contratadas para atuar na manutenção e recuperação de várias demandas na região, principalmente pavimentação. Elas são chamadas de ‘zonais’, porque a região é subdividida em zonas e cada empresa tem sua área de atuação. O trabalho de recuperação e manutenção contempla ainda os serviços de drenagens, melhoria nos canteiros centrais, passeios, obras de contenção e serviços em geral.

“Há uma preocupação em atender todas as demandas de forma objetiva e rápida para causar o menor transtorno possível à população. Quando recebemos a solicitação da comunidade para reposição do pavimento são adotadas as medidas necessárias de forma programada, para que o reparo seja feito de imediato”, ressalta o superintendente.

São vários os exemplos de ações que estão sendo executadas pelas zonais na região: recuperação da galeria na Vila Andaraí, reposição de calçamento na Vila Verde, Vila Araguaia, Deus Proverá, reposição de sarjeta no Dirceu 1 e outros.

A SDU Sudeste ressalta a importância da colaboração da população apontando os locais que necessitem de recuperação no pavimento. A população pode ir diretamente à SDU, ou através do Colab.re, aplicativo para celular utilizado pelo município para solicitações e/ou reclamações.

Para ajudar no trabalho da SDU com reclamações, sugestões e informações, a população pode usar os números (86) 3215-7855 ou 3215-7856. O horário de funcionamento do órgão é de 7h30 às 13h30, de segunda a sexta-feira.

SDU Sudeste investe cerca de R$3 milhões em ações de manutenção e recuperação de espaços públicos

De acordo com dados divulgados pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste (SDU Sudeste), atualmente o órgão possui o valor de aproximadamente R$ 3 milhões, oriundos de Recursos Próprios, em contratos ativos para execução de obras relativas da região. Os investimentos correspondem a manutenções preventivas e corretivas de áreas públicas, tanto de infraestrutura quanto de edificações de uso comum da população.

A população pode, ainda, fazer solicitações de reparos através do aplicativo Colab, como detalha o Superintendente Executivo da SDU Sudeste, Isaac Meneses.

“Para atender as demandas  vindas da comunidade relativas a reparos diversos, a Prefeitura de Teresina disponibiliza o aplicativo Colab. Ele é a principal ponte entre o munícipe e o poder público. Por meio de uma gestão participativa, o cidadão envia informações com fotos sobre problemas, como a exemplo do buraco em vias, e nós disponibilizamos uma equipe para avaliar a situação no local. Esse tipo de solicitação também é possível de ser realizada presencialmente na sede da SDU Sudeste”, comenta.

O Superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, explica que essas medidas beneficiam diretamente o dia a dia dos moradores da região.

“Esses contrato atendem a necessidades relativas em curto prazo dentro dos bairros e comunidades locais. São ações que impactam diretamente na vida diária da nossa população. E para a execução de todas essas medidas, a SDU Sudeste possui  cerca de R$ 3 milhões em contratos ativos”, enfatiza.

 

SDU Sul recupera ruas e galerias em Teresina

Para recuperar ruas e galerias danificadas, principalmente pela força das águas neste período de chuvas, a Prefeitura de Teresina está utilizando um orçamento de aproximadamente R$ 500 mil.

Para realizar esse trabalho, segundo explica o superintendente Executivo da SDU Sul, Paulo Roberto, existem empresas previamente contratadas para atuar na manutenção e recuperação de várias demandas na região. “Nós chamamos de ‘zonais’ justamente porque a região é subdividida zonas e cada empresa tem sua área de atuação. Na zona Sul, por exemplo, são cinco”, explicou.

Ainda de acordo com o superintendente, essas demandas são colocadas normalmente pelos próprios moradores que fazem a solicitação, por associações de moradores e lideranças comunitário ou através do aplicativo Colab.re, onde qualquer pessoa pode fazer a reclamação. “Todos os dias também estamos andando nos bairros da zona Sul e sempre que encontramos alguma demanda encaminhamos para a programação das zonais”, destacou.

Além dessas zonais para recuperação de ruas e galerias, existe ainda outra exclusiva para manutenção de praças e de prédios públicos.

São vários os exemplos de ações que atualmente estão sendo executadas pelas zonais na região: recuperação de galeria na Rua Santa Efigênia, no bairro Santa Luzia; galeria na Vila Costa Rica, bueiros e bocas de lobo nas avenidas Henry Wall de Carvalho e Miguel Rosa; trecho na Rua 1 no Parque dos Sonhos (Angelim); três canaletas no Parque São Jorge; boca de lobo na Avenida Higino Cunha; recuperação de trecho da Avenida Celso Pinheiro, entre outros.

SEMDUH intensifica recuperação das ruas da cidade

Na última semana, a recuperação do asfalto de diversos trechos da capital está sendo uma das prioridades da Prefeitura de Teresina. Para isso, a Semduh (Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação) dobrou o número de equipes trabalhando, inclusive nos fins de semana. Com a redução das chuvas, foi possível intensificar os serviços de reparos das vias públicas asfaltadas.

Nesta terça (09) e quarta-feira (10) os reparos de buracos acontecem na Estrada da Boa Hora (Norte), Estrada da Alegria (Zona Sul) e na Rua Dr. Josué de Moura Santos, no acesso à ponte do Mocambinho (Zona Norte). “Essas atividades são parte dos serviços de monitoramento da Prefeitura de Teresina para amenizar os transtornos causados a população, especialmente em época de chuvas”, ressalta o coordenador de Asfalto da Semduh, Daniel Pereira.

A população pode colaborar com esses serviços através do aplicativo COLAB, enviando fotos e a localização exata dos pontos que precisam de limpeza e reparos. O Colab está disponível para celulares Android e IOS.

Serão contemplados os trechos:

– Av. Castelo do Piauí (Norte)

– Av. Leônidas Melo (Sul)

– Entorno da UPA Satélite (Sul)

– Av. Zequinha Freire (Leste)

– Av. Dom Severino (Leste)

– Av. Raul Lopes

– Av. Cajuína

– Ufpi

– Av. Caçapava e Anita Ferraz

– Av. Alameda Parnaíba

– Rua Azar Chaib

– Av. Nicanor Barreto

– Rua Murilo Braga com Barão de Gurgueia

Alça da ponte Wall Ferraz é interditada para recuperação

Ascom SDU Sul

Em virtude do aumento das águas do Rio Poti, decorrência das fortes chuvas nos últimos dias na capital, a alça da Ponte Wall Ferraz foi interditada pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste (SDU Leste), que faz uma nova avaliação do local para dar início aos reparos necessários.

O órgão municipal está agindo por meio dos profissionais técnicos da Gerência de Obras e Serviços, em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH).

De acordo com o superintendente executivo da SDU Leste, engenheiro Ângelo Cavalcante, o trecho interditado já está recebendo o preenchimento superficial de asfalto pela SEMDUH. “Os serviços que estão sendo executados pela SEMDUH tem o intuito de evitar com que as águas infiltrem no local e piorem a situação. Paralelo a isso, manteremos a parte isolada por segurança”, explicou.

Posteriormente, quando as águas do rio baixarem, a SDU Leste fará uma intervenção, recuperando o local fissurado, que sofreu erosão, para fazer uma recuperação na base do aterro. “Pelo que analisamos, a estrutura da ponte não apresenta risco. Entretanto, estamos monitorando periodicamente. Após esse período de atuação da SEMDUH executaremos os serviços de recuperação da base para resolver o problema de forma definitiva”, completou.