Mais um aluno egresso da Rede Municipal de Teresina se forma na Escola do Teatro Bolshoi

José Marcelo, 17 anos, é mais um novo bailarino profissional descoberto em uma escola municipal de Teresina e formado na Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Essa foi a 14ª formatura de Dança Clássica da única filial do Teatro Bolshoi de Moscou, entregando 21 novos bailarinos com certificados de profissionais da dança.

Crédito das fotos: Arquivo da Escola Bolshoi

A turma de formandos é composta por jovens de todo o Brasil e de outros três países, que enfrentaram o desafio de morar em uma nova cidade, Joinville (SC), longe da família, com uma rotina regrada e muito esforço para manter a bolsa de estudos.
Um deles é o piauiense José Marcelo, selecionado para fazer parte do projeto quando ainda era estudante da Escola Municipal Velho Monge, aos 9 anos de idade. Em 2013, o menino embarcou para uma nova vida em Santa Catarina, onde aprendeu muito mais que dança. Agora formado, agradece o apoio que teve durante todos esses anos.

“Aprendi a ter maturidade e disciplina, essa oportunidade abriu as portas do mundo para mim. Só tenho a agradecer todos que me apoiaram nessa caminhada, inclusive a Secretaria Municipal de Educação (Semec), que nos manteve com a parceria e me ajudou a chegar até aqui”, declarou o bailarino.

José Marcelo é o sexto aluno oriundo de escola municipal e formado pelo Bolshoi. Seguindo os passos dos colegas, que logo foram contratados por companhias de balé ou são professores de dança, José Marcelo foi convidado para compor a Companhia Jovem da Escola Bolshoi logo após sua formatura.

Amparo Veloso, responsável por acompanhar o projeto na Semec, vibrou com a formatura do menino. “Ele é exemplo de determinação e força, enfrentou muitos obstáculos, mas chegou onde está porque sempre quis ser um grande bailarino. Toda a equipe de Teresina ficou muito feliz com essa conquista”, disse Amparo, que faz questão de acompanhar a carreira profissional de cada bailarino formado.

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil

A Escola do Teatro Bolshoi no Brasil é a única filial do Teatro Bolshoi de Moscou e tem transformado vidas de crianças e jovens. A sua missão é formar artistas cidadãos, promovendo e difundindo a arte e educação. Seus 214 alunos, vindos de 21 Estados do Brasil, em sua maioria, provenientes dos estratos menos favorecidos da sociedade, recebem gratuitamente estudo e benefícios que garantem uma formação de excelência, e proporciona um futuro mais digno.

A Escola é uma instituição, com personalidade jurídica, de direito privado, sem fins lucrativos, que tem apoio da Prefeitura Municipal de Joinville, do Governo do Estado de Santa Catarina e dos chamados “Amigos do Bolshoi”, empresas e pessoas físicas socialmente responsáveis que apoiam o projeto através de serviços prestados e patrocínios não incentivados ou incentivados por leis de incentivo a cultura municipal, estadual e federal.

Semec orienta diretores escolares sobre formato de aulas em 2022

Os diretores das unidades de ensino da Rede Municipal de Teresina participaram, nesta quarta-feira (19), de um encontro no Centro de Formação Odilon Nunes para conhecerem as orientações pedagógicas do ano letivo de 2022. O documento elaborado pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) traz novidades sobre o formato adotado para as aulas.

Em razão das medidas sanitárias contra a disseminação do coronavírus, as aulas ainda não voltarão a ser 100% presencial, mas este ano todos os alunos estarão na escola em sistema de rodízio. Em 2021, apenas as turmas do 2º, 5º e 9º ano estavam em revezamento nas aulas presenciais, além de pequenos grupos que necessitavam de atendimento especial.

“A principal novidade é a presença de todos os alunos na escola, mas divididos em dois grupos, em um calendário organizado. Metade do quantitativo de estudantes matriculados estará em sala de aula por vez, garantindo um maior distanciamento e mais segurança nessa retomada gradual”, explica a gerente de Gestão Escolar, Ivanilde Oliveira.

Durante o encontro de gestores, também foram discutidos aspectos importantes para o início do ano letivo, marcado para 7 de fevereiro. Avaliação, formação de professores e acompanhamento escolar entraram em pauta, com espaço para sanar as dúvidas dos diretores.

O secretário executivo de Ensino da Semec, Kleytton dos Santos, informou que a rede contará com novos professores e estagiários antes do início das aulas. Também explicou o processo de matrículas das crianças do berçário e maternal. “Nos organizamos para atender todas as demandas das unidades de ensino o quanto antes, garantindo um início de ano letivo tranquilo, com alunos matriculados e professores em sala de aula. Por isso, estamos liberando a abertura de novas turmas apenas com a certeza do professor. Já começamos a enviar novos profissionais para as escolas, e aquelas que tiverem com tudo pronto, podem começar a atender esse público. A oficialização do período de matrícula para berçário e maternal será no dia 21 de janeiro”, destaca o professor Kleytton.

Encontros pedagógicos nas escolas

Para receber bem os alunos e planejar as ações de 2022, as equipes escolares farão seus encontros pedagógicos nos dias 2 e 3 de fevereiro. Durante a reunião de gestores, a Semec passou sugestões para esse momento. “É quando a escola se organiza para o início das aulas, os diretores podem explicar todas as orientações pedagógicas e os professores se preparam para receber os alunos da melhor forma possível. Estamos com boas expectativas para 2022”, finaliza Ivanilde.

Fotos: Ascom Semec

Rede Municipal de Teresina passa a contar com 15 novas unidades de ensino de tempo integral

O ano letivo de 2022 vai começar com uma novidade na Rede Municipal de Teresina: serão 15 novas unidades de ensino de tempo integral. O secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso, deu boas-vindas aos gestores das novas escolas em um encontro no Centro de Formação Odilon Nunes, nesta segunda-feira (10).

A reunião foi para apresentação dos diretores e para que conheçam melhor a rotina de unidades com jornada estendida. São seis escolas de Ensino Fundamental e mais nove Centros Municipais de Educação Infantil. Entre esses as três unidades de ensino inauguradas no ano passado, nas zonas leste, norte e sul.

O secretário Nouga Cardoso disse que a expectativa é de que seja mais uma experiência exitosa para a educação de Teresina. “Sabemos que o tempo integral amplia as possibilidades de vivências e permite uma formação mais completa. Os jovens saem mais preparados para as próximas etapas acadêmicas e o próprio mercado de trabalho”, disse. Na oportunidade, o secretário anunciou a reforma e construção de novas unidades de ensino este ano.

O secretário executivo de Ensino, Kleytton dos Santos ressalta a ampliação do tempo integral para a zona rural de Teresina “Essas famílias também precisam saber que estão trabalhando fora o dia todo, mas seus filhos estão na escola, aproveitando para aprender mais. Fico especialmente feliz em saber que podemos contar com gestores competentes para essa missão, o que nos traz boas perspectivas neste ano”, declarou.

Regina Amorim, coordenadora das Escolas de Tempo Integral da Secretaria Municipal de Educação (Semec), destaca que a palavra chave é acolhimento, já que as crianças passarão mais tempo na escola. “Nosso trabalho inicialmente é para que os alunos sintam esse pertencimento, que consigamos aproveitar o tempo com qualidade, explorando os diferenciais que o tempo integral nos permite”, explicou, apontando a diversidade de ações planejadas para essa modalidade em 2022.

Confira as unidades de ensino de tempo integral em 2022

Escola Municipal Profa. Ana Vitória Carvalho Santos
Escola Municipal Santa Clara
Escola Municipal Santa Fé
Escola Municipal Laurindo de Castro
Escola Municipal Conselheiro Saraiva
Escola Municipal O. G. Rego de Carvalho
CMEI Dom Miguel Fenelon Câmara
CMEI Noé Cerqueira Fortes
CMEI Prof. Roberto Gonçalves de Freitas
CMEI João Batista Brito de Melo
CMEI Profa. Osmarina Moura Bezerra
CMEI Profa. Noélia Maranhão da Costa e Silva
CMEI Santa Teresinha
CMEI Eduardo Henrique Accioly Campos
CMEI Jonas Pereira da Silva

Fotos: Ascom Semec

Coordenação pedagógica da Rede Municipal de Teresina apresenta novidades para 2022

Os pedagogos da Rede Municipal de Ensino de Teresina estiveram reunidos no auditório do Centro de Formação Odilon Nunes, nesta quinta-feira (16), para dialogar sobre a proposta de trabalho desses profissionais para o ano letivo de 2022. A Secretaria Municipal de Educação (Semec) está reorganizando a Coordenação Pedagógica para trazer novidades na área.

Cerca de 270 coordenadores pedagógicos das unidades de ensino participaram do encontro e estão animados com as propostas. A secretária executiva de Gestão, Edileusa Sampaio, e a gerente de Ensino Fundamental, Geane Melo, destacaram a importância de estruturar o fazer pedagógico em uma lógica de qualificar o ensino da Rede.

Quem assume a missão como coordenadora é a experiente pedagoga Silvia Valéria. Entre as principais ações para 2022, ela anuncia a sistematização da formação continuada para os coordenadores pedagógicos. “Até então tínhamos formações específicas, agora teremos algo contínuo, todos os meses, para um melhor planejamento das ações e troca de experiências entre os nossos profissionais, criando uma rede bem estruturada nas nossas escolas”, concluiu Silvia.

Fotos: Ascom Semec

Rede Municipal de Teresina aprimora estudos para reformulação do currículo da Educação Infantil

O grupo responsável pela reformulação do currículo da Educação Infantil da Rede Municipal de Teresina retomou as atividades este ano, após um ano parado devido à pandemia, e agora amplia os estudos na área. Nesta segunda-feira (6), apresentou aos técnicos da Secretaria Municipal de Educação (Semec) e representantes de escolas o documento base pensado para as crianças matriculadas nos Centros Municipais de Educação Infantil.

A minuta usa como norte as diretrizes já utilizadas pela Rede Municipal, mas agora é orientada pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que padroniza direitos de aprendizagem e campos de experiência.

De acordo com Carmem Portela, membro da equipe de reformulação da Semec, técnicos da Secretaria, professores, diretores e coordenadores pedagógicos estão sendo convidados a contribuir nos próximos passos desse processo. “Nosso objetivo é que seja algo plural, com nosso olhar, baseado na realidade do nosso público. Por isso compartilhamos os estudos que iniciamos em 2019 e já está sistematizado, buscando apoio para ampliar esses estudos”, explica Carmem Portela.

Entre as novidades, estão cadernos especiais por faixa etária, incluindo para os bebês. O próximo passo são oficinas pedagógicas para troca de ideias e até a análise de um especialista externo. Por fim, uma consulta pública abrirá espaço para contribuições da comunidade. “Queremos que seja um documento de qualidade, com um novo olhar para a realidade no município. A ideia é começar a aplicar em 2022”, finaliza Carmem.

Fotos: Ascom Semec

Professor da Rede Municipal de Teresina lança livro com base no Cordão Grupo de Dança

O professor de educação física e coreógrafo Roberto Freitas acaba de lançar o livro da sua dissertação de mestrado, que destaca a trajetória do Cordão Grupo de Dança, coletivo formado por alunos e ex-alunos da Escola Municipal João Porfírio de Lima Cordão.

Roberto Freitas é professor da Rede Municipal de Teresina e montou o grupo, em 2005, nas aulas de educação física da escola. O objetivo inicial era incentivar as crianças a movimentar o corpo e se perceberem enquanto sujeitos únicos. Porém, o grupo cresceu e passou a colecionar prêmios em festivais de dança, inclusive fora do país.

Em seu trabalho no mestrado, Roberto cartografou o Corpo~Cordão. O livro foi publicado a partir da aprovação em edital público lançado pelo Conselho Regional de Educação Física, compondo o Selo Acadêmico. O professor usou como base narrativas de vida de jovens dançantes, mergulhando nos atravessamentos de cada trajetória. Nos agradecimentos, destacou o apoio da Secretaria Municipal de Educação (Semec) em seus projetos.

“O livro vem de uma pesquisa cartográfica, mapeando algumas conexões da trajetória de vida de jovens dançantes, membros do Corpo~Cordão, considerando que tais conexões atuaram como provocadoras de outros caminhos possíveis para a vida daqueles jovens, criando possibilidades e, no caso desse corpo, afirmando a vida como obra de arte”, explicou o autor.

Para acessar o livro: 2021 1 Corpo_Cordão e-book

Aulas na Rede Municipal de Teresina começam nesta quarta-feira (04) de forma remota

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) já anunciou que vai retomar em agosto parte das aulas presenciais, mas esse formato não será implementado de início. A volta às aulas na Rede Municipal, marcada para esta quarta-feira (04), ainda será 100% de forma remota, com atividades transmitidas pela TV e nas plataformas online.

Somente nas semanas seguintes, grupos de alunos começam a se revezar para frequentar as escolas presencialmente. A outra metade continua em casa. De acordo com a Semec, o novo formato vai contemplar inicialmente alunos do 1º, 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental.

Durante o período que vai do início das aulas remotas até a chegada do primeiro grupo de estudantes presencialmente, as escolas passam por um processo de organização total. Os professores estarão reunidos para decidir quais adequações são necessárias de acordo com cada realidade. “Os pais também poderão visitar as unidades de ensino para conferir as intervenções e optar pelo formato de aula que os filhos participarão”, declarou o secretário municipal de Ensino da Semec, Kleytton dos Santos.

As unidades de ensino seguirão as diretrizes elaboradas pela Semec e aprovadas pelos órgãos de saúde sanitária. Além de materiais como dispensers de álcool 70%, tapetes sanitizantes e equipamentos de proteção de individual, as equipes escolares estão organizando formas de receber bem os alunos.

“Preparamos as salas de aula para que fiquem bastante arejadas, com distanciamento entre as carteiras e um pequeno número de alunos realmente na escola. Não abriremos mão da segurança, mas é imprescindível minimizar os prejuízos educacionais causados por tanto tempo fisicamente longe da escola”, finaliza a diretora Dilza Soares, da Escola Municipal Padre Ângello Imperialli.

Semec e Vigilância Sanitária alinham estratégias para retorno das aulas presenciais na Rede Municipal de Teresina

As aulas presenciais nas escolas municipais de Teresina devem ser retomadas no segundo semestre do ano. Para isso, a Prefeitura de Teresina organizou com a Secretaria Municipal de Educação (Semec) um Comitê Intersetorial Municipal de Gerenciamento das Ações Educacionais. Esta semana, o grupo esteve reunido com a equipe da Vigilância Sanitária para apresentar o protocolo de segurança sanitária montado para um retorno seguro.

Foto: Semec

O protocolo faz parte das diretrizes gerais, que incluem intervenções físicas na estrutura das unidades de ensino, campanha informativa e uma série de normas para manter o distanciamento entre a comunidade escolar. A rotina acadêmica voltará com restrições para evitar a disseminação do coronavírus.

De acordo com a Semec, as aulas serão retomadas no formato híbrido em agosto, presencialmente apenas com as turmas de 2º, 5º e 9º ano do ensino fundamental. A liberação das demais turmas está condicionada aos números de casos de Covid-19 em Teresina e aprovação da Vigilância Sanitária.

Durante o encontro de articulação para colocar em prática o plano de retorno gradual, foram organizadas visitas técnicas da equipe de inspeção da Vigilância Sanitária às escolas. As unidades de ensino devem se enquadrar no protocolo higienicosanitário definido pelo órgão.

“As escolas já estão passando por esse processo de adequação para cumprir as medidas de biossegurança, em parceria com o Conselho Municipal de Educação e os órgãos de saúde”, conta Ilhiane Rossy, assessora técnica da Semec e membro do Comitê Intersetorial. “Além disso, há todo um preparo para ações de acolhimento socioemocional contínuo dos alunos e professores, busca ativa dos estudantes e orientações para funcionários, pais e alunos sobre as diretrizes gerais a seguir”, completou.

A gerente de Vigilância Sanitária do município, Larisse Portela, destaca que as escolas devem seguir as medidas estabelecidas no Decreto Estadual com protocolo específico para o setor educacional. Entre os critérios para a liberação das aulas estão distanciamento entre as carteiras, uso obrigatório de máscara por alunos e funcionários, disponibilização de álcool 70% e correta e frequente higienização, bem como desinfecção, dos ambientes, mobílias e utensílios.

“A Semec nos entregou um plano de ação de retorno às aulas presenciais da rede pública municipal de ensino muito bem elaborado, levando em conta todos os protocolos publicados. Assim já pudemos alinhar as estratégias”, concluiu Larisse.

Rede Municipal de Teresina começa a exibir aulas na TV

Quatro canais de TV locais começaram a exibir nesta segunda-feira (21) as aulas da Rede Municipal de Teresina. Cerca de 70 mil alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental acompanharão as aulas gravadas por professores da Rede e distribuídas em uma programação durante todo o dia.

O recurso deve ampliar o acesso dos alunos ao conteúdo programado pela Secretaria Municipal de Educação (Semec). Segundo o secretário, professor Nouga Cardoso, mesmo com a previsão de retorno das atividades presenciais no segundo semestre do ano, as aulas na TV são um caminho importante para garantir a participação de mais alunos.

“Ampliamos então o leque de possibilidades de acesso, com os canais de TV, a internet e as atividades impressas. No próximo semestre, o retorno será gradual, no formato híbrido, então os alunos que continuarão em casa podem acompanhar as aulas por um desses meios”, afirma o professor Nouga.

Os recursos citados pelo secretário estão interligados e se complementam no Projeto A Escola em Minha Casa, com uma plataforma própria, hospedada no site da Semec. Uma das novidades é que o próprio aluno pode registrar sua frequência nas aulas da TV por meio do aplicativo MobiFamilia, com uma foto.

Para a diretora da Escola Municipal Angelim, Karla Patrícia Santos, as aulas na TV e a integração das ferramentas ajudarão a contemplar mais alunos. Ela aproveitou o primeiro dia do conteúdo televisivo para mandar aos pais um vídeo explicando os novos procedimentos.

“Ficamos muito felizes com essa iniciativa, porque a maioria dos nossos alunos são de baixa renda e não possuem acesso à internet, mas é muito difícil uma casa não ter uma TV. Cerca de 50% dos alunos busca as atividades impressas na escola. As aulas na TV darão suporte para que consigam fazer os exercícios impressos, já que o conteúdo é todo interligado. Além disso, vamos acompanhar a frequência por meio do novo formato de registro na plataforma MobFamilia”, conclui a gestora.

Foto: Ascom Semec