Pesquisa aponta queda de 18,09% no número de infectados com a Covid-19 em Teresina

Raíssa Morais

O número de positivados para a Covid-19 em Teresina caiu 18,09% esta semana em relação à etapa anterior da Pesquisa de Investigação Sorológica. No período entre 18 e 20 de setembro foram identificadas 126.873 pessoas com o vírus, enquanto na sondagem realizada na 19ª fase, esse número era de 154.721. Os dados foram apresentados durante videoconferência na manhã desta quinta-feira (24) pelo prefeito Firmino Filho, que mostrou também outros indicadores de que a capital continua em tendência de queda nos atendimentos e mortes por Coronavírus.

De acordo com a sondagem, a taxa de transmissão do vírus continua a flutuar próxima ao valor 1. “O R0, que indica o índice de contágio da Covid-19, é um dado estimativo, então ele oscila naturalmente. Fazendo o cálculo matemático dos resultados observados no inquérito sorológico, tivemos o R0 de aproximadamente 1,09. Já a partir do comportamento da curva de notificações das semanas epidemiológicas, o R0 ficou em 0,97”, explicou o prefeito.

A quantidade de pessoas com o vírus identificada na sondagem é quatro vezes maior que os 28.332 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados. A cidade possui 24.994 pessoas com infecção recente, o que significa que estão com o vírus ativo e na fase de transmissão. Já quanto à infecção remota, que representa o número de imunes, a quantidade foi de 51.891.

Nesta etapa da sondagem, a zona Norte lidera o ranking de casos de Covid-19 e aparece com 33% de pessoas infectadas com o Coronavírus. Em seguida aparece a zona Sul, registrando 30% dos casos. A zona Leste representa 19% dos casos, e a zona Sudeste confirmou 17% das pessoas da região com a doença.

A faixa etária entre 25 e 34 anos foi a mais infectada com o novo Coronavírus e apresentou 23% dos casos. Em seguida aparecem as idades entre 15 a 24 anos e 0 a 14 anos, com 20% e 17% dos casos, respectivamente. A faixa etária de 35 e 44 anos registrou 16% dos casos. Já as pessoas com idade entre 45 e 54 anos representam 11% dos casos positivos para a Covid-19. A faixa etária das pessoas entre 55 e 69 anos representaram 10% dos casos positivos. Nas pessoas com idade acima de 70 anos, a pesquisa registrou 2% de casos positivados.

Durante a videoconferência, o prefeito também apresentou dados relativos à assistência médica na rede de saúde da capital. Com relação aos atendimentos a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), houve um crescimento de 23,5% se comparadas as médias móveis da etapa atual com a de 14 dias atrás. “Já vimos esse aumento antes. Observando o gráfico desse processo de queda nos atendimentos às síndromes gripais graves, podemos ver que tem altos e baixos. Mas é um dado que precisamos monitorar ao longo das próximas semanas, verificar com atenção se esse aumento é contínuo ou não,” destacou o gestor.

Segundo o levantamento, as taxas de ocupação dos leitos Covid seguem abaixo de 70%. “Mesmo com a desativação de muitos leitos Covid, ainda temos uma folga no sistema de saúde. As taxas de ocupação apresentaram um pequeno crescimento nesta etapa, mas isso se deve ao fato de estarmos desativando muitos desses leitos, convertendo-os para atendimentos de outra natureza, e não necessariamente que a demanda de pacientes com o Coronavírus tenha aumentado”, comentou Firmino.

O Painel Covid-19 também confirma uma redução no número de atendimentos por síndromes gripais e óbitos decorrentes da doença. “Quanto à evolução dos óbitos na cidade, estamos chegando no platô mínimo. A queda nos números de morte registradas continua de forma consistente. Já chegamos a ter uma média de 15 por dia, mas nossa média atual é de cerca de três óbitos diários. Continuaremos monitorando para verificar se esses dados se deterioram e, a partir daí, decidiremos nossos próximos passos, como temos feito desde o início. Mas esses resultados mostram que, até o momento, temos feito nossa retomada da melhor forma possível”, finalizou o prefeito.

Pesquisa aponta que Teresina tem 134.570 pessoas com a Covid-19

Em Teresina, o número de positivados para a Covid-19 é de 134.570 pessoas, segundo a 18ª Pesquisa de Investigação Sorológica, realizada pela Prefeitura entre 21 e 23 de agosto.  Os dados foram apresentados pelo prefeito Firmino Filho, na manhã desta quarta-feira (26), durante videoconferência com a imprensa.  O número de positivados é seis vezes maior que os 21.804 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados.

“Estamos iniciando uma nova série de pesquisa, com intervalo de duas semanas, e com uma marca diferente de teste. Isso altera os resultados e, por isso, não podemos comparar com os dados das etapas anteriores”, explicou o prefeito Firmino Filho.

De acordo com a sondagem, a cidade possui 18.248 pessoas com infecção recente, o que significa que estão com o vírus ativo e na fase de transmissão. Já quanto à infecção remota, que representa o número de imunes, a quantidade foi de 34.594.

A zona Norte aparece sem nenhum caso de positivado para a Covid-19 nesta etapa. A zona Sudeste lidera o ranking de casos e registrou 42% de pessoas infectadas com o Coronavírus. Em seguida aparece a zona Sul, com 32% dos casos. Já a zona Leste confirmou 26% das pessoas da região com a doença.

Esta etapa da sondagem não registrou casos positivados nas pessoas com idade acima de 70 anos e nas crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. A faixa etária entre 55 a 69 anos foi a mais infectada com o novo Coronavírus e apresentou 26% dos casos. Em seguida aparecem as idades entre 25 a 34 anos e 45 a 54 anos, com 21% dos casos. Por último, as faixas etárias de 15 a 24 anos e 35 a 44 anos registraram 16% dos casos positivos para a Covid-19.

O prefeito também apresentou dados relativos aos atendimentos a síndromes gripais na rede de saúde da capital. “Se observamos a média móvel da última semana, podemos ver que o número chega a ser quase a metade dos atendimentos registrados no pico da Covid-19 em Teresina. No dia 24 de agosto foram atendidas 1.513 pessoas com sintomas gripais, enquanto que lá em 30 de junho, durante o pico, foram 2.822 atendimentos. É uma queda significativa, mas 1.500 pessoas sendo atendidas com suspeita de Covid-19 em um dia é quantidade muito grande. A doença tem caído, no entanto, ainda não desapareceu. Precisamos seguir com todos os cuidados possíveis”, destacou o prefeito.

Teresina segue tendência de queda e diminui número de positivados para a Covid-19

A cidade de Teresina segue a tendência de queda no número de pessoas positivadas para a Covid-19. Dados da 16ª pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina, no período de 31 de julho a 03 de agosto, demonstram que 182.569 pessoas estão com o novo Coronavírus na capital, o que representa uma queda de 8% em relação à semana anterior, quando foram registrados 197.963 casos.

A quantidade de positivados, segundo a pesquisa, é 12 vezes maior que os 15.502 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados. De acordo com o prefeito Firmino Filho, essa subnotificação da doença tem sido cada vez menor na cidade.

“Apesar de termos ainda uma subnotificação dos casos, podemos observar que, ao longo das várias etapas da pesquisa, esse índice vem caindo de forma bastante significativa.  Quando iniciamos as sondagens, no mês de abril, o número chegou a ser 118 vezes maior e reduziu para 12. Isso pode ser explicado pelo o aumento da testagem na cidade. Só a Fundação Municipal de Saúde faz uma média de 2 mil testes por dia, sem contar o que tem sido feito pela iniciativa privada. E essa testagem nos dá um panorama sobre a situação do vírus na capital”, comentou o prefeito

A pesquisa mostrou também que quantidade de pessoas com potencial de transmitir a Covid-19 também caiu 15% quando comparada com a sondagem anterior. Agora são 10.551 de pessoas com vírus ativo, quando na semana passada foram registradas 12.454 pessoas infectantes. A cidade conta ainda com 99.976 pessoas imunes à doença. A taxa de reprodução do vírus, o R-zero, também segue abaixo de 1 e ficou em 0,85.

“Observamos que a quantidade de positivados ativos fica cada vez menor que os positivados total, e a capacidade de propagação também tem caído. Hoje a quantidade de infectados, segundo a pesquisa, está em torno de 10 mil pessoas, basicamente o que tínhamos em maio, mas naquela época tinha pouca gente imunizada e hoje esse número chega a mais de 100 mil.  E mesmo após a abertura das atividades não houve movimento contrário na queda da curva, o que é bastante positivo”, avaliou o prefeito.

Quanto à disseminação do vírus pela cidade, a zona Leste voltou a pontuar na pesquisa e apareceu com 27% dos casos nesta etapa da sondagem, na semana anterior não foi registrado nenhum positivado nesta região. A zona Sudeste apresentou uma queda nos índices, com 9% dos positivados. A zona Sul também deu uma reclinada e registrou 32% de positivados para a Covid-19. Na semana anterior essa região preocupou ao apresentar 62% dos infectados. A zona Norte também apresentou queda nos números de positivados, 27%.

No que diz respeito à faixa etária, essa semana houve um aumento significativo na quantidade de pessoas positivadas entre 35 aos 44 anos, um índice de 45%. “Essa faixa corresponde à parcela da população economicamente ativa, e que cresceu o percentual de positivados, o que nos leva a crer que tem relação com a reabertura das atividades econômicas”, explicou Firmino.

O número também cresceu entre crianças e adolescentes de 0 a 14 anos, que aparecem entre 18% dos infectados, mesmo índice registado entre as pessoas de 25 a 34 anos. Em seguida, com 9%, estão as pessoas com 15 a 24 anos e 55 a 69 anos. Os idosos maiores que 70 anos estão entre os 3% dos infectados. O dado satisfatório diz respeito às pessoas com idade entre 44 a 55 anos, que não pontuaram nesta etapa da sondagem.

“Nessas duas próximas semanas vamos continuar monitorando a situação da cidade por causa da reabertura de muitas atividades, como por exemplo, os serviços administrativos. A pesquisa do período de 14 a 16 de agosto será decisiva para revermos números, como da rede hospitalar, entre outros aspectos, para termos uma nova avaliação sobre a doença em Teresina”, disse o prefeito.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

Taxa de transmissão da Covid-19 cai em Teresina e aumenta número de pessoas imunes

O número de pessoas imunes à Covid-19 em Teresina chegou 93.230 e é maior do que o total de infectantes, que é de 20.151. Os dados foram informados pelo prefeito Firmino Filho em videoconferência com a imprensa nesta quarta-feira e são relativos aos resultados da 14ª etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada entre os dias 17 a 19 de julho. Ele ressaltou que a doença não está mais em expansão na cidade, onde a taxa de transmissão do vírus, o R-zero, está em 0,61.

A sondagem apontou que quantidade de pessoas com o vírus ativo, com potencial de transmitir a doença, caiu 35%, passando de 30.788 na semana passada para 20.151. “O percentual de positivados com doença ativa tem ficado cada vez menor, o que nos permite dizer que cada vez menos existe espaço para o vírus se espalhar na cidade”, destacou o prefeito. A quantidade total de positivados também apresentou queda de 7%. Essa semana, foram identificadas 201.768 pessoas, contra 217.163 registradas na etapa anterior da pesquisa.

Mesmo com os dados positivos nesta etapa da sondagem, o prefeito informa que a doença ainda está em um patamar elevado e que é preciso ter respeito e disciplina às regras de isolamento. “É importante ressaltar que a doença não desapareceu, embora tenhamos uma menor quantidade de casos. Ainda temos que ter muita precaução e continuar com os cuidados, especialmente porque estamos na fase de transição, reabrindo as atividades econômicas”, lembrou Firmino.

A pesquisa realizada em parceria com o Instituto Opinar faz também a amostra da distribuição do vírus pela cidade. Nesta etapa houve uma queda bastante significativa na quantidade de casos na zona Sudeste, que aparece com apenas 5% dos positivados. Em seguida, com menos casos, aparece a zona Norte, com 24%. As zonas Sul e Leste, esta semana, estão com os maiores índices, 38% e 33%, respectivamente.

Quanto à faixa etária, nesta etapa da sondagem, mais uma vez não foram registrados casos positivos entre os maiores de 70 anos. Os adultos entre 35 a 44 anos representam os mais contaminados, com 29% dos casos. Em seguida, com 19%, aparecem as pessoas com idades entre 15 a 24 anos e 25 a 34 anos. Já o adultos entre 45 a 54 anos estão entre os 14% dos positivados. As crianças e adolescentes de 0 a 14 anos aparecem entre os 10% dos casos.

“No início existia muita gente positivada entre os jovens e adultos e aumentou muito entre a população mais velha. Uma tendência interessante é que o pessoal maior de 70 anos está ficando mais protegida e não tem pontuado nas últimas pesquisas. E um detalhe interessante é que de 0 a 14 anos, como as aulas estão paralisadas e a meninada está dentro de casa, tem apenas 10% dos positivados, e não tivemos nenhum óbito nessa faixa etária”, explicou o prefeito.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

Número de pessoas com imunidade para a Covid-19 cresce em Teresina

A quantidade de pessoas positivas para a Covid-19 em Teresina cresceu na última semana, chegando a 217.673 casos, mas aumentou também quantidade daqueles que têm anticorpos para a doença. Já são 83.631 pessoas imunes ao novo Coronavírus.  Esse dado foi revelado pelo prefeito Firmino Filho durante apresentação do resultado da 13ª etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada entre os dias 11 e 13 de julho na capital.

Segundo o prefeito Firmino Filho, o dado sobre a quantidade de pessoas imunes é positivo. “Nesse último fim de semana a quantidade de pessoas com anticorpos para a Covid-19 aumentou, o que representa uma barreira para a progressão da doença”, explicou, ressaltando que a pesquisa revelou ainda que 102.744 pessoas estão na fase intermediária da infecção, ou já estão imunes ou desenvolvendo a imunidade.

Quanto ao número de pessoas com o vírus ativo, que podem transmitir a doença, houve um aumento de 14% em relação à semana passada. Nesta etapa são 30.788 infectantes contra 26.897 registrados na etapa anterior. “Mesmo com esse aumento, a quantidade de pessoas infectantes continua estável, não houve uma tendência ascendente, o que é positivo. O R0 (R-zero), que representa a taxa de transmissão, tem ficado em torno de 1 e nessa etapa ficou em 1,14. Esse aumento na circulação do vírus na cidade pode ter acontecido devido ao início do processo de reabertura das atividades econômica ou pode ter sido uma correção de rota na pesquisa. Vamos aguardar os resultados das próximas semanas etapas para fazer nova avaliação”, ressaltou o prefeito.

No que diz respeito à distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou uma queda bastante significativa na quantidade de casos na zona Leste, que aparece com apenas 3% dos positivados. Em contrapartida, a zona Sul surpreendeu com uma piora considerável nos índices, sendo 59% dos casos. A zona Sudeste também ainda preocupa, aparecendo com o segundo maior índice, 22%. A zona Norte continua apresentando uma tendência de queda e chegou a 22% nos casos positivados para o Coronavírus.

Quanto à faixa etária, nesta etapa da sondagem, não foram registrados casos positivos entre os maiores de 70 anos. Os adultos jovens com idade entre 15 a 24 anos e os adultos entre 35 a 44 anos representam, respectivamente, 22% dos positivados. “Os jovens e adultos mais maduros estão sendo mais positivados, o que nos permite afirmar que estão relaxando mais no isolamento e se contaminando mais”, disse o prefeito. Já nas faixas etárias de 25 a 34 anos, 45 a 54 anos e 55 a 69 anos as taxas de casos foram de 16%. As crianças e adolescentes de 0 a 14 anos aparecem entre os 9% dos positivados.

Ao final da apresentação da pesquisa, o prefeito ressaltou que a sondagem tem sido um importante instrumento para embasar as ações de enfrentamento à pandemia. “Vamos continuar monitorando o quadro nesse processo de reabertura das atividades econômicas e a confirmação das fases seguintes vai depender da evolução dos casos. Entendemos que os meses de julho e agosto serão de transição e que a doença vai ceder gradualmente. Esperamos que em setembro as condições sejam mais tranquilas em termo de circulação do vírus e nossa economia já tenha se recuperado”, concluiu Firmino.

Confira AQUI o resultado  da pesquisa.

Pesquisa revela que transmissão da Covid-19 em Teresina já saiu do pico

A taxa de contágio da Covid-19 em Teresina caiu esta semana e está em 0,72. O dado foi revelado pela 12ª etapa da pesquisa sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina nos dias 03 e 05 de julho na capital. A sondagem atestou também que o número de casos positivados para a doença diminuiu 6% em relação a etapa anterior: foram 156.623 confirmados, contra 167.175 casos na semana anterior. Os dados evidenciam que Teresina já saiu do momento de pico de transmissão do novo Coronavírus.

Outro dado positivo nesta etapa diz respeito à quantidade de pessoas na fase ativa e que pode transmitir a Covid-19. A pesquisa mostrou que 29.897 estão infectantes, número 28% menor que o apresentado na sondagem anterior, que foi de 37.448. A pesquisa aponta também que 57.685 estão imunes à doença e 72.041 pessoas estão na fase intermediária da infecção, ou seja, estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade.

“Esta etapa da pesquisa nos mostrou três evidências de que já saímos do momento de pico da Covid-19 em Teresina. Diminuímos o número de casos positivados para a doença, a quantidade de pessoas imunes à doença aumentou e, o mais importante, diminuímos a taxa de transmissibilidade da doença, com o R0 abaixo de 1. Portanto, podemos afirmar que já estamos em um momento de estabilidade da doença na nossa cidade, realidade bastante positiva desde que começamos a realizar a investigação sorológica da doença em Teresina”, afirmou o prefeito Firmino Filho.

Para ele, a pesquisa dessa semana mostra que Teresina avançou bem, mas que a situação ainda não é tranquila. “Para garantir que a gente saia rápido desse platô, temos que fortalecer o isolamento para que evolução da queda desses índices seja ainda maior. O interesse coletivo tem que ser colocado acima dos interesses individuais. O poder público de forma responsável coloca em primeiro lugar a vida dos teresinenses. Salvar vidas é o nosso maior compromisso, mas a população precisa colaborar também nessa missão para que a gente possa sair mais rápido desse momento”, enfatizou Firmino.

A pesquisa revela ainda que a quantidade de positivados é 21 vezes maior que os 7.466 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no domingo anterior à pesquisa.

Sobre a amostra da distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa, que é realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou que a zona Sudeste aumentou a quantidade de casos e representa 32% dos positivados. A zona Norte aparece em seguida, com 29%, e apresentou uma tendência de queda em relação a sondagem passada. A zona Sul nesta etapa da pesquisa representa 21% das pessoas positivas para a Covid-19. A zona Leste aparece com 18% dos casos.

No que diz respeito à faixa etária, as pessoas com idade entre 25 a 34 anos continuam liderando entre os positivados e representam 29% dos casos. Os jovens entre 15 e 24 anos estão logo em seguida, com 18%, bem como os adultos com idade entre 35 a 44 anos, no qual o índice de positivados está também em 18%.  Logo abaixo, com 14%, estão as crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos e os adultos com 45 a 54 anos aparecem entre os 11%. Já nas idades entre 55 a 69 a taxa está em 7%, e entre maiores de 70 anos o índice de positivados é de 4%, aumentou em relação a etapa anterior, onde esse índice tinha sido zerado.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

“Teresina atingiu platô de circulação do Coronavírus”, diz prefeito Firmino Filho

O prefeito Firmino Filho afirmou que Teresina já atingiu o platô de circulação do novo Coronavírus, de acordo com os dados da 11ª etapa da pesquisa de investigação sorológica, realizada pela Prefeitura de Teresina entre os dias 26 a 28 de junho. O resultado da sondagem apresentado nesta quarta-feira mostra também que a taxa de crescimento do vírus segue caindo, tendo chegado a 7%, e que a taxa de contágio, denominado de R0 (R-zero), continua em torno de 1.

Quanto ao número de infectados, o histórico das pesquisas mostra que o pico da Covid-19 foi entre 05 e 07 de junho, onde o número de pessoas com o vírus ativo foi de 41.340.  De lá pra cá, foi registrado o mesmo patamar de infecção ativa e, essa semana, o número de pessoas com o IgM positivo foi de 37.448. “Esses dados nos induzem a pensar que estamos dentro de um momento de platô. O R0 também vem caindo semana pós semana e estamos muito próximo de 1”, analisou o prefeito.

Durante a videoconferência com a imprensa, Firmino mostrou que, até a etapa nove o crescimento do vírus foi muito elevado e agora percebe-se uma desaceleração, com taxas cada vez menores nas últimas semanas. “Provavelmente, esse número significa o nosso pico e isso nos dá algum parâmetro para que a gente possa estimar as próximas semanas, especialmente para a tomada de decisão quanto à retomada das atividades econômicas”, disse.

O número de casos positivados nesta etapa da sondagem foi de 167.175, o que representa 29 vezes mais que os 5.856 casos confirmados oficialmente divulgados pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Desse total de positivados atestados pela pesquisa, 37.448 estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença.

O prefeito alertou que o pico de circulação do vírus não bate com o pico de internações e de óbitos, sendo necessário um esforço maior de todos para a redução dos números. “A ideia é que possamos fazer, durante todo o mês de julho, essa política de medidas mais restritivas durante os finais de semana para que possamos melhorar os nossos índices de isolamento social, dando continuidade ao nosso planejamento para a retomada das atividades de forma mais segura para a população”, destacou o prefeito, ressaltando que a Prefeitura vem fazendo sua parte e está trabalhando para aumentar a quantidade de leitos de UTI e de enfermaria.

Um dado bastante positivo nesta etapa da sondagem em relação à idade das pessoas positivadas é que os maiores de 70 anos não pontuaram e o índice ficou em 0%.  Outra faixa etária que se mostrou também com baixo índice de infecção foi a de 45 a 54 anos, com 3%.  As pessoas de 55 a 69 anos representam 8% dos positivados. Os jovens de 15 a 24 anos e as crianças e adolescente de 0 a 14 anos aparecem, respectivamente, como 18% dos casos.  Já na idade entre 25 a 34 anos esse índice sobe para 23%.  E os adultos entre 35 a 44 anos foram os mais infectados e aparecem como 31% dos positivados para a Covid-19.

A zona Norte da cidade continua com um aumento preocupante em relação ao número de pessoas positivadas para o novo Coronavírus. Nesta décima primeira etapa da pesquisa sorológica, a zona Norte aparece com 38% dos casos, na sondagem anterior esse número foi de 34%. Já a zona Sul reagiu positivamente no que diz respeito à etapas anteriores e representa agora 21% dos positivados (na sondagem anterior o índice foi de 31%). A zona Leste teve um leve aumento e aparece com 23% dos casos. A zona Sudeste segue a tendência da semana passada e o índice de positivados é de 18%.

Confira AQUI o resultado da pesquisa.

Prefeito diz que curva da Covid-19 em Teresina está próxima da estabilidade

A décima etapa da pesquisa de investigação sorológica sobre o Coronavírus em Teresina apresentou a menor taxa de crescimento da doença desde o início da sondagem, ficando em 17%. O R0 (R-zero) também apresentou certa estabilidade e está em torno de 1. Os resultados, divulgados pelo prefeito Firmino Filho nesta quarta-feira (24) durante videoconferência com a imprensa, apontam que a capital pode estar no pico ou perto de alcançar o pico da Covid-19.

Desde quando a Prefeitura de Teresina iniciou a pesquisa, em parceria com o Instituto Opinar, em 16 de abril, os índices de crescimento dos casos de Covid-19 variaram entre 31% e 91% em diferentes etapas. A maior taxa foi de 91%, identificada entre a quarta e a quinta fase da pesquisa.

“Quando iniciamos as sondagens, ainda em abril, a quantidade de casos foi só aumentando, mas vem caindo a partir da sétima etapa. Agora, tivemos a menor taxa de crescimento e isso pode ser o indício de que estamos na parte da curva que está crescendo, mas com menos intensidade. Isso pode evidenciar que estamos no pico ou perto do pico da doença”, acredita o prefeito, ressaltando que será necessário aguardar o resultado das próximas pesquisas para confirmar essa tendência.

Ele também destacou a estabilidade no número de pessoas infectantes, que estão na fase ativa da doença, e do R0 (R-zero). “Entre 5 a 7 de junho, na oitava etapa da pesquisa, houve um crescimento do IgM positivo. Eram 41.340 pessoas infectantes, que caiu para 34.594 na nona etapa e agora teve um leve crescimento na décima fase, onde tivemos 36.456 casos. Isso mostra que seguimos a mesma tendência da nona etapa, nos levando a concluir que esse IgM está estacionado. Quanto ao R0, a taxa de reprodução do vírus, nessa etapa ficou em 1,06, como se estivesse estável. São dados que nos permitem dizer que estamos flutuando, mais uma evidência de que estaríamos no pico ou próximo dele”, explicou Firmino.

A pesquisa mostrou que o número de pessoas positivadas para a Covid-19 na capital chegou a marca dos 156.623 casos, número 35 vezes maior que a quantidade de casos oficiais divulgados pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no domingo anterior à pesquisa, que é de 4.420. Desse total de positivados atestados pela pesquisa, 36.496 estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença. A sondagem aponta também que 69.188 pessoas estão na fase intermediária do vírus, ou seja, estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade, e outras 59.939 estão imunes à doença.

Sobre a amostra da distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa demonstrou que as zonas Norte e Sudeste continuam com o crescimento no número de casos. A zona Norte aparece com 33% dos casos e a zona Sudeste, com 18%. Já a zona Sul apresentou uma queda nos casos e representa 31% dos positivados. A zona Leste segue uma tendência de estabilidade no número e aparece com 18%.

Quanto à idade, a faixa etária de 25 a 34 anos continua sendo a mais infectada, com 23% dos casos. Em seguida aparecem os jovens entre 15 a 24 anos, que são 19% dos positivados. Nas crianças entre 0 a 14 anos o índice de positivados está em 17%. Logo abaixo, com 16%, estão os adultos com 35 a 44 anos. Em seguida, com 12%, aparecem as pessoas com 45 a 54 anos. Já as idades de 55 a 69 anos aparecem entre os 10% dos positivados. Os maiores de 70 anos permanecem entre os 3% dos casos atestados positivos.

“Todos esses dados nos mostram que, eventualmente, estamos próximos de sair desse pico e nossa capacidade de responder à crise estará bem posicionada. Se tivermos a confirmação no decréscimo de casos de internações nas próximas semanas e de óbitos, já estaremos preparados para dialogar sobre a retomada gradual das atividades. Nesse período das duas ou três próximas semanas, seria importante intensificar o isolamento, nosso próprio esforço na reta final é necessário para garantir de fato esse distanciamento, sentimento que precisa ser partilhado também entre as instituições e a sociedade para que todos possam fazer um pacto. E neste caso, um lockdown forte não está descartado”, alertou o prefeito.

CONFIRA AQUI O RESULTADO DA PESQUISA.

Taxa de contágio e número de pessoas infectantes para a Covid-19 caem em Teresina

Teresina apresentou uma redução no número de pessoas infectantes para a Covid-19 e queda do R0 (R-zero) para menor que 1, segundo dados da nona etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina. O prefeito Firmino Filho, alertou que, apesar de positivos, os números devem ser visto com cautela por serem dados estatísticos e que é necessário avaliar se será mantida a constância das informações nas próximas semanas.

De acordo com a sondagem, a cidade possui 133.532 pessoas positivadas para a doença, e desse número, 34.594 estão com o vírus ativo. Na etapa anterior esse número de infectantes foi de 41.340. As informações sobre a pesquisa, realizada entre os dias 12 e 14 de junho, foram apresentadas nesta quarta-feira pelo prefeito Firmino Filho em videoconferência com a imprensa.

“Temos indícios de boas notícias. Apesar da cidade ter apresentado um crescimento no número de positivados nesta nona etapa da pesquisa sorológica, com um número de casos 40 vezes maior ao de confirmados oficiais, tivemos uma redução significativa no número de pessoas infectantes. Os casos diminuíram de 41.340, dados da oitava sondagem, para 34.594 nesta semana. Este é um bom sinal em relação à progressão da doença e em relação ao que vínhamos observando”, explicou Firmino.

Já a taxa de reprodução do vírus, o R0 (R-zero), pela primeira vez ficou abaixo de 1. “Nesta etapa tivemos o R0 de 0,83. Se esse índice se confirmar nas próximas sondagens é que diremos com certeza se houve ou não essa queda do R0. Mas reafirmamos que essa é uma luta diária e temos que fazer um esforço para que a taxa de isolamento volte a crescer e a gente saia mais rápido dessa crise. Se houver a falsa sensação de segurança poderemos caminhar para um desastre. Mas se continuarmos com essa tendência de queda nas taxas, poderemos reavaliar com mais segurança a abertura das atividades econômicas”, avaliou o prefeito.

Quanto à distribuição do vírus pela cidade, a pesquisa, que é realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou que a zona Sul precisa de uma atenção especial em relação ao isolamento social, pois apresenta 42% dos casos positivados. A zona Leste aparece em seguida, com 25%. A zona Norte apresentou uma queda em relação à oitava etapa e nesta sondagem representa 22% das pessoas positivas para a Covid-19. A zona Sudeste continua na tendência de redução e nesta pesquisa aparece com 11% dos casos.

Em relação à idade, a faixa etária mais infectada é de 25 a 34 anos, que representa 31% dos positivados. Em seguida aparecem as pessoas entre 15 e 24 anos, que são 19% dos casos. Nas pessoas com idade entre 45 a 54 anos o índice de positivados está em 17%. Logo abaixo, com 14%, estão os adultos com 35 a 44 anos. As crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos estão entre os 11%, em seguida, com 6%, as pessoas de 55 a 69 anos, e seguindo a tendência das últimas sondagens, os maiores de 70 anos permanecem entre os 3% dos casos atestados positivos.

“A realidade da doença, mesmo com alguns dados positivos nesta última sondagem, é dura e a população precisa se conscientizar. Muitas pessoas politizaram a questão do isolamento social e precisamos mostrar um choque de realidade para que cada um assuma sua responsabilidade. Aparentemente estamos numa situação que traz alguma expectativa positiva, mas ao mesmo tempo estamos em ponto crítico no que diz respeito à ocupação de leitos de UTI. Portanto, é necessário um esforço concentrado nas próximas semanas para termos um crescimento do isolamento e para que a gente possa sair mais rápido e sair bem dessa situação, que ainda inspira cuidados. Não podemos brincar com essa doença”, destacou Firmino Filho.

Confira AQUI os resultados da pesquisa.

Número de positivados para a Covid-19 cresce na capital e já são 94.182 casos

O número de pessoas positivadas para a Covid-19 na capital continua crescendo e já chega a 94.182 casos. É que o revela a oitava etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada entre os dias 05 e 07 de junho em Teresina. Desse total, 41.388 estão com o vírus ativo e podem transmitir a doença. Estes dados foram informados nesta terça-feira (09) pelo prefeito Firmino Filho, em videoconferência com a imprensa.

A sondagem aponta também que 40.388 pessoas estão na fase intermediária do vírus, ou seja, estão imunizadas ou desenvolvendo a imunidade, e outras 12.454 estão imunes à doença. A pesquisa revela ainda que a quantidade de positivados é 41 vezes maior que os 2.304 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no domingo anterior à pesquisa.

“O grau de subnotificação é 41 vezes o número de casos oficiais confirmados. Desde a primeira etapa da sondagem, até agora, houve um crescimento gigantesco e ainda estamos no processo de crescimento da doença em Teresina, prova disso é que temos 41.388 pessoas com o vírus ativo e em fase de transmissão da doença. Tem uma pequena tendência de achatamento, mas nada confirmado, e é temerário fazer qualquer tipo de flexibilização”, explicou o prefeito.

Quanto a taxa de reprodução, denominada de R0 (R-zero), Firmino informou que foi feita uma releitura baseada nos dados do IgM positivo. “A sondagem mostra que passamos de 2,5, para 1,66 e agora estamos com 1,09. Esse grau de transmissibilidade tem diminuído, mas não chegamos na taxa ideal, que é menor do que 1. Portanto, a doença continua se propagando na cidade e não chegamos a uma taxa segura de estabilidade”, ressaltou.

Sobre a amostra da distribuição do vírus por toda a cidade, a pesquisa, que é realizada em parceria com o Instituto Opinar, demonstrou que a zona Norte continua liderando com o número de casos e representa 35% dos positivados. A zona Sul aparece em seguida, com 30%. A zona Sudeste tem apresentado uma tendência de queda no número de casos e, nesta etapa da pesquisa, representa 17% das pessoas positivas para a Covid-19. A zona Leste permanece com o mesmo percentual da sétima etapa, 17%.

No que diz respeito à faixa etária, as pessoas com idade entre 25 a 34 anos continuam liderando entre os positivados e representam 22%. Os jovens entre 15 e 24 anos estão logo em seguida, com 18%. Nas pessoas com idade entre 35 a 44 anos o índice de positivados está em 17%.  Logo abaixo, com 14%, estão as crianças e adolescentes nas faixas de 0 a 14 anos e os adultos com 45 a 54 anos. Já nas idades entre 55 a 69 a taxa está em 12%, a mesma apresentada na sétima etapa da sondagem, assim como entre maiores de 70 anos, que permanecem figurando entre os 3% dos casos atestados positivos.

“Nosso sentimento é de que a percepção da ameaça da doença ficou mais concreta por parte da população, no entanto, ainda não chegamos no momento de reversão da doença. Daí o nosso apelo para que as pessoas continuem com os cuidados necessários para se protegerem e evitarem a contaminação. Os números mostram que a quantidade de infectados continua crescendo. É em cima destes dados que estamos nos baseando para a tomada das nossas decisões, pois não trabalhamos com achismos e sim com dados técnicos”, enfatizou o prefeito.

Confira AQUI os dados da pesquisa.