Covid-19: Abrigos fazem trabalho de conscientização com os Venezuelanos

Ascom\Semcaspi

Técnicos da Fundação Cajuína responsáveis pela manutenção dos abrigos do CSU do Buenos Aires e do Piratinga, que estão acolhendo os venezuelanos em Teresina, fizeram uma série de atividades para explicar sobre o trabalho de prevenção devido à pandemia da Covid-19.

Nos últimos dias, os profissionais estiveram nos espaços colocando cartazes com ilustrações na língua original da etnia “Warao” e ministraram palestras explicando sobre a pandemia e as medidas tomadas pelo município. As equipes contaram com o apoio da Antropóloga Lilia Gabriela Castelo Branco e do professor venezuelano, Yovini Eulálio, que é morador de um dos abrigos.

De acordo com Mayra Veloso, gerente de Proteção Social Básica (GPSB) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), as atividades diárias que estão sendo desenvolvidas nos abrigos fazem parte das medidas de conscientização da doença que foram tomadas pelo poder público nos últimos dias na cidade de Teresina.

“Cada abrigo tem uma equipe específica que faz o monitoramento diário das atividades que necessitam ser desenvolvidas dentro dos espaços. Estamos fornecendo toda a estrutura necessária para que seja feita da melhor forma possível e consiga fazer esse trabalho de prevenção com os venezuelanos“, disse a gerente.

Os venezuelanos tiveram acesso às informações sobre a doença através de vídeos e métodos de prevenção por meio de aulas de higienização das mãos, explicações sobre o isolamento social e de atendimento médico aos que apresentarem algum sintoma da doença.

“Nós mostramos vídeos e eles também tiveram acesso a outras informações com os venezuelanos que estão sendo acolhidos em outros estados. Fizemos ainda as palestras no espanhol e o professor Yovini Eulálio fez a tradução para a língua original deles, para que todos compreendessem o que estava sendo ministrado e adotassem uma nova rotina de cuidado e prevenção”, disse Maria Gorete, coordenadora do abrigo Piratinga.

Além das palestras, vários materiais explicativos foram espalhados pelos abrigos para que haja uma interiorização maior das informações e as crianças receberam alguns brinquedos educativos para manter as atividades lúdicas dentro dos espaços.

“Explicamos a proibição na entrada de pessoas que não foram chamadas pela coordenação dos abrigos e de maneira bem interativa sobre como se deve manter as mãos higienizadas, porque alguns deles ainda saem para comprar algum produto nos estabelecimentos comerciais da região. A equipe também conversou com eles sobre a necessidade de uma ajuda médica emergencial, caso algum sintoma seja constatado dentro do abrigo. Apesar da resistência inicial, eles acolheram todas as informações, perceberam a gravidade da pandemia e demonstraram cooperação”, explicou Ana Luiza Martins, coordenadora do Abrigo do CSU no bairro Buenos Aires.

Os migrantes indígenas da etnia Warao chegaram a Teresina no dia 13 de maio de 2019 e estão refugiados devido à crise econômica e política na Venezuela. Atualmente, 193 venezuelanos estão sendo acolhidos nos dois abrigos.

Reunião discute protocolo de atendimento às famílias vítimas de enchentes em Teresina

Ascom/Semcaspi

O atendimento às famílias em situação de emergência em decorrência das enchentes em Teresina deve ser feito seguindo um protocolo, que foi estabelecido para uniformizar o atendimento preventivo na cidade. Para tratar deste protocolo, o secretário de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Samuel Silveira, esteve reunido na tarde desta terça-feira (17) com representantes das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e Rural (SDR), Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH) e Defesa Civil.

De acordo com o protocolo, a Defesa Civil fará a primeira visita e avaliará a situação de cada família. Se houver a necessidade de desocupação, os técnicos das SDU’s darão continuidade ao atendimento e a inclusão nos programas sociais existentes. Na reunião, ficou acertado ainda que por conta da suspensão de atividades por 15 dias devido às medidas de prevenção contra o Covid 19 nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e nos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS), alguns servidores que atuam nesses serviços serão deslocados para ajudar no atendimento preventivo dessas famílias.

“Nós montamos um Comitê de Gerenciamento de Crise que funcionará na sede da Semcaspi, buscando o atendimento e abrigamento de famílias vítimas da subida do nível dos rios. As equipes de trabalho serão compostas por representantes dos CRAS e dos CREAS junto com os assistentes sociais das SDUs, estabelecendo pontos emergenciais de atendimento como o transporte de pessoas que estão em área de risco. Definimos ainda o alargamento dos plantões da central do número 153 até a meia noite e participação do Corpo de Bombeiros depois das 18h, quando houver chamado para a Defesa Civil”, disse Samuel Silveira.

Em paralelo ao trabalho de visitas da Defesa Civil, os técnicos das SDU’s farão ainda o mapeamento de cada região para informar ao Comitê de Gerenciamento de Crise os bairros que estarão com maior facilidade de alagamento.

“É um trabalho preventivo, que contará com a presença de engenheiros que farão a avaliação da estrutura da cada residência e o fornecimento de caminhões para fazer as remoções dessas famílias que poderão ser vítimas da elevação dos rios. Nosso intuito é evitar qualquer tipo de aglomeração de pessoas nos colégios e em outros espaços públicos e atuar dentro da política de contenção do Covid 19”, explicou Isaac Menezes, superintendente executivo da SDU Sudeste.

As famílias que forem vítimas das enchentes serão incluídas no programa Cidade Solidária, que consiste no apoio financeiro às pessoas que tiveram suas residências comprometidas por conta de desabamentos, alagamentos, transbordamento de rios ou lagoas, como também incêndios.

Além disso, em caso de necessidade de acolhimento coletivo, a Gerência de Proteção Social Especial (GPSE) vai dispor de kits de acolhimentos, higiene, limpeza e alimentação para atender a demanda das vítimas.  Para fazer o acionamento,  a Prefeitura de Teresina disponibiliza para a população o número 153, canal direto de contato com a Defesa Civil Municipal. A ligação para o número é gratuito e permite que os teresinenses solicitem ao órgão o monitoramento, que pode ajudar na identificação e remoção das áreas de risco.

Plano Municipal de Cultura desenvolvido pelo Lagoas do Norte é debatido em reunião

Ascom/FMC

Consolidar o Plano Municipal de Cultura. Este foi o objetivo da reunião realizada nesta quinta-feira (12) com gestores do Programa Lagoas do Norte, Fundação Monsenhor Chaves (FMC) e do Conselho Municipal de Cultura. Realizado no Palácio da Música, o encontro também segue amanhã (13), durante todo o dia.

O Plano Municipal de Cultura representa um documento de planejamento com o objetivo de orientar a execução de políticas públicas culturais na cidade em um período de 10 anos, sendo um dos deveres gerados pela adesão de Teresina ao Sistema Nacional de Cultura.

O Plano irá possibilitar ao setor cultural e demais áreas a implantação de normas integradas que ajudam no seu desenvolvimento. “Esse plano é composto por diretrizes que irão nortear a política de cultura. Então, para a nossa capital, é super importante porque ela vai se destacar a nível regional, pois poucas capitais aderiram a esse projeto”, afirma Allan Cronemberger, assessor técnico da Unidade de Gerenciamento do Programa Lagoas do Norte.

Com a presença dos consultores Kátia Costa (Bahia) e José Márcio Barros (Minas Gerais), a reunião buscou estimular a sensibilização dos atores e agentes envolvidos no desenvolvimento do Plano de Cultura. “Apoiaremos o órgão gestor na elaboração do Plano ao longo deste ano, acompanhando e contribuindo com o trabalho. Esperamos que Teresina possa ter um planejamento que oriente a execução da política pública de cultura em toda a cidade”, disse Kátia Costa.

SDU realiza reunião com lojistas para explicar obra de acessibilidade no centro

Ascom/SDU Centro Norte

Com o objetivo de apresentar o projeto das obras de acessibilidade, realizadas centro de Teresina, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano SDU Centro Norte realiza nesta sexta-feira (13), às 9h, na Casa da Cultura, uma reunião com os lojistas diretamente beneficiados pela obra.

De acordo com a coordenadora especial da área central, Constance Jacob, a reunião tem como objetivo conversar com os lojistas para explicar o projeto e os benefícios que a obra trará para a área central da cidade. “Faremos as intervenções nas calçadas da melhor foram possível para evitar conflitos. As calçadas passarão por uma requalificação ganhando piso adequado que vão garantir acessibilidade para todas as pessoas, inclusive aquelas com deficiência e dificuldades de locomoção”, explica.

Constance acrescenta que as adequações vão trazer para o local mais conforto para as pessoas que costumam fazer compras na área central. “Na verdade, o projeto contempla especialmente os pedestres e mostra a preocupação da criação de espaços confortáveis para as pessoas que frequentam o centro. Entendemos que espaços públicos de qualidade promovem o convívio entre as pessoas, o bem-estar além de incentivar o desenvolvimento econômico e a sustentabilidade do ambiente ”, disse.

Estão passando por requalificação, nesse primeiro momento, as vias públicas que estão localizadas no quadrante composto pelas ruas Álvaro Mendes, Paissandu, Barroso e a Avenida Maranhão. O principal objetivo do projeto é transformar a área em um espaço com total acessibilidade, onde o pedestre seja o protagonista.

O total investido será de R$ 2.287.970.77 e tem prazo de conclusão de 12 meses. Outras ruas do centro irão receber melhorias visando a acessibilidade como é o caso das ruas Coelho Rodrigues e da Rua Simplicio Mendes.

Gestores municipais se reúnem para tratar da LDO 2021

Na manhã desta quarta-feira (11) a Secretaria Executiva de Planejamento Estratégico e Gestão (SEPLAG), da Secretaria Municipal de Planejamento (SEMPLAN), reuniu os representantes de diversos órgãos da Prefeitura de Teresina para iniciar os trabalhos do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2021 (LDO).

Na reunião compareceram os gestores de orçamento e de monitoramento para receberem orientação dos encaminhamentos de cada órgão com as informações legais e de preenchimento do sistema. De acordo com Aurélia Araújo, coordenadora da SEPLAG, essa reunião com todos os gestores financeiros e de monitoramento é uma forma de alinhar as diretrizes para a LDO 2021.

“O foco dessa reunião é orientar os gestores de orçamento e de monitoramento para a retirada de dúvidas dos sistemas, importância dos indicadores e avaliação das informações de dados de acordo como foi realizado em 2019 para melhorarmos os nossos resultados da gestão municipal”, destacou a Aurélia Araújo.

A LDO será enviada em abril para aprovação da Câmara Municipal de Vereadores.

Para que serve a LDO?

Exerce um papel intermediário entre o Plano Plurianual (PPA) e Lei Orçamentária Anual (LOA), adequando as estratégias traçadas no início de um governo às reais possibilidades que vão se apresentar ao longo dos anos de implementação do PPA.

Reunião discute regimento do Comitê PopRua

Ascom/Semcaspi

O regimento interno que regula a organização e o funcionamento do Comitê Intersetorial de Política Municipal para a População em Situação de Rua (Comitê PopRua) foi tema de uma reunião na manhã desta sexta-feira (28) na Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). No encontro, foi feita a leitura do documento e a discussão de mudanças em alguns pontos colocados pelos representantes da Prefeitura de Teresina e da Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPE).

A chefe de Divisão de Média Complexidade da Semcaspi, Layla Paiva, explicou que o Comitê PopRua é assegurado por decreto municipal, se integra a política nacional instituída pelo Decreto Federal 7.053 de 23 de Dezembro de 2009 e busca assegurar o acesso amplo, simplificado e seguro aos serviços e programas de políticas públicas direcionadas as pessoas em situação de rua.

“Na reunião, definimos um calendário com encontros que acontecerão bimestralmente. Nós queremos evoluir as discussões para garantir que as pessoas que se encontram em situação de rua tenham seus direitos efetivados, e que as demais políticas estejam em constante debate de estratégia de atendimento, incluindo a construção de um plano de trabalho que envolva o atendimento na área da habitação, saúde, educação, lazer, esporte, geração de emprego e a inserção no mercado de trabalho. Nosso intuito é contar também com a participação dos próprios usuários para saber as demandas específicas, interesses e o que tem impedindo esse acesso aos serviços básicos”, disse Layla Paiva.

O defensor público titular dos Direitos Humanos da DPE, Igor Sampaio, considerou que o encontro foi uma conquista dos órgãos públicos e da população em situação de rua, já que com o Comitê PopRua os serviços serão qualificados e terão maior facilidade de conhecimento das demandas do público.

“Foi muito importante o encontro nesse trabalho de implementação do Comitê e da Política que atenda a população em situação de rua. A discussão dos temas buscaram facilitar a mediação na criação da demanda, geração da necessidade e do atendimento. É importante destacar que é o desenvolvimento de uma política intersetorial, por envolver outros órgãos no mesmo espaço e que vai permitir a otimização, qualificação dos serviços, discutindo alternativas e fiscalização da gestão”, explicou.

Entre outras ações previstas pelo Comitê estão: garantir a formação de profissionais e gestores para atuação na área; produção, contribuição e divulgação de dados e indicadores sociais, culturais e econômicos; a promoção de uma cultura de respeito, ética e solidariedade entre a população em situação de rua; a promoção do acesso aos benefícios públicos; a implantação de centros de referência especializados e ações de segurança alimentar e nutricional; a disponibilização de programas de qualificação profissional e principalmente; a garantia de padrões éticos, dignos e não violentos na concretização dessas necessidades. A Semcaspi fica responsável por oferecer apoio técnico e administrativo, além dos meios necessários à execução dos trabalhos do comitê. O próximo encontro ficou agendado para acontecer no dia 14 de abril.

Técnicos da SEMEC e BRICS acertam detalhes das novas escolas de tempo integral

Nesta segunda-feira (17), uma equipe do New Development Bank – NDB / BRICS, técnicos da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) e o secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma, estão reunidos no Centro de Formação Professor Odilon Nunes para acertar os últimos encaminhamentos para a assinatura do contrato referente ao projeto de construção das novas escolas municipais de tempo integral.

Entre as pautas discutidas no encontro estão à escolha dos terrenos para as construções das novas unidades de ensino, ajuste do projeto e alinhamento sobre as questões ambiental. A operação de crédito gira em torno de cinquenta milhões de dólares e será por meio do New Development Bank – NDB / BRICS, já aprovado pelo Ministério da Educação.

Ao todo serão construídas oito escolas grandiosas em diferentes zonas da cidade, as primeiras totalmente preparadas para atender alunos em regime de tempo integral. A estrutura moderna inclui espaços esportivos, culturais e de lazer, além de intervenções no entorno das escolas, como mudança no tráfego de veículos, arborização e acessibilidade.

As obras também chegarão à Educação Infantil por meio de reformas em prédios que abrigarão esse público. A ação deve ampliar o número de vagas para crianças nos Centros Municipais de Educação Infantil em breve.

“As obras serão iniciadas ainda na gestão do prefeito Firmino Filho e vamos ter 10 mil novas vagas para alunos em escolas de tempo integral e 5 mil vagas na educação infantil”, comemorou o secretário Municipal de Educação, Kleber Montezuma.

 

 

Guarda Municipal fará trabalho ostensivo junto aos foliões no Corso

Ascom/Semcaspi

Representantes da Guarda Civil Municipal (CGM) participaram na manhã desta quarta-feira (12) de uma reunião no Palácio da Música para tratar sobre o esquema de segurança que será adotado no corso de Teresina. O maior evento carnavalesco do Piauí será realizado neste sábado (15), a partir das 16h, na Avenida Raul Lopes.

O secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, explicou que a Guarda Municipal fará o trabalho ostensivo no meio dos foliões e ficará dividida em pontos estratégicos buscando uma comunicação em tempo real para evitar atos de violência durante o evento.

“Nós estaremos com 80% do nosso efetivo direcionado para o maior evento carnavalesco do Estado. Serão 13 viaturas e quatro motocicletas que darão apoio na logística definida na reunião com os demais órgãos de segurança”, disse o secretário.

Entre outras novidades apresentadas na reunião, o Corso de Teresina contará com Centro Integrado de Segurança e com representantes da Secretaria de Justiça, que farão a fiscalização para identificar se existem pessoas com tornozeleiras eletrônicas no evento, o que é proibido por lei.

“Ficou definido no encontro o que cada órgão vai contribuir no evento. Teremos guardas desde as primeiras movimentações do evento, no início da tarde, e vai se estender até o encerramento. As famílias poderão participar com tranquilidade porque os órgãos farão todo o esforço necessário para que tudo ocorra dentro da normalidade na área de segurança”, garantiu o capitão Monteiro Silva, comandante da Guarda Civil Municipal.

O encontro contou ainda com a participação da Polícia Militar do Piauí, agentes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsitos (Strans), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU).

Teresina é um dos seis municípios selecionados pelo MEC para compartilhar boas práticas

Ascom/Semec

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma, está com sua equipe, nesta terça-feira (11), em Brasília, para falar sobre os bons resultados de Teresina, a convite do Ministério da Educação. A capital piauiense foi um dos seis municípios selecionados pelo secretário de Educação Básica, Jânio Carlos, para o encontro denominado “Boas práticas municipais em educação”.

O evento reúne gestores e professores de municípios brasileiros que nos últimos anos apresentaram bons resultados em seus indicadores educacionais. O diálogo com gestores do MEC é no sentido de compartilhar as recentes experiências em gestão e práticas de sala de aula que têm contribuído para o desenvolvimento e aprendizagem dos estudantes.

“Essas experiências locais de sucesso, entendidas como boas práticas, apresentam potencial de contribuir com as ações do MEC e de outros municípios no aprimoramento de políticas públicas e práticas pedagógicas para a educação básica”, disse o secretário Jânio Carlos.

Ascom/Semec

Teresina é hoje a capital com o melhor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) no país, revelando o uso de estratégias eficazes na rotina escolar. Além de ser referência em aspectos como alfabetização das crianças, avaliação e formação de professores, têm chamado atenção de especialistas pela política de gestão. Nos últimos anos, a capital tornou-se objeto de estudo de pesquisadores, principalmente por conseguir alcançar resultados de excelência com poucos recursos financeiros.

São essas estratégias que a equipe da Secretaria Municipal de Educação (Semec) levou ao encontro no Ministério da Educação. Para Montezuma, “é um privilégio estar entre os municípios selecionados para compartilhar experiências”.