Colaboradores da SDU Sudeste participam de roda de conversa sobre prevenção do coronavírus

Ascom/SDU Sudeste

Para orientar e tirar dúvidas dos colaboradores sobre o novo coronavírus (Covid-19), a Superintendência de Desenvolvimento Urbano – Sudeste realizou, na manhã desta quinta-feira (19), uma roda de conversa com a enfermeira Lígia Cabedo, do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia do Hospital Universitário (HU).

Obedecendo às recomendações para evitar aglomeração, o bate-papo aconteceu em local aberto, com grupos reduzidos de pessoas, além do distanciamento e higienização dos assentos. Na ocasião, a enfermeira falou sobre as formas de contágio, medidas que devem ser adotadas para prevenir a doença, como funciona o período de quarentena, entre outros questionamentos levantados pelo público.

“O momento não é de pânico, mas de atenção às recomendações quanto às medidas de prevenção e controle da Covid-19. A população precisa ser esclarecida e orientada com relação aos cuidados que devem ter em seus ambientes de trabalho, em suas casas, higienização das mãos, etiqueta respiratória e especial atenção ao público de idosos. As medidas preventivas incluem a orientação correta e eficaz”, esclarece Lígia Cabedo.

Para Maria das Graças Carvalho, chefe da Divisão da Gerência de Controle e Fiscalização (GCF) da SDU Sudeste, a roda de conversa foi um importante momento de reflexão sobre os impactos do coronavírus na vida de toda a comunidade. “Achei interessante a parte que ela falou de que precisamos ter responsabilidade com o outro também. Por exemplo, sobre o uso da máscara, que quanto mais consumirmos o produto de forma desnecessária, mais falta haverá nas farmácias e supermercados, prejudicando a quem mais precisa, que são os profissionais de saúde e quem está realmente doente”, declara Maria das Graças.

O superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, também esteve presente na roda de conversa e destacou as medidas adotadas na rotina interna da superintendência. “Nós estamos tomando providências conforme as recomendações da Prefeitura de Teresina, que já decretou estado de emergência. Estamos alterando e flexibilizando os horários de atendimento e serviço, afastando colaboradores com mais de 60 anos e intensificando a higienização do espaço de trabalho. Tudo com o objetivo de minimizar os impactos e tentar garantir a segurança de todos”, finaliza Evandro Hidd.

Agenda Março Mulher: Roda de conversa discute autonomia feminina e direitos das mulheres

Ascom/SMPM

Uma roda de conversa com colaboradoras da empresa CASSI (Caixa de Assistência de funcionários do Banco do Brasil) debateu os direitos das mulheres, diversidade e autonomia feminina. A atividade realizada na manhã desta quarta-feira (04) faz parte da Agenda Março Mulher 2020, promovida pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM).

Para Ana Paula, Executiva de Negócios e Assistente de funcionários do Banco do Brasil, é extremamente necessário promover a conscientização das mulheres sobre esses temas, fomentando assim o debate dentro e fora da empresa.

“É uma data muito simbólica pra gente debater tudo isso. Infelizmente a mulher ainda é colocada em papel de submissão em relação ao homem, em muitos casos, por isso é importante conscientizarmos essas mulheres de que elas possuem total liberdade sobre suas escolhas”, destacou.

O diálogo com as funcionárias foi mediado pela Assistente Social da SMPM, Caroline Leal. Ela enfatizou a importância da temática e frisou que seu debate deve ser estendido ao longo de todo ano, não só no mês das mulheres.

“Conversamos com elas sobre desigualdade de gênero, avanços e garantias dos direitos das mulheres, que são temas muito importantes e devem sempre ser discutidos. Lembramos que o dia 08 de março é um dia de rememorar nossas lutas, de enaltecer nossos avanços, mas de lembrar que ainda temos muito a percorrer para superação da cultura patriarcal que assola nosso cotidiano”, finalizou a assistente social.

Mulheres participam na sexta (09) de roda de conversa sobre relacionamentos afetivos

Ascom/SMPM

Com os índices de violência contra a mulher crescendo em suas mais variadas tipificações, torna-se necessário cada vez mais orientar mulheres sobre os relacionamentos afetivos. Para falar sobre a temática, será realizada uma roda de conversa nesta sexta-feira (07), às 9h, no Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), localizado na Rua Benjamin Constant, 2170, região Centro Norte de Teresina.

A atividade será mediada pela psicóloga Amanda Graziela e tem como finalidade desmitificar conceitos e trazer reflexões sobre o tema. “Essa atividade é exatamente para trazer uma reflexão sobre os relacionamentos afetivos. Não é um trabalho terapêutico, mas tem efeitos terapêuticos, porque permite a troca de vivências, de situações e de histórias que cada uma passa, e isso acaba trazendo uma aproximação e identificação”, diz a especialista.

A psicóloga relata ainda que a roda de conversa permite que as mulheres consigam desenvolver uma autonomia para que possam identificar determinados comportamentos que firam sua integridade dentro das relações. “Vamos aprofundar os assuntos, discutir, falar sobre os equilíbrios que devem existir que não há superioridade e sim uma troca igual dentro de cada relação”, finaliza.

O Centro de Referência Esperança Garcia, unidade vinculada à Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM), atende mulheres em situação de violência doméstica, familiar ou de gênero, oferecendo atendimento psicossocial e jurídico. Mais informações podem ser obtidas pelo número: (86) 3233- 3798.

Servidores da FMS terão momento voltado para melhoria da saúde mental

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Norte realizará no dia 31, às 8h30, a Roda de Conversa Integrativa: Gerenciamento das Emoções, mediada pela psicóloga Thaís Araújo. O evento acontecerá no auditório da sede da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e tem como público alvo os servidores do órgão.

“Esse momento vai ser importante para trabalharmos um pouco da convivência, do dia-a-dia, dos relacionamentos interpessoais entre os servidores, os colegas de trabalho. Pessoas que normalmente passam a semana inteira juntos e pensamos em falarmos um pouco mais sobre a saúde mental de cada um”, Erica Patrícia Machado, coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS Norte.

A Conversa Integrativa: Gerenciamento das Emoções é uma atividade que faz parte da Campanha Janeiro Branco. A campanha convida as pessoas a pensarem sobre suas vidas, o sentido e o propósito das suas vidas, a qualidade dos seus relacionamentos e o quanto elas conhecem sobre si mesmas, suas emoções, seus pensamentos e sobre os seus comportamentos.

Espaço Casa Maria Menina recebe roda de conversa sobre relacionamentos abusivos

A campanha dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, que este ano traz o slogan “#VivaVoz:SuaVozFazaDiferença”, acontece em toda a cidade de Teresina nos meses de novembro e dezembro. Para esta quarta-feira (27), a programação traz diversas atividades na capital. No espaço Casa Maria Menina, localizado na zona Sudeste de Teresina, vai acontecer uma roda de conversa sobre relacionamento abusivo a partir das 8h.

“Teremos três momentos durante a roda de conversa para trabalhar essa temática, tanto como uma forma de prevenção como também para orientar sobre o que fazer nesses momentos que você percebe que sua relação não é saudável e como identificar. Esse momento com adolescentes será feito de forma lúdica, de forma divertida, mas também trazendo essa reflexão”, explica Tathyana Moreira, psicóloga e técnica da gerência de empoderamento feminino da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulhere (SMPM).

Durante a roda de conversa, serão atendidas em média 30 pessoas, entre adolescentes gestantes, puérperas e familiares. As adolescentes possuem faixa etária de 14 a 17 anos. A campanha de 16 dias de ativismo na cidade de Teresina começou na última segunda-feira (25) e é organizada pela SMPM.

Confira todas as atividades da campanha nesta quarta-feira (27):

Roda de Conversa #VivaVoz: Sua voz faz a diferença – Refletindo sobre relacionamentos abusivos

Local: Casa Maria Menina

Horário: 08h

Roda de Conversa: Homens pelo fim da violência contra a mulher – Campanha Laço Branco

Local: LBV – Legião Boa Vontade

Horário: 15h

#VivaVoz: Sua voz faz a diferença – Bliz educativa

Local: Parque da Cidadania

Horário: 17h

Capacitação #ElaPode! – Empoderamento feminino através do empreendedorismo

Local: Centro de Convivência dos Idosos – Sul

Horário: 14h às 17h

Enfrentamento ao feminicídio será tema de roda de conversa nesta quarta (20)

A lei define feminicídio como o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino. Para falar mais sobre a temática será realizada uma roda de conversa nesta terça-feira (19), no  Amor de Tia da zona Sudeste, localizada na Rua Santa Luzia, no Alto da Ressurreição. A atividade terá programação a partir das 10h da manhã. No turno da tarde, o evento acontece às 16h.

A assistente social da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Caroline Leal, e a Coordenadora do Centro de Referência Esperança Garcia, Roberta Mara, irão mediar a roda. A ação já faz parte do projeto de 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, que tem início no dia 25 de novembro, dia internacional da não violência contra à mulher.

“Na oportunidade vamos falar sobre as formas de enfrentamento ao feminicídio, um problema que tem sido alarmante na nossa capital, e sobre a campanha do Laço Branco, que é em referência ao dia 06 de dezembro, dia internacional de erradicação da violência contra a mulher”, explicou a assistente social da SMPM, Caroline Leal.

Laço Branco

O Dia Mundial de Erradicação da violência contra as mulheres foi escolhido em alusão a um episódio que aconteceu numa escola do Canadá no dia 06 de dezembro, onde um homem entrou armado na unidade e assassinou 14 mulheres, se suicidando logo em seguida. Entre as primeiras campanhas que aconteceram no Canadá, foram distribuídos milhares de laços brancos para os homens como forma de protesto pelo direito das mulheres.

Suicídio é tema de roda de conversa com os servidores municipais

Os servidores da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema) participam, nesta sexta-feira (13), de uma roda de conversa sobre a campanha Setembro Amarelo, que conscientiza sobre a prevenção do suicídio. O encontro está marcado para as 11h, no auditório da pasta, e deve reunir servidores de outras secretarias do município.

Para intermediar a conversa, a Sema convidou um representante do Centro Débora Mesquita. A ONG tem por objetivo informar e sensibilizar a sociedade sobre causas, sintomas e tratamentos disponíveis para os transtornos psíquicos, e atua tanto na prevenção quanto na posvenção do suicídio.

Nildene Lages, assistente social do Núcleo de Desenvolvimento de Recursos Humanos da Sema (Nuderh), reforça a importância de discutir o tema. “O suicídio ainda é um tabu na sociedade e precisamos desmistificar, conversar para poder prevenir e ajudar o próximo”, considera.

Setembro Amarelo

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia 10 deste mês é, oficialmente, o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, mas a campanha acontece durante todo o ano.

São registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de 1 milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.

Famílias recebem cestas básicas e participam de roda de conversa sobre Setembro Amarelo

As famílias do Parque Rodoviário afetadas pela tragédia que atingiu a região em abril deste ano seguem recebendo atendimento da Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). O Programa de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF) realizou nessa quinta-feira (05) um momento de entrega de 62 cestas básicas que contou com roda de conversa em alusão ao Setembro Amarelo.

A ação fez parte de um trabalho que ocorre mensalmente, em que as famílias recebem os benefícios inclusos no programa de acolhimento Cidade Solidária. Além disso, durante a entrega de cestas realizada no mesmo dia, pelo Centro de Referência em Assistência Social Sul IV (Cras Sul IV), são realizadas palestras e rodas de conversa relacionadas a temas sociais pertinentes e relacionados aos serviços socioassistenciais do município.

Segundo dados divulgados pela Semcaspi hoje (06), 64 famílias permanecem acolhidas pelo Cidade Solidária. As obras que buscam reconstruir a região já estão sendo finalizadas pela Prefeitura de Teresina, por meio da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul (SDU Sul). Ao todo, serão entregue 55 casas, sendo 25 novas construções e 30 recuperadas. As famílias que ainda estavam em áreas de risco também já foram realocadas, após a desapropriação de um terreno próximo.

Sobre o programa Cidade Solidária

O Cidade Solidária possui duas linhas de atuação: o ‘Família Solidária’ e o ‘Residência Solidária’. No primeiro, a pessoa acolhida indica outra família para lhe receber e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 300. No segundo, a família deve indicar um imóvel, no valor de até R$ 300, para alugar e a Prefeitura arca com o pagamento no prazo de um ano. Sistematicamente, a família também é acompanhada pela Semcaspi, por meio Cras, sendo fornecido, caso necessário, cesta básica, kit acolhimento e kit limpeza.