FMS orienta que o telefone correto para acionar o SAMU é o 192

Para usufruir do atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), nos casos de urgência e emergência, a população deve ligar exclusivamente para o telefone gratuito 192. O alerta é da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina. O órgão detectou que muitas pessoas em situação de urgência estão ligando para solicitar ambulância para o número errado, que é o telefone fixo da secretaria do SAMU, setor responsável por resolver apenas assuntos administrativos.

Segundo a diretora geral Francina Amorim,  a secretaria do SAMU tem atendido, em média, 10 ligações por dia solicitando ambulância.  “As pessoas, que estão em situação de urgência, acabam perdendo tempo, porque os funcionários ainda irão orientá-las a ligar para o telefone 192. Ao ligar para o 192, a pessoa aciona a Central de Regulação e médicos reguladores classificam se é necessário o envio de ambulância básica, avançada ou se fazem orientações médicas”, afirma.

O SAMU é um programa do Governo Federal, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, que presta socorro em casos de urgência e emergência clínica, traumática, obstétrica e psiquiátrica. Atualmente, conta com 8 ambulâncias de suporte básico, 03 de suporte avançado e 04 motolâncias, que ficam estrategicamente distribuídas na capital piauiense para facilitar a locomoção.

SAMU divulga resultado das eleições da CIPA

Foi divulgada na última segunda-feira (20) lista com nome dos novos membros que irão integrar a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina no biênio 2020/2021. Ao todo, seis servidores foram eleitos para contribuírem com a promoção da saúde dos trabalhadores.

Francina Amorim, diretora geral do SAMU, explica como funciona a CIPA. “Após a posse, eles passarão por treinamento e poderão iniciar suas atividades, inclusive realizando reuniões ordinárias. Toda a documentação gerada ficará no Serviço à disposição da fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego, conforme determina a Norma Regulamentadora nº 05 de 99”.

A CIPA tem por atribuição identificar riscos do processo de trabalho no pré-hospitalar; implantar plano de prevenção e controle de acidentes de trabalho (PPAT) no SAMU e avaliar se as metas estão sendo cumpridas; participar da implementação e do controle de qualidade das medidas de prevenção necessárias e realizar verificações nos ambientes e condições de trabalho.

“A Comissão também deve supervisionar o cumprimento das Metas Internacionais de Segurança do Paciente; colaborar com o desenvolvimento de programas de segurança e saúde do trabalho; propor soluções para os problemas identificados através de um plano de ação e elaborar e divulgar relatório das atividades desenvolvidas”, finaliza a diretora.

O SAMU é um programa do Governo Federal, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina e que presta atendimento em casos de urgências clínicas, obstétricas, traumáticas e psiquiátricas. Para ter acesso a ele, basta que a população ligue para o 192. O médico regulador, então, decide se envia ambulância de suporte básico, avançado ou se faz orientações médicas.

Confira o nome dos novos membros da CIPA do SAMU

Eleitos:

-Francisco Alex do Nascimento da Silva

-Dr. João de Deus Pereira Filho

-Eliene de Nascimento Macedo

-Francisco Soares Silva

-Livolet Almeida Marreiros (suplente)

-Raimundo Fagner Farias Loiola (suplente)

 

Indicados:

– Luís Henrique Cavalcante de Andrade (Presidente)

– Tayane de Castro Costa

-Francisco das Chagas de Sousa Mineiro

-Wildomark Vasconcelos Sousa

-Francilene Rodrigues da Silva Santos (suplente)

-Aderson Porfirio da Silva (suplente)

-Maria das Graças Santos Castro (suplente)

 

FMS cria protocolo e faz curso para humanizar atendimento em urgência psiquiátrica

Um novo protocolo, criado recentemente pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina define que, nos casos em que o SAMU for acionado pela população para urgência psiquiátrica (como surto psicótico ou tentativa de suicídio), o próprio órgão poderá solicitar o apoio do Corpo de Bombeiro ou da Policia Militar, se houver necessidade. Para aperfeiçoar e humanizar esse atendimento, Teresina está sediando curso sobre a temática, nesta sexta-feira (22), das 8h às 18h.

As aulas estão sendo ministradas pelo Núcleo de Educação em Urgência do SAMU metropolitano de Recife e começou nesta quinta-feira (21), no auditório do TCE. Cerca de 50 profissionais do SAMU, dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e dos hospitais de bairros da Prefeitura de Teresina estão participando do evento. Há, ainda, membros do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da Secretaria de Saúde do Estado do Piauí.

Os profissionais estão sendo qualificados para desempenharem uma correta abordagem nos casos de urgência psiquiátrica. “Eles estão aprendendo técnicas para atender bem esse tipo de paciente. Em situações em que a pessoa está extremamente agitada ou agressiva, pode ser necessário que a equipe faça a sua contenção para protegê-la e os profissionais estão aprendendo como agir nesse caso também”, diz a diretora do SAMU, Francina Amorim.

Ela explica algumas técnicas utilizadas nestas ocasiões. “A equipe especializada deve avaliar o ambiente e o paciente, se aproximar dele de forma tranquila, se identificar e explicar o motivo da aproximação (oferta de ajuda). Ao demonstrar interesse e consideração, pode-se criar uma relação de confiança, deixando claro que quer ajudá-lo. Algum familiar ou amigo também pode ser escolhido para contribuir com essa mediação e dar continuidade à assistência”, finaliza.

O que a população deve fazer em caso de urgência psiquiátrica:

– O familiar/amigo/responsável deve manter a calma, ligar para o 192 do SAMU e relatar ao médico a real situação do paciente;

-Se houver objetos ou condições que promovam risco de agressão ou autoagressão, o solicitante deve informar na ligação.

SAMU passa a contar com serviço de Ouvidoria em Teresina

A partir desta segunda-feira (04), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, passa a contar com serviço de Ouvidoria. Assim, agora o órgão tem setor especializado para atender sugestões, elogios, reclamações ou denúncias da população teresinense.

A Ouvidoria do SAMU irá funcionar em dias úteis, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. Para ter acesso ao setor, a população de Teresina pode ligar para o telefone (86) 32181447, enviar e-mail para ouvidoriasamuteresina@gmail.com ou ir pessoalmente à sede, localizada na Av. Coronel Luís Ferraz, nº 3390, bairro Macaúba, zona sul da cidade.

De acordo com o presidente da FMS, Charles Silveira, o SAMU exerce papel relevante perante a sociedade, estando incumbido da missão de prestar socorro às pessoas em casos de urgência. “Com a ouvidoria, que é uma ferramenta importante para a defesa do direito à saúde, será possível melhorar cada vez mais os serviços prestados pelo órgão à população”.

A diretora geral, Francina Amorim, explica que a equipe passou por capacitação para acolher bem o usuário. “Eles farão o registro da informação fornecida, apurando os dados e buscarão respostas e/ou soluções junto aos setores responsáveis, conforme o caso. Queremos ter esse ‘feedback’ dos nossos usuários para aperfeiçoar o sistema”.

Como funciona o SAMU

Em casos de urgências clínicas, obstétricas, traumáticas e psiquiátricas, a população pode ligar para o 192 do SAMU. O seu primeiro contato é com telefonistas e, em seguida, a ligação é repassada para médicos, que podem fazer apenas orientações ou liberar motolâncias e ambulâncias de suporte básico ou avançado ao local.

Criança de 9 anos aciona o SAMU para atender o seu pai em Teresina

Ascom/FMS

Uma criança de 9 anos de idade ligou para o 192 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para comunicar que o seu pai Francisco de Assis, de 56 anos, estava passando mal, neste último sábado (26). A equipe ficou comovida com o caso, que aconteceu no bairro Dirceu em Teresina, e logo após a ligação, uma ambulância básica foi deslocada ao local.

Durante o telefonema, a telefonista do SAMU Henarcy Oliveira relata que a criança demonstrou preocupação, mas conseguiu repassar as informações essenciais. “Ela disse que o pai estava sentindo muita dor por conta de cólica renal e repassou o endereço completo da sua residência e, minutos depois, ligou novamente para perguntar se a ambulância já estava indo para socorrê-lo”.

Henarcy Oliveira conta que, como o paciente não estava desacordado, pediu que ele mesmo descrevesse o seu quadro de saúde ao médico do 192. “Sou telefonista do SAMU há 15 anos e já atendi ligação de crianças tentando passar trote ao órgão. Então fiquei emocionada com essa menina que fez uso correto do serviço e conseguiu ajudar o seu pai. Para mim, ela é exemplo de cidadania”.

“Na minha casa, moro só eu e a minha filha, há cinco anos. Procuro ensiná-la da melhor forma possível. No sábado, tive uma crise renal, estava me contorcendo de dor e não estava em sã consciência para captar o que ela estava fazendo. Mas ela ligou para o 192, para os irmãos e ficou do meu lado até a ambulância chegar. Foi um ato muito louvável”, relata o senhor Francisco de Assis, após ter o seu quadro de saúde estabilizado.

Segundo o diretor médico do SAMU, José Ivaldo, os adultos devem ensinar as crianças para que servem os serviços de urgência e os telefones para acioná-los. “Esse conhecimento pode contribuir para salvar vidas. Sugerimos ainda que a população coloque um lembrete na geladeira com os telefones dos serviços de urgência (SAMU, Corpo de Bombeiro e Polícia), não só o do botijão de gás”.

O SAMU é um programa do Governo Federal, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, e que presta socorro em caso de urgência clínica, obstétrica, traumática e psiquiátrica. Para acionar o serviço, a população liga para o 192. O seu primeiro contato é com telefonistas e, em seguida, a ligação é repassada para médicos, que podem fazer apenas orientações ou liberar ambulâncias ao local.

Câmara realiza sessão solene em homenagem aos servidores do SAMU Teresina

Ascom/FMS

Nesta terça-feira (01), a Câmara Municipal de Teresina, por iniciativa dos vereadores Luiz André, Joaquim do Arroz, Dr. Lázaro e Enzo Samuel, realizou sessão solene em comemoração aos 15 anos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina, órgão administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). O evento foi marcado por homenagens aos servidores de todas as categorias e por histórias de salvamento de vidas.

O presidente da FMS, Charles Silveira, destacou a importância do serviço realizado pelos profissionais do SAMU em Teresina. “Sabemos da relevância do trabalho prestado por cada um que integra o SAMU. Em cada ocorrência, buscam salvar vidas. O ato de se dispor a salvar vidas já justifica a nossa existência pessoal e profissional”, ressaltou.

“Quando recebi o convite para fazer essa sessão solene foi uma grande honra e não pensei duas vezes. A sociedade teresinense sabe a importância desse serviço. Homenagem mais do que justa. Parabéns aos que constroem o SAMU. Sem vocês, o SAMU não existiria. São mais de 870 mil atendimentos feitos em Teresina. Acima desses números, está a qualidade do serviço prestado”, destacou o vereador Enzo Samuel.

Presente na solenidade, o paciente Valmir da Silva, que levou doze tiros em órgãos importantes e foi socorrido por ambulância de suporte avançado do SAMU, recebeu placa de homenagem. “Sei que muitas pessoas me ajudaram, mas tudo foi iniciado pela ambulância. Agradeço por isso. O SAMU é um trabalho de Deus, é bonito, salva vidas. Se não fosse por causa deles, eu não estaria vivo”, explicou.

O motorista do SAMU, Carlos Vilaça, representou os servidores do SAMU na sessão solene e também fez homenagem aos servidores que já faleceram. “Esse reconhecimento feito hoje eleva a nossa estima para exercer o nosso trabalho. Trabalhar no SAMU é uma vocação, é para quem se identifica e é uma honra atender e ajudar pessoas em situação de urgência e emergência”, disse.

A diretora geral do SAMU, Francina Amorim, relembrou que o SAMU Teresina tem se destacado a nível nacional, tendo sido o primeiro serviço pré-hospitalar do Brasil a implantar núcleo de segurança do paciente para evitar/minimizar falhas durante a assistência.  “Agradecemos a oportunidade em homenagear os servidores que chamamos de anjos azuis. Este é um dos reconhecimentos mais expressivos já acontecido na história do SAMU Teresina”, afirmou.

O SAMU é um programa do Governo Federal, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina e que presta socorro a pacientes em caso de urgência e emergência clínica, obstétrica, traumática e psiquiátrica. Para ter acesso ao serviço, basta ligar para o número 192. O médico regulador então decide se é necessário o envio de ambulâncias, motolâncias ou se faz orientações médicas.

SAMU realiza mais de 870 mil atendimentos em 15 anos

Ascom/FMS

Nesta terça-feira (24), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina completou 15 anos de existência e atingiu a marca de 870 mil atendimentos à população. O número compreende orientações médicas via 192 e deslocamentos de ambulâncias para atender urgências e emergências na capital piauiense.

Para celebrar a data, os profissionais socorristas estiveram na Praça João Luís ensinando técnicas de primeiros socorros. Uma das pessoas que aprovou essa iniciativa foi a pedagoga Francisca das Chagas. “Nem todo mundo conhece o trabalho do SAMU e as técnicas de primeiros socorros que podem salvar vidas e essa ação levou conhecimento riquíssimo para as pessoas”, afirmou.

As pesquisas apontam que o trabalho desenvolvido pelo SAMU, antes da chegada do paciente no ambiente hospitalar, contribui significativamente para aumentar a sobrevida dos pacientes. “Nesse momento de comemoração, parabenizamos os profissionais pela dedicação ao serviço”, destacou o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Charles Silveira.

O presidente relembra que o SAMU Teresina tem se destacado a nível nacional. “O nosso SAMU foi o primeiro do Brasil a implantar o núcleo de segurança do paciente e foi pioneiro no Nordeste a criar projeto de Libras. Além disso, tem materiais de alto custo e que são utilizados em poucos SAMUs do país, a exemplo do medicamento que reverte infarto agudo do miocárdio”, ressaltou.

O condutor socorrista do SAMU, Francisco Feitosa, aproveitou a oportunidade e relatou que o serviço de salvar vidas é satisfatório.  “É muito gratificante trabalhar no SAMU. Tem pessoas que nem conheço e que me abordam e dizem: ‘Olha, naquele dia meu pai ficou bom graças a você’. A gente se sente feliz, porque fazemos com prazer e somos reconhecidos pelas ruas que a gente anda, comemorou.

O trabalho do SAMU

O SAMU é um programa do Governo Federal, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, e que presta socorro a pacientes em caso de urgência clínica, obstétrica, traumática e psiquiátrica. Para ter acesso ao serviço, basta ligar para o número 192. O médico regulador então decide se é necessário o envio de ambulâncias, motolâncias ou se faz orientações médicas.

SAMU Teresina recebeu um trote a cada dois dias

Foto: Ascom/ FMS

De janeiro a julho de 2019, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina recebeu um trote a cada dois dias, totalizando 119 deslocamentos de ambulâncias para ocorrências que eram falsas. Agora, com a recente modernização do sistema do 192, é possível registrar os números que acionaram indevidamente o Serviço.

“O SAMU implantou um moderno sistema de call center e linhas telefônicas digitais na sala do 192. Isso possibilita que a gente deixe registrado o número da pessoa que passou trote. Então, nas próximas ligações, a telefonista verá essa informação”, explica a diretora do SAMU, Francina Amorim.

O caso só é considerado trote quando a pessoa liga para o 192 e passa uma informação falsa que gera envio desnecessário de ambulâncias para o local solicitado. “Isso é criminoso e prejudica o nosso trabalho de salvar vidas, onde o tempo é precioso”, finaliza Francina Amorim.

A enfermeira do SAMU, Tânia Furtado, relembra uma ocasião em que a sua equipe foi deslocada para um trote de acidente de transito envolvendo criança. “Isso é um crime. Nós estávamos preocupados, gastamos combustíveis, separamos materiais, perdemos tempo, quando poderíamos estar atendendo uma ocorrência real”, comenta.

O SAMU é um programa do Governo Federal, administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) e que presta socorro a pacientes em caso de urgência clínica, obstétrica, traumática e psiquiátrica. Atualmente, dispõe de oito ambulâncias básicas, três avançadas e quatro motolâncias.

Criança surda se forma em socorrista-mirim no SAMU em Teresina

Renato Bezerra

Fernanda Arielle, de 11 anos, é a primeira criança surda a se formar no Projeto Samuzinho em Teresina. Durante um ano, teve aula de primeiros socorros traduzidas em libras e, na última quarta (28), juntamente com a sua turma composta de 52 crianças, recebeu certificado e medalha pela conclusão do curso. Agora, os socorristas-mirins estão aptos a disseminar o conhecimento adquirido para a população.

“Estou feliz por participar do projeto Samuzinho. Todo mundo queria ver a minha formatura. A minha família ficou na expectativa por esse momento. Lembro que quando tinha aula eu ficava ansiosa para ir ao SAMU e aprender as técnicas.  Já sei fazer a manobra de reanimação cardíaca, de desengasgo e quais são os telefones de urgência. Tudo que aprendia contava para a minha mãe quando chegava em casa”, conta a pequena Fernanda Arielle.

Com o ensino de libras, essa edição do projeto contribuiu com a inclusão social. “A professora de idiomas Patrícia Marques ensinou sinais básicos de libras às crianças, viabilizando a comunicação com pessoas surdas. Como tínhamos crianças surdas em sala, todas as aulas também foram traduzidas para essa língua”, ressalta a Francina Amorim, diretora geral do SAMU.

Entre os socorristas-mirins que receberam o certificado está também o Walter Neto, criança de sete anos que ficou conhecida nacionalmente após ter salvado o seu primo Alírio Davi, de apenas 3 anos, que havia se engasgado com bolo alimentar que continha espinha de peixe. O caso aconteceu em junho, no bairro Santo Antônio, zona Sul de Teresina. “Participar do Samuzinho foi legal, aprendi várias técnicas e agora sei salvar pessoas”, conta Walter Neto.

Presente na formatura, o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Charles Silveira, ressaltou que o projeto Samuzinho contribui para o desenvolvimento da cidadania dos pequenos. “Hoje, celebramos a formatura de 52 crianças. Eles viraram socorristas-mirins e podem contribuir com a transformação da sociedade, na medida em que possuem o conhecimento para ajudar o próximo em uma situação de urgência”, afirma.

A formatura contou também com a participação do vice-prefeito Luiz Junior; do neurologista, Benjamin Vale; da diretora geral do SAMU, Francina Amorim; do diretor médico, José Ivaldo, da coordenadora do NEU do SAMU, Naldiana Cerqueira, representando Laurimary Caminha; das instrutoras do Projeto Samuzinho Tânia Furtado, Elisângela de Jesus, Iara Macedo, Patrícia Marques e Francilene Santos, além de profissionais da FMS e de familiares das crianças.

Como funciona o projeto

O Projeto Samuzinho foi idealizado pelo SAMU, órgão administrado pela FMS, e ensina técnicas de primeiros socorros para crianças com idade entre 7 e 12 anos. “O cronograma de aulas foi amplo e contemplou várias técnicas, como reanimação cardíaca e desengasgo”, relata Laurimary Caminha. Ela explica, ainda, que quando houver abertura de inscrição de crianças para formação de novas turmas do projeto, a FMS irá divulgar na mídia.