FMS reforça serviços de saúde mental durante a pandemia

O isolamento social, medida necessária para conter a disseminação do novo coronavírus, e os medos e inseguranças relativos à doença podem trazer efeitos nocivos na saúde mental da população. Pensando nisso, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) reforçou os serviços de saúde mental, por meio da implantação do teleatendimento para facilitar o acesso sem precisar sair de casa, como as consultas psicológicas do Alô Saúde Teresina e o serviço de saúde mental voltado para servidores da instituição. Além disso, manteve a assistência nos sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e também o Provida, específico para atender pessoas com ideação suicida.

Por meio de uma ligação gratuita para o número 0800 291 0084, os teresinenses podem ter acesso ao serviço de psicologia do Alô Saúde Teresina. Durante os atendimentos, os psicólogos da FMS irão escutar e avaliar quais as principais queixas, sintomas e limitações causadas no indivíduo em decorrência do distanciamento social ou da Covid-19. “Todo o atendimento será sigiloso. Se houver necessidade, os profissionais indicarão a periodicidade da teleconsulta necessária ou poderão fazer encaminhamentos para a rede de saúde mental”, conta Isabel Karine, gerente de Saúde Mental da FMS. Desde o início do serviço, no começo de maio, mais de 900 atendimentos foram realizados.

Já os trabalhadores da saúde, que enfrentam uma carga psicológica muito grande diante da exposição ao risco e gravidade dos casos que atendem, têm ao seu dispor um atendimento específico, feito por plataforma virtual e mediante agendamento. Os interessados podem marcar sua consulta por meio do número (86) 99516-7820, nos horários de 8h às 12h e de 12h às 18h, de segunda a sexta. “Durante o agendamento, basta o servidor informar sua lotação e número de matrícula”, esclarece a gerente de saúde mental da FMS.

Ela explica que a criação desses serviços se deu para evitar o aumento nos casos de transtornos mentais em função do isolamento e dos temores diante das incertezas acerca de uma doença ainda tão desconhecida como a Covid-19. “Estudos apontam que, durante o período de pandemia, cerca de 1/3 da população vai apresentar algum sofrimento psíquico. Temos observado também que as pessoas têm desenvolvido alguns transtornos como TOC, depressão e ansiedade, em função da situação em que vivemos”, comenta.

Os sete CAPS seguem em funcionamento nos dias úteis, das 8h às 11h e das 14h às 17h, e estão voltados para atendimento de pessoas em situação de crise psiquiátrica. Esses locais realizam a triagem e o acolhimento de pacientes que buscam espontaneamente o serviço, além de atendimento ambulatorial nas áreas de psiquiatria e psicologia durante a pandemia. A entrega de medicação também está funcionando.

Há ainda o Provida, ambulatório que conta com psicólogos e psiquiatras para atender pacientes com comportamento suicida e que funciona dentro do Centro de Saúde Lineu Araújo. O serviço funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h, e conta atualmente com três psicólogos e dois médicos psiquiatras. “O atendimento no Provida é por demanda espontânea, ou seja, não precisa de agendamento prévio”, ressalta Isabel Karine.

Em caso de urgências psiquiátricas, como surto psicótico e tentativa de suicídio, é possível chamar uma ambulância do SAMU, por meio do número gratuito 192, ou ir diretamente ao Hospital Areolino de Abreu, que é referência para esse tipo de atendimento e conta com médicos psiquiatras.

FMS lança serviço de atendimento em saúde mental para servidores

Diante de toda a carga psicológica trazida pela pandemia de Covid-19, torna-se importante cuidar da saúde mental daqueles que lidam diretamente com o serviço de saúde. Por isso, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) lança um serviço de atendimento em saúde mental para seus servidores. Os agendamentos iniciam a partir de quinta-feira (04), por meio do número: (86) 99516-7820.

Os atendimentos acontecerão de segunda a sexta-feira, nos turnos manhã e tarde, a partir de segunda-feira (08), mediante agendamento. “A partir desta quinta (04), o servidor pode agendar seu atendimento no horário de 8h às 12h e de 12h às 18h, de segunda a sexta. Durante o agendamento, basta o servidor informar sua lotação e número de matrícula”, informa a terapeuta ocupacional Mayra Melo, chefe de Núcleo da Gerência de Saúde Mental da FMS.

A equipe de atendimento será formada por dois psicólogos e dois psiquiatras, com um profissional de cada área por turno, além de dois auxiliares administrativos que ficarão responsáveis pelo agendamento. “Os encontros serão virtuais, usando plataforma virtual que iremos disponibilizar”, conta Mayra Melo.

A terapeuta ocupacional reforça que o objetivo do serviço é promover a saúde mental dos funcionários da FMS neste momento delicado para a área de saúde. “Os profissionais que estão atuando no enfrentamento da Covid-19 estão lidando com o medo, a ansiedade e a exposição aos riscos que podem gerar sofrimento psíquico. Por isso é importante fazemos prestarmos este suporte”, diz Mayra Melo.

Alô Saúde

A FMS também está disponibilizando atendimentos em saúde mental para a população em geral por meio do Alô Saúde Teresina, no número 0800 291 0084. Por telefone, os psicólogos irão escutar e avaliar quais as principais queixas, sintomas e limitações causadas no indivíduo em decorrência da Covid-19. Todo o atendimento é sigiloso. Se houver necessidade, os profissionais indicarão a periodicidade da teleconsulta necessária ou poderão fazer encaminhamentos para a rede de saúde mental.

CMEI Vila Bandeirante realiza ações para cuidar da saúde mental dos seus colaboradores na pandemia

A equipe gestora do Centro Municipal de Educação Infantil Vila Bandeirante, zona Leste de Teresina, preocupada com a saúde mental das suas  professoras e colaboradores, tem promovido lives através de um grupo no WhatsApp para dar apoio psicológico, terapia, aconselhamento, cuidado mútuo, orações e entretenimento.

A iniciativa conta com a colaboração e orientação da psicóloga e psicanalista Drª. Ana Cléa Rodrigues, que realiza interações através de lives utilizando o aplicativo Zoom. Durante as lives é realizado o compartilhamento de experiências no enfrentamento desse momento de pandemia.

“Acreditamos que esse fortalecimento emocional é de grande contribuição para preparar a nossa equipe para o retorno das nossas atividades, quando forem normalizadas, e também motivador para desenvolvermos estratégias e alternativas para atender nossos alunos no retorno às aulas”, destacou Nordely Noronha Ferreira, gestora do CMEI.

Psiquiatra orienta como manter a saúde mental durante a pandemia

A crise gerada pela Covid-19 tem um forte impacto na vida das pessoas, com mudanças bruscas no dia a dia que afetam também a saúde mental. Para discutir este assunto, o prefeito Firmino Filho conversou com o psiquiatra Luciano Luz em live no Instagram nesta segunda-feira (04).

Durante a conversa, o prefeito questionou o motivo de muitas pessoas não cumprirem o isolamento social, apesar de ser uma medida essencial para conter a contaminação pelo novo coronavírus. O especialista explicou que a negação, um dos mecanismos de defesa do indivíduo, blinda o organismo no primeiro momento. “Só após a negação, é que o indivíduo segue para a contemplação, fase em que ele passa a acreditar que aquilo realmente existe. Mas, infelizmente, algumas pessoas só reagem mediante a concretude da coisa”, acrescentou o especialista.

No final do mês de abril, Teresina apresentou um dos piores índices de isolamento social, quando 43% da população ficou em casa. A estatística pode ter relação com uma reação comum entre as pessoas, que estão sempre buscando alguma recompensa. “Nosso cérebro é movido à novidade, socialização e busca por entretenimento, e para driblar a sensação de estar privado de liberdade, o indivíduo começar a burlar o confinamento. Isso não é linear, porque trabalhamos com recompensas. Assim que conquistamos o que queremos, ficamos satisfeitos”, disse.

Segundo o psiquiatra, neste período de quarentena, as pessoas transitam por momentos em que ficam mais deprimidas, ansiosas e mais irritadas. Para enfrentar essa situação, é importante que elas não se prendam apenas à pandemia, para que não desenvolvam um pensamento obsessivo. “É preciso lidar com outras coisas, se distrair, extrair o que a pessoa tem de criatividade e fazer uma reflexão sobre o que pretende executar depois da pandemia. E, o mais importante, acreditar que com o isolamento, isso logo vai acabar. Vamos instigar a esperança, mas todos precisam contribuir”, ressalta o médico.

O psiquiatra disse ainda que é necessário estar preparado para o período pós pandemia, onde haverá mais pessoas doentes e ainda o agravamento daquelas que já estavam em tratamento. “Teremos um grande aumento nos casos de depressão, nos níveis de ansiedade e teremos que enfrentar alguns desafios no tocante a pensamentos suicidas”, lamentou o médico.

O prefeito Firmino Filho frisou a importância de cuidar da saúde mental das pessoas neste período de quarentena. “Com uma nova rotina e novos hábitos, mais pessoas podem adoecer e doenças psíquicas podem se agravar, por isso é fundamental cuidar não só do corpo, mas também da mente”.

As pessoas que precisam de ajuda nesse período podem contar com três alternativas da Prefeitura de Teresina: psicólogos pelo telefone 0800 291 0084,  assistência nos sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) para pessoas com transtornos mentais graves e, ainda, o Provida, específico para atender quem tenta suicídio.

FMS tem força tarefa para garantir atendimento em saúde mental durante a pandemia

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) montou uma força tarefa para garantir o atendimento em saúde mental da população durante a pandemia do Coronavírus. Nesse período, estão sendo disponibilizadas três alternativas para quem precisa de ajuda: psicólogos pelo telefone 0800 291 0084,  assistência nos sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) para pessoas com transtornos mentais graves e, ainda, o Provida, específico para atender quem tenta suicídio.

Os sete CAPs funcionam em dias úteis, das 8h às 11h e das 14h às 17h, e estão voltados para atendimento de pessoas em situação de crise psiquiátrica. Esses locais realizam a triagem e o acolhimento de pacientes que buscam espontaneamente o serviço. A entrega de medicação também está funcionando, mas as atividades coletivas foram temporariamente suspensas para evitar aglomerações.

Em Teresina, há ainda o Provida, ambulatório que conta com psicólogos e psiquiatras para atender pacientes que tentaram suicídio e que funciona dentro do Centro de Saúde Lineu Araújo. Já as consultas com psicólogos e psiquiatras em ambulatórios foram temporariamente suspensas, por determinação do Ministério da Saúde.

Em caso de urgências psiquiátricas, como surto psicótico e tentativa de suicídio, é possível chamar uma ambulância do SAMU, por meio do número gratuito 192, ou ir diretamente ao Hospital Areolino de Abreu, que é referência para esse tipo de atendimento e conta com médicos psiquiatras.

A rotina das pessoas foi alterada e novos hábitos foram adotados durante o período de quarentena. “O isolamento social é necessário para salvar vidas, mas pode gerar ou mesmo agravar doenças psíquicas. Por isso, é preciso que as pessoas cuidem da sua saúde física e mental”, afirma a gerente de Saúde Mental da FMS, Isabel Karine.

“O ser humano não se constitui só de corpo, tem uma mente, que precisa ser cuidada, principalmente em tempo de quarentena. O sistema imunológico está intrinsecamente ligado à questão emocional. Se não cuidarmos bem da mente, essa pandemia pode ser muito mais perigosa e problemática para os piauienses”, alerta o psicólogo do CAPS II Leste, Cornélio Santiago

Dicas para manter a saúde mental no período da pandemia:

-Preste atenção aos seus sentimentos;

-Fique em contato com a sua rede de amigos por meio de telefone ou redes sociais;

-Mantenha rotina com atividades saudáveis;

-Busque informações sobre a pandemia em fontes confiáveis;

-Se possível, faça atividades que envolvam meditação;

–Se precisar falar com psicólogo, ligue para o 0800 291 0084, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h;

-Se houver necessidade, dirija-se à rede de saúde mental disponível em Teresina.

 

 

Confira endereços dos 7 CAPS de Teresina:

-CAPS Álcool e Drogas

ENDEREÇO: R/ Quintino Bocaiúva, nº 2978 Bairro – Macaúba

TELEFONE: 3215-7762

 

-CAPS LESTE

ENDEREÇO: Rua Visconde da Parnaíba, 2435 – Horto Florestal

TELEFONE: 3216-3967

 

-CAPS III

ENDEREÇO: Rua Costa Rica nº 466, Bairro Três Andares próximo ao Beto Som

TELEFONE: 3221-6422/3221-0092

 

-CAPS SUDESTE

ENDEREÇO: R/Poncion Caldas, Bairro Colorado Loteamento Parque do Sol Renascença. Ao lado da U.B.S Redonda

TELEFONE: 3236-8747/3234-2506E

 

-CAPS NORTE

ENDEREÇO: Rua Presidente Lincoln  nº 4727,  Bairro –São Joaquim

TELEFONE: 3213-2080

 

-CAPS II SUL

ENDEREÇO: Av. Barão de Gurguéia  2913, PIO XII

TELEFONE: 3218-4865

 

-CAPS INFANTIL

ENDEREÇO: Rua Coronel César 1566 Morada do Sol

TELEFONE: 3223- 9661

 

Prefeitura inicia atendimento psicológico por telefone em Teresina

O isolamento social, medida necessária para conter a disseminação do novo coronavírus, pode trazer efeitos nocivos na mente da população. Pensando nisso, a Prefeitura de Teresina inicia nesta segunda-feira (04) atendimento psicológico por telefone. É mais uma alternativa para ajudar na promoção da saúde mental das pessoas e evitar o agravamento de possíveis crises psíquicas, por meio do acolhimento e de escuta qualificada.

Para ter acesso ao serviço, formado por psicólogos da Fundação Municipal de Saúde (FMS), basta ligar para o Alô Saúde: 0800 291 0084, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. “Com a iniciativa, as pessoas terão orientação psicológica sem a necessidade de sair de casa”, afirma o diretor de Atenção Básica, Kledson Batista.

Durante os atendimentos, os psicólogos irão escutar e avaliar quais as principais queixas, sintomas e limitações causadas no indivíduo em decorrência do distanciamento social ou da Covid-19. Todo o atendimento será sigiloso. Se houver necessidade, os profissionais indicarão a periodicidade da teleconsulta necessária ou poderão fazer encaminhamentos para a rede de saúde mental.

A gerente de Saúde Mental da FMS, Isabel Karine, relata que o mundo vivencia um período de incertezas e insegurança. “A população pode sentir medo de estar contaminada, ter crise de ansiedade, estresse, depressão, irritabilidade, e outras consequências psicológicas mais severas”.

Ela alerta que é preciso cuidar do corpo e da mente, nesse momento atípico. “É recomendado fazer atividades físicas e de meditação com o intuito de reduzir o medo e a ansiedade. Outra dica é seguir as orientações das autoridades de saúde para não se contaminar com o vírus, além de também evitar informações em excesso”, finaliza Isabel.

UPA Renascença oferece suporte psicológico para familiares de pacientes com Covid-19

Ascom/FMS

A realidade do distanciamento social entre as pessoas e o número arrebatador de óbitos no mundo todo, causado pelo novo coronavírus, têm gerado desconforto, estresse e desequilíbrio emocional na população, bem como nos profissionais de saúde. Pensando nisso, a UPA do Renascença implantou o “Projeto Cuidando de Quem Cuida”, que se dá através de atendimento psicológico para todos os colaboradores da Unidade e familiares dos pacientes suspeitos/confirmados com Covid-19.

De acordo com a psicóloga Mércia Fernanda, são muitas as repercussões causadas com o aparecimento do novo coronavírus e todos esses fatores, além de causarem impactos emocionais, podem culminar no aparecimento ou agravamento de transtornos de ordem de saúde mental, como depressão ou ansiedade. “Assim, em meio à realidade que estamos vivendo, mostra-se imprescindível a atuação do psicólogo nos hospitais de referência, sobretudo naqueles de combate direto à Covid-19”, diz ela.

O psicólogo hospitalar tem como papel acolher e dar suporte a pacientes, familiares e equipes de saúde, minimizando os impactos psicológicos frente à pandemia, bem como promovendo humanização e saúde mental nesse momento tão necessário.

A colaboradora Juliane Ibiapina diz que gostou do projeto. “Como foi bom me sentir acolhida na Upa Renascença através do atendimento psicológico para nós profissionais, ainda mais frente ao que estamos vivenciando hoje. Falei dos meus problemas pessoais e de relacionamento, a importância está no valor agregado à nossa qualidade de vida no trabalho, que me permitiu laborar com mais motivação, com menos estresse. Aproveito para agradecer a gestão, na pessoa da Thamara, que vem tornando mais humanizadas as relações interpessoais aqui dentro. Eu realmente me senti mais aliviada e elevou minha autoestima no trabalho”.

A diretora Thamara Carvalho reconhece que a mudança de hábitos repentina e os dados epidemiológicos tem causado muita angústia nos nos profissionais. “Desta forma, é nosso dever cuidar de quem cuida. Por isso o nome do nosso projeto. Todos nós temos uma missão linda aqui dentro e não podemos desistir. Vamos ressignificar nossos sofrimentos e pedir ajuda. Dar valor ao auto cuidado. Juntos venceremos esta batalha”.

As consultas funcionam de segunda a sexta e a marcação se dá através do telefone no setor da Administração.