Ambulatório ProVida tem novo endereço em Teresina

O ambulatório especializado de saúde mental e de prevenção ao suicídio -ProVida- passa a funcionar, a partir de hoje (14), em novo endereço. A mudança para a rua Álvaro Mendes 1557, região central de Teresina, visa melhorar o atendimento à população.

“O ambulatório Provida funciona há quase sete anos atendendo pessoas com ideação suicida que buscam atendimento de forma espontânea com psiquiatra e psicólogo como forma de intervir emergencialmente, a curto prazo, a ideação suicida”, explica Laryssa Carvalho, gerente de Saúde Mental da FMS.

A modalidade de tratamento adotada pelo Provida é o de psicoterapia de crise, que consiste numa intervenção emergencial de curto prazo, com duração média de seis a oito semanas, com objetivo de reduzir a perturbação mental e, consequentemente, o risco de suicídio, requerendo um atendimento especializado. “O atendimento tem continuidade com encaminhamento para o serviço mais adequado, que pode ser na rede de saúde mental, por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), conforme as necessidades do paciente e de suporte aos familiares do paciente”, explica Larissa.

Para atender a comunidade, funcionam em Teresina sete Centros de Atendimento Psicosocial (CAPS), o serviço Residencial Terapêutico e o ambulatório ProVida (atendimento para quem tem ideação suicida).

Os serviços Especializados de saúde mental da FMS são os seguintes:

Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas-CAPS AD
Endereço: Rua Quintino Bocaiúva,2978 – Bairro Macaúba-Teresina/PI CEP 64016-060.
Fone: 3215-7762

CAPS Infantil – CAPSi
Centro de Atenção Psicossocial Infantil
Endereço: Rua Coronel Cezar,1566. Bairro: Morada do Sol-Teresina/PI CEP 64055-645
Fone: (86) 3223-9661

CAPS Tipo II- Sul
Endereço: Av. Barão de Gurguéia ,2913. Bairro Pio XII-Teresina/PI CEP 64018500
Telefone: (86) 3218-4865

CAPS Tipo II-Leste
Endereço: Rua Visconde da Parnaíba, 2435. Bairro Horto Florestal-Teresina/PI CEP 64049570.
Telefone: (86) 3216-3967

CAPS Tipo II-Sudeste
Endereço: Rua Poncion Caldas, Bairro Colorado – Loteamento Parque do Sol – Renascença (ao lado da U.B.S Redonda)
Telefone: (86) 3236-8747

CAPS Tipo II-Centro/Norte
Endereço: Rua Presidente Lincoln, 4727, Bairro São Joaquim
Telefone: (86) 3213-2080
CAPS Tipo III-Sul
Endereço: Rua Costa Rica, 466. Bairro Três Andares- Teresina/PI CEP 64016380
Telefone: (86) 3221-6422 / 3221-0092
Todos os CAPS atendem das 8h às 11h30, das 14h às 17h, de segunda a sexta-feira.

SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO TIPO II
Endereço: Rua Climério Bento Gonçalves,705, Bairro São Pedro – Zona Sul –Teresina/PI CEP 64019400
Telefone: (86) 32221-4472
Atendimento com moradia para pessoas com transtorno mental e sem assistência familiar.

AMBULATÓRIO PROVIDA
Endereço: Rua Álvaro Mendes,1557, Centro- Teresina/PI CEP 64000-060
Funcionamento das 8h às 12h e das 14h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Primeiro atendimento por demanda espontânea e os demais com agendamento.

SMPM reúne especialistas e religiosas para tratar do cuidado à saúde mental e do empoderamento das mulheres

No mundo onde há intolerância, violência, os direitos das mulheres são desrespeitados. Essa e outras questões nortearam a mesa de discussão “Interface da Saúde Mental e da religião no empoderamento das mulheres”, que foi realizada pela Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) no auditório da Faculdade UniNassau (unidade Redenção) na manhã desta quinta-feira (27).

O encontro reuniu especialistas da saúde psíquica e representantes das religiões evangélica, umbanda e candomblé que fomentaram diálogos sobre as interfaces de experiências exitosas relativas à promoção e atenção do cuidado e fortalecimento da saúde mental das mulheres, numa perspectiva de gênero.

A secretária da Mulher, Karla Berger, defende que o momento oferece uma conexão de outras pastas para o enfrentamento de vulnerabilidades que acometem as mulheres com maior frequência. “Acreditamos que debater em outras interfaces, como a saúde e a religião, também pode provocar outros instrumentos para o empoderamento feminino”, detalha. “Vimos a religiosidade como um fator importante no seu desenvolvimento”, avalia a secretária.

O evento seguiu as normas sanitárias devido ao aumento de casos da Covid-19 e foi transmitido ao vivo de forma remota pela plataforma Google Meet, onde os participantes interagiram com perguntas. A educadora social e representante do candomblé, Assunção Aguiar lembrou que a saúde da mulher “foi a mais afetada por episódios extremos de violações, principalmente se ela for negra, e sofrer racismo isso a fragiliza”, observa.

Presente à mesa, o médico psiquiatra Samuel Robson refletiu dois pontos: “na perspectiva da saúde vemos o adoecimento das mulheres por conta do aumento da violência que elas sofrem, no empoderamento elas tendem a buscar um poder do que é justo. A condição é que a sociedade busque um nível de paz para alcançar a transformação”, considerou o psiquiatra.

 

A saúde mental das mulheres teresinenses foi discutida como peça chave pelo psicólogo Wellington Rodrigues. “São 11 mil medidas protetivas só no Piauí e isso tem adoecido as mulheres. São elas que buscam mais os atendimentos psicológicos e isso reflete que ela quer ficar bem”, atentou.

“O que entendo como a religiosidade pode estar auxiliando para as mulheres é na forma dela construir seus espaços na vida, na forma dela vivenciar e enfrentar o seu sofrimento além de ter uma buscar por um alívio e a religião promove isso na vida”, sintetizou, ainda durante a roda, a professora evangélica, Layone Holanda.

Para debater os assuntos finais, os especialistas sustentam que é preciso ter um diálogo com para um cenário de transformação. “A espiritualidade tem que trazer o acolhimento mais é com o empoderamento das mulheres que conseguimos reduzir a desigualdade” concluiu a Terapeuta Holística e representante da Umbanda, Mãe Eufrazina de Iansã.

Saúde Mental divulga programação para o Janeiro Branco na rede municipal

Chamado de Janeiro Branco, o primeiro mês do ano é dedicado à conscientização acerca dos cuidados com a saúde mental. Em alusão ao período, a Fundação Municipal de Saúde está preparando uma série de atividades, que se iniciam no dia 14 de janeiro e contarão com pontos de escuta, ação educativa e plenárias regionais em preparação para a V Conferência Municipal de Saúde.

A Gerente de Saúde Mental da FMS, Laryssa Carvalho, ressalta que, embora a saúde mental precise de cuidados o ano inteiro, o mês de janeiro – marcado pela ideia de renovação, estabelecimento de metas e resoluções para o ano que se inicia – é dedicado a chamar atenção da população em geral sobre os cuidados com a mente. “É importante lembrarmos que, quando nossa Saúde Emocional está em dia, as coisas certamente se tornam mais leves. Por isso convidamos os teresinenses a lembrar o quanto sua vida importa e sua Saúde Mental também”, diz.

Centro de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil – CAPSi (Foto: Ascom/FMS)

A primeira atividade será no dia 14, com a instalação de um Ponto de Escuta – onde a população terá acesso a um momento de escuta e acolhimento – na Praça Rio Branco, no centro da capital. Entre os dias 17 e 20 de janeiro, serão realizadas as plenárias em cada região da cidade para a V Conferência Municipal de Saúde, que contarão com a participação de todos os agentes que atuam na saúde mental. Por fim, no dia 28 de janeiro, acontece uma atividade no semáforo do Cruzamento das Avenidas Nossa Senhora de Fátima e Dom Severino (Sinal do McDonald’s), que terá caráter educativo.

Laryssa Carvalho reforça que a saúde mental começa com pequenos cuidados individuais que podem ser praticados no dia-a-dia. “Coloque na sua agenda de todo dia uma meta de cuidado consigo mesmo. Lembre que esse cuidado está em pequenos e grandes detalhes. Ele vai desde se dedicar a fazer uma atividade que te agrada (ouvir música, ler, desenhar e etc) até buscar um acompanhamento profissional”, diz.

A FMS dispõe ainda de Serviços Especializados que vão desde Atendimentos Ambulatoriais, Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) até internação para casos mais graves.

CAPS AD
Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras  Drogas
Endereço: Rua Quintino Bocaiúva, n e 2978 –  Bairro Macaúba-Teresina/PI CEP 64016-060.
Fone: 3215-7762

CAPS Infantil – CAPSi
Centro de Atenção Psicossocial Infantil
Endereço: Rua Coronel Cezar, nº 1566. Bairro: Morada do Sol-Teresina/PI CEP 64055-645
Fone: (86) 3223-9661

CAPS Tipo II- Sul
Endereço: Av. Barão de Gurguéia 2913. Bairro Pio XII-Teresina/PI CEP 64018500
Telefone: (86) 3218-4865

CAPS Tipo II-Leste
Endereço:Rua Visconde da Parnaíba, 2435. Bairro Horto Florestal-Teresina/PI CEP 64049570.
Telefone: (86) 3216-3967

CAPS Tipo II-Sudeste
Endereço: Rua Poncion Caldas, Bairro Colorado – Loteamento Parque do Sol – Renascença (ao lado da U.B.S Redonda)
Telefone: (86) 3236-8747

CAPS Tipo II-Centro/Norte
Endereço: Rua Presidente Lincoln, 4727, Bairro São Joaquim
Telefone: (86) 3213-2080

CAPS Tipo III-Sul
Endereço: Rua Costa Rica. Nº 466. Bairro Três Andares- Teresina/PI CEP 64016380
Telefone: (86) 3221-6422 / 3221-0092

SERVIÇO RESIDENCIAL TERAPÊUTICO TIPO II
Endereço: Rua Climério Bento Gonçalves Nº 705, Bairro São Pedro – Zona Sul –Teresina/PI CEP 64019400
Telefone: (86) 32221-4472

Janeiro Branco – Programação

Dia 14
Atividade Ponto de Escuta (atividade de escuta de acolhimento a população)
Local: Praça Rio Branco

Dias 17 a 20 de janeiro
Plenárias em cada região da cidade da V Conferência Municipal de Saúde
17/01 Centro de Formação Odilon Nunes
18/01 Escola Municipal Manoel Paulo Afonso
19/01 Teatro Paulo II
20/01 Cras Sul III

Dia 28
Atividade Semáforo da Vida no sinal
Local: Sinal do Cruzamento das Avenidas Nossa Senhora de Fátima e Dom Severino (Sinal do McDonald’s)

Tentativas de suicídio e violência entre pessoas afetam mais as mulheres, revela estudo do Observatório da Mulher Teresina

A pandemia da Covid-19 trouxe inúmeras consequências para a saúde mental. Na vida das mulheres, situações que já eram desgastantes mentalmente foram potencializadas, aumentando o adoecimento mental, é o que revela o levantamento feito pelo Observatório Mulher Teresina, vinculado à Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM).

Conforme dados fornecidos pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) obtido através do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), o Observatório Mulher Teresina aponta que nos anos de 2019 e 2020, os registros de violência entre pessoas e tentativas de suicídios são expressivamente maiores entre mulheres de Teresina.

“O contexto de isolamento social, com a intensificação da convivência familiar no ambiente doméstico no período de pandemia aumentou o risco para a vida de mulheres”, afirma Suzianne Santos, técnica do observatório.

Segundo a técnica, o primeiro ano de pandemia por COVID-19 em Teresina, houve um aumento de ambos tipos de violência para as mulheres e uma diminuição para os homens. Entre as mulheres, a violência cometida por parte de outras pessoas é um pouco maior do que a violência contra si mesma. Já entre os homens, o registro de tentativas de suicídio é maior do que a violência entre pessoas.

O estudo revela ainda que nos registros de 2019 e 2020, 70% e 71% dos casos de violência entre pessoas foram praticadas contra as mulheres, respectivamente. Nas tentativas de suicídio, as mulheres apresentam os maiores percentuais nos dois anos, ocorrendo também um pequeno aumento em 2020. Enquanto nas tentativas de 2019, elas representavam 69%, o percentual foi de 70% em 2020.

Distribuição percentual da violência interpessoal e tentativa de suicídio , segundo sexo, teresina 2019 a 2020.

OMT/SMPM, 2021 Fonte de dados: SINAN-NUVIVA/FMS

“Os dados analisados pelo Observatório Mulher Teresina, estima-se que entre 2019 e 2020, mulheres teresinenses tentaram suicídio 1 a 2 vezes mais que homens.A jornada ampliada de trabalho – remunerado e não remunerado – e a centralidade da mulher no cuidado com os outros representam uma maior sobrecarrega física e emocional”, destaca Suzianne Santos.

Uma preocupação levantada pelo estudo é a relação entre a vivência em violência e o sofrimento, que pode levar a episódios de depressão, ansiedade e tentativa de suicídio. A coordenadora Suzianne Santos destaca que alguns estudos relacionam o maior sofrimento psíquico e possibilidade de tentativa de suicídio em mulheres que sofrem violência doméstica e/ou familiar, ressalta ainda que, além de serviços especializados  em saúde mental, é fundamental o acompanhamento fornecido por serviços especializados da Rede de Atendimento à Mulher em Situação de violência, como o Centro de Referência Esperança Garcia (CREG), que contribuem no enfrentamento à situação de violência e fortalecimento da autonomia dessas mulheres.

“É importante enfatizar a predominância de tentativa de violência contra si das mulheres negras (pretas e pardas), sendo 41% dos casos em 2019 e 37% em 2020, que neste grupo, o maior o percentual é o de mulheres pardas (35% em 2019 e 30% em 2020). Entendendo que em 2020, apresenta-se um pequeno aumento entre as mulheres pretas (6% em 2019 e 7% em 2020)”, disse a técnica baseados nos dados gráficos apresentados pelo observatório.

Distribuição percentual de violência autoprovocada, segundo raça/etnia, sexo feminino, Teresina, 2019 a 2020

OMT/SMPM, 2021 Fonte de dados: SINAN-NUVIVA/FMS

Observatório Mulher Teresina finaliza o estudo ressaltando a relação entre saúde mental e o modo como a sociedade estrutura suas relações sobre gênero, raça/etnia, sexualidade e classe. O machismo, sexismo e racismo trazem consequências objetivas e subjetivas nas trajetórias de vida e perspectivas sobre a vida, sendo importante pensar em políticas públicas integradas de enfrentamento a discriminações e de garantia a direitos.

FMS disponibiliza consultas especializadas em saúde mental e internação

O Hospital da Primavera realiza atendimentos de saúde mental Fotos(Ascom/FMS)

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) disponibiliza atendimento de serviços de saúde mental com consultas especializadas em Psiquiatria, Psicologia e com leitos de internação no Hospital do bairro Primavera. As consultas agendadas, por meio da regulação do SUS, são nos ambulatórios dos hospitais dos bairros Dirceu, Primavera, Satélite, Promorar, no Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo e para as crianças no Hospital Municipal da Criança (Parque Piauí).

Sem necessidade de agendamento, os atendimentos de saúde mental são realizados em sete Centros de Assistência Psicossocial (CAPS) nos bairros com funcionamento manhã e tarde. O CAPS Álcool e outras Drogas funciona no bairro Macaúba (zona Sul); CAPS Infantil, no Morada do Sol (zona Leste); CAPS II no bairro Pio XII (zona Sul); CAPS II Leste, bairro Horto Florestal; CAPS Tipo II, no bairro Renascença (zona Sudeste); CAPS Centro Norte, no bairro São Joaquim e CAPS Tipo III, atendimento 24h, bairro Três Andares (zona Sul).

O atendimento também é realizado sem agendamento manhã e tarde no Provida, ambulatório para atendimento para quem está com ideação suicida, localizada na rua Desembargador Freitas, 1599, Centro/Sul.
No Provida, se houver necessidade, é feito o encaminhamento para o paciente ter continuidade no atendimento com consulta especializada em consultório com psiquiatra ou psicólogo. Caso o paciente esteja em crise, o Provida providencia internação para tratamento.

Nos CAPS é feito atendimento e triagem e se o paciente necessitar terá outros atendimentos no mesmo CAPS e se não for perfil de atendimento no CAPS terá agendamento para consulta com psiquiatra ou psicólogo. Caso o paciente procure atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS), o médico dá encaminhamento para agendamento de consulta especializada.

A Gerência de Saúde Mental da FMS informa que foram 2.330 atendimentos em Psiquiatria e Psicologia, de janeiro a abril, nos quatro primeiros meses do ano. A gerente Laryssa Carvalho explica sobre esses serviços. “Nesse mês de setembro, quando estamos trabalhando a Campanha de Saúde Mental de Setembro a Setembro Sua Vida Importa estamos informando sobre todos os serviços disponibilizados e pedimos que as pessoas que têm algum sofrimento mental procurem a nossa rede de atendimento”, orienta.

FMS realiza atividades no Dia Mundial da Prevenção do Suicídio

A Fundação Municipal de Saúde (FMS), por meio da Gerência de Saúde Mental, realiza hoje, 10, no Dia Mundial da Prevenção do Suicídio, várias atividades para chamar a atenção para a valorização da vida como parte do projeto De Setembro a Setembro Sua Vida Importa.

No início da manhã de hoje (10) teve a Ação Semáforo da Vida com distribuição de material educativo, no cruzamento das avenidas Frei Serafim com Miguel Rosa.

Na tarde de hoje, às 16h, acontece o Pedalando por Uma Vida Melhor, com saída da Ponte Anselmo Dias, passando pelas pontes Wall Ferraz, Juscelino Kubitschek (Frei Serafim).

Às 17h30, na ponte Estaiada, tem o encerramento do pedal, realização de buzinaço com a participação do grupo de motociclistas Abutres e de profissionais da rede de saúde mental e pacientes.

Durante esta semana Unidades Básicas de Saúde (UBS) e a UPA do Satélite realizaram atividades para tratar da saúde mental e da valorização da vida. “Nós realizamos rodas de conversas nos nossos setores como forma de sensibilizar as pessoas sobre a importância do diálogo. Distribuímos também material com informações sobre onde procurar ajuda em saúde mental”, explica Luciana Silveira.

Os profissionais do Núcleo de Vigilância da Violência e Acidentes (Nuviva) da FMS, realizaram hoje roda de conversa com o tema valorização da vida. A chefe de núcleo, Elaine Monteiro, diz que todos os anos nessa data é planejada uma ação. “É uma forma de acolhida também a quem busca atendimento na sede da Coordenadoria de Gestão do SUS e entre os profissionais. Decoramos os ambientes, utilizamos música de mensagens positivas e na recepção distribuímos material educativo. Entre os profissionais nós temos roda de conversa”, fala.

A gerente de Saúde Mental da FMS, Laryssa Carvalho, destaca a necessidade de atenção com a saúde mental. “ Temos uma rede de atendimento onde as pessoas que estão com algum sofrimento mental podem buscar atendimento nos CAPS localizados nos bairros, no Provida que fica localizado no centro. É muito importante que as pessoas busquem ajuda”, diz.

Foto: Divulgação (FMS)

FMS realiza abertura do Setembro Amarelo com projeto De setembro a Setembro Sua Vida Importa

A Fundação Municipal de Saúde (FMS), através da Gerência de Saúde Mental, realiza nesta quarta-feira (1) a abertura do Setembro Amarelo, que é o mês de alusão a prevenção ao suicídio, a partir das 8h30, no Cine Teatro da Assembleia Legislativa. O objetivo da campanha é reforçar a importância dos cuidados com a saúde mental.

Na abertura terá o lançamento do projeto de prevenção anual do suicídio que este ano tem como tema De Setembro a Setembro a Sua Vida Importa, além de apresentação cultural com a Companhia Equilíbrio, palestra com a especialista em prevenção e posvenção do suícuidio, Késia Mesquita. Esse evento contará com a presença de gestores municipais, além de coordenadores e profissionais representantes dos serviços de saúde mental da Prefeitura de Teresina.

A palestrante Késia Mesquita, vai tratar do tema da campanha e compartilhar as experiências pessoais de ter perdido pessoa da família por motivo de suicídio. “Vou abordar a rede de serviços oferecidos, mobilizar, sensibilizar, pois a informação pode ser o diferencial entre a vida e a morte. Também vou enfocar sobre o autocuidado dos profissionais que lidam diariamente com os pacientes para terem um olhar de cuidado interior”, ressalta.

A coordenadora de Saúde Mental da FMS, Laryssa Carvalho, destaca o atendimento da FMS. “ Temos diversos serviços espalhados pela cidade e alguns de demanda espontânea para quem necessitar desse cuidado especial”, fala.

Rede de serviços de saúde mental da FMS

*PROVIDA

Serviço de atendimento ambulatorial especializado de saúde mental e de prevenção ao suicídio. Funciona de segunda a sexta-feira, de manhã e tarde (8h as 12h e de 14h às 18h). Para ser atendido, o usuário pode procurar diretamente o serviço que funciona no seguinte endereço:

Rua Desembargador Freitas, nº 1599, Edifício Paulo VI.  Telefone (86) 3215-7709

 

*Centros de Atenção Psicossocial-CAPS

Atendem homens e mulheres maiores de 18 anos que apresentam sofrimento psíquico, que impossibilite de viver e realizar seus projetos de vida. Para serem atendidos, os pacientes devem procurar diretamente o serviço ou ser encaminhado pelo Programa de Saúde da Família (PSF) ou por qualquer serviço de saúde. Teresina tem sete CAPS distribuídos em todas as zonas da cidade.

*CAPS AD – Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas é um serviço de atendimento as pessoas com problemas pelo uso de álcool ou outras drogas.

Endereço: Rua Quintino Bocaiúva, nº 2978.  Bairro Macaúba-Teresina/PI

Fone: 3215-7762

E- mail: capsadthe@gmail.com

Horário de Funcionamento: segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 14h às 17h.

 

*CAPS Infantil – CAPSi – Atende crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes e problemas relacionados ao uso e abuso de álcool e outras drogas e suas famílias de referência dentro da abrangência do território, possibilitando a reorganização social, emocional, educacional, laborativa para a vivência plena da cidadania.

Endereço: Rua Coronel Cezar, nº 1566. Bairro Morada do Sol.

Fone: (86) 3223-9661

E-mail: capsithe@hotmail.com

Horário de Funcionamento: segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

*CAPS II SUL – oferece três níveis de atendimento, dependendo da gravidade com a qual o paciente é diagnosticado. O primeiro é o intensivo, em que o usuário permanece o dia todo no Centro até que a sua situação se normalize. O segundo é o semi-intensivo, em que o usuário é acolhido e recebe acompanhamento três vezes por semana, de segunda a sexta-feira; e o terceiro é o não-intensivo, com acompanhamento, em média, três vezes por mês.

Endereço: Av. Barão de Gurguéia 2913. Bairro Pio XII.

Telefone: (86) 3218-4865

E-mail: caps2sul@hotmail.com

Horário de Funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

*CAPS II Leste realiza acompanhamento clínico e psicossocial, em pessoas maiores de 18 anos, com transtornos mentais graves e severos, buscando a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercícios dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

Endereço: Rua Visconde da Parnaíba, 2435. Bairro Horto Florestal.

Telefone: (86) 3216-3967

E-mail: capsleste2@hotmail.com

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

*CAPS II Sudeste – realiza o acompanhamento clínico e psicossocial, em pessoas maiores de 18 anos, com transtornos mentais graves e severos, buscando a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercícios dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

Endereço: Rua Poncion Caldas, Bairro Colorado – Loteamento Parque do Sol – Renascença (ao lado da U.B.S Redonda)

Telefone: (86) 3236-8747

E-mail: capssudeste@hotmail.com

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 12 horas e das 14h às 17h.

*CAPS II Centro/Norte – Trabalha no acompanhamento clínico e psicossocial, em pessoas maiores de 18 anos, com transtornos mentais graves e severos, buscando a reinserção social dos usuários pelo acesso ao trabalho, lazer, exercícios dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.

Endereço: Rua Presidente Lincoln, 4727, Bairro São Joaquim

Telefone: (86) 3213-2080

E-mail: capsnorte@hotmail.com

Horário de funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

*CAPS III SUL é um serviço ambulatorial de atenção contínua, funcionando durante 24 horas diariamente, incluindo feriados e finais de semana, com atendimento da rede de cuidados em saúde mental no âmbito do seu território.

Endereço: Rua Costa Rica, 466 – Três Andares, Teresina – PI, 64016-380

Fone (86) 3221 0092

E-mail: caps3sul@yahoo.com.br

Horário de Funcionamento: segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Dia Mundial da Segurança do Paciente conta com palestra sobre saúde mental no HUT

Em alusão ao Dia Mundial da Segurança do Paciente, celebrado nesta quinta-feira (17), o Hospital de Urgência de Teresina lança programação especial voltada aos profissionais da unidade e aos usuários do serviço de saúde com o intuito de dar visibilidade à importância da redução dos riscos ligados à assistência.

Neste ano, o tema abordado será “Segurança dos profissionais de saúde: uma prioridade para segurança do paciente”. Realizado dentro do Setembro Amarelo, mês de campanha de prevenção ao suicídio, a ideia do evento é valorizar a segurança emocional daqueles que atuam na linha de frente contra a Covid-19, bem como dos pacientes que estão em tratamento no HUT.

Na programação, o HUT realiza uma palestra híbrida sobre saúde mental e autocuidado, às 10h, no auditório da Faculdade Uninassau, no bairro Redenção, na zona Sul. “O profissional de saúde é peça fundamental na pandemia e precisa de segurança emocional para poder cuidar bem do paciente. Será um momento para ressaltar a valorização da vida e oferecer ajuda sem julgamentos”, explica o palestrante Eduardo Moita, que é psicólogo do hospital.

No Dia Mundial da Segurança do Pacientes, o HUT oferece ainda painéis temáticos, momentos de interação entre os colaboradores, selfies nas áreas de convivência e iluminação predial na cor laranja. “Será um dia inteiro de atividades destacando um tema de relevância mundial, tanto que o Brasil tem o Programa Nacional de Segurança do Paciente. São ações que trazem impactos em todos os níveis. Para se ter uma ideia, muitas mortes podem ser evitadas com cuidados de saúde mais seguros no ambiente hospitalar”, explica o diretor geral do HUT, Rodrigo Martins.

Como forma de acolher emocionalmente os pacientes que estão em tratamento contra a Covid-19, o HUT também realiza ações no hospital de campanha João Claudino Fernandes, tais como cortina do abraço, passeio terapêutico, videochamadas com familiares e distribuição de mudas de plantas nas altas hospitalares.

Programação – Dia Mundial de Segurança do Paciente

Horário: 7h – Local: Ponto Eletrônico
Acolhida no Ponto Eletrônico do hospital / Painel dos Sentimentos / Painel para fotos

Horário: 9h às 10h –  Local: Auditório Uninassau
Mesa de Abertura com participantes e convidados (Gerentes do HUT e colaboradores)

Horário: 10h – Local: Auditório Uninassau / Google Meet
Palestra híbrida (presencial e online) “Saúde mental e auto cuidado. Palestrante: Eduardo Moita, psicólogo do HUT

Horário: 15h às 18h – Local: Setores administrativos / Unidades assistenciais
Ronda de Segurança / Entrega de mensagens enviadas para os colaboradores

Horário: 19h – Local: Ponto eletrônico
Iluminação na cor laranja da fachada do prédio do HUT / Acolhida NSP e Cipa / Entrega de símbolo da campanha / Painel dos Sentimentos / Painel Temático para fotos /

Horário: 22h
Distribuição do bolo na copa do HUT

FMS reforça serviços de saúde mental durante a pandemia

O isolamento social, medida necessária para conter a disseminação do novo coronavírus, e os medos e inseguranças relativos à doença podem trazer efeitos nocivos na saúde mental da população. Pensando nisso, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) reforçou os serviços de saúde mental, por meio da implantação do teleatendimento para facilitar o acesso sem precisar sair de casa, como as consultas psicológicas do Alô Saúde Teresina e o serviço de saúde mental voltado para servidores da instituição. Além disso, manteve a assistência nos sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) e também o Provida, específico para atender pessoas com ideação suicida.

Por meio de uma ligação gratuita para o número 0800 291 0084, os teresinenses podem ter acesso ao serviço de psicologia do Alô Saúde Teresina. Durante os atendimentos, os psicólogos da FMS irão escutar e avaliar quais as principais queixas, sintomas e limitações causadas no indivíduo em decorrência do distanciamento social ou da Covid-19. “Todo o atendimento será sigiloso. Se houver necessidade, os profissionais indicarão a periodicidade da teleconsulta necessária ou poderão fazer encaminhamentos para a rede de saúde mental”, conta Isabel Karine, gerente de Saúde Mental da FMS. Desde o início do serviço, no começo de maio, mais de 900 atendimentos foram realizados.

Já os trabalhadores da saúde, que enfrentam uma carga psicológica muito grande diante da exposição ao risco e gravidade dos casos que atendem, têm ao seu dispor um atendimento específico, feito por plataforma virtual e mediante agendamento. Os interessados podem marcar sua consulta por meio do número (86) 99516-7820, nos horários de 8h às 12h e de 12h às 18h, de segunda a sexta. “Durante o agendamento, basta o servidor informar sua lotação e número de matrícula”, esclarece a gerente de saúde mental da FMS.

Ela explica que a criação desses serviços se deu para evitar o aumento nos casos de transtornos mentais em função do isolamento e dos temores diante das incertezas acerca de uma doença ainda tão desconhecida como a Covid-19. “Estudos apontam que, durante o período de pandemia, cerca de 1/3 da população vai apresentar algum sofrimento psíquico. Temos observado também que as pessoas têm desenvolvido alguns transtornos como TOC, depressão e ansiedade, em função da situação em que vivemos”, comenta.

Os sete CAPS seguem em funcionamento nos dias úteis, das 8h às 11h e das 14h às 17h, e estão voltados para atendimento de pessoas em situação de crise psiquiátrica. Esses locais realizam a triagem e o acolhimento de pacientes que buscam espontaneamente o serviço, além de atendimento ambulatorial nas áreas de psiquiatria e psicologia durante a pandemia. A entrega de medicação também está funcionando.

Há ainda o Provida, ambulatório que conta com psicólogos e psiquiatras para atender pacientes com comportamento suicida e que funciona dentro do Centro de Saúde Lineu Araújo. O serviço funciona de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h, e conta atualmente com três psicólogos e dois médicos psiquiatras. “O atendimento no Provida é por demanda espontânea, ou seja, não precisa de agendamento prévio”, ressalta Isabel Karine.

Em caso de urgências psiquiátricas, como surto psicótico e tentativa de suicídio, é possível chamar uma ambulância do SAMU, por meio do número gratuito 192, ou ir diretamente ao Hospital Areolino de Abreu, que é referência para esse tipo de atendimento e conta com médicos psiquiatras.