Mais de 100 pessoas com Covid-19 tiveram alta hospitalar no Hospital de Campanha em Teresina

Ascom/FMS

Há mais de um mês em funcionamento, o Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi, administrado pela Prefeitura de Teresina, já registrou a internação de 180 pacientes com Covid-19. Desse total, 111 ficaram recuperados da doença e 42 permanecem internados no local. Houve ainda 20 pessoas que tiveram o quadro de saúde agravado, tendo sido estabilizadas e transferidas para leitos de UTI.

De acordo com a diretora geral da unidade, Gina Nogueira, recentemente a FMS instalou um tanque criogênico para armazenamento de uma maior quantidade de oxigênio para uso no hospital. “A empresa contratada para fornecer gases medicinais para Teresina estava com dificuldade para nos entregar a quantidade de cilindros de oxigênio suficiente. Mas a situação já foi resolvida com aluguel de um tanque que veio do estado do Pará”, explica.

Sediado na quadra de Badminton da UFPI, o Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi é uma estrutura temporária. Nesse local, as vagas de leitos são reguladas e disponibilizadas, exclusivamente, para pacientes vindos de outros hospitais e UPAS de Teresina, em ambulâncias do SAMU, e que se enquadrem em casos de baixa e média complexidades da Covid-19. Se houver necessidade, são transferidos para outros locais de alta complexidade.

Gina explica que o Hospital de Campanha também oferece cuidados voltados para promoção da saúde dos trabalhadores. “O local conta com atendimento psicológico e realiza a busca ativa de profissionais de saúde com sintomas gripais. Diariamente, uma equipe pergunta aos servidores se eles sentem algum sintoma indicativo de Covid-19. Em caso positivo, eles são direcionados para atendimento no Hospital do Satélite. Os profissionais também podem procurar a direção da unidade para agendamento de consultas”.

Barreiras itinerantes já detectaram 243 pessoas com sintomas de gripe em Teresina

As barreiras itinerantes montadas pela Guarda Civil Municipal e pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STRANS) já encontraram 243 pessoas com alguns sintomas gripais semelhantes aos da Covid-19. Foram feitas 4.201 abordagens a veículos em seis dias de operação. Entre os sintomas mais relatados pela população estão cansaço, febre, tosse e dificuldade para respirar.

De acordo com o coronel John Feitosa, comandante da Guarda Civil Municipal, os dados são recolhidos através de entrevistas realizadas com as pessoas abordadas.  Além das perguntas, os agentes também utilizam termômetros para medir a temperatura corporal. De posse dessas informações, as equipes repassam os relatórios à Fundação Municipal de Saúde (FMS), que faz o contato com as pessoas para monitorar e orientar os procedimentos adequados em cada caso.

As barreiras funcionam de forma itinerante e, ao longo do dia, as equipes vão se movendo para pontos de grande fluxo de veículos e pessoas, em todas as regiões da cidade. “Esse trabalho é contínuo. Estamos percorrendo pontos de grande concentração de pessoas, como o Centro da cidade e locais em que estamos percebendo, desde o início da fiscalização do isolamento, que ainda há muitos veículos transitando”, afirma o coronel John Feitosa.

FMS amplia para 25 a quantidade de UBSs que atendem síndromes gripais

Teresina conta agora com mais duas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para atender, de forma exclusiva, pacientes com sintomas gripais leves. Elas estão localizadas nos bairros Mafrense e Parque Brasil. Agora são 25 unidades com esse tipo de assistência e que tem funcionamento diário das 7h às 19h, sendo sete UBSs situadas na zona norte, oito na zona sul, seis na zona leste e quatro na zona sudeste.

A ampliação das UBSs é mais uma estratégia do município para enfrentamento da Covid-19. “A iniciativa contribui para diminuir aglomerações nesses estabelecimentos e facilita o acesso dos usuários aos serviços de saúde”, afirma o diretor de Atenção Básica da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Kledson Batisa.

Quem apresentar sintomas leves da Covid-19 pode se direcionar a uma das 25 UBSs, a exemplo de febre, tosse, dor de cabeça, dor muscular, perda do olfato e do paladar, corrimento nasal, diarreia e dor de garganta. “Se o usuário apresentar, pelo menos, duas dessas manifestações clínicas, o quadro é considerado leve”, afirma o médico infectologista Walfrido Salmito.

Nessas 25 UBSs os médicos, utilizando equipamentos de proteção, avaliam cada caso e tem autonomia para tomar a conduta necessária, baseado no seu conhecimento técnico. Ele pode fazer orientações médicas, prescrever medicamentos, indicar isolamento domiciliar ou mesmo encaminhar o paciente para hospitais.

Em Teresina há ainda 65 UBSs que estão atendendo pessoas com problemas básicos de saúde que não sejam gripais. Ali, são ofertadas consultas médicas e de enfermagem, sem necessidade de agendamento. Os serviços de coleta de exame, vacinas, curativos, trocas de sonda e entrega de medicamentos também permanecem funcionando.

 

Teresina registra aumento de 83% nas internações por síndrome respiratória aguda grave

Somente na última quarta-feira (24), 3.019 pessoas com sintomas de síndrome gripal procuraram por serviços de saúde em Teresina, sendo 2.065 na rede pública e 954 na rede privada. Foram registrados no mesmo dia, 128 atendimentos de síndrome respiratória aguda grave. Foi o maior número até agora, representando um aumento de 83% no número de internações desde o início da pandemia.

De março até agora, já foram prestados 83.613 atendimentos a pessoas com sintomas gripais, dos quais 57.938 foram na rede pública de saúde e 30.679 na rede privada. Atualmente, a taxa de ocupação de leitos de UTI COVID está em 79,87%. Das 162 unidades da rede pública, 132 estão ocupadas. Na assistência privada existem 156 UTI’s e 122 estão sendo utilizadas.

Para o diretor de Atenção Básica da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Kledson Batista, o aumento dos casos de síndromes gripais é uma evidência de que os casos de Covid-19 também estão crescendo e é um reflexo da diminuição nas taxas de isolamento social na capital. “No início da pandemia, em meados de março, Teresina ainda estava com um número reduzido de pessoas com síndrome gripal, pois a quarentena estava sendo respeitada mais fortemente. Mas, mesmo com as imposições, decretos e as ações da prefeitura, é notório que muitas pessoas desrespeitam o isolamento e se aglomeram em filas de banco, em feiras livres, pequenas lojas, ou até mesmo em serviços essenciais. Nesse sentido, os casos tendem realmente a aumentar”, comenta.

Com o registro do aumento dos casos de síndrome respiratória aguda grave, a principal preocupação dos órgãos de saúde é com a capacidade de assistência da rede hospitalar. “O número de leitos de UTI continua com ocupação acima de 70% e acreditamos que as medidas de isolamento ainda sejam as mais efetivas para o controle da pandemia. A covid-19 é uma doença extremamente grave e é transmitida com facilidade. É essencial que as pessoas continuem os cuidados de prevenção, distanciamento social, uso de máscara e, principalmente, lavagem constante das mãos”, alerta a infectologista Amparo Salmito, gerente de epidemiologia da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

“Como número de casos de Covid não para de crescer, precisamos aumentar os leitos de UTI. A FMS já adquiriu os equipamentos e agora são necessários mais médicos, de qualquer especialidade, para iniciarmos o atendimento. Já temos número suficiente de enfermeiros, técnicos e fisioterapeutas”, explica o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Manoel de Moura Neto.

Teresina registra recorde de óbitos por Covid-19 em 24 horas

Teresina registrou 17 novos óbitos por Covid-19 em 24 horas, batendo recorde no número de mortes em um único dia. Os dados divulgados, nesta quinta-feira (25), pelo Comitê de Operações Emergenciais (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS), apontaram que a capital somou 281 novos casos da doença, chegando à marca de 6.899 casos confirmados e 325 óbitos por coronavírus. O número de pessoas recuperadas chega a 1.437.

Dentre o número de óbitos, oito foram de pessoas do sexo masculino e nove feminino, de idades entre 40 e 95 anos. Das comorbidades apresentadas estão doenças cardiovasculares, neurológicas, neuromusculares, asma, hipertensão e diabetes.

O prefeito Firmino Filho fez um apelo ao Ministério da Saúde para o envio de profissionais intensivistas para atuar na assistência de pacientes vítimas do novo coronavírus. Para ampliar a rede de atendimento, a Prefeitura vai inaugurar o hospital de campanha João Claudino na próxima semana, mas é preciso profissionais com experiência em unidades de terapia intensiva para o pleno funcionamento da unidade.

“A abertura já está programada, no entanto, temos enfrentado algumas limitações, especialmente no que se refere a recursos humanos. Por isso, estamos demandando ao Ministério da Saúde o envio de 45 médicos intensivistas ou de outros profissionais médicos que tenham experiência em tratamento intensivo”, explicou Firmino Filho.

Como uma das medidas adotadas para impedir o avanço do novo coronavírus na capital, a Prefeitura de Teresina está adquirindo 33 mil testes rápidos de antígenos para Covid-19. Trata-se de novo tipo de testagem que permite detectar o vírus na fase inicial da doença, período de maior transmissão do coronavírus, e garantir o isolamento precoce do paciente. Depois de coletada a secreção do nariz do paciente, o resultado sai em até meia hora. “A equipe do Centro de Operações Emergenciais (COE) da FMS desenvolveu um protocolo para regulamentar o seu uso na rede de saúde”, explica a coordenadora do COE da FMS, Wesllany Santana.

Firmino pede ao Ministro da Saúde envio de profissionais para hospital de campanha

O prefeito Firmino Filho fez um apelo ao Ministério da Saúde para o envio de profissionais intensivistas para atuar na assistência de pacientes vítimas do novo coronavírus. A demanda foi intermediada pelo senador Ciro Nogueira, que recebeu uma sinalização positiva do ministro Eduardo Pazuello.

Dados da última pesquisa de investigação sorológica sobre o coronavírus em Teresina mostraram que 18% da população está positivada com relação ao vírus, e que 4% está em fase ativa. “Nas últimas três semanas tivemos um agravamento da Covid-19 na capital. Nossas UTIs estão com taxa de ocupação de 81% na rede da cidade e de 90% na rede pública”, lamentou o prefeito.

Para ampliar a rede de atendimento, a Prefeitura vai inaugurar o hospital de campanha João Claudino na próxima semana, mas é preciso profissionais com experiência em unidades de terapia intensiva para o pleno funcionamento da unidade. “A abertura já está programada, no entanto, temos enfrentado algumas limitações, especialmente ao que se refere a recursos humanos. Por isso, estamos demandando ao Ministério da Saúde o envio de 45 médicos intensivistas ou de outros profissionais médicos que tenham experiência em tratamento intensivo”, explicou Firmino Filho.

Após a reunião com o ministro, o senador Ciro Nogueira se mostrou otimista para o atendimento da demanda. “Foi uma reunião bastante produtiva com o ministro Pazuello. Colocamos a mensagem do prefeito informando sobre a taxa de ocupação das UTIs e o novo hospital de campanha que será inaugurado. O ministro ficou de nos atender e saímos bastante confiantes”.

Teresina registra 313 novos casos de COVID-19 em 24 horas

Teresina registrou 313 novos casos e oito óbitos pelo novo coronavírus em 24 horas. Os dados divulgados, nesta quarta-feira (24), pelo Comitê de Operações Emergenciais (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) apontam que a capital chegou à marca de 6.618 casos confirmados. Ao todo são 308 óbitos causados pela Covid-19, dos quais 56,82% foram de pessoas do sexo masculino, 43,18% do sexo feminino. O boletim aponta também que 80,19% das pessoas que morreram tinham alguma comorbidade. Ao todo 1.403 pessoas estão recuperadas da COVID-19 na capital.

Teresina tem 24 Unidades Básicas de Saúde exclusivas para atender casos de síndrome gripal. Até o dia 22 de junho, essas unidades realizaram 12.569 testes rápidos para Covid-19 em pessoas que tiveram atendimento médico e apresentavam sintomas gripais. Os resultados deram positivo para 4.194 pessoas, que passaram a ser acompanhadas pelas Equipes de Saúde da Família da sua localidade. Além da testagem nas UBS, as equipes de saúde da Fundação Municipal de Saúde (FMS) já realizaram 5.099 buscas ativas de casos de Covid nos domicílios de contato das pessoas infectadas, sendo que 1.470 pessoas testaram positivo para o novo coronavírus.

A diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba, ressalta a importância do isolamento social para conter a disseminação do novo coronavírus. “Nós precisamos cumprir as regras da ciência. Você precisa usar máscara, lavar sempre as mãos e precisa ficar em casa. Não fazer festa, não fazer reuniões em casa, almoço, jantar, café. Precisamos evitar mortes dos nossos amores, dos nossos parentes. O vírus é democrático, ele não olha o contracheque nem o grau de instrução”, enfatiza ela.

A UBS exclusivas para atendimento de síndromes gripais leves funcionam de 7h às 19h e tem profissionais treinados para esses tipos de atendimentos. Essas unidades utilizam o “Fast-track”, protocolo do Ministério da Saúde para agilizar os atendimentos. Até o dia 22 de junho as UBS Fast-track realizaram 22.693 atendimentos de sintomas gripais, sendo 12.630 pessoas do sexo feminino e 10.063 pessoas do sexo masculino. Na zona Norte foram 7.729 atendimentos, na zona Sul foram 5.113, na zona Sudeste foram 5.974 e na zona Leste foram 3.887 pessoas atendidas.

O serviço Alô Saúde já realizou 48.046 atendimentos à população que apresentava sintomas leves da Covid-19 ou outros problemas básicos de saúde. O serviço está disponível através do telefone 0800 291 0084 e funciona de segunda-feira a sexta-feira, nos horários de 8h às 20h.

O avanço da Covid-19 em Teresina é uma realidade e os teresinenses estão cientes disso. Dados da pesquisa realizada pelo Instituto de Opinião Pública – Amostragem, no período de 16 a 19 de junho na capital, mostram que 67,93% dos entrevistados conhecem alguém que já pegou a doença.

A sondagem revelou, inclusive, o grau de proximidade com a pessoa que já pegou a Covid-19. Mais de 40% dos entrevistados têm amigos que já foram infectados, 26,63% afirmaram ter vizinho que já foi acometido pela doença, 21,55% disseram ter parente distante infectado com o novo Coronavírus, 7,26% tiveram parente próximo, morando na mesma casa, com a Covid-19 e 3,87% afirmaram ter só conhecidos.

Teresina alcança a marca de 300 mortes por COVID-19

Desde o início da pandemia de Covid-19, 300 pessoas morreram em função da doença em Teresina. É o que indica o boletim de terça-feira (23) do Painel Epidemiológico da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Somente nas últimas 24 horas, foram seis novos óbitos e 240 novos casos da doença. Agora, o município contabiliza 6.305 casos de infecção pelo novo coronavírus, com 1.357 pessoas recuperadas.

Entre os óbitos, estão um homem diabético e hipertenso de 52 anos, morador do bairro Satélite; um homem de 67 anos, do bairro Itararé, portador de doença cardíaca e neurológica crônica; um homem de 32 anos sem comorbidades, residente no Santa Maria; um homem diabético e hipertenso, de 46 anos, também do Santa Maria, uma mulher cardíaca de 76 anos, moradora do bairro Santa Rosa; e um homem portador de doença hepática, de 56 anos, morador do bairro São Pedro.

A gerente de epidemiologia da FMS, Amparo Salmito, lamentou as mortes e fez um alerta às pessoas para que mantenham os cuidados de higiene e de isolamento social. “É muita gente contaminada com o vírus e morrendo nessa caminhada. Queremos preservar vidas e pedimos ao povo de Teresina que siga as recomendações das autoridades em saúde, para que possamos vencer essa batalha”.

O avanço da Covid-19 em Teresina é uma realidade e os teresinenses estão cientes disso. Dados da pesquisa realizada pelo Instituto de Opinião Pública – Amostragem, no período de 16 a 19 de junho na capital, mostram que 67,93% dos entrevistados conhecem alguém que já pegou a doença.

A sondagem revelou, inclusive, o grau de proximidade com a pessoa que já pegou a Covid-19. Mais de 40% dos entrevistados têm amigos que já foram infectados, 26,63% afirmaram ter vizinho que já foi acometido pela doença, 21,55% disseram ter parente distante infectado com o novo Coronavírus, 7,26% tiveram parente próximo, morando na mesma casa, com a Covid-19 e 3,87% afirmaram ter só conhecidos.