Prefeitura inicia obra de recapeamento da Avenida Maranhão

Foto: Ascom Semduh

Seguindo os protocolos de segurança necessários para a retomada das obras de asfaltamento, a Prefeitura de Teresina deu início a etapa de fresagem para o recapeamento da Avenida Maranhão, que compreende o sentido Norte-Centro, entre a Avenida Alameda Parnaíba e a Rua Minas Gerais. A obra garante novo pavimento em 1,5 Km de via e tem recursos provenientes de emenda parlamentar.

De acordo com o Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marco Antonio Ayres, a Av. Maranhão, por ser uma via antiga, apresentava desconfortos constantes à população e demandas frequentes de reparos feitos pela Operação Tapa-Buracos. “Uma via já bastante desgastada e desnivelada por conta dos ajustes emergenciais. Nossa primeira etapa, então, é a fresagem para que todo o asfalto antigo seja arrancado, o piso nivelado e a partir daí colocaremos um novo pavimento”, explica.

Ainda segundo o gestor, mesmo com a retomada das obras, as equipes estão atuando de forma mais cautelosa, com expediente limitado às terças, quartas e quintas-feiras, e priorizando os protocolos de segurança para evitar a disseminação do novo Coronavírus. “Voltamos às atividades, mas a saúde dos colaboradores, e da população como um todo, segue sendo prioridade. Continuaremos monitorando de perto os efeitos dessa retomada e nos adequando ao novo normal”, pontua.

 

Prefeitura de Teresina retoma obras de asfaltamento paralisadas durante pandemia

Ascom/Semduh

Após três meses paralisação nas obras de asfaltamento, a Prefeitura de Teresina inicia, esta semana, a retomada gradual dos serviços nos bairros Promorar, Dirceu I, Noivos, e no trecho da Av. Maranhão entre a Alameda Parnaíba e Rua Minas Gerais. As obras haviam iniciado antes do período de pandemia do novo coronavírus e estavam suspensas, seguindo os decretos que priorizavam a manutenção exclusiva de atividades essenciais para o funcionamento da cidade e atendimento da população.

O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marco Antonio Ayres, explica que no fim do mês de março houve a suspensão das obras de asfaltamento, em que foi mantida apenas a Operação Tapa-Buracos, voltada para serviços emergenciais.

“Com a retomada de algumas atividades econômicas na capital, voltamos também para a conclusão dos nossos trabalhos que estavam em andamento. Estamos trabalhando terça, quarta e quinta-feira, com muita cautela, obedecendo os protocolos de segurança e respeitando os decretos de abertura. Não estaremos atuando em pleno vapor ainda, mas seguiremos com o nosso planejamento de asfaltar bairros por completo e tranquilizamos a população de que os bairros que estavam com obras paradas serão todos concluídos. Já temos uma equipe no Promorar, zona Sul, para o asfaltamento total de 18 Km de via, contemplando todo o bairro. 30% da obra já foi feita e devemos concluí-la nos próximos meses”, destaca Marco Antonio Ayres.

O gestor ainda pontua a retomada no bairro Noivos, zona Leste, com obra iniciada em fevereiro, para a pavimentação asfáltica de 4,8 Km de vias, totalizando 15 ruas.

O Dirceu I também receberá as equipes da Semduh para a execução da segunda etapa de asfaltamento do bairro. “Em 2019, pavimentamos 80% das ruas do Dirceu I e já havíamos iniciado a execução da segunda etapa, para contemplarmos os 100%. Agora estamos retornando para a finalização do que havíamos planejado. Além disso, daremos início ao recapeamento da Av. Maranhão, garantindo um novo pavimento no trecho entre a Alameda Parnaíba e Rua Minas Gerais”, conclui.

PMT realiza mais 11 mil ações de sanitização em três meses de pandemia

Ascom/ SEMDUH

Há três meses a Prefeitura de Teresina realiza a sanitização de espaços públicos com grande fluxo de pessoas, seguindo o objetivo de evitar que se tornem foco de disseminação da Covid-19. Ao todo, 11.281 ações de higienização foram realizadas por equipes que percorreram agências bancárias e lotéricas, terminais de integração, grandes supermercados e locais de funcionamento essencial no período de pandemia.

“Essa é uma estratégia que vem sendo utilizada em vários países e, por aqui, iniciamos assim que surgiram os primeiros casos confirmados de Covid-19 em Teresina. Por ser uma doença facilmente transmissível por meio de superfícies sólidas, é exatamente onde atuamos fazendo a pulverização de uma solução de água com hipoclorito, utilizando bombas costais, carros pipa e fumaceiros”, explica o Secretario Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marco Antonio Ayres.

De 30 de março a 30 de junho,  2.313 sanitizações foram realizadas em Unidades de Saúde, 2.862 em lotéricas e bancos, 593 em grandes supermercados, 1.808 em paradas abertas e integradas e 202 visitas em mercados municipais. “Outros espaços como CMEIs, campus de universidades, calçadões do Centro, aeroporto, cemitérios e rodoviária também estão recebendo as sanitizações. Quanto maior a circulação de teresinenses, maior a frequência das ações feitas por nossas equipes. Nosso trabalho ainda não terminou e segue acontecendo até que estejamos em uma situação segura para a saúde de toda a população”, conclui.

As ações de sanitização acontecem de segunda a sábado, em uma parceria da SEMDUH, Fundação Municipal de Saúde (FMS) e Águas de Teresina. Por dia, são utilizados 225 Kg de hipoclorito de sódio e 15 mil litros da solução sanitizadora.

PMT realiza mais de 10 mil ações de sanitização de combate à Covid-19

A Prefeitura de Teresina continua realizando a sanitização da área externa de espaços públicos, que possuam grande fluxo de pessoas, como estratégia de combate à disseminação do novo coronavírus. Entre 30 de março e 23 de junho, já foram realizadas 10.293 ações de desinfecção com a pulverização de solução de água com hipoclorito.

Do total de 10.293 ações, 2.009 foram realizadas em Unidades de Saúde, 2.533 em lotéricas e bancos, 188 em mercados municipais, 538 em grandes supermercados, 1.752 em paradas abertas e integradas e 98 visitas em mercados municipais. Além de algumas instituições públicas e privadas, shoppings, praças, delegacias, CMEIs, rodoviária, e outros.

Segundo Marco Antonio Ayres, Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, as equipes atuam de segunda a sábado, nos turnos manhã e tarde, em uma parceria entre a Semduh, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e a Águas de Teresina. “Por dia, estamos utilizando cerca de 225 Kg de hipoclorito de cálcio e 15 mil litros da solução sanitizadora, cedidos pela concessionária de água da capital. As equipes percorrem a cidade com as vestimentas adequadas e utilizando bombas costais, carros pipa e carros fumaceiros para garantir que ambientes foco de aglomeração de pessoas sejam devidamente higienizados”.

O gestor ainda destaca que as sanitizações não são garantia para que a população quebre o isolamento social. “Alguns locais como unidades de saúde, agências bancárias, supermercados, que permanecem funcionando, possuem uma grande circulação de pessoas e necessitam dessa desinfecção de forma regular. Mas reforçamos, essa é apenas uma das medidas preventivas, para que a área externa desses ambientes não seja um foco da doença. Uma única pessoa infectada pode infectar o local novamente, bem como as pessoas ao redor. Então, o ideal é intensificar o isolamento social e as práticas de higiene pessoal”, conclui.

Operação Tapa-Buracos realiza 25 mil reparos durante a pandemia

A Operação Tapa-Buracos realizou cerca 25 mil reparos emergenciais de ruas e avenidas de Teresina desde o início da pandemia do novo Coronavírus. Entre abril e junho foram utilizadas cinco mil toneladas de asfalto nesse trabalho, que garante a manutenção da qualidade da mobilidade urbana na capital.

“Em abril, suspendemos as obras de asfaltamento e priorizamos o atendimento das demandas de maior urgência. Além das ações da Operação Tapa-Buracos, também fizemos o recapeamento da Av. Raul Lopes, no trecho que dá acesso ao Hospital de Campanha do Ginásio de Badminton da UFPI”, explica o secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), Marco Antonio Ayres.

Segundo ele, em média, são aplicadas 100 toneladas de massa asfáltica por dia para cobrir cerca de 500 buracos. “Sabemos que no início do ano as vias ficam bastante desgastadas pelas chuvas e com a operação Tapa-Buracos conseguimos agir de forma assertiva e rápida para resolver as demandas da população”, ressalta.

O planejamento diário do trabalho é definido pelas equipes que permanecem nas ruas fazendo o levantamento das vias com necessidade de reparos. As solicitações também são recebidas pelo Colab, aplicativo utilizado pela Prefeitura Municipal de Teresina para atender aos pedidos dos teresinenses.

“Quando a população solicita o reparo em uma rua ou de um único buraco, nossa equipe é encaminhada ao local e realiza não apenas aquele ponto, mas toda a região próxima. É uma maneira das equipes realizarem o maior número de reparos partindo apenas de um único problema”, ressalta.

Colab atua como ferramenta essencial em demandas da Operação Tapa-Buracos

Em período de isolamento social, o aplicativo Colab.re tem facilitado a comunicação da população com a gestão municipal e atuado como ferramenta essencial para atender demandas de reparos em ruas e avenidas da capital por meio da Operação Tapa Buracos. Em 2020, já foram atendidas 292 demandas pela Coordenação de Asfaltamento da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), totalizando uma taxa de resolução de 80%.

De acordo com Camila Moura, coordenadora de Asfaltamento da SEMDUH, a plataforma foi criada em 2013 e até o momento já foram resolvidas 2.077 demandas. “Contamos com cinco equipes, atuando de segunda a sexta, nos turnos manhã e tarde, tapando cerca de 600 buracos por dia, solicitações vindas do aplicativo e de pontos já verificados pelas nossas equipes. No caso específico da nossa coordenação, priorizamos reparos emergenciais de vias. Em pedidos de asfaltamento de ruas, não realizamos obras em vias isoladas e seguimos um planejamento já estabelecido no início do ano. Então, verificamos se já consta em nosso planejamento anual, damos um retorno para a população de como funciona nossa atuação em relação ao asfaltamento e se há previsão para execução daquela demanda”, explica a gestora.

O aplicativo Colab é gratuito e está disponível para os sistemas IOS e Android, permitindo que a população faça sugestões diretamente de casa. “No aplicativo a população pode deixar o local exato onde está o buraco e colocar fotos e comentários para que possamos entender a urgência ou não do pedido. É uma forma de termos esse contato direito com o teresinense, ainda mais em momentos como este em que a população deve evitar sair de casa”, destaca a coordenadora.

Coleta seletiva em Pontos de Entrega Voluntária cresce 15% no mês de maio em Teresina

Ascom/Semduh

Em meio às mudanças geradas pelo isolamento social, o teresinense tem incluído hábitos mais sustentáveis e de maior consciência ambiental em sua rotina. Uma prova disso é o crescimento de 15,9% de resíduos recicláveis coletados, no mês de maio, nos 21 Pontos de Entrega Voluntária (Pevs) distribuídos pela capital. Em 2020, a média mensal coletada era de 59,4 toneladas e no mês passado o valor recolhido subiu para 68,8 t.

O secretário executivo municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Vicente Moreira, explica que desde o fim de março deste ano, após a Secretaria adotar uma série de medidas contra a disseminação da Covid-19, o Disque Coleta Seletiva, serviço gratuito oferecido pela Prefeitura de Teresina para locais que produzem mais de 50Kg de recicláveis por coleta foi suspenso, permanecendo o funcionamento dos 21 Pevs disponíveis para toda a população.

“Quando comparamos a quantidade total de resíduos recicláveis coletados, percebemos inicialmente uma diminuição por conta da suspensão do Disque Coleta Seletiva. Em março, recolhemos 92,9 toneladas de resíduos quando o sistema de coleta seletiva funcionava por completo. Agora, contando exclusivamente com os Pevs, em abril, coletamos 54 toneladas e, em maio, 68 toneladas. A surpresa positiva é que, no mês de maio, e avaliando a média do que é coletado exclusivamente nos Pevs, percebemos um crescimento de 15% de resíduos”, explica.

O secretário acrescenta que a expectativa é de aumentar ainda mais esse número. “O que esperamos é que passando esse período de isolamento e a volta da normalidade, esse crescimento que foi verificado na conscientização das pessoas seja disseminado nos outros setores e nós possamos alavancar ainda mais a nossa coleta seletiva”, destaca Vicente Moreira.

A população pode colaborar com a coleta seletiva separando o papel, plástico, metal e vidro para levá-los em um dos 21 Postos de Entrega Voluntária (Pevs) disponíveis em todas as zonas de Teresina (localização disponível no  https://semduh.teresina.pi.gov.br/ ). O material coletado é doado para cooperativas de catadores de lixo que garantem sua renda vendendo esse material para empresas que realizam o processo de reciclagem.

Produção de resíduos sólidos registra menor taxa dos últimos 8 anos durante isolamento social

Renato Bezerra

Em isolamento social há mais de dois meses como estratégia de combate à disseminação do novo Coronavírus, Teresina apresentou uma redução na geração de resíduos sólidos. Em levantamento realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), foi registrada uma queda de 4% na produção de resíduo domiciliar em abril, e 6% no mês de maio. Já em relação aos resíduos extradomiciliares, a redução foi maior e apontou uma queda de 34% em abril e 32% em maio.  São as menores quantidades de resíduos coletadas quando comparadas à média mensal do mesmo período dos últimos oito anos.

“Logo no início dos primeiro decretos de isolamento pelo país, havia uma expectativa de aumento nos resíduos gerados pela população. No entanto, o serviço de coleta domiciliar atende tanto residências quanto estabelecimentos comerciais, que são pequenos geradores. Mesmo que o teresinense esteja produzindo mais resíduos dentro de casa, o fechamento temporário de serviços não essenciais permitiu que a quantidade total desses resíduos sofresse uma redução”, explica o secretário executivo da Semduh, Vicente Moreira.

De acordo com a verificação de dados de coleta domiciliar, a média mensal de abril dos últimos oito anos é de 16.855 toneladas, e a dos meses de maio é 17.029. Em 2020, foram recolhidas 16.164 toneladas de resíduos em abril e 15.988 no mês de maio, uma redução de 4,1% e 6,1%, respectivamente em relação à média.

Ele ressalta que outros dados de monitoramento dos resíduos da cidade mostram que houve redução na produção de resíduos na cidade. “Por uma obrigação legal da Semduh, também acompanhamos e monitoramos a coleta e destinação dos resíduos extradomiciliares, aqueles que são produzidos por grandes geradores e recolhidos por empresas privadas. Muitos desses grandes geradores prestam serviços não essenciais e estão fechados. Assim, a partir daí, notamos que a coleta dos resíduos extradomiciliares reduziu 34% em abril e 32% em maio”.