Teresina contribui com discussões sobre implementação da educação integral no país

Ascom Semec

Teresina concluiu no ano passado seu processo de reformulação do currículo de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Esse fato, aliado ao sucesso das boas práticas na educação, instigou o Movimento pela Base a convidar duas representantes da Secretaria Municipal de Educação (Semec) para compor o grupo de profissionais que está estudando formas de implementar a educação integral nas escolas brasileiras.

O encontro, que aconteceu em São Paulo, reuniu 80 profissionais, de todo o país, ligados à educação, também parceiros como o Instituto Ayrton Senna e a Fundação Lemann. Durante um dia inteiro o grupo dialogou sobre possíveis soluções em cada frente, como escola, professores, estudantes, políticas públicas e a própria secretaria.

Celina Lina, coordenadora executiva da reformulação em Teresina, e Giovanna Saraiva, coordenadora de Avaliação, representaram a capital piauiense no evento, contribuindo com a experiência do município no processo da reformulação, que foi marcado pela ampla participação popular.

Segundo elas, a discussão com representantes de várias cidades foi proveitosa e deve gerar um grande documento, ações e produtos para ajudar no processo de implementação em todas as escolas. “O diferencial da educação integral que estamos discutindo é esse olhar para o aluno de forma completa, considerando seus aspectos emocionais, sociais e cognitivos. É uma aprendizagem integral e mais eficaz”, conclui Celina.

Crianças do CMEI Tia Mônica participam de atividades de incentivo à leitura

Ascom/Semec

Leitura é uma atividade diária no Centro Municipal de Educação Infantil Tia Mônica, zona Norte de Teresina. E para incentivar a prática cada vez mais, a escola realiza diariamente ações do projeto de leitura ‘É hora da História’, desenvolvido no CMEI com o objetivo de incentivar a leitura entre os estudantes.

A iniciativa dinamiza o hábito de ler, tornando-o mais atrativo. As crianças se divertem com contos, poesias e diferentes gêneros textuais trabalhados de forma lúdica. Cada turma, do Maternal ao 2º Período, se envolveu com uma série de atividades voltadas para a leitura.

“Esse evento marca o sucesso do nosso trabalho com a leitura, fazendo com que as crianças se aproximem dos livros a partir da forma lúdica”, conta Reijaneide Silva, diretora do CMEI. Segundo ela, um dos pontos de destaque da atividade é o apoio das famílias. “A comunidade participa de todas as ações incentivando as crianças, o que fortalece imensamente o nosso trabalho”, destaca a gestora.

Nesta segunda-feira (15) as crianças participaram de um momento divertido para apresentarem aos familiares as histórias estudadas em sala de aula. A ação faz parte do Projeto ‘Alfabetiza Teresina’, estimulando a aproximação dos alunos com os livros a partir de atividades divertidas.

O Projeto Alfabetiza Teresina é um pacto da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) com as unidades de ensino da Rede Municipal para fortalecer as atividades de leitura e tornar um hábito prazeroso entre as crianças.

A escola também realiza ações do projeto ‘Sacola Viajante’, que estimula a aproximação das crianças ainda mais com os livros. Toda semana as crianças escolhem um livro de sua preferência e levam para fazer a leitura com os pais. A atividade também inclui releitura e socialização em sala de aula. A proposta é do Programa Alfabetiza Teresina, que leva todo mundo a ler, desde as crianças menores até os pais. Essa participação direta das famílias é um estímulo a mais para o desenvolvimento da leitura e escrita.

A equipe escolar do CMEI Tia Mônica está animada com os resultados que vem alcançando nas avaliações de desempenho dos alunos. “O esforço coletivo elevou a porcentagem de aprendizagem das crianças em leitura e escritura para 94%, levanto a escola para a lista de campeões do Prêmio de Valorização do Mérito na Educação Infantil. Os resultados mostram crianças lendo com fluência ainda na educação infantil, o que representa um salto qualitativo no processo de alfabetização da Rede”, finaliza a gestora.

Vôlei é aliado da educação na Escola Municipal Areolino Leôncio

Ascom/Semec

O Programa Viva Vôlei está fazendo sucesso entre os alunos das escolas municipais de Teresina. A atividade acontece em cinco unidades de ensino, a partir de uma parceria da Prefeitura de Teresina com a Confederação e a Federação Brasileira de Vôlei, contando também com o apoio da Federação Piauiense e da empresa Citeluz.

A modalidade esportiva está sendo desenvolvida com cerca de 500 crianças de 7 a 14 anos, que aprendem bem mais que as técnicas do voleibol. Segundo a Secretaria Municipal de Educação (Semec), o Programa tem desenvolvido nos estudantes habilidades essenciais para um bom desempenho em sala de aula.

Na Escola Municipal Areolino Leôncio, os estudantes estão entusiasmados com os treinos. “Eles gostam e estão se identificando bastante, o que contribui para um esforço a mais em sala de aula. Esses alunos passam a ser exemplo pela concentração, disciplina e dedicação”, conta Cleide Leal, gestora da escola.

Durante duas vezes por semana os jovens se dedicam aos treinos. São 180 alunos que participam do Viva Vôlei na escola, divididos em seis turmas, e que possuem acesso a novas oportunidades a partir do esporte. “São tantos benefícios, inclusive revelando talentos”, destaca Cleide.

Também participam do projeto os alunos da E. M. Noé Fortes, E.M. Deoclécio Dantas, E.M. Jornalista João Emílio Falcão e E. M. R. N. Monteiro.

Crianças melhoram hábitos alimentares aprendendo a comer frutas durante as aulas

Ascom/Semec

Nos Centros Municipais de Educação Infantil alimentação saudável é assunto de sala de aula. Atividades que alertam sobre a importância de comer bem são desenvolvidas com diversão e criatividade. Durante uma semana as professoras mostraram para as crianças a importância das frutas para uma melhor qualidade de vida.

A ação faz parte das intervenções realizadas pelo setor de Nutrição da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), que está organizando formações para orientar as escolas a como incentivar as crianças a se alimentarem de forma saudável.

Segundo Danielle Christian Oliveira Aguiar, diretora do CMEI Adelaide Fontenele, a iniciativa é importante para estimular o consumo de alimentos ricos em nutrientes. “As frutas são alimentos ricos, com vários tipos de vitaminas e nutrientes. Foi uma semana de estudo, montamos diferentes cardápios, trouxemos sucos e ainda organizamos um piquenique com as crianças”, conta.

Nos Centros Municipais de Educação Infantil Zélia Gattai Amado e Anita Ferraz o projeto teve como tema ‘Salada de fruta e obra de arte’. “A atividade teve como objetivo estimular as crianças a terem uma alimentação saudável. Para chamar a atenção ainda mais das crianças, realizamos a releitura da obra ‘Vendedor de frutas’, da artista Tarsila do Amaral. Degustação, ingredientes e higiene no preparo dos alimentos também foram temas trabalhados durante as aulas”, explica Socorro Lima, diretora do CMEI Zélia Gattai Amado.

Mostra Literária revela habilidades dos alunos

Ascom Semec

O mundo encantado das histórias infantis está tomando de conta da Escola Municipal Santa Maria da Codipi, localizado na zona Norte de Teresina. A unidade de ensino realiza de 12 a 17 de abril a I Mostra Infantil de Literatura com contação de história, exposição de livros, piquenique literário, guarda chuva literário, cortina literária, varal literário, além de um bate papo descontraído com a autora do livro ‘A Bolinha Mágica’, Edelanni Araújo Silva.

Desde o início do período letivo, as crianças participam de diversas atividades envolvendo a leitura através do projeto ‘Eu amo ler’. Uma parceria com o projeto BiblioSesc, facilitou ainda mais o acesso dos alunos a um acervo de livros onde podem ser encontrados exemplares de gibis, clássicos da literatura, contos de fadas, dentre outros.

Segundo Luzinete Leal, gestora da escola, o objetivo principal da mostra é estimular a leitura, compartilhando as histórias. “A ideia surgiu para levar para o pátio da escola durante o intervalo e no final da aula, as atividades que estão sendo realizadas na sala de aula pelas crianças. Assim cada turma pode compartilhar com os demais estudantes os trabalhos produzidos”, explica.

Luzinete conta ainda que os estudantes estão adquirindo muitas habilidades e que a Mostra é uma forma de exibir essas novidades. “São 293 alunos do 1º ao 5º ano participando da ação. As famílias também acompanham todo o trabalho e participam da leitura com os filhos no final das aulas, aproximando a família da escola”, destaca.

Nesta sexta-feira (12), os estudantes participaram de um bate papo com Edelanni Araújo Silva, aluna da Escola Municipal 15 de Outubro que escreveu seu primeiro livro aos 8 anos de idade. Hoje com 11 anos, conta sua história e relata como é escrever um livro. “Gosto muito de ler. Já são 417 livros lidos. É muito amor pela leitura, e gosto de incentivar outras crianças. Quando estamos lendo, tudo muda”, diz empolgada. Edelanni conta que já está pensando no seu segundo livro. “Logo estarei lançando meu segundo livro. Agora escolhi escrever poesias. Ainda é surpresa, mas em breve estarei mostrando a novidade para todos”, finaliza.

Pais de alunos são leitores no CMEI Cássia Cristina

Ascom/Semec

Os pais dos alunos do Centro Municipal de Educação Infantil Cássia Cristina, no bairro Areias, passaram a construir, de forma mais efetiva, a rotina de aprendizagem das crianças. São eles os responsáveis por conduzir a leitura dos livros infantis que os alunos estudam semanalmente.

A atividade é parte do Projeto Maleta Viajante, que estimula a aproximação das crianças com os livros. Toda semana, o famoso personagem Visconde, do Sítio do Picapau Amarelo, vai em cada turma da escola distribuir a maleta contendo uma obra infantil para ser lida no final de semana com os pais.

A missão da família é retornar na semana seguinte para fazer a leitura com a turma, marcando presença e incentivando o hábito entre os pequenos. A diretora Vanda Oliveira conta que os livros são pensados para cada faixa etária. “A proposta é do Programa Alfabetiza Teresina, que leva todo mundo a ler, desde as crianças menores até os pais. Essa participação direta das famílias é um estímulo a mais para o desenvolvimento da leitura e escrita”, conclui a gestora.

Bailarinos piauienses compõem elenco no 19º aniversário da Escola Bolshoi no Brasil

Divulgação

Ex-alunos de escolas públicas municipais e estaduais do Piauí estão brilhando em Joinville, Santa Catarina, onde estudam balé a partir de uma parceria com a Escola Bolshoi no Brasil. Recentemente, o grupo foi convidado para compor o espetáculo de comemoração pelos 19 anos da tradicional escola de dança, que é referência em arte e educação.

As apresentações aconteceram em duas noites de coreografias clássicas, neoclássicas e dança a caráter. Foram 168 alunos e bailarinos da Cia. Jovem, mais 48 calouros sendo batizados. Os piauienses participaram do espetáculo Danças Polovtsianas da Ópera “O príncipe Igor”, que estreou em 2008 na Escola Bolshoi e narra a passagem do Príncipe Igor no cativeiro durante a guerra com os polovitsianos.

Bem adaptados à nova rotina, que inclui aulas regulares e uma rígida formação em dança, os jovens bailarinos que saíram de Teresina aos oito anos de idade agora sonham com novos palcos. As bolsas são concedidas a partir de uma seleção com parceria da Prefeitura de Teresina e do Governo do Estado. Além de ensino gratuito, os alunos recebem benefícios como alimentação, transporte, uniformes, figurinos, assistência social, orientação pedagógica, assistência odontológica preventiva, atendimento fisioterápico, nutricional e assistência médica de emergência/urgência pré-hospitalar.

 

Projeto ensina sobre os valores humanos para as crianças do CMEI Júlio César

Ascom/Semec

Pensando na formação integral dos alunos, a equipe escolar do Centro Municipal de Educação Infantil Professor Júlio Cesar está desenvolvendo o Projeto ‘Valores na Infância’, que visa oportunizar as crianças, através de ações diárias, situações que as levem a desenvolver relações de amizade, para a construção do respeito, partilha e coleguismo.

Será trabalhado um tema a cada mês, através de contação de histórias bíblicas, clássicas, fábulas e contos. As histórias serão contadas por meio de vídeos, teatro de fantoches, dedoches, dramatização, leitura de imagens, músicas, entre outros meios.

Segundo Rosinete Carioca Costa, diretora do CMEI, o projeto tem como objetivo apresentar para as crianças valores essenciais para a convivência humana. “Iniciamos as atividades no mês de março apresentando o valor honestidade, e percebemos o quanto é importante enfatizar para as crianças situações cotidianas em que devemos agir com honestidade”, destaca.

Neste mês de abril, a gestora explica que será trabalhado o valor da partilha. “Iremos contar histórias ensinando para as crianças a importância de compartilhar com o próximo”, diz.

Projeto estimula troca de cartas entre estudantes do Programa Cidade Olímpica e de Portugal

Trocar cartas pode parecer um costume antigo, mas que se tornará uma forte aliada no ensino de estudantes do Programa Cidade Olímpica Educacional e alunos de uma escola da cidade de Caldas, em Portugal.

O projeto “Cartas de lá e cartas de cá”, é um intercâmbio cultural que possibilitará a troca de conhecimentos dos estudantes que tem como objetivo incentivar a escrita, estimular a leitura e ainda conhecer a cultura de outro país através de cartas. Durante a execução do projeto os jovens trocarão conhecimentos das realidades das duas cidades.

O projeto foi apresentado aos estudantes durante um encontro no Centro de Formação Professor Odilon Nunes, com a participação do secrátario municipal de Educação, Kleber Montezuma, da coordenadora do programa Cidade Olímpica Educacional, Valdete Silva, do escritor José Santos, do jornalista Zózimo Tavares e participação do cordelista Vagner Ribeiro.

A iniciativa da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) possibilitará aos alunos uma experiência a partir de um diálogo com o passado, lembrando que essa troca de correspondência que o projeto está propondo remete às origens da cultura brasileira com a comunicação com Portugal.

Segundo o jornalista Zózimo Tavares, o projeto possui dois fatores importantes: o contato com as origens da cultura portuguesa e a primeira comunicação do Brasil com Portugal. “Através desse projeto os alunos vão ter um contato com as origens de nossa cultura, que é a portuguesa, já que fomos colônia de Portugal e trazemos todos esses traços da cultura deles. Outro aspecto interessante é o meio que será usado: a carta, que é um meio de comunicação em desuso, mas muito marcante na nossa cultura e comunicação, que foi abandonada por conta da era digital, mas que precisa ser visitada, fortalecida e conhecida pelos estudantes, já tomando como referência que a primeira comunicação com Portugal foi a carta de Pero Vaz de Caminha. Isso irá desenvolver muitas experiências positivas e que vão engrandecer os alunos”, destacou.

José Santos explica que o projeto está sendo realizado em algumas cidades brasileiras e que Teresina será uma das pioneiras. “Fiquei muito contente em conhecer o projeto Cidade Olímpica Educacional, que faz com que os alunos em seu dia de folga venham avançar nas discussões e nos estudos. Fiquei impressionado com os números de medalhas conquistadas pelos alunos. Não é à toa que Teresina está na ponta das avaliações educacionais”, enfatiza o escritor.

Para ele é bastante gratificante ver a motivação dos estudantes. “Em meio a muitas pessoas que não gostam de ler, ver 30 alunos tão motivados em relação à língua portuguesa, leitura e escrita faz valer muito a pena vir de Portugal para conhecer sobre o projeto da Prefeitura de Teresina, que intensifica as habilidades dos estudantes”, finalizou José Santos.

Pedagogos da Educação Infantil recebem orientações sobre metas e níveis de aprendizagem

Ascom Semec

A Secretaria Municipal de Educação (Semec) reuniu os coordenadores pedagógicos dos Centros Municipais de Educação Infantil para alinhar as estratégias do ano letivo de acordo com as novas expectativas de aprendizagem. O objetivo é acompanhar melhor o desempenho dos alunos em cada etapa escolar.

A avaliação e monitoramento não são novidades na rede municipal de Teresina, mas a mudança no ciclo de alfabetização, que agora inclui o II Período da Educação infantil, gerou novas expectativas. Na prática, a Semec definiu com clareza o que se espera dos alunos ao fim de cada ano, além de consolidar os níveis de aprendizagem.

Segundo Hostiza Machado, da coordenação pedagógica da Semec, o foco de todo o trabalho é a alfabetização das crianças no tempo regular. “Teresina tem avançado muito na Educação Infantil, o que nos estimula a crescer nas metas. Estamos apontando para as escolas os níveis de leitura e escrita, também o que esperamos das crianças em relação a esses níveis. A expectativa é de que as metas bem definidas nos ajudem a evoluir ainda mais enquanto rede”, explica.

Durante o encontro, as pedagogas tiveram um momento animado para lembrar como é importante ter energia e disposição para trabalhar com as turminhas da Educação Infantil. Também dialogaram sobre as avaliações do IAB e a inserção dos dados no SIGA-SEMEC, procedimentos essenciais para a qualidade do ensino nas escolas do município.