Diretores novatos das escolas da Prefeitura concluem curso de Gestão de Desempenho Acadêmico

O grupo de diretores recém-eleitos nas escolas municipais de Teresina participou neste sábado (23) do último dia de aula do curso Gestão de Desempenho Acadêmico, ofertado gratuitamente pela Prefeitura de Teresina no Centro de Formação Odilon Nunes. Foram 72 horas dedicadas ao aperfeiçoamento da gestão educacional, financeira e pedagógica.

Agrupados em três turmas, os 66 gestores receberam orientações das especialistas Cleire Amaral e Guiomar Passos para administrarem com eficiência os processos da rotina escolar. O diálogo sobre as novas experiências e a oportunidade de compartilhar os resultados com os colegas trouxe mais segurança aos diretores no exercício da nova função.

“Foi muito importante para aprendermos na prática como acompanhar o desempenho dos alunos, observando erros e acertos, sempre no sentido de crescer”, disse José Gentil, diretor da Escola Municipal Delfina Borralho Boavista. Segundo ele, os aprendizados do curso já estão sendo aplicados na escola. “Pudemos analisar os dados das provas feitas recentemente e intervir de forma a apoiar nossos alunos. Quero participar de todos os cursos que foram oferecidos”, destacou.

Segundo o secretário municipal de Educação Kleber Montezuma, o aperfeiçoamento da gestão garante diretores mais comprometidos com o desempenho dos alunos. “Se esses diretores tinham chances de serem bons, de elevarem os resultados das escolas, agora temos certeza que serão, pois estão prontos para serem lideres das equipes escolares de fato”, pontua.

No mês de abril, a Secretaria Municipal de Educação (Semec) dará início ao curso de aperfeiçoamento para diretores veteranos, com conteúdo atualizado. Os gestores são convocados durante todo o ano para apresentarem os resultados das turmas em reuniões gerenciais, contando com apoio de superintendentes escolares.

CMEI Santa Maria promove atividade em alusão ao Dia Mundial da Água

Ascom FMS

No Dia Mundial da Água, comemorado hoje, 22 de março, as crianças do Centro Municipal de Educação Infantil Santa Maria, zona Leste de Teresina, aprenderam mais sobre a importância desse recurso natural para a vida do planeta. A escola organizou um momento de conscientização no pátio, durante a acolhida dos alunos.

A água limpa e potável é um direito humano garantido por lei desde 2010, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). A data é um alerta para que a população preserve e economize, garantindo a sobrevivência dos seres vivos. Nas escolas da Prefeitura, atividades em alusão ao Dia Mundial da Água ajudaram a sensibilizar as crianças para a causa, envolvendo toda a família.

No CMEI Santa Maria, a professora Eugênia Melo tomou a frente da ação e deu dicas para o uso racional dos recursos hídricos. “Temos que cuidar desse bem tão valioso, e algumas atitudes podem fazer muita diferença, como economizar água no banho, evitar o desperdício lavando calçadas e reaproveitar sempre que possível”, pontuou.

A vice-diretora Ana Ilda Melo conta que as crianças ficaram bastante interessadas nas informações e prometeram levar as dicas para casa. “A ideia é essa mesmo, formar uma corrente de conscientização a partir das crianças, que precisam aprender desde cedo a importância do cuidado com o meio ambiente. A água garante nossa sobrevivência, é urgente manter esse recurso disponível”, concluiu.

Autora de livro sobre Síndrome de Down diz que falta de informação é a maior barreira

Ascom Semec

Como ajudar crianças com Síndrome de Down a desenvolverem suas habilidades na escola é um dos principais ensinamentos do livro lançado pela professora Lorena de Jesus nesta quarta-feira (20), na Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Lorena é professora da Rede Municipal de Ensino de Teresina e produziu o livro com mais dois estudiosos do curso de pedagogia: Francisco Soares e Maria de Jesus Rodrigues.

As pesquisas iniciadas durante a graduação ganharam vida a partir das experiências dos autores com a prática em sala de aula, onde se depararam com alunos com Síndrome de Down. Até o lançamento da obra, a professora Lorena conta que vivenciou diversas situações com estudantes, tanto em escolas públicas quanto privadas, e comprovou que o preconceito e a falta de informação ainda são os grandes desafios.

“Temos poucos estudos sobre o assunto, por isso senti mais vontade de me aprofundar na área. As pessoas precisam entender que a Síndrome de Down não é uma doença, que as crianças podem aprender, basta que tenham suporte, professores preparados, família bem informada e comunidade aberta à inclusão”, explica.

Para a professora Lorena, a escola pública municipal vem avançando no que diz respeito a acessibilidade, abrindo portas para as crianças especiais. “Ainda precisamos avançar muito enquanto população, mas sinto que os professores estão mais dispostos, motivados e preparados para receberem os alunos com necessidades especiais. No livro destacamos como os recursos pedagógicos que são utilizados nas escolas ajudam no processo de inclusão e aprendizagem dessas crianças”, conclui.

Alunos da Escola Municipal Machado de Assis aprendem sobre lixo eletrônico

Os alunos do 8º e 9º anos da professora Rosana Pimentel tiveram uma experiência diferente durante as aulas de geografia ministradas na Escola Municipal Machado de Assis, bairro Renascença II, zona Sudeste de Teresina. Eles aprenderam sobre o descarte correto do lixo eletrônico, uma atitude que ajuda na preservação do meio ambiente e reduz riscos para a saúde humana.

As turmas participaram de um projeto com foco no tema, que, segundo a professora Rosana, tinha como um dos objetivos despertar o olhar crítico para a destinação final do lixo e o aprendizado sobre como ocorrem os processos industriais, a desatualização dos eletrônicos e o impacto ambiental causado por eles.

“Foi gratificante perceber na prática o quanto eles ficaram felizes com a aquisição do conhecimento. Ver o brilho nos olhos deles cada vez que aprendiam algo novo, não tem preço. Cada vez que um grupo chegava à escola com uma caixa cheia de produtos eletrônicos velhos era um motivo de alegria entre eles”, conta a professora.

Os alunos também visitaram a ONG MP3 – Movimento Pela Paz na Periferia – que desenvolve um trabalho com aparelhos eletrônicos descartados em Teresina, onde puderam associar a prática com a teoria da sala de aula. “Foi o casamento entre teoria e prática. O mais gratificante foi ouvir que aquela foi a melhor aula”, concluiu Rosana.

Crianças melhoram hábitos alimentares aprendendo a comer frutas no CMEI Danielzinho

Ascom Semec

No Centro Municipal de Educação Infantil Danielzinho alimentação saudável é assunto de sala de aula. Atividades que alertam sobre a importância de comer bem são desenvolvidas com diversão e criatividade. Durante uma semana as professoras mostraram para a turminha a importância das frutas para uma melhor qualidade de vida.

Segundo Nailde Ferraz, pedagoga do CMEI, a iniciativa é importante para estimular o consumo de alimentos ricos em nutrientes. “As frutas são alimentos ricos, com vários tipos de vitaminas e nutrientes. Foi uma semana de estudo, montamos diferentes cardápios, trouxemos sucos e ainda organizamos um piquenique com as crianças”, conta.

A ação faz parte das intervenções realizadas pelo setor de Nutrição da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), que está organizando formações para orientar as escolas a como incentivar as crianças a se alimentarem de forma saudável.

Escola Municipal Minha Casa recebe caminhão da BiblioSesc

A Escola Municipal Minha Casa, situada no bairro Matadouro, deu início a uma parceria com o projeto BiblioSesc, facilitando o acesso dos alunos a um acervo de livros, gibis, clássicos da literatura e conto de fadas, dentre outros.

A diretora Amélia Barros conta que a nova colaboração vem para incentivar a leitura entre as crianças, desenvolvendo mais prazer e alegria em descobrir mundos novos, jamais imaginados. “Já foi feito o cadastro dos alunos e os pais puderam ter contato de perto com esse momento,” comenta.

A escola já desenvolve um projeto de leitura e para a diretora essa parceira é importante, pois torna o momento mais prazeroso, já que as crianças passam a ter mais um local de interação com os livros, orientados por alguém de fora.

“De quinze em quinze dias a BiblioSesc vai estacionar na frente da escola e as crianças vão poder pegar os livros emprestados ou ler dentro do caminhão. A escola está se organizando para fazer esse momento gostoso de leitura,” afirma Amélia.

A BiblioSesc é uma parceria da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) com o Sesc de Teresina, que visa facilitar o acesso à leitura nas escolas da Rede Municipal. A ação consiste em disponibilizar uma unidade móvel de biblioteca instalada em um caminhão adaptado com estantes, cadeiras e ar-condicionado para receber os alunos e a comunidade.

 

Crianças do CMEI Professora Maria do Amparo aprendem sobre segurança alimentar

Ascom Semec

Concentração, entusiasmo e aprendizados estão acompanhando os alunos do 2º ano do ensino fundamental do Centro Municipal de Ensino Infantil (CMEI) Professora Maria do Amparo Ferreira de Alencar, localizado no bairro Vale do Gavião, zona Leste de Teresina.

Para incentivar os alunos sobre ações de segurança alimentar e nutricional, a professora Ana Cristina Magalhães está desenvolvendo com os estudantes, durante as aulas de ciência, um projeto baseado nas hortas comunitárias da capital: o “Horta Suspensa, Plantando e Aprendendo uma Alimentação Saudável”. O objetivo é incentivar o cultivo de hortaliças na escola, apresentando aos estudantes a importância dos bons hábitos alimentares, incluindo os próprios vegetais no cardápio da escola.

Maria do Socorro Vale Damasceno, diretora da escola, explica que as crianças irão construir uma horta suspensa na escola utilizando garrafas pet e que todo o material utilizado está sendo produzido por elas em sala de aula. Pesquisas de campo também foram feitas para familiarizar os alunos com o espaço a ser trabalhado e descobrirem quais tipos de hortaliças se adequam melhor ao projeto.

Os pequenos cientistas visitaram a horta comunitária do bairro Taquari e a professora Ana Cristina avaliou a experiência como proveitosa. “A visita foi necessária para que os alunos pudessem observar como é feito o manuseio, o cultivo e os cuidados com as hortaliças”, explicou.

CMEI inicia projeto “Sacola Viajante e a Lata Mágica da Leitura”

Ascom Semec

Nessa quarta-feira (20) é comemorado o dia do Contador de Histórias e as Unidades de Ensino Municipal de Teresina, através da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), investem em diferentes formas para desenvolver o hábito da leitura nos estudantes. Um desses métodos é o projeto “Sacola Viajante e a Lata Mágica da Leitura” que trata isso de maneira bem lúdica, levando as crianças para dento do mundo dos contos infantis. Objetivo é estimular a leitura das crianças para o desenvolvimento na escrita.

O projeto que começou em 2016, no Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Tia Anita Moraes de Brito, localizado no bairro Angelim I, realizou a abertura das apresentações que ficaram por conta das turmas do Maternal II, das professoras Thaíse Maria da Conceição e Bruna Duarte Santana. Os alunos se caracterizam como os personagens das histórias contadas e encenam junto com os colegas.

“As crianças apresentaram os contos da Chapeuzinho Vermelho e dos Três Porquinhos. Todos os alunos levaram para casa a Sacola Viajante e a Lata Mágica para compartilhar com a família a leitura do livro,” explica a professora Thaíse Maria.

A diretora Jocilene Silva conta que o objetivo é conquistar as crianças para o prazer da leitura e a partir daí conquistar o mundo da escrita. Ela também ressalta o desempenho da equipe de professores em fazer um trabalho onde o foco é uma educação de qualidade para os alunos. “Os pais e a comunidade aprovam o nosso trabalho, demostrando interesse e confiança”, finaliza.

100 professores substitutos são convocados para rede municipal de ensino

Cem professores substitutos estão sendo convocados para atuar na Educação Infantil da Rede Municipal de Ensino, nos anos iniciais do Ensino Fundamental, do 1º ao 5º ano. Eles foram aprovados no processo seletivo da Secretaria Municipal de Educação (Semec) realizado em 2017.

A convocação foi publicada no Diário Oficial do Município da última segunda-feira (18) e já está contando o prazo de 30 dias que os professores têm para comparecerem à Coordenação de Registro da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos (Sema).

O supervisor de Pessoal da Sema, Lyndon Johnson Dantas, explica que, para assinar o contrato temporário, os professores devem apresentar uma série de documentos e resultados de exames. “Por isso, é importante que eles não deixem para comparecer à Sema nos últimos dias, pois alguns desses documentos podem levar dias para ficarem prontos e esta pendência comprometerá sua contratação”, orienta.

Os convocados serão contratados por tempo determinado, em regime especial, com carga horária de trabalho de 30 horas/semanais, substituindo docentes com licenças.

A Coordenação de Registro da Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos está situada na Rua Firmino Pires, nº 121, Centro. O funcionamento é de segunda a quinta-feira, das 7h30 às 13h30. Na sexta-feira, o expediente é interno.

Confira o edital de convocação clicando aqui.

Alunos de escola municipal destaque no IDEB lançarão livro de poesia

“A arte de encantar em: rimas e versos” é o nome da primeira obra escrita por alunos da Escola Municipal Lunalva Costa, no bairro Dirceu, zona Sudeste de Teresina. A unidade de ensino obteve o segundo melhor Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) no ano passado. O livro é um compilado de poesias produzidas por 51 alunos do 1º ao 4º ano do ensino fundamental.

A produção é fruto das aulas de língua portuguesa e do Projeto “Leitura que recria”, uma das estratégias da escola para incentivar o hábito de ler. Apesar de estudarem todos os gêneros literários, a poesia foi escolhida pela turma como formato ideal para o livro, que será lançado no dia 04 de abril, às 18h, no Teatro João Paulo II.

A professora Tatielle Costa acredita que essa é uma forma de estimular os alunos e até revelar jovens escritores. “É gratificante ver as crianças transformando em escrita o que estão aprendendo sobre o mundo. Passaram de leitores a escritores, surpreendendo todo mundo”, disse. Segundo Tatielle, os pais aguardam ansiosos o evento de lançamento do livro. “Eles estão tão empolgados quanto os alunos, para muitos é a primeira vez que irão ao teatro, com uma emoção ainda maior pelo que representa esse lançamento”, afirma.

Inicialmente, serão reproduzidos 100 exemplares da obra, mas a ideia é que logo estejam nas prateleiras das livrarias e bibliotecas, inspirando outras crianças a escreverem também. Para Maria Clara, uma das autoras do livro infantil, a melhor parte é ver seu texto sendo lido por várias pessoas. “Eu escrevi, apaguei e refiz diversas vezes até encontrar as rimas e estrofes ideais, depois fiquei muito feliz de ver meu poema nas páginas do livro. Quero que muitas pessoas leiam o que escrevemos porque é como pensamos. Já queremos produzir outro”, conclui a menina.