SEMEST: Ateliês confeccionam EPIs para profissionais da saúde de Teresina

Com o objetivo de auxiliar no combate ao coronavírus, cerca de 20 ateliês de Teresina estão confeccionando materiais de proteção individual para os profissionais que atuam nas unidades de saúde da capital. O projeto é resultado da parceria entre a Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) e a Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Segundo o secretário municipal de Economia Solidária, Ricardo Bandeira, mais de 115 pessoas estão envolvidas na produção de Equipamento de Proteção Individual – EPIs. “Estamos trabalhando nas mais diversas frentes, confeccionando máscaras, aventais e outros equipamentos. Esse é um suporte importante para essas famílias que são assistidas pelos Centros de Produção e também nos ateliês. Uma maneira delas contribuírem com a confecção desses produtos que estão escassos e garantirem renda”, pontua.

Além dos ateliês, a confecção de equipamentos de proteção individual envolve também os trabalhos das equipes nos centros de produção apoiados pela SEMEST. Na zona Sudeste, o Centro de Produção Montserrat da Mãe Ester de Iansã, conta com quatro pessoas que já estavam inseridas nas ações de corte e costura. “Nesse momento muitas pessoas estão sem trabalhar e temos a oportunidade de contar com esse projeto, além da satisfação de ajudar esses profissionais da saúde nesse momento”, conta Vânia Sousa, coordenadora do ateliê.

Júnior Trezeguet é cortador no Centro de Produção do bairro Santo Antônio. Ele conta que, além da questão financeira, também tem sido satisfatório trabalhar na produção de equipamentos de proteção ao combate à pandemia. “É muito gratificante que e SEMEST e a Fundação de Saúde estejam pesando dessa forma. Estamos contribuindo da melhor forma e nos ajudando também com o financeiro”, ressalta.

SEMEST fabrica protetores faciais para doar a instituições de saúde

Protetores faciais, conhecidos como máscara-escudo ou “face shield”, são importantes dispositivos para evitar a contaminação de agentes de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19. A necessidade de uso desse dispositivo nos hospitais mobilizou Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) a viabilizar a confecção de 275.000 máscaras de proteção facial, em parceria com os Centros de Produção de Teresina e dos projetos Vitória e Sustentabilidade, mantidos pela Prefeitura Municipal.

“Vamos entregar 3 mil protetores faciais, confeccionados na capital, à Fundação Municipal de Saúde para ajudar os trabalhadores que estão na linha de frente do combate à epidemia do coronavírus. Temos o dever de ajudar a proteger a saúde da população, além de ajudar os pequenos empreendedores da cidade, e estamos fazendo várias ações nesse sentido”, afirmou o secretário da Semest, Ricardo Bandeira.

O protetor facial é feito por meio da impressão 3D e, em Teresina, os produtos estão sendo confeccionados em uma impressão mais moderna, com custo menor, mas com a mesma eficácia.

A SEMEST também assumiu o compromisso de entregar 75 mil kits de Equipamentos de Proteção Individual em Teresina (EPIs), compostos por aventais, máscaras e toucas, para trabalhadores da saúde da capital, que atuam na linha de frente de combate ao novo coronavírus. Até agora, já foram entregues 34 mil kits e novos poderão ser entregues nos próximos dias.

Banco Popular já atendeu este mês mais de 200 empreendimentos

O Banco Popular de Teresina (BP), órgão ligado à Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest), após as novas medidas adotadas para apoiar os empreendedores que tiveram seus negócios afetados pelo novo Coronavírus, já atendeu, do dia 13 até esta terça-feira (19), 226 empreendimentos e liberou o valor de R$ 756.200,00.

Neste período, o Banco aumentou o prazo de carência para pagamento da primeira parcela dos financiamentos de microcrédito, que passou de 45 para 120 dias. O número de parcelas em que se pode dividir o empréstimo também foi ampliado, agora são 12 meses ao invés de 10.

“A pandemia e o isolamento social afetaram o lucro de nossos microempresários, que agora terão dificuldade de pagar as parcelas dos seus empréstimos. Então, estamos oferecendo mais flexibilidade acerca dos pagamentos dos contratos”, afirma Michel Sena, gerente do BP.

Os microempreendedores com contrato ativo no Banco que estejam adimplentes até o mês de fevereiro de 2020 também terão a opção de remanejar as parcelas de março, abril e maio para o final do contrato, sem nenhuma alteração no valor.

O Banco oferece ainda mais uma opção de pagamento dos contratos ativos. O microempreendedor pode pegar o saldo devedor e refinanciar o valor, sendo que esse novo financiamento contará com 60 dias de carência para começar a pagar e poderá ser dividido em até 12 vezes.

Os empreendedores interessados em solicitar o empréstimo devem entrar efetuar o cadastro pelo site http://meubancopopular.org/.  Para mais informações, podem ligar para o telefone 99480-0501.

Covid-19: EPIs produzidos por costureiras dos Centros de Produção são entregues à FMS

A Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) realizou a entrega de Equipamentos de Proteção Individual à Fundação Municipal de Saúde (FMS). Foram entregues 650 kits(máscara, touca e avental) e mais 13.300 máscaras avulsas. Até agora, mais de 24 mil máscaras já foram entregues para os profissionais que estão atuando no combate ao coronavírus.

Segundo o secretário da Semest, Ricardo Bandeira, a parceria com a Fundação irá continuar. “Nossa proposta é entregar, ainda essa semana, mais kits e máscaras para os profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate ao coronavírus” afirma o secretário Ricardo Bandeira.

A parceria entre a SEMEST e a FMS tem como objetivo oferecer suporte em EPIs necessários a todos os funcionários das unidades de saúde, para que trabalhem com maior segurança e cuidados no combate à covid-19. O material está sendo confeccionado pelos grupos de produção que possuem parceria com a Semest, que tem fornecido os insumos para a produção dos equipamentos.

Parceria entre Semest e FMS já produziu mais de 30 mil EPIs

Uma parceria firmada entre a Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) e a Fundação Municipal de Saúde já possibilitou a produção de 30.660 Equipamentos de Proteção Individual em Teresina. Os EPIs – aventais, máscaras e toucas – são para trabalhadores da saúde da capital, que atuam na linha de frente de combate ao novo coronavírus.

Além do que já foi feito, está em produção mais 19.690 unidades. A meta é que sejam produzidos, no total, 75.000 gorros/toucas, 75.000 aventais e 275.000 máscaras. “Sabemos que os profissionais precisam utilizar estes EPIs durante o desempenho de suas funções e, em vez de a FMS adquiri-los no mercado, a um preço bastante alto, nós estamos produzindo  de forma mais barata”, disse o secretário municipal de Economia Solidária, Ricardo Bandeira.

Além dos profissionais de saúde, também estão sendo beneficiados com esta parceria microempreendedores individuais de Teresina. Todo este material está sendo produzido por costureiras do Projeto Sustentabilidade e Projeto Vitória, da Semest, e ainda pelas costureiras de centros de produção e associações de artesanato. “Estas profissionais estariam paradas neste período de crise e, com este projeto, elas estão trabalhando e recebendo por este trabalho. É uma garantia de renda que elas estão tendo neste período de crise”, afirmou o secretário.

Economia criativa será tema de live promovida pela Secretaria da Mulher nesta sexta (24)

Nesta sexta-feira (24), a partir das 11h, será realizada uma live com transmissão no instagram da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (@smpmteresina) para debater a economia criativa e ações adotadas pela Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST durante o período de isolamento social. O debate virtual contará com a participação da gerente de articulação e transversalidade da SMPM, Adriana Carvalho, e da secretária executiva da SEMEST, Jacqueline Freitas.

Segundo Adriana Carvalho, o momento serve como um canal de diálogo para a divulgação dos serviços das secretarias municipais, esclarecendo como eles impactam a vida da população nesse cenário de pandemia.

“Precisamos divulgar as ações que estão sendo realizadas nesse momento. A representante da SEMEST também é uma representante da Câmara Técnica, espaço de gestão da Secretaria da Mulher. Ela faz esse trabalho de interseção com outras secretarias para estar alinhando e divulgando os serviços. É muito importante debater sobre a dinâmica desses serviços nesse momento, a população precisa saber”, esclarece a gerente.

Segundo a secretária Executiva da SEMEST, Jacqueline Freitas, entre as ações adotadas pelo órgão para o período de pandemia, destaca-se a articulação feita com Fundação Municipal de Saúde (FMS) para confecção de 70 mil kits de Equipamento de Proteção Individual – EPIs e 1000 viseiras. Ao todo, serão produzidas máscaras, toucas, viseiras, aventais, dentre outros equipamento de suporte para equipe de profissionais da saúde. A mão de obra utilizada para confecção do material será de costureiras e trabalhadoras autônomas contratadas pela FMS.

“Os empreendimentos ligados a SEMEST ficarão responsáveis por essa produção em massa para atender essa demanda urgente das equipes de saúde. Todos esses pontos serão debatidos durante o diálogo virtual, vamos esclarecer como essa articulação está sendo feita e como serão as diretrizes nos próximos dias. Também vamos falar sobre economia e ações nesse momento de crise, orientações ao público do pequeno negócio, formas de utilizar melhor as redes sociais”, finaliza a secretária executiva.

SEMEST produz 75 mil kits de EPIs para profissionais da saúde de Teresina

A pedido da Fundação Municipal de Saúde (FMS), a Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) está adquirindo insumos para a produção de 75 mil kits de equipamentos de proteção individual – EPIs. Serão confeccionados gorros, máscaras e aventais que serão doados para profissionais da saúde, que atuam nos hospitais e Unidades Básicas de Saúde de Teresina.

Os kits estão sendo confeccionados em 16 Centros de Produção de Teresina, assim como em 20 ateliês do Projeto Sustentabilidade e em mais 20 ateliês do Projeto Vitória, que capacita profissionais com o ensino de técnicas de corte e costura.

“Com esses equipamentos de proteção adequados, os profissionais da área da saúde poderão trabalhar com mais tranquilidade. Estamos adquirindo a matéria-prima e realizando essa ação principalmente com pessoas que estão trabalhando de forma voluntária. Estamos entusiasmados para fazer a entrega desses kits para a FMS”, ressaltou o secretário municipal de Economia Solidária.

A secretaria também realizou a aquisição de uma máquina impressora a lazer e duas em 3D, que ajudaram na confecção de cinco mil máscaras, protetores faciais e de batas. Cada máquina tem a capacidade de produzir, em média, 400 peças por dia.

Em parceria com empresas privadas da capital, que fizeram a doação de tecidos para produção de 20 mil máscaras, a SEMEST já havia participado da confecção desses equipamentos de proteção individual para colaborar na contenção da transmissão do novo coronavírus. As máscaras foram doadas para profissionais da saúde que atuam nos hospitais municipais e estaduais da cidade.

Banco Popular adota medidas de apoio aos microempreendedores frente à pandemia

O Banco Popular de Teresina (BP) está adotando medidas de apoio aos pequenos empreendedores que tiveram seus negócios afetados pela pandemia do novo coronavírus. Uma das medidas foi o aumento do prazo de carência para pagamento da primeira parcela dos financiamentos de microcrédito, que passou de 45 para 120 dias. O número de parcelas em que se pode dividir o empréstimo também foi ampliado, agora são 12 meses ao invés de 10.

“Entendemos que a pandemia e o isolamento social afetaram o lucro de nossos microempresários, que agora terão dificuldade de pagar as parcelas dos seus empréstimos. Por isso estamos oferecendo mais flexibilidade acerca dos pagamentos dos contratos. Nosso objetivo sempre foi ajudar essas pessoas”, afirma Michel Sena, gerente do BP.

Aqueles microempreendedores com contrato ativo no Banco que estejam adimplentes até o mês de fevereiro de 2020 também terão a opção de remanejar as parcelas de março, abril e maio para o final do contrato, sem nenhuma alteração no valor dessas parcelas.

O Banco oferece ainda mais uma opção de pagamento dos contratos ativos. “Podemos também pegar o saldo devedor do microempreendedor e refinanciar o valor, sendo que esse novo financiamento contará com 60 dias de carência para começar a pagar e poderá ser dividido em até 12 vezes”, explica Michel Sena.

O Banco Popular é um órgão vinculado à Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) e proporciona aos pequenos empreendedores, sobretudo os de natureza solidária, o acesso ao microcrédito. São empreendedores de várias áreas ligados à economia solidária e criativa, como artesãos que trabalham com arte santeira, bordados, bonecas e outros.

Costureiras de Centros de Produção de Teresina confeccionam máscaras para doação

Costureiras dos Centros de Produção de Teresina estão colaborando com a confecção de máscaras e toucas, que são equipamentos de proteção individual, para serem doadas nos hospitais municipais e estaduais da cidade. A ação é uma parceria da Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) com uma empresa privada da capital, que fez a doação de tecidos para que sejam confeccionadas três mil máscaras e toucas e, assim, colaborar com medidas de contenção de transmissão do novo coronavírus.

Segundo Ricardo Bandeira, secretário municipal de Economia Solidária, costureiras de três Centros de Produção da capital estão envolvidas nesta atividade. “Recebemos esta doação de material, com máscaras e toucas já cortadas, só em ponto de acabamentos, para serem finalizadas por nossas costureiras e doadas nas Unidades de Saúde da nossa capital. Estão empenhadas neste serviço as costureiras dos Centros de Produção Padre Eduardo, na zona Norte, e Monte Horebe e Redonda, na zona Sudeste”, informa o secretário.

Ricardo Bandeira acrescenta que esta parceria demonstra a solidariedade do teresinense e o seu engajamento nesta luta contra esta pandemia. “É uma alegria para nós do poder público atuarmos em parceria com a iniciativa privada para colaborar com esta luta que é de todos nós, de conter a covid19, que tem um alto poder de transmissão. Temos 16 Centros de Produção na nossa capital e toda e qualquer inciativa neste sentido serão recebidas de portas abertas por nossas costureiras”, explica.

A previsão é que até amanhã sejam concluídas estas máscaras e toucas, que serão entregues pelo empresário que fez a doação para a Fundação Municipal de Saúde e Secretaria de Estado de Saúde do Piauí, para serem distribuídas conforme a demanda nos hospitais.

Para restringir a circulação e aglomeração de pessoas, por conta da pandemia do novo coronavírus, a Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) está com atividades voltada ao público suspensas, com exceção do Banco Popular, que está fazendo o rodízio de funcionários para agilizar pagamentos de empréstimos já solicitados e fazer agendamentos. “Estamos preparando um formulário para o site da Prefeitura de Teresina para aquelas pessoas que necessitam solicitar empréstimos do Banco Popular possam fazer via internet, sem ter precisar se deslocar ao local”, ressalta o secretário.

Semest suspende atendimento para novos clientes do Banco Popular

Para restringir a circulação e aglomeração de pessoas, por conta da pandemia do novo coronavírus, a Secretaria Municipal de Economia Solidária (Semest) vai suspender o atendimento para novos clientes do Banco Popular, mantendo a agenda somente para os clientes que já solicitaram empréstimos.

A Semest também vai adiar os próximos dois eventos organizados pela secretaria, que aconteceriam nos próximos dias 23 e 29 de março.

A Secretaria, assim como as demais pastas da Prefeitura de Teresina, está seguindo as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenir o avanço do novo coronavírus em Teresina. “Estamos tomando medidas preventivas com o objetivo de impedir o avanço do vírus na capital. Suspender atividades que tenham aglomerações de pessoas é uma atitude acertada da Prefeitura”, ressaltou o secretário Municipal de Economia Solidária, Ricardo Bandeira.