Prefeitura e Banco da América Latina encerram agenda com visitas técnicas por obras de Teresina

A Prefeitura de Teresina encerra nesta quinta-feira (12) a agenda de reuniões e visitas técnicas com representantes da Cooperativa Andina de Fomento (CAF), Banco de Desenvolvimento da América Latina, que financia obras do Programa Teresina Sustentável, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan).

Na última quarta-feira (11) foram feitas visitas técnicas, durante a manhã, voltadas para obras em execução, e no período da tarde, aos locais das novas propostas de execução situadas nas zonas Norte e Leste da cidade. “Essas obras recebem o apoio do banco, é uma operação que eles mantém com a Prefeitura no total de US$45 milhões, com a nossa contrapartida idêntica, e ainda temos muito a aplicar esses recursos. Vamos trabalhar juntos para que possamos, a desejo do Dr. Pessoa, aplicar esses recursos para o desenvolvimento de Teresina”, pontua o secretário municipal de planejamento, João Henrique Sousa.

 

Fotos: Certare Engenharia

O objetivo do programa é contribuir para o desenvolvimento econômico, social e ambiental de Teresina, mediante a realização de intervenções em mobilidade urbana, assentamentos precários, requalificação urbano-ambiental e na melhoria da gestão municipal.

“As visitas iniciaram pelo Parque Floresta Fóssil, às margens do rio Poti onde compreende a construção de prédios administrativos, como também um museu que irá contemplar os passeios turísticos da nossa cidade. Partimos para a Vila da Paz, onde compreende a introdução de um parque no bairro, trazendo urbanização e qualidade de vida para o local. Seguimos para o parque Rodoviário, que possui características similares à Vila da Paz. Estivemos na Avenida Marginal Poti, na zona Sul, uma via de extrema importância para Teresina. Por fim, voltamos ao Centro da cidade, onde visitamos as obras de revitalização e o mercado central, que vai passar por uma reforma, também de revitalização”, explica Hebert Leal Araújo, assessor técnico da unidade de gerenciamento do programa Teresina Sustentável (UGP).

A equipe da CAF presente nas visitas é formada pelo executivo Diego Vettori e os especialistas técnicos, Paulo Rodrigues e Yerko Eterovic, representando a Prefeitura de Teresina estavam presentes o secretário executivo de captação de recursos e monitoramento (SECREM), Ítalo Portela, e o corpo técnico responsável pelo programa. ”Nesses três dias de reuniões e visitas técnicas recebemos os representantes da CAF, fizemos a apresentação da situação atual do programa e a revisão dos principais aspectos físicos, financeiros, ambientais e sociais do programa e também uma revisão de proposta para aditivos neste contrato”, conclui Raquel Lima, coordenadora do programa Teresina Sustentável.

Prefeitura e Banco da América Latina discutem continuidade de investimentos em Teresina

Prefeito Dr. Pessoa e o secretário municipal de Planejamento, João Henrique Sousa Fotos: Lucas Dias / SEMCOM

A Prefeitura de Teresina esteve reunida, nesta terça-feira (10), com a comissão de representantes da Cooperativa Andina de Fomento (CAF), Banco de Desenvolvimento da América Latina, que financia obras do Programa Teresina Sustentável, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan).

A equipe da CAF é formada pelo executivo Diego Vettori e os especialistas técnicos e ambientais, Paulo Rodrigues, Cecília Guerra e Yerko Eterovic. Entre as principais obras do Programa Teresina Sustentável, destaca-se a implantação da Via Marginal Poti Sul, revisão e atualização do Plano de Mobilidade Urbana, revitalização do Centro de Teresina, recuperação do Parque Floresta Fóssil, restauração e reforma do Mercado Central São José, implantação de urbanização do Parque Rodoviário.

A comissão cumpre agenda em Teresina, com conclusão prevista para quinta-feira (12), e integram visitas aos locais que recebem investimentos da CAF e reuniões técnicas com a equipe de Planejamento do município durante esta semana. “Vamos olhar para frente, vamos discutir cronogramas, vamos discutir ações concretas para fazer essas operações andar. Não apenas isso, fazer operações e fazer com que sejam merecedoras dos aditivos que elas precisam para que possam ser concluídas”, aponta Paulo Rodrigues, especialista técnico da CAF. O financiamento contempla investimentos na ordem de mais de US$45 milhões. ”

“Neste primeiro encontro nós analisamos tudo aquilo que diz respeito à operação de investimentos que temos com o Banco de Desenvolvimento Latino-americano (CAF). Foi uma reunião muito proveitosa, o Prefeito Dr. Pessoa fez uma explanação belíssima e nós continuaremos com estas conversas e amanhã com visitas a obras que recebem o apoio do Banco. É uma operação que eles mantem com a prefeitura no total de 45 milhões de dólares, e ainda temos muito a aplicar desses recursos”, pontua o secretário de planejamento João Henrique Sousa.

O objetivo do programa é contribuir para o desenvolvimento econômico, social e ambiental de Teresina, mediante a realização de intervenções em mobilidade urbana, assentamentos precários, requalificação urbano-ambiental e na melhoria da gestão municipal.

“Todas as obras são importantes, são estruturantes, e em nome do Banco quero dizer que estamos aqui imbuídos nesse espírito juntamente com a equipe, com os secretários e com as SAADs. Vai ser necessário um esforço hercúleo de toda equipe da Prefeitura, um esforço concentrado para que possamos retomar e acelerar o ritmo para cumprir o cronograma de obras. É um paciente que ainda inspira cuidados, mas a gente sabe que ele vai se recuperar e conte conosco, é um esforço coletivo para realizar esse avanço importante em cada região”, acrescenta Diego Vettori, executivo responsável pelo programa.

Prefeitura se reúne com representantes do CAF para tratar de investimentos em Teresina

Obras de revitalização do Centro estão dentro do Programa Teresina Sustentável Foto(Ascom/Semplan)

A Prefeitura de Teresina recebe, a partir de hoje (9) até o dia 12 de maio, a comissão de representantes da Cooperativa Andina de Fomento (CAF), Banco de Desenvolvimento da América Latina, que financia obras do Programa Teresina Sustentável, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan). O financiamento contempla investimentos na ordem de mais de US$45 milhões.

O Programa Teresina Sustentável contempla atividades voltadas para ações nas áreas de mobilidade urbana, requalificação urbana e ambiental, revitalização do patrimônio histórico e cultural da cidade, gestão municipal e tributária e coordenação e gerenciamento do programa.

“Essas missões são uma rotina de acompanhamento e têm o objetivo de um diálogo mais próximo do planejamento desses projetos, que são muito importantes para a cidade. Nossa expectativa é que o programa continue evoluindo com as obras que serão entregues aos teresinenses no decorrer da gestão do Dr. Pessoa”, afirma o secretário de Planejamento, João Henrique Sousa.

“O município já solicitou o aditivo de prazo para conclusão das obras do Programa por mais dois anos, motivado pela paralisação dos trabalhos diante da pandemia da Covid-19 e que foram retomados nos últimos meses. Além disso, foram incluídos no programa o desenvolvimento de ações na região Norte, como obras nas Lagoas do Mazerine, São Joaquim e Piçarreira; além do Parque Ambiental João Mendes”, explica Ítalo Portela, secretário-executivo de captação de recursos e monitoramento (Secrem/Semplan).

O encontro com o prefeito Dr Pessoa e demais gestores ocorrerá na terça-feira (10), às 14h, no Salão Nobre do Palácio da Cidade. As demais atividades da comissão integram visitas aos locais que recebem investimentos da CAF e reuniões técnicas com a equipe de Planejamento do município. A equipe da CAF é formada pelo executivo Diego Vettori e os especialistas técnicos e ambientais, Paulo Rodrigues, Cecília Guerra e Yerko Eterovic.

Entre as principais obras do Programa Teresina Sustentável destacam-se a implantação da Via Marginal Poti Sul, revisão e atualização do Plano de Mobilidade Urbana, revitalização do Centro de Teresina, recuperação do Parque Floresta Fóssil, restauração e reforma do Mercado Central São José, implantação de urbanização do Parque Rodoviário.

Dia das Mães: servidoras da Semplan são homenageadas com café da manhã

A manhã foi repleta de homenagens e depoimentos das mães que fazem parte da SEMPLAN Fotos(Ascom/Semplan)

A Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), realizou, na manhã desta sexta-feira (6), uma homenagem para as mães que trabalham na secretaria. O café da manhã do Dia das Mães é uma celebração pelo trabalho executado pelas mulheres mães e uma demonstração de carinho, união e companheirismo pelo papel materno desempenhado.

A manhã foi repleta de homenagens e depoimentos das mães que fazem parte das Secretarias Executivas de Planejamento Urbano (SEPLUR), Captação de Recursos e Monitoramento (SECREM) e de Planejamento Estratégico e Gestão (SEPLAG), além dos setores administrativo, financeiro e gabinete. “Ser mãe sempre foi um grande sonho e quando falo dos meus filhos é uma emoção sem tamanho. Eles são tudo pra mim e é missão que desempenho com muito orgulho. Sou realizada! Meus filhos são minha grande realização”, disse a servidora Nathália Bezerra

O secretário municipal de Planejamento, João Henrique Sousa, esteve presente durante a homenagem e ressaltou sobre a importância de momentos como este, de reunião e reconhecimento.

“O amor de mãe é algo imensurável e muito bonito. Tenho lembranças especiais com minha mãe e é sempre uma relação de afeto muito especial. Quero parabenizar todas as mães que trabalham aqui na Semplan e se desdobram para trabalharem e cuidarem dos filhos. Todas fazem isso com maestria e quero aqui deixar minhas felicitações”, disse o secretário de planejamento João Henrique Sousa.

Secretaria da Mulher discute projeto de leitura para ser implementado no Serviço Florescer

A Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) participou de uma reunião nesta segunda-feira (02) para discutir o projeto Ler Brincando, junto com a Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan) e a Secretaria Municipal de Educação (Semec). O encontro foi realizado no Centro de Formação Odilon Nunes.

O projeto Ler Brincando tem o objetivo de desenvolver ações lúdicas para incentivar a prática de ouvir e ler histórias. A intenção é estimular as crianças a pensarem de uma forma diferente, desenvolvendo também a imaginação e o compartilhamento de experiências com os colegas.

A secretária Gabriela Rodrigues explicou que estão sendo alinhadas formas de incluir às crianças atendidas pelo Serviço Florescer de dois a três anos de idade, que deverão ser incluídas no Projeto Ler Brincando. A ação será ofertada para as unidades Florescer Norte, Florescer Sudeste, Florescer Zona Rural e Florescer Sul. “Esperamos que até 200 crianças possam ingressar no projeto e se habituem à prática da leitura dentro das unidades do Florescer”, complementa.

O programa será executado na sala de aula dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e a formação dos professores ficará responsável por formadores especializados na área maternal. Os profissionais terão suporte da coleção Palavra Cantada, livros didáticos que são formados por canções infantis e atividades a serem realizadas com os alunos. O projeto Ler Brincando é uma ação da Prefeitura de Teresina, que será executada em parceria com a Semplan, Semec e a SMPM.

Serviço Florescer

O Florescer é um dos serviços oferecidos pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria da Mulher, que atende mulheres em situação de vulnerabilidade social e suas crianças na faixa de um a dois anos e onze meses. Há quatro sedes na capital, nos seguintes endereços:

Florescer Norte
Rua Antonio Pedro, 629 – Matadouro

Florescer Sudeste
Rua Santa Luzia, S/N – Alto da Ressurreição

Florescer Zona Rural
Povoado Salobro

Florescer Sul
Rua Mucuripe, S/N, Vila Santa Rita – Promorar

Teresina é a 1ª cidade no Brasil a ser inserida no Programa de Resiliência Urbana da ONU

A parceria firmada entre a Prefeitura de Teresina e o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-HABITAT), mediada pelo Departamento Agenda Teresina 2030, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento (SEMPLAN), vem trazendo resultados significativos desde o seu início, em 2019, onde as equipes têm trabalhado com foco nas áreas urbanas, através do Programa Global de Cidades Resilientes (CRGP).

Teresina é a cidade do Brasil que representa esse programa em pleno estado, sendo a primeira a implementar o programa e entregar resultados para as ações de resiliência na capital. O Programa Global de Cidades Resilientes (CRGP, em inglês) é o principal programa do ONU-Habitat de parcerias com governos locais para a Resiliência Urbana, fornecendo uma abordagem transversal e orientada à ação nos eixos de resiliência e desenvolvimento urbano sustentável.

Gabriela Uchôa, diretora de Cooperação da Programa Global de Cidades Resilientes de Teresina (CRGP, sigla em inglês)

O Projeto que funciona à nível mundial tem atuado em países como Espanha, Paraguai, Moçambique, Senegal, Tunísia e Colômbia. No Brasil, o foco tem sido a capital piauiense, com o desenvolvimento de um diagnóstico urbano que procura nortear os gestores locais na execução de políticas públicas que auxiliam no desenvolvimento urbano sustentável, unindo as pastas do governo em prol de beneficiar a população. Esse material foi denominado de “Diagnóstico de Resiliência Urbana de Teresina”, disponível em: http://bit.ly/diagnosticoteresina

“Foi feito um diagnóstico bem extenso das diversas demandas que a capital enfrenta, desafios que ela tem e os problemas crônicos existentes que precisamos tratar. Há um conjunto de recomendações também para construção de um futuro mais resiliente e sustentável. Sobretudo, um trabalho voltado para a gestão do ciclo da água e o desempenho econômico, pontos que foram agravados pela pandemia da covid-19, um grande desafio das cidades brasileiras”, explica Gabriela Uchôa, diretora de Cooperação da Programa Global de Cidades Resilientes de Teresina (CRGP, sigla em inglês).

A ONU participou nesta última semana de abril da agenda de reuniões e seminários com foco no projeto para Assentamentos Humanos no Brasil (ONU-Habitat), com a apresentação das “Ações Recomendadas para Resiliência e Sustentabilidade” para os gestores municipais e estaduais do Piauí. “Um território resiliente planeja e age para se preparar e responder aos perigos naturais causados pelo homem, com a finalidade de proteger e melhorar a vida das pessoas, assegurar o desenvolvimento, promover um ambiente de investimento e estimular uma transformação positiva em direção à sustentabilidade”, acrescenta Cíntia Bartz, coordenadora do departamento Agenda 2030.

Teresina aquece duas vezes mais do que a média global

Foto: Rômulo Piauilino

Teresina é uma cidade que sofre com extremas mudanças climáticas e vulnerabilidades sociais, ambientais e econômicas. A alta taxa de vulnerabilidade à mudança de clima é um grande desafio para a construção da resiliência climática. Por outro lado, a taxa populacional apresenta oportunidade para uma mudança positiva.

“Nos anos 60, Teresina tinha 240 dias de calor. Hoje, é uma cidade que apresenta mais de 330 dias de calor. Uma transformação de mais de cem dias em um espaço pequeno de décadas. Então, trabalhos como este que estamos desenvolvendo e apresentando resultados, nortearão os gestores nas tomadas de decisão para melhorar a relação cidade- meio ambiente e também reduzir esses impactos ambientais e sociais que as mudanças urbanas e climáticas causam na capital”, finaliza Gabriela Uchôa, diretora de Cooperação do CRGP.

ONU Habitat: Teresina é tema de estudo para desenvolvimento urbano mais eficiente e sustentável

Nesta terça-feira (26), a Prefeitura de Teresina juntamente com a Organização das Nações Unidas (ONU), dá continuidade ao projeto para Assentamentos Humanos no Brasil (ONU-Habitat), com a apresentação das “Ações Recomendadas para Resiliência e Sustentabilidade” para os gestores municipais. Esse trabalho é acompanhado pelo departamento Agenda Teresina 2030, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan).

“A nossa equipe vem trabalhando com o olhar para a mãe natureza, olhando o econômico para interagir com o social, havendo essa junção. E é esse o nosso caminho, cada vez mais trabalhar com lisura, cada vez mais trabalhar com credibilidade e focados no desenvolvimento da nossa cidade com o meio ambiente. É um orgulho para nós, da Prefeitura de Teresina, ter recebido esses técnicos da ONU para tratar deste assunto tão importante. Serão três dias de tratativas para que possamos trabalhar Teresina de forma sustentável e preparada para atuar em situações mais delicadas”, disse o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa.

Prefeito de Teresina Doutor Pessoa destaca a parceria com a ONU. Fotos: Rafael Sergio (Semcom)

A resiliência urbana é uma capacidade inerente às cidades, que possuam qualquer grau de urbanismo implementado, de resistirem e se regenerarem após situações de degradação e poluição. E isso vai muito além de situações de desastres ambientais citadas acima. As próprias atividades comumente realizadas pelo homem, como trabalho, transporte e comercialização podem ter consequências positivas ou negativas.

“A gente trabalha com base também nos princípios e diretrizes trazidos pelas agendas globais de sustentabilidade. Então, os objetivos do desenvolvimento sustentável da nova agenda urbana têm referências bem elaboradas. Os compromissos elaborados pelos países dentro da ONU, nas diversas conferências que estão acontecendo na última década também trazem suas diretrizes subjetivas principais. O objetivo das agendas é tornar a cidade e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis” afirma Alex Rosa, representante da ONU (ONU Habitat), no Brasil, que esteve acompanhado da especialista em resiliência urbana, a arquiteta síria Sozvin Salih.

Esse material fornece aos gestores uma base para a criação de Ações para a Resiliência e Sustentabilidade, um plano que deve ser incorporado às atuais estratégias de desenvolvimento urbano e processos de gestão da cidade. Esse processo tem a intenção de apoiar Teresina e seus parceiros na tomada de decisões, com base em dados concretos sobre a situação da cidade, tendo como consequência um desenvolvimento urbano eficiente e sustentável a longo prazo. Os pontos de atenção diagnosticados no material são: processo de manutenção dos recursos hídricos e equilíbrio do ecossistema com a finalidade de ter um melhoramento no desempenho econômico

“Esse é um trabalho que engaja todos da Prefeitura. Teresina faz parte das cidades escolhidas no Brasil para o desenvolvimento deste projeto mundial. Nesta nova administração, retomamos um contato e desenvolvemos uma grande estrutura e em maio receberemos um material completo para termos direcionamento na aplicação dos nossos recursos, focando em pontos mais sensíveis do desenvolvimento urbano e sustentável. Essa apresentação com a equipe do exterior é extremamente produtiva para a cidade de Teresina e para a gestão do prefeito Dr. Pessoa”, acrescentou João Henrique Sousa, secretário de Planejamento.

Até a próxima quinta-feira (28), a equipe da ONU cumpre agenda para apresentação das “Ações Recomendadas para Resiliência e Sustentabilidade”, para a Prefeitura Municipal de Teresina, respectivas secretarias e para o Governo do Estado do Piauí. Esse material fornece aos gestores uma base para a criação de Ações para a Resiliência e Sustentabilidade, um plano que deve ser incorporado às atuais estratégias de desenvolvimento urbano e processos de gestão da cidade. Esse processo tem a intenção de apoiar Teresina e seus parceiros na tomada de decisões, com base em dados concretos sobre a situação da cidade, tendo como consequência um desenvolvimento urbano eficiente e sustentável a longo prazo.

Os resultados das etapas anteriores do projeto já foram entregues: Perfil da Cidade de Teresina e o Diagnóstico da Resiliência Urbana. Para conhecer os materiais, você pode acessar através deste link: https://issuu.com/teresina2030/docs/_pt__draft_-city_resilience_profile__teresina__pag.

Esta ação fornece uma estrutura que utiliza dados da cidade para estabelecer um perfil de funcionamento e criar um diagnóstico baseado na análise das demandas mais urgentes. O objetivo do Programa, além de buscar meios de melhorar a capacidade técnica de gestão da Prefeitura Municipal de Teresina, é trabalhar com a inclusão das pastas municipais como também do Governo do Estado do Piauí. A divulgação deste Programa para outros municípios interessados vai ocorrer através da Frente Nacional de Prefeitos.

Através de um acordo feito em 2019, a Prefeitura Municipal de Teresina, o Governo Federal e a ONU trabalharam juntos para a construção do plano de fortalecimento da gestão urbana de Teresina com a intenção de melhorar o funcionamento e integração da gestão no município. A ação atua no processo de manutenção dos recursos hídricos e equilíbrio do ecossistema com a finalidade de ter um melhoramento no desempenho econômico, chamada de Ações para a Resiliência e Sustentabilidade, que possui o suporte do Programa Global de Cidades Resilientes. Assim, o município implementará a Ferramenta de Perfis de Cidades Resilientes (CRPT, na sigla em inglês).

“Estamos concluindo uma série de diagnósticos e apresentações das ações para definir um plano estratégico para melhorar a capacidade da gestão de lidar com riscos, choques e problemas crônicos que a cidade tem, por exemplo, as enchentes. Nosso objetivo é fortalecer e construir resiliência urbana, ou seja, ter um plano de ação para os próximos anos, focando nas áreas prioritárias encontradas neste diagnóstico, que é a manutenção dos recursos hídricos e equilíbrio do ecossistema com a finalidade de ter um melhoramento no desempenho econômico”, explica Gabriela Uchôa, diretora do projeto de Cooperação da Programa Global de Cidades Resilientes de Teresina (CRGP, sigla em inglês).

Agenda de apresentações:

27 de Abril:

9h às 10h – Apresentação para o Governo do Estado (Palácio de Karnak)

28 de Abril:

8h30 às 12h – Seminário de apresentação a instituições de interesse sobre o Programa de Resiliência Urbana de Teresina e o Produto: Ações Recomendadas para Resiliência e Sustentabilidade ( SEBRAE)

 

 

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2023 é protocolado na Câmara Municipal de Teresina

A prefeitura de Teresina já protocolou na Câmara Municipal o Projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) para o ano de 2023. O documento será analisado pela casa e também pautado em audiência com os vereadores. Este trabalho é conduzido pela equipe de planejamento e orçamento da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN).
A primeira versão do PLDO foi entregue dentro dos prazos legais, no dia 13 de abril deste ano. O projeto prevê as receitas totais em recursos a serem destinados ao desenvolvimento do município e seus eixos estratégicos.

“A equipe técnica da Secretaria de Planejamento esteve na Câmara para fazer o protocolo deste documento e os próximos passos serão de discussão e aprimoramento deste material”, explica Kárita Állen, secretária executiva de Planejamento Estratégico e Gestão, da Prefeitura de Teresina.

A apresentação do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2023 deve ser apresentado e discutido em Plenária no mês de junho.

Lei de Diretrizes Orçamentárias 2022

As metas e programas do Plano da Lei de Diretrizes de 2022 compõem cinco anexos estratégicos de políticas públicas, alinhados com o conceito de Cidades Inteligentes. São 38 programas, 224 metas e 21 objetivos: Inclusão Social; Educação; Economia; Mobilidade; Meio Ambiente e Governo.

“Nosso objetivo é sempre cumprir a determinação do prefeito Dr. Pessoa. A equipe da Secretaria de Planejamento, de forma muito técnica e simplificada, trabalhou esta Lei de Diretrizes Orçamentárias e temos aqui o resultado e aprovação final do prefeito”, explicou
João Henrique Sousa, Secretário de Planejamento de Teresina.

Na íntegra, a Lei Nº 5.620, de 22 de Julho de 2021; suas metas e prioridades da LDO estão disponíveis no Diário Oficial do Município, Nº 3.075, de 30 de Julho de 2021. Para conferir, basta clicar aqui.

Prefeitura de Teresina vai resgatar a presença de crianças em espaços públicos

No Brasil, a Urban95 está fomentando a implementação do projeto “Ruas de Brincar” nas cidades da que integram a Rede. Desde 2021, a Prefeitura de Teresina integra esse grupo com a aprovação do prefeito de Teresina, Dr Pessoa. O município passou a receber suporte e acompanhamento para construir diagnósticos sobre a primeira infância, implementar o Plano Municipal pela Primeira Infância e promover ações de requalificação de espaços públicos, mobilidade para famílias, gestão de dados e melhorias de serviços para a primeira infância.

A partir desta parceria colaborativa, a Prefeitura de Teresina se organiza com webinar, reuniões e momentos de interação com outras instituições e a população para a implantação do projeto piloto da Urban95, “Ruas de Brincar”. Esse trabalho busca desenvolver, adaptar ou criar a oportunidade de que as crianças possam voltar a brincar livremente e em segurança, na rua do seu bairro. Uma iniciativa que se destaca é a cidade paulista de Jundiaí. Lá, um programa busca implementar políticas públicas que deem protagonismo às crianças nas tomadas de decisões e reforcem a importância do brincar.

Em Teresina, os primeiros passos do projeto acontecem na zona Norte de Teresina, na área atendida pelo programa Lagoas do Norte. A primeira escuta infantil aconteceu com 69 alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Tia Mônica. O processo de escuta com o grupo ocorreu de forma lúdica e interativa com atividades de roda, leitura, desenhos, ‘contação’ de histórias e passeio nos arredores da escola. “Com isso, as crianças percebem o que tem ao redor delas e podem expressar o que eles sentem falta e o que elas acham importante ter ali disponível para elas, seja um parque, um brinquedo, uma quadra de futebol ou outras coisas”, explica Marjorie Brito, arquiteta da Prefeitura de Teresina.

“As ações da Urban95, programa desenvolvido pela Fundação Bernard van Leer, dão suporte para municípios incluírem a perspectiva infantil no planejamento urbano, nas estratégias de infraestrutura e espaços, bem como nos programas e serviços. As crianças têm o direito de estarem na rua e fazerem parte da cidade. Por isso, existe todo um trabalho de escuta com a comunidade, com as crianças e outros envolvidos para que possamos traçar estratégias assertivas nessa implantação específica do “Ruas de Brincar”, explica Cíntia Bartz, coordenadora do Departamento Agenda 2030, da Prefeitura de Teresina.

O QUE É A URBAN95?

A Urban95 é uma iniciativa internacional da Fundação Bernard van Leer que visa incluir a perspectiva de bebês, crianças pequenas e seus cuidadores no planejamento urbano, nas estratégias de mobilidade e nos programas e serviços destinados a eles. Gestores públicos e técnicos recebem apoio e capacitação sobre formas de contribuir com o desenvolvimento integral das crianças a partir da experiência das cidades, identificando e atuando nos territórios onde os bebês e suas famílias estão, em especial aqueles mais vulneráveis.

A Rede Urban95 Brasil surgiu com o objetivo de promover, desenvolver e fortalecer programas e políticas públicas voltadas ao bem-estar e qualidade de vida das crianças de 0 a 6 anos nas cidades brasileiras.

Integram a rede Urban95 Brasil 24 municípios. Em fase avançada de mobilização há: Aracaju (SE), Boa Vista (RR), Brasiléia (AC), Campinas (SP), Caruaru (PE), Crato (CE), Fortaleza (CE), Ilhéus (BA), Jundiaí (SP), Niterói (RJ), Pelotas (RS), Recife (PE) e São Paulo (SP). E em fase de integração há: Alcinópolis (MS), Alfenas (MG), Benevides (PA), Canoas (RS), Cascavel (PR), Mogi das Cruzes (SP), Paragominas (PA), São José dos Campos (SP), Sobral (CE), Teresina (PI) e Uruçuca (BA).

Prefeitura de Teresina realiza escuta infantil para implantação de projeto “Ruas de Brincar”

A Prefeitura de Teresina, através do Departamento Agenda 2030, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), realizou nesta quarta-feira (13), a primeira atividade de escuta para a implementação do projeto “Ruas de Brincar”. O público que participa dessa ação são crianças de até 6 anos de idade, estudantes do CMEI Tia Mônica, na zona norte de Teresina. Ao todo, 69 alunos participam da atividade.

A iniciativa integra as ações da Urban95, programa desenvolvido pela Fundação Bernard Van Leer, que dá suporte para municípios incluírem a perspectiva de bebês, crianças pequenas e cuidadores no planejamento urbano, nas estratégias de mobilidade e também nos seus programas e serviços.

“Ruas de Brincar” é uma iniciativa de sensibilização e ação que cria a oportunidade para que as crianças possam voltar a brincar livremente e em segurança, na rua do seu bairro. No Brasil, a Urban95 está fomentando a implementação das “Ruas de Brincar” nas cidades da Rede, um município que se destaca é a cidade paulista de Jundiaí. Lá, o programa busca implementar políticas públicas que dêem protagonismo às crianças nas tomadas de decisões e reforcem a importância do brincar.

Nesta quarta-feira (13), ocorreu o primeiro encontro com os principais interessados neste projeto: as crianças. O processo de escuta com o grupo ocorreu de forma lúdica e interativa, com atividades de roda, leitura, desenhos, contação de histórias e passeio nos arredores da CMEI Tia Mônica. Além disso, a equipe da Prefeitura de Teresina realizará outros momentos de escuta com cuidadores, professores e assistentes da educação do município. Assim, terá um diagnóstico bastante assertivo para que o projeto seja modelado de acordo com as reais necessidades das crianças do bairro e seus cuidadores.

“O Ruas de Brincar é um presente que a comunidade do São Joaquim está recebendo. A CMEI Tia Mônica está muito feliz com a possibilidade de ser feito um trabalho no entorno da nossa escola, proporcionando para nossas crianças esse ambiente mais propício para caminhar, para chegar na escola e para os familiares que frequentam o ambiente, onde a maioria são idosos. Facilitando o trajeto de vir para escola e que a sejamos também contemplados com áreas verdes e possivelmente brinquedos que essas crianças se sintam mais atraídas pra estar vindo para cá. Então, o “Ruas de Brincar” é um presente pós-pandemia e a gente está disposto a executar todas as etapas para que comunidade seja agraciada com esse projeto”, avalia Natália Silva, diretora da CMEI Tia Mônica.

“Esse momento faz parte do projeto piloto da Urban95 e, a partir das demandas das crianças, vamos organizar o que elas viram, ouviram e percebem nos arredores da escola. Queremos que estas crianças vivenciem a rua, a cidade com segurança e estrutura adequada para elas. Desde 2021, temos a inclusão do município nessa rede e contamos com o apoio do prefeito Dr Pessoa para dar prosseguimento nas ações ”, explica a arquiteta da Prefeitura, Marjorie Brito.

A equipe que acompanha este projeto conta com o apoio da Secretaria Municipal de Planejamento, Secretaria Municipal de Educação, Programa Lagoas do Norte, Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito e Fundação Bernard van Leer. O projeto “Ruas de Brincar” tem previsão de implantação no segundo semestre deste ano de 2021.

“É extremamente importante trabalharmos conceitos de cidadania, principalmente, com as crianças. Elas conseguem apreender qual seu papel na sociedade e também que são seres com direito a terem uma cidade preparada para elas. Quando se planeja uma obra ou um projeto, é necessário levar em consideração as melhores formas de integrar as crianças e promover o seu uso por elas. É por isso que estamos tão envolvidos com as ações da Urban95”, destaca Bruno Quaresma, diretor geral do Programa Lagoas do Norte.

Em julho de 2021, a Prefeitura de Teresina foi selecionada para integrar a rede Urban95. O município passou a receber suporte e acompanhamento para construir diagnósticos sobre a primeira infância, implementar o Plano Municipal pela Primeira Infância e promover ações de requalificação de espaços públicos, mobilidade para famílias, gestão de dados e melhorias de serviços para a primeira infância.