Prefeitura de Teresina conclui licitação e fará construção de três novos campos de futebol

A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento, concluiu o processo licitatório e aguarda liberação da Caixa Econômica Federal para iniciar as obras de construção e revitalização de três campos de futebol em Teresina. Os espaços esportivos estão localizados no bairro Saci, Morada do Sol e Vila Operária.

As revitalizações contam com recurso do Orçamento Geral da União, provenientes de emendas parlamentares do Deputado Federal Fábio Abreu, que soma mais de R$650 mil reais e uma contrapartida do município no valor de R$ 230 mil reais.

O projeto inclui a instalação de gramado sintético, bancos de reserva e uma estrutura com maior qualidade em campos já existentes. A autorização da licitação para estes investimentos foi assinada ainda no ano passado, pelo prefeito de Teresina, Dr. Pessoa.

Localização dos espaços que serão revitalizados para prática esportiva:

Campo de Futebol no zona Sul (entre a quadra 75 e a Rua Francisca Melo Lobo, Bairro Saci)

Campo de Futebol na zona Leste (Rua Orlando Carvalho com Azar Chaib – Praça da Igreja- Bairro Morada do Sol)

Campo de Futebol na zona Norte (Rua 7 de Setembro – em frente a Igreja de São José Operário – Bairro Vila Operária)

Casa da Mulher Brasileira em Teresina deve ser licitada ainda neste primeiro semestre de 2022

A Prefeitura de Teresina tem avançado no processo licitatório de implementação da Casa da Mulher Brasileira para que a sua conclusão seja efetivada. A proposta do local é ser um espaço de acolhimento que disponibilizará atendimento para mulheres em situação de violência doméstica. Além de garantir condições para o enfrentamento da violência vivenciada, e o devido suporte psicológico para essas mulheres. É um projeto inovador no meio das políticas públicas voltadas para esse público na capital.

Foto: Ascom Semplan

O espaço vai contar com um investimento estimado em cerca de R$ 5,9 milhões. A construção da Casa da Mulher Brasileira no município foi solicitada pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), com auxílio da Secretaria Municipal de Planejamento (SEMPLAN). O espaço será construído em um terreno cedido pela Prefeitura de Teresina, e contará com serviços que vão desde a recepção, acolhimento e triagem, apoio psicossocial, centro judiciário da mulher, promotoria especializada, defensoria pública, serviço de promoção de autonomia econômica, dentre outros.

“Nosso objetivo é andar o mais rápido possível com este projeto que é importantíssimo para nossa sociedade, pois entendemos que é necessário esse ambiente de amparo para as mulheres. O planejamento tem analisado muitos projetos e esse é um dos nossos focos de acompanhamento, pois trará um marco para a gestão do prefeito Dr. Pessoa e será modelo para as demais gestões municipais”, pontua João Henrique Sousa, secretário de Planejamento e Coordenação.

A Casa da Mulher Brasileira tem por objetivo facilitar o acesso dessas mulheres aos serviços especializados de atendimento, de forma a garantir condições para o enfrentamento da violência vivenciada, o empoderamento da mulher e sua autonomia econômica. Atualmente está em funcionamento em seis capitais, sendo elas: Curitiba, São Paulo, Campo Grande, Fortaleza, São Luís e Boa Vista.

“Com a chegada da Casa da Mulher Brasileira, será possível ampliar serviços de justiça, assistência social e garantir o combate mais ágil e eficaz no enfrentamento às violências contra as mulheres em Teresina”, garante a gestora da secretaria da mulher, Karla Berger. “A Prefeitura de Teresina tem se empenhado, desde o início da gestão, através da SMPM e da Semplan, para provocar ações descentralizadas à população em vulnerabilidade, em especial, o gênero feminino”, conclui.

Quase 900 mil teresinenses serão beneficiados com concessão de resíduos sólidos no 1º ano de projeto

A Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Planejamento (SEMPLAN), por meio da Coordenação de Concessões e Parcerias, está trabalhando na melhoria das condições de coleta da capital. O projeto de concessão de resíduos sólidos é um método piloto que terá sua modelagem replicada em outros municípios. Este projeto faz parte de uma parceria entre a Prefeitura de Teresina e o Fundo de Apoio às Concessões e Parcerias (FEP). Conta com a assessoria da CAIXA, a coordenação do Programa de Parcerias de Investimentos do Ministério da Economia e o apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional.

Foto: Ascom Semplan

O projeto contempla a prestação dos serviços de manejo de resíduos sólidos urbanos, incluindo as atividades de coleta, transbordo, transporte, tratamento, destinação ambientalmente adequada dos resíduos e disposição final dos rejeitos da cidade, por meio de contrato de concessão. A operação prevê investimentos da ordem de R$ 1,6 bilhão (Capex+Opex) no município ao longo da vigência do contrato, de 30 anos. Somente no primeiro ano de implantação, a concessão deverá beneficiar quase 900 mil

O modelo de concessão busca adequar o município à Política Nacional de Resíduos Sólidos propondo programas sociais que buscarão apoiar essa integração atendendo aos pré-requisitos que buscam dar o aporte social aos que trabalham com coleta de resíduos. Além de todas as melhorias que serão aplicadas no processo de tratamento e de destinação de resíduos ambientalmente mais adequadas, à população será quem mais terá benefícios pela possibilidade de um meio ambiente mais saudável e com melhor gestão de resíduos.

“No novo aterro serão utilizadas as melhores e mais modernas metodologias para preservação do meio ambiente, desde a sua concepção, em que se procurará minimizar a geração de rejeitos, passando pelo modo de operação, em que todos os efluentes eventualmente gerados serão captados e impedidos de ter qualquer contato com o meio ambiente, culminando com o sistema de tratamento, que eliminará a possibilidade de qualquer contaminação ambiental. Existem diversas possibilidades de utilização seguras, que serão analisadas na execução do projeto”, explica Júlio Rodrigues, coordenador de Concessões e Parcerias, da Semplan.

Há no projeto a previsão da implantação de novos Pontos de Recebimento de Resíduos (PRRs) e Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), que funcionarão em zonas estratégicas da capital, visando o fácil acesso da população. Esses pontos de coleta seletiva vão substituir os locais conhecidos como ‘depósitos clandestinos’ que ainda existem em diversos bairros, como terrenos baldios ou abandonados, sendo esses espaços impossibilitados de serem atendidos pela coleta formal de resíduos e eventualmente não chegam ao aterro sanitário.

“O plano de governo do prefeito Dr. Pessoa já mostrava esse trabalho com relação à modernização da recepção do lixo domiciliar e a utilização desse lixo para que se possa gerar energia e dar um tratamento decente, deste século e não do século passado, como são os lixões a céu aberto que ainda existem em Teresina. Precisamos tratar essa temática como saúde pública, além de envolver os cuidados com o meio ambiente e a vida das pessoas que trabalham nesses locais. Vamos modernizar e absorver esses trabalhadores para condições mais dignas”, explica João Henrique Sousa, Secretário Municipal de Planejamento.

Análise de riscos climáticos é tema de conferência promovido pela Prefeitura de Teresina

A Prefeitura de Teresina, por meio do departamento Agenda Teresina 2030, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), finalizou nesta quarta-feira (23), o Webinar “Análise de Risco Climático”. Os encontros ocorreram de forma virtual e tiveram a proposta de instigar a reflexão dos participantes quanto aos impactos decorrentes das altas taxas de emissão do CO2, que acarretam mudanças climáticas drásticas.

Os seminários, que ocorreram durante os dias 22 e 23 de fevereiro, foram apresentados por especialistas da área, abordando temas como a sensibilização às mudanças climáticas, crise climática e a forma que as cidades brasileiras são afetadas, como elas se comportam frente a essas mudanças climáticas constantes, dentre outros temas que abrangem a temática.

O Webinar foi direcionado para pastas municipais envolvidas na temática, além de representantes de instituições e empresas que trabalham este tema no município de Teresina. Um dos palestrantes é Carlos Sanquetta, Membro do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), especialista da Convenção Quadro das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (UNFCCC) e professor titular da UFPR.

A apresentação foi mediada pela consultoria I Care, empresa que trabalha auxiliando na estratégia e inovação especializada em energia e meio ambiente. “Ações como essa são importantes, pois criam na sociedade um sentimento de que podemos fazer algo, e esse fato é uma verdade. Primeiramente, precisamos nos organizar e analisar o problema a fundo para que, então, encontremos uma solução que esteja dentro do nosso alcance”, pontua Cíntia Bartz, coordenadora do departamento Agenda Teresina 2030.

Este trabalho de análise e busca de soluções para problemas gerados pelas mudanças climáticas é um dos objetivos do departamento Agenda Teresina 2030. Ou seja, a Prefeitura de Teresina busca monitorar os objetivos de desenvolvimento sustentável na esfera municipal e dar uma projeção maior para essas iniciativas. Para isso, é preciso começar compartilhando informações, conhecimento e experiências.

“A nossa cidade, Teresina, tem sofrido demasiadamente com as mudanças climáticas. Mas juntos, podemos mudar essa situação e tornar Teresina uma referência em carbono neutro. Para isso, é preciso começar compartilhando informações, conhecimento e experiências”, finalizou Cíntia Bartz.

Foto: Ascom Semplan

Prefeitura vai beneficiar cinco mil crianças com implantação de 20 novas CMEIs em Teresina

Reunião discutiu a concepção da modelagem do projeto de implantação e operação de 20 novos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) Fotos(Ascom/Semplan)

A Prefeitura de Teresina, por meio da Coordenação Especial de Concessões e Parcerias, vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), discutiu, nesta quarta-feira (9), a concepção da modelagem do projeto de implantação e operação de 20 novos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), além de atualizar as próximas etapas deste trabalho.

Com a aplicação deste projeto, o município busca beneficiar cerca de cinco mil crianças que atualmente não possuem acesso a este tipo de serviço, sendo um investimento de mais de R$ 160 milhões na educação do município. No final do prazo da concessão, todas as unidades, incluindo os bens e mobiliários, permanecerão com a Prefeitura.

Representando o prefeito Dr. Pessoa, o secretário de Governo, André Lopes, participou do encontro. “Sem dúvidas, esse projeto tem uma concepção muito positiva, são quase cinco mil crianças com oportunidade de entrar na escola. Esse é um trabalho que vem de encontro ao Plano de Governo do Prefeito Dr. Pessoa e que, com certeza, ele verá com bons olhos”, explicou André.

Durante o encontro, foram pautadas modelagens para se adotar na implantação dos Centros de Educação Infantil. O objetivo é beneficiar áreas estratégicas da cidade de forma simultânea. O regime de operação de cada creche será definido anualmente pela Secretaria Municipal de Educação (SEMEC).

A oferta de novos CMEIs proporcionará às famílias de baixa renda a oportunidade de deixar seus filhos em espaços educacionais, que funcionem em dois turnos adequados para o desenvolvimento integral de suas crianças. Dessa forma, o município também proporciona a ampliação de oportunidades de emprego para a população.

“Hoje nós apresentamos à equipe da Prefeitura os pontos que estão sendo trabalhados pela equipe do BNDES. Já avançamos bastante nesse diálogo e temos o objetivo de trazer essa modelagem a outras capitais. É um projeto importante, não só pelos investimentos no município, mas pela prioridade em investir em educação. É uma meta nossa concluir esse projeto junto ao município e entregá-lo ainda na gestão do prefeito Dr. Pessoa”, explicou Robson Hermes, representante do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Os projetos de arquitetura entregarão soluções de sustentabilidade, além de remediar importantes passivos ambientais que possam ser detectados nos espaços de implantação desses novos Centros Municipais de Educação. Projetos similares a esse já funcionam com êxito em outras capitais, como Belo Horizonte (MG), sendo um sucesso há mais de 10 anos.

“Tivemos uma explanação do andamento desse projeto por parte da equipe do BNDES. O município hoje trabalha para a conclusão dos trâmites dos terrenos onde devem ser implantadas essas CMEIs. Esse é um projeto inovador e de excelentes resultados em Belo Horizonte, referencia no país, e que vai transformar a educação de Teresina e será uma grande conquista da gestão do Prefeito Dr Pessoa”, concluiu Karita Allen, secretária executiva de Planejamento Estratégico e Gestão (Seplag/SEMPLAN), representando o Secretário de Planejamento João Henrique Sousa.

A Prefeitura busca, por meio deste encontro, avançar com as tratativas referentes aos próximos passos, como a divulgação para Consulta Pública, um mecanismo de transparência utilizado para obter informações, sugestões e opiniões sobre o tema junto à sociedade.

SAAD Sul e Semplan realizam visita técnica à Marginal Poti Sul

As equipes técnicas da Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas Sul (SAAD Sul) e da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), estiveram visitando na manhã desta quinta-feira (03) a execução das obras na Marginal Poti Sul. O novo corredor que ligará a zona sul à zona leste de Teresina está dividido em três etapas, e está orçado em R$65 milhões com recursos do município, bem como de um convênio com a Caixa, do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF).

Atualmente, com diversas frentes de serviços, a etapa que compreende a Estrada da Alegria iniciou a pavimentação asfáltica em alguns trechos. “Estamos trabalhando diariamente para que esse importante componente de mobilidade urbana seja entregue o quanto antes. Hoje iniciamos a execução de mais uma frente de serviço importante, que é a pavimentação asfáltica de alguns trechos da Estrada da Alegria. Estamos acompanhando de perto e traçando soluções mais eficientes para a conclusão dessa grande obra”, destacou o superintendente da SAAD Sul, Juca Alves.

O secretário da Semplan, João Henrique Sousa, também esteve visitando a via e pontuou sobre a obra “Nós realizamos algumas reuniões para tratar do andamento dessa obra importantíssima para a cidade, mas entendemos que uma visita in loco é mais produtiva e conseguimos compreender melhor o andamento e os pontos de atenção. A Marginal Poti Sul, que compreende a Estrada da Alegria, possui recursos do município, bem como de um convênio com a Caixa, do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF). A pedido do nosso prefeito Dr. Pessoa, estamos acompanhando a aplicação desse recurso junto à SAAD Sul. O nosso desejo e do nosso prefeito é que possamos ver essa obra concluída o mais breve possível e entregá-la a população”, concluiu.

AFD vai investir 36 milhões de euros em ações de desenvolvimento sustentável em Teresina

A reunião tem como objetivo traçar metas e alinhar objetivos relacionados à captação e aplicação de recursos Fotos: Rômulo Piauilino / SEMCOM

A Prefeitura Municipal de Teresina, através do Departamento Agenda 2030, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), recebeu, nesta terça-feira (1), representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD). A reunião tem como objetivo traçar metas e alinhar objetivos relacionados à captação e aplicação de recursos advindos da parceria já firmada com a União Europeia.

Entre as tratativas, está uma nova operação de crédito para o desenvolvimento do município. Há um interesse, através da AFD, de aplicar 36 milhões de euros no município, que busca uma ampla inclusão e contribuição de diversos âmbitos sociais de forma sustentável e consciente.

Esta operação de crédito feita junto à agência europeia de fomento irá financiar a implantação de projetos em diversas áreas, visando à promoção da sustentabilidade na capital piauiense, de acordo com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU.

No total serão 45 milhões de euros investidos no Programa Agenda Teresina 2030, sendo 36 milhões financiados pela Agência Francesa de Desenvolvimento e outros nove milhões de euros de contrapartida da Prefeitura de Teresina. “A Prefeitura se sente honrada em receber essa comitiva da AFD, nosso parceiro, que busca sempre ter essa relação de proximidade. Esta conversação tem o olhar de desenvolvimento sustentável no município de Teresina.

Neste governo municipal, nos sentimos honrados em ter tratativas como essas, de negociação com recursos para desenvolvimento”, disse Dr. Pessoa, prefeito de Teresina.

Dentre as propostas iniciais de aplicação de recursos estão a Requalificação Habitacional; Saneamento Básico; Mobilidade Urbana; Equipamentos para promoção da inovação; Áreas verdes; Eficiência energética; Fortalecimento institucional e capacitação social. A perspectiva é que, ainda no começo do segundo semestre de 2022, a Prefeitura assine esse contrato com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

“Como disse nosso prefeito, é uma honra recebê-los. Estamos aqui para retomar as tratativas em relação à operação de crédito entre a AFD e a PMT. Ela teve o primeiro contato ainda na gestão anterior e retomamos como prioridade na SEMPLAN. Pelo excelente desempenho do primeiro ano de nossa gestão, temos um sinal positivo para prosseguir. Temos o desenho da aplicação desses recursos futuramente, mas quem decidirá as prioridades é o nosso gestor, Dr. Pessoa”, afirma João Henrique Sousa, secretário municipal de Planejamento.

Durante o encontro, a equipe da Agência Francesa pontuou a importância dessa parceria. “O município avança bastante com essas ações, cada uma em seu tempo, com calendário estabelecido. O projeto precisa desse apoio e compromisso do município e já percebemos que há esse interesse. Teresina faz parte de uma prioridade do nosso projeto aqui no Brasil”, conclui Laetitia Dufay, representante da AFD.

Dr. Pessoa reúne equipe técnica e garante continuidade das obras do programa Lagoas do Norte

Prefeito e equipe definem quais serão os novos investimentos do Lagoas do Norte Fotos: Rômulo Piauilino / SEMCOM

 

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, se reuniu, nesta sexta-feira (21), com o secretário municipal de Planejamento (Semplan), João Henrique, e toda a equipe técnica envolvida na execução do programa Lagoas do Norte, ocasião em que assegurou a continuidade das atuais obras e de todas as ações previstas pelo programa que não foram realizadas nas antigas gestões.

“Não iremos deixar parar, vamos resolver e fazer o que não fizeram em aproximadamente 11 anos. Como está dentro do meu plano de governo cuidar de pessoas, principalmente as mais vulneráveis, iremos ter a responsabilidade de dar continuidade a essas obras, com recursos da prefeitura ou através de empréstimos”, afirmou Dr. Pessoa.

Os empreendimentos do Lagoas do Norte são financiados com recursos obtidos junto ao Banco Mundial, no entanto, o contrato se encerra no próximo mês de abril sem possibilidade de nova prorrogação devido ao atraso do cronograma de obras previsto pelo programa. Mesmo assim, a prefeitura irá concluir, tanto a atual etapa como outras em planejamento.

A estimativa é que o canal do bairro Matadouro, que inclui ações de infraestrutura, drenagem e melhoria habitacional na região, seja concluído ainda no primeiro semestre deste ano. Orçada em cerca de R$ 3,7 milhões, a obra seria paralisada com o término do contrato com o Banco Mundial, mas o prefeito garantiu o empenho de recursos para sua conclusão.

Além desta, Dr Pessoa e sua equipe definiram ao menos outras cinco obras prioritárias para o Lagoas do Norte, que devem ser anunciadas assim que os técnicos da Semplan concluírem a elaboração dos projetos. “Tivemos uma discussão muito ampla e positiva em relação ao programa que, em resumo, vai continuar. O prefeito sinalizou para onde os recursos devem ser direcionados e analisou a possibilidade de novas obras”, finalizou João Henrique.

Prefeitura de Teresina expõe dados de mobilidade em ação urbanística na avenida Frei Serafim

Dados de mobilidade urbana foram expostos no canteiro central da Avenida Frei Serafim, próximo ao Hospital Getúlio Vargas, através de uma aplicação de técnicas de urbanismo tático para oferecer aos usuários do transporte público a oportunidade de conhecer novas propostas e informações sobre mobilidade urbana. Além disso, a equipe busca expandir informações sobre o Plano Diretor de Mobilidade Urbana Sustentável de Teresina (PDMUS).

Fotos: Ascom Semplan

A ação integra o encerramento do projeto Observatório do Transporte, da Prefeitura de Teresina, através do departamento Agenda Teresina 2030, vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento. “A intervenção possui o objetivo de divulgar informações do projeto Observatório do Transporte. Os mobiliários possuem informações sobre o transporte público da capital, e funcionam de forma lúdica e interativa, como por exemplo, uma delas está em um gráfico no formato de pizza. Ele funciona como um banco para a população que passa pelo local”, explana Cíntia Bartz, coordenadora da Agenda Teresina 2030.

Com a materialização dessas informações, como bancos em formato de gráfico, a Prefeitura busca facilitar o acesso desses dados aos usuários. A população passa a ter acesso aos dados sobre a locomoção urbana e pode interagir de uma forma mais prática e rápida.

Plano Diretor de Mobilidade Urbana Sustentável de Teresina (PDMUS)

O Plano Diretor de Mobilidade Urbana Sustentável de Teresina – PDMUS está sendo desenvolvido por meio da STRANS, e será o principal instrumento de planejamento dos sistemas de circulação e transporte de Teresina pelos próximos anos. Nele, sob forma de lei, irão constar os objetivos, metas e ações estratégicas relacionadas à mobilidade urbana, a curto, médio e longo prazo (5, 10 e 20 anos).

Observatório do Transporte

Dentro do projeto Observatório do Transporte, três projetos foram escolhidos para serem utilizados como protótipos e, posteriormente, serem aplicados como um todo no sistema teresinense. Entre os projetos escolhidos, há o desenvolvimento de um sistema de gestão de indicadores de qualidade para auxiliar na tomada de decisões pelos gestores; outra com solução digital para manutenção das frotas de ônibus pelos motoristas em contato direto com as garagens das empresas responsáveis; e um sistema que visa a organização nas rotas de ônibus da capital.

O projeto é um financiamento da União Europeia, através do programa EuroClima+, com aporte de 500 mil euros. O Observatório passou por um período de diagnóstico onde foram analisadas estratégias de desenvolvimento urbano voltadas para o transporte coletivo que atendam toda população teresinense, detectando os principais problemas. Após essa etapa, o trabalho feito pela prefeitura foi de buscar unir e praticidade no desenvolvimento das soluções de mobilidade.

“O projeto apresentou provas de conceito que comprovam que as soluções desenvolvidas são viáveis e ajudarão, através da tecnologia, o desenvolvimento de ações para melhorar a gestão do transporte público na cidade. A busca agora será a implementação de um projeto piloto e depois no sistema como um todo”, conclui Cíntia.

PMT instala mobiliários interativos na Avenida Frei Serafim para informar dados de mobilidade

Dentro da programação de encerramento do projeto Observatório do Transporte, a Prefeitura de Teresina realiza nesta terça-feira (18), através do departamento Agenda Teresina 2030, vinculada à Secretaria Municipal de Planejamento, a aplicação de técnicas de urbanismo tático para oferecer aos usuários do transporte público a oportunidade de testar soluções que visam a melhoria dos espaços urbanos, fazendo com que a população tenha acesso às informações sobre mobilidade através destas implementações lúdicas. em espaços livres.

A ação acontecerá na avenida Frei Serafim, próximo ao cruzamento com a avenida Coelho de Resende, a partir das 11h. Uma experiência similar já foi executada nas intermediações da parada de ônibus da Praça da Bandeira, Centro de Teresina. A intervenção também possui o objetivo de divulgar informações do projeto Observatório do Transporte. Os mobiliários possuem informações sobre o transporte público da capital, e funcionam de forma lúdica e interativa, como por exemplo, uma delas está em um gráfico no formato de pizza. Ele funciona como um banco para a população que passa pelo local.

O projeto é um financiamento da União Europeia, através do programa EuroClima+, com aporte de 500 mil euros. O Observatório passou por um período de diagnóstico onde foram analisadas estratégias de desenvolvimento urbano voltadas para o transporte coletivo que atendam toda população teresinense, detectando os principais problemas. Após essa etapa, o trabalho feito pela Prefeitura foi de buscar unir e praticidade no desenvolvimento das soluções de mobilidade.

“Essa ação faz parte do projeto Observatório do Transporte e uma das suas finalidades é trazer informações sobre o transporte coletivo e mobilidade urbana para população. Uma dessas soluções é através da materialização dessas informações, como bancos em formato de gráfico e isso facilita o acesso desses dados aos usuários. A população passa a ter acesso aos dados sobre a locomoção urbana e pode interagir de uma forma mais útil”, pontua Cíntia Bartz, coordenadora da Agenda Teresina 2030.

O projeto é um financiamento da União Europeia, através do programa EuroClima+, com aporte de 500 mil euros. O Observatório passou por um período de diagnóstico onde foram analisadas estratégias de desenvolvimento urbano voltadas para o transporte coletivo que atendam toda população teresinense, detectando os principais problemas. Após essa etapa, o trabalho feito pela prefeitura foi de buscar unir e praticidade no desenvolvimento das soluções de mobilidade.

Entre os projetos escolhidos, há o desenvolvimento de um sistema de gestão de indicadores de qualidade para auxiliar na tomada de decisões pelos gestores; outra com solução digital para manutenção das frotas de ônibus pelos motoristas em contato direto com as garagens das empresas responsáveis; e um sistema que visa a organização nas rotas de ônibus da capital.

“O projeto apresentou provas de conceito que comprovam que as soluções desenvolvidas são viáveis e ajudarão, através da tecnologia, o desenvolvimento de ações para melhorar a gestão do transporte público na cidade. A busca agora será a implementação de um projeto piloto e depois no sistema como um todo”, conclui Cíntia.

Observatório do Transporte

A Agenda Teresina 2030, um departamento da Secretaria de Planejamento do município, coordena o projeto e trabalhou em colaboração com a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (STRANS) e a Empresa Teresinense de Processamento de Dados (PRODATER), devido a sua importância na busca por uma cidade mais resiliente e participativa. O projeto já faz parte de uma parceria firmada entre Prefeitura, Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), através do Programa Euroclima+. No Brasil, apenas Teresina e Santos foram contempladas.