Associações já cadastraram 794 famílias para receberem cestas do Teresina Solidária

As associações de moradores e entidades religiosas já fizeram cadastro de 794 famílias para receberem as cestas básicas através do Teresina Solidária, programa desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi).

Até o momento, 47 associações de moradores utilizaram a plataforma do programa para cadastrar as famílias. A Semcaspi está fazendo análise dos cadastros e entrando em contato com as entidades para que as famílias possam receber o benefício o quanto antes.

De acordo com Janaína Carvalho, secretária da Semcaspi, o sistema continua ativo e recebendo cadastramento de novas famílias. “Todas as associações e instituições religiosas que possuam CNPJ podem participar. Estão aptas a serem cadastradas famílias que estão sem renda fixa e contínua por conta da pandemia e que não puderam receber o auxílio emergencial do Governo Federal”, afirma.

Ainda de acordo com a secretária, cada entidade pode inscrever até 50 famílias. O sistema estará disponível até o dia 20 de julho através do site associacao.semcasp.pmt.pi.gov.br . Em caso de dúvidas ou para mais informações, as pessoas podem entrar em contato com a Semcaspi através dos números (86) 3131-4731 e (86) 3131-4729.

SDU Centro Norte inclui 46 famílias no Programa Família Solidária

De janeiro a abril deste ano a Superintendência de Desenvolvimento Urbano SDU Centro-Norte incluiu 46 famílias, que viviam em áreas ribeirinhas e de risco, no Programa Família Solidária. Essas pessoas moravam no Leonel Brizola, Parque Wall Ferraz, Nova Brasília, Dilma Rousseff, Poti Velho, Padre Humberto, Cristalina, Parque Stael, Vila Apolônia e Parque Brasil I, II e III.

De acordo com a gerente de habitação da SDU Centro Norte, Valmira Rodrigues, a adesão dessas famílias ao programa foi resultado de muitas visitas e diálogos. “Fazemos o trabalho de monitoramento o ano inteiro, por isso temos conseguido aumentar a quantidade de famílias beneficiadas pelo programa. Até hoje, já conseguimos acrescentar mais 17 famílias. Com isso, somamos o total de 46 beneficiadas”, enfatiza.

Valmira também explica que esse trabalho é feito em parceria com a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) e tem conseguido garantir a segurança de muitas pessoas. “Essa ação garante moradia temporária para essas famílias por um período de seis meses a um ano, proporcionando um local digno para eles”, disse.

As assistentes sociais e técnicos fazem um trabalho diário nessas áreas e contam com a colaboração das lideranças comunitárias no sentido de conversar com as famílias para aceitarem a adesão ao programa. “Acompanhamos a rotina de vida dessas pessoas e por isso quando conseguimos fazer adesão das famílias ao programa é uma grande conquista’’, acrescenta.

A dona de casa Adriana Conceição da Silva, 36 anos, que reside no Parque Brasil I, relata que desde que foi incluída no Programa Família Solidária, há dois meses, está mais segura, pois a casa onde morava corria risco de alagamento no período chuvoso.  “Morava na minha casa com meus dois filhos, um de nove anos e o mais novo de três meses, e toda vez que chovia ficava com medo, mas desde que vim para o programa estou mais tranquila”, enfatiza.

 

Teresina Solidária: população já doou 1.100 cestas básicas e PMT disponibiliza nova conta para doações 

A solidariedade do teresinense já permitiu que a Prefeitura recebesse a doação de 1.100 cestas básicas destinadas aos trabalhadores autônomos que estão sendo atendidos durante a pandemia do novo coronavírus. A arrecadação está acontecendo em vários pontos, mas as doações também podem ser feitas através de depósito bancário.

Uma nova conta da Caixa Econômica também está disponível para aqueles que querem ajudar: Agência 1989, Operação 006, Conta Corrente 71.084-9.Uma conta do Banco do Brasil já havia sido disponibilizada pela Semcaspi – Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas: Agência: 3791-5, Conta corrente: 9.854-0 – CNPJ 06.554.869/0001-64.

Ao todo, o Teresina Solidária já distribuiu 4.302 cestas básicas a profissionais de diversas categorias. Entre eles estão taxistas, mototaxistas, carroceiros, artesãos, corretores de carros, trabalhadores do setor de gastronomia e lavadeiras.

Os locais de recebimento das cestas são nas unidades da rede socioassistencial, os Centros de Referência em Assistência Social e os Centros de Convivência, o que facilitou a distribuição. Os atendimentos estão sendo realizados de acordo com as medidas recomendadas para evitar aglomerações. As equipes entram em contato por telefone para informar a aprovação do cadastro e orientar quanto à entrega. O beneficiário deve apresentar documentos de identificação no ato de recebimento.

Teresina Transforma distribuirá “voucher mercadinho” a grupos familiares indicados por ONGs neste sábado (18)

O Teresina Transforma, articulado com a Frente Local, iniciará uma nova etapa de atuação no apoio às famílias afetadas pela suspensão de atividades. A cidade foi incluída em uma programação de doações arrecadadas com fundos organizados nacionalmente. Nesse sábado (18), quatro ONGs cadastradas na plataforma online devem receber 200 “vouchers mercadinho”, que serão repassados a famílias em vulnerabilidade.

Segundo Débora Ferraz, gerente de políticas integradas da Semcaspi e coordenadora do projeto, o fundo será repassado para mercadinhos locais e estes devem montar um kit de limpeza e alimentação para famílias carentes.  “As ONGs que estão cadastradas na plataforma do Teresina Transforma irão enviar para nós cadastros de familias que necessitam.  Elas receberão um voucher e poderão retirar o kit no mercadinho”, explica.

A plataforma deve atuar ainda através de um segundo engajamento, com apoio do Governo Federal e da iniciativa privada. O objetivo será repassar ao Município materiais de limpeza e itens de alimentação para serem doados aos públicos de risco, como os idosos e as pessoas com deficiência.

A ação deverá contar com apoio das organizações do poder público e da sociedade civil que são atuantes na garantia de direitos desses setores. “Diariamente vem sendo feita essa articulação junto às ONGs, para que elas exponham suas necessidades e nós possamos mobilizar a ajuda das pessoas”, ressalta Débora.

O Teresina Transforma é uma plataforma online de voluntariado mantida pela Prefeitura de Teresina, através da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi). Para saber como ser um voluntário ou cadastrar seu projeto social basta acessar o link https://teresinatransforma.pmt.pi.gov.br/.

Assistentes sociais da SDU Sudeste continuam atendimento a famílias em situação de risco 

Devido às constantes chuvas em Teresina durante este período, a equipe de assistentes sociais da Gerência de Habitação da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sudeste continua em atuação. Diariamente são realizadas visitas domiciliares e cadastro de famílias em situação de risco.

Entre os moradores atendidos estão os da Vila Washington Feitosa. Foi detectada no local uma erosão causada pela passagem das águas pluviais. Segundo a Defesa Civil, ela não oferece riscos às residências, mas deve passar por aterro para contenção.

Para quem está com as residências comprometidas, a SDU Sudeste faz a remoção e inclui as famílias nos programas sociais da Prefeitura de Teresina. Um deles é o Cidade Solidária, com duas vertentes de atuação: o Família Solidária e o Residência Solidária.

No primeiro, a pessoa acolhida indica outra família para lhe receber e a Prefeitura repassa uma ajuda de custo no valor de R$ 300,00. No segundo, a família deve indicar um imóvel, no valor de até R$ 300,00, para alugar e a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), arca com o pagamento no prazo de até um ano.

“O atendimento às famílias em situação de risco é um trabalho que não pode parar. Portanto, a equipe de habitação continua atuando com base nas políticas públicas de proteção social do município, especialmente neste momento onde as pessoas de baixa renda estão mais vulneráveis às dificuldades enfrentadas em meio à pandemia de coronavírus”, destaca Erinelde Nunes, gerente de habitação da SDU Sudeste.

O superintendente da SDU Sudeste, Evandro Hidd, explica que alguns serviços continuam em funcionamento devido ao seu caráter essencial. “Mediante o decreto do prefeito Firmino Filho, muitas atividades de trabalho estão suspensas como forma de combate à propagação do coronavírus. Contudo, algumas consideradas essenciais para a população devem continuar em operação, como é o caso das equipes de habitação e de limpeza urbana da SDU. Visto essa necessidade, temos o cuidado de instruir os profissionais a tomarem todas as precauções e adotarem os protocolos de segurança na execução do trabalho”, enfatiza Evandro.

 

Trabalhadores autônomos podem se inscrever no Teresina Solidária para receber auxílio

O Teresina Solidária está fazendo cadastro de famílias chefiadas por trabalhadores autônomos para receberem cestas básicas durante a quarentena instituída para conter o novo coronavírus. A iniciativa foi idealizada pela Prefeitura de Teresina para atender às necessidades básicas desses trabalhadores contando com a solidariedade da população.

De acordo com o presidente da Prodater, Eduardo Aguiar, o acesso a esse auxílio ocorre através de um cadastro no site da Prefeitura [www.teresina.pi.gov.br]. Na página, o cidadão acessa o link TERESINA SOLIDÁRIA – REQUERIMENTO DE CESTA BÁSICA, e preenche o formulário com os seguintes dados:

1 – nome do responsável pelo núcleo familiar

2 – CPF (apenas números)

3 – Ocupação do responsável familiar

4 – Endereço completo (com pontos de referência)

5 – Telefone

6 – Quantidade de membros da família

7 – Quantos membros possuem atividade produtiva

8 – Quantos dias sem trabalhar

9 – Membros aposentados

10 – Membros que recebem Bolsa Família ou BPC (Benefício de Prestação Continuada)

11 – Renda mensal (sem vírgula)

12 – Nome completo e CPF de cada membro da família (separados por vírgula)

Com base nessas informações, os cadastros passam a ser analisados pela equipe de assistentes sociais e as cestas são entregues em seguida.

“É importante responder o formulário com as informações corretas e completas para que as equipes de assistência social do município possam avaliar e localizar as famílias”, ressalta Eduardo Aguiar, presidente da Prodater.

A plataforma foi desenvolvida através de parceria entre as secretarias de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Fundação Wall Ferraz (FWF), Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) e Prodater.

Colab

Também está disponível no Colab, aplicativo utilizado pela Prefeitura de Teresina como Ouvidoria, um questionário sobre a pandemia. A intenção é que, com base nas respostas dos cidadãos, a Prefeitura consiga mapear o avanço da doença na cidade.

Mais de 230 famílias teresinenses recebem apoio através do Programa Cidade Solidária

Famílias acometidas por enchentes, incêndios, alagamentos e outros infortúnios seguem contando com atendimento emergencial por parte do Programa Cidade Solidária. Segundo o mais recente levantamento divulgado pela Gerência de Proteção Social Básica (GPSB) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), 231 famílias estão inclusas em um dos dois eixos de atuação do projeto de acolhimento: Residência Solidária e Família Solidária. Devido às circunstâncias atuais de pandemia, o plano de trabalho da articulação, que busca evitar as situações de aglomeração causadas pelo acolhimento coletivo vem assumindo nova relevância.

Segundo Kania Brito, coordenadora da GPSB da Semcaspi, os números correspondem à última folha de pagamento do mês de fevereiro. A previsão é que estes se elevem ainda mais, em decorrência das fortes chuvas que vêm acometendo a capital. “Estamos aguardando os cadastros das novas famílias atendidas, que serão enviados pelas Superintendências de Desenvolvimento Urbano”, explica Kania.

As novas famílias poderão ou indicar uma família para realizar o seu acolhimento, mediante recebimento de bolsa, ou direcionar auxílio-aluguel para família locadora de uma nova residência segura. O período de quarentena vem dando preferência a operacionalização do segundo caso. O cadastro pode ser realizado após solicitação de visita da Defesa Civil Municipal, que identifica as situações de risco e realiza as remoções, juntamente com a equipe dos CRAS e das SDUs.

Os Centros de Referência em Assistência Social fazem parte da equação identificando as demais necessidades do grupo familiar; caso se identifique o cenário das mesmas, também são oferecidas cestas básicas, kits acolhimento e kits de limpeza. Embora os servidores da Semcaspi e suas unidades, entre elas os CRAS, cujos atendimentos de natureza coletivas estão em suspensão, estejam funcionando em escala de trabalho para manutenção dos serviços essenciais à população, as equipes que operam o Cidade Solidária seguem trabalhando na normalidade, sendo tomadas as devidas medidas de segurança.

“Nossas equipes seguem em atividade, articuladas com as SDUs, para oferecer o atendimento essencial que essas famílias precisam. Estamos garantindo sua dignidade frente a esses infortúnios, adotando as medidas de higienização e distanciamento necessárias para que nossos colaboradores e usuários estejam seguros”, explica o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira. “Pedimos que o resto da população continue cumprindo as medidas de quarentena, de forma que aqueles que têm de continuar na rua, atendendo à população, corram menos risco”.

A Defesa Civil também segue suas atividades, em plantão, para assegurar que as famílias possam seguir a quarentena em residências seguras. A população pode solicitar a Defesa através de ligação gratuita para o 153. Também se pode conhecer mais sobre o Cidade Solidária por meio do número (86) 3215-7593 ou do site e das redes sociais da Semcaspi e da Prefeitura de Teresina

 

Aumenta o número de famílias do Parque Rodoviário inclusas no Cidade Solidária

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) divulgou na última sexta-feira (26) dados sobre as famílias atingidas pela enxurrada no Parque Rodoviário, zona Sul de Teresina. Foram 132 famílias atingidas e que foram repassadas para os programas assistenciais da Prefeitura.

Já não há mais famílias no abrigo coletivo montado na Igreja Católica do bairro. O Programa Cidade Solidária segue ampliando o atendimento aos afetados, por meio do aluguel social e da distribuição de kits contemplando, ao todo, 73 famílias. Além disso, 43 famílias atingidas também foram contempladas com os kits limpeza, kits de acolhimento e cestas básicas.

As equipes da Prefeitura de Teresina, que incluem Semcaspi, SDUs e Semduh continuam no local, garantindo o auxílio à população e realizando trabalho de coleta nos pontos de arrecadação, localizados na Praça do Parque Rodoviário e na Igreja Católica. “Estamos garantindo um acolhimento digno para essas famílias que perderam suas residências através do Cidade Solidária. As equipes estão trabalhando incansavelmente para garantir o auxílio necessário aos teresinenses vítimas do período chuvoso. Na medida que se valoriza quem abriga e fortalece a solidariedade, ao mesmo tempo se evita que as pessoas vítimas de um infortúnio dessa natureza fiquem no relento, sem nenhum acolhimento”, afirma o secretário Samuel Silveira.

 

A população pode tirar dúvidas sobre o Cidade Solidária entrando em contato com a Gerência de Proteção Social Básica (GPSB), por meio do 3215-7593.

Sobre o programa

O Cidade Solidária atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos, em consequência das chuvas, infortúnios, incêndios, alagamento, transbordamento de rios ou lagoas ou ainda, situações de vulnerabilidades temporárias. O trabalho é executado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).

 

Mais de 60 famílias do Parque Rodoviário já estão acolhidas através do Cidade Solidária

Segundo dados divulgados na manhã desta quarta-feira (10), 64 famílias do Parque Rodoviário, zona Sul de Teresina, já estão recebendo acolhimento e suporte oferecido pelo programa Cidade Solidária. Além dessas, outras quatro famílias permanecem abrigadas na Igreja Católica do bairro e recebem auxílio emergencial da Prefeitura, em forma de kits de limpeza, kit acolhimento e cestas básicas.

As 64 famílias inclusas no Cidade Solidária se dividem entre as duas modalidades de atuação. O primeiro eixo de ações, intitulado Família Solidária, consiste no acolhimento da família vítima da enxurrada por parte de parentes, sendo reforçado pelo oferecimento de kits e auxílio financeiro. Do total, 50 famílias estão inclusas nesta modalidade. A outra forma de acolhimento é o Residência Solidária. No Parque Rodoviário, são 14 famílias cadastradas e que foram acolhidas em moradias alugadas, com o aluguel social de R$250,00.

As equipes da Prefeitura de Teresina, que incluem Semcaspi, SDUs e Semduh, continuam atendendo famílias e garantindo o auxílio necessário. “Estamos garantindo um acolhimento digno para essas famílias que perderam suas residências através do Cidade Solidária. As equipes estão trabalhando incansavelmente para garantir o auxílio necessário aos teresinenses vítimas do período chuvoso. Na medida que se valoriza quem abriga e fortalece a solidariedade, ao mesmo tempo se evita que as pessoas vítimas de um infortúnio dessa natureza fiquem no relento, sem nenhum acolhimento”, disse o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

A população também pode tirar dúvidas sobre o Cidade Solidária entrando em contato com a Gerência de Proteção Social Básica (GPSB), por meio do telefone (86) 3215-7593.

Sobre o programa

O Cidade Solidária atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos, em consequência das chuvas, infortúnios, incêndios, alagamento, transbordamento de rios ou lagoas ou ainda situações de vulnerabilidades temporárias. O trabalho é executado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).

 

Cerca de 500 famílias de áreas de risco recebem atendimento emergencial da Prefeitura

 

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) divulgou nesta terça (9) um relatório que detalha as ações da Prefeitura durante o fim de semana na capital. O documento busca apresentar os dados correspondentes às outras áreas de risco da capital. Segundo o levantamento, 496 famílias passaram pelos programas assistenciais da Prefeitura de Teresina.

Só na zona Sudeste foram realizados 251 atendimentos — mais da metade do número geral. Na zona Sul foram cerca de 141 famílias atendidas. Na zona Norte de Teresina 98 famílias atendidas e zona Leste realizaram-se seis atendimentos. Cerca de 180 servidores da Semcaspi, SDUs e Semduh estiveram envolvidos nos monitoramentos e de atendimentos às famílias.

O trabalho segue visando a inclusão das vítimas no programa Cidade Solidária. Deste número, pelo menos 208 já foram enquadradas no programa e outras estão sendo cadastradas para serem inclusas no aluguel solidário da Prefeitura de Teresina. “Estamos garantindo um acolhimento digno para essas famílias que perderam suas residências através do Cidade Solidária. As equipes da Prefeitura de Teresina, que incluem Semcaspi, SDUs e Semduh, estão trabalhando incansavelmente para garantir o auxílio necessário aos teresinenses vítimas do período chuvoso”, reforça Samuel Silveira, secretário da Semcaspi.

A população pode tirar dúvidas sobre o programa entrando em contato com a Gerência de Proteção Social Básica (GPSB) da Semcaspi por meio do número 3215-7593.

Sobre o programa

O Cidade Solidária atende famílias em situações emergenciais de desabrigamentos, em consequência das chuvas, infortúnios, incêndios, alagamento, transbordamento de rios ou lagoas ou ainda situações de vulnerabilidades temporárias. O trabalho é executado pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), das Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) e Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).