Semcaspi comemora Dia Internacional do Idoso com apresentações culturais de grupos dos Centros de Convivência

A Secretária Municipal de Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), por meio Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, realizou na manhã desta sexta-feira, (01), uma live comemorativa em alusão ao Dia Internacional da Pessoa Idosa.

O Secretário da Semcaspi, Allan Cavalcante, reforçou a importância da valorização de reintegrar os idosos na sociedade.

“Temos sim favores, temos sim, carinho, amor, zelo a pessoa idosa. Esse evento de hoje aqui do Marly Sarney é um pouquinho só, daquilo que a gente vai fazer pela pessoa idosa na gestão do Dr. Pessoa. Ele já está com alguns centros de convivência reabrindo. Temos aí algumas metas para outras áreas da cidade com relação ao centro Dia, a gestão do Dr Pessoa tem muito ainda há fazer, e tem muito ainda há investir e tem muito ainda há dar a esse público, que é o público da pessoa idosa”, destacou.

A coordenadora do Serviço de Convivência e fortalecimento de Vínculo da Semcaspi, Socorro Bento, ressaltou a importância da realização da live.

“É importante para que eles revejam alguns colegas que vão participar das atividades. E para que a gente lembre as pessoas do dia internacional da pessoa idosa, que é de proteção, que é de vivência, que é de alegria e também de lembrar dos direitos dos idosos”, ressaltou.

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI), Auxiliadora Sampaio, enfatiza a alegria pela realização do evento.

“Esse é um dia de muita alegria, a gente tem muitas coisas para comemorar. Nós conseguirmos abrir o primeiro Centro Dia do Nordeste, que vai ser um piloto do que nós estamos empenhados em fazer”, disse.

O evento contou com uma programação especial, ofertando atividade laboral, com o Educador Físico, Francinélio Ribeiro; com apresentações culturais dos idosos dos Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculos Marly Sarney e Cajueiro.

É UMA TERAPIA

Joaquina Luiza, assistida pelo Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculo, falou que centro é como uma terapia.

“O centro de convivência para mim é algo muito importante pela questão da pressão, que eu sou cardíaca, e não podia mais trabalhar. Isso aqui foi o meu oásis, aqui a gente se encontra, a gente se ajuda um ao outro, é como se fosse uma terapia, ajuda na valorização da vida” contou.

HUT introduz terapia a laser no tratamento de feridas crônicas

Para colaborar no processo de tratamento de feridas dos pacientes, o Hospital de Urgência de Teresina, Prof. Zenon Rocha (HUT), através do seu Núcleo de Estomaterapia passa a usar a laserterapia no tratamento complementar avançado de feridas de diversas etiologias: venosa, arterial, diabética, queimaduras, cirúrgicas, deiscências, traumáticas, dentre outras.

O HUT agora dispõe de dois aparelhos de laser de baixa intensidade, auxiliando o processo de cicatrização. O tratamento é totalmente indolor e consiste na irradiação sobre a ferida, de energia luminosa que é absorvida pelas células provocando estimulações biológicas que torna mais rápida a cicatrização de lesões crônicas, como aquelas comuns em diabéticos e que muitas vezes geram infecções.

Para Fábio Marcos, diretor do HUT “A laserterapia é uma inovação para o serviço público de saúde de Teresina, é mais um de nossos muitos investimentos em tecnologia. Estamos em busca de melhores processos e procedimentos que minimizem as dores e tratamentos e tragam maior conforto e segurança a todos os nossos pacientes”. Afirma.

A enfermeira estomaterapeuta Cliciane Furtado acrescenta que já usava um laser próprio, Com os dois novos aparelhos, os atendimentos poderão contemplar todo o Hospital. “O laser é um importante aliado no processo de cicatrização de feridas e de processos inflamatórios, além da melhor cicatrização vai evitar uma série de amputações e dores que uma ferida pode provocar” afirma Cliciane, lembrando que o uso da laserterapia necessita de uma avaliação do caso.

Cliciane Furtado, enfermeira estomaterapeuta responsável pela Laserterapia no HUT (Foto: Ascom/HUT)

Criado em Fevereiro desse ano, o Núcleo de Estomaterapia do HUT atende os usuários da unidade com lesões agudas ou crônicas, simples ou complexas com o objetivo de melhorar a qualidade da assistência dos pacientes portadores de feridas e estomas, minimizar as complicações, tempo de internação e reduzir custos do tratamento.

No HUT a laserterapia para feridas passou a ser utilizada desde o inicio do mês de Agosto, por meio de equipe especializada.

Laserterapia HUT (Foto: Ascom/FMS)

SAMU oferta sessões de Reiki para socorristas em Teresina

Ascom/FMS

A partir de agora, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Teresina passa ofertar Reiki aos profissionais socorristas do órgão. Reiki é uma terapia integrativa reconhecida pelo Ministério da Saúde que, com a imposição das mãos, visa aliviar dores e trazer bem-estar físico e mental.

 

A iniciativa de implantar o Reiki no SAMU partiu da direção e está sendo executada pela servidora e mestre nessa terapia, Rejane Mesquita. “Nós utilizamos protocolos específicos do Reiki e realizamos atendimento na própria sede do SAMU. Percebemos que houve boa adesão por parte dos servidores e que a terapia tem contribuído para harmonização da vida deles, promovendo bem-estar, autoconhecimento e equilíbrio”, afirma ela.

 

Segundo a diretora geral Francina Amorim, é essencial realizar ações para preservar o bem estar físico e mental dos profissionais: “Eles atendem às urgências de natureza traumática, clínica, pediátrica, obstétrica e de saúde mental. Na assistência a essas demandas, alguns fatores podem levar o profissional atuante a ficar emocionalmente abalado e ações assim contribuem para minimizar as tensões da atividade”.

 

Marta Crislany, enfermeira do SAMU, conta que a experiência com o Reiki foi boa. “Vivemos num mundo muito estressante, o nosso serviço em si é estressante. O Reiki no SAMU é uma oportunidade para nos desconectarmos do mundo e nos conectarmos com nós mesmos. A gente para, esquece de tudo e só sente energia boa. Já fiz duas sessões e a hora que acaba é a pior parte”, afirma.

 

Acelisângela Alves, médica do SAMU, relata que participou da sessão de Reiki. “Inicialmente a sensação foi de parestesia (dormência) no corpo. Em seguida de flutuação. Em certo momento, percebi energia luminosa à altura da minha face que se encaminhava para minha região cervical direita, ao mesmo tempo que havia um calor nesta região; coincidência ou não é a região que me incomoda com dores crônicas. Foi muito interessante e relaxante a experiência”.