FMS realiza testagem para hepatites virais no Lineu Araújo nesta sexta-feira (30)

No Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo (Cisla) está sendo realizada na manhã desta sexta-feira (30) a testagem de pacientes para identificação de hepatites virais. Essa ação faz parte da campanha “Julho Amarelo” que tem por finalidade reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle das hepatites virais. Essa testagem é disponibilizada nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) que também tem as vacinas para a população. O Cisla é administrado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Essa testagem é disponibilizada nas UBS que também tem as vacinas para a população. (Foto: Ascom/FMS)

O infectologista da FMS, Kelsen Eulálio, destaca que é importante fazer a testagem porque a doença é silenciosa, demora anos para aparecerem os sintomas e acomete o fígado. “As hepatites são inflamações no fígado e tem como causa principal as infecções virais. As do tipo B e C são muito perigosas porque podem permanecer por longos anos sem sintomas e evoluir para complicações como cirrose, câncer de fígado e até provocar a morte. A hepatite B pode ser adquirida por relações sexuais desprotegidas e pelo sangue. A transmissão pelo sangue é mais frequente nos materiais perfuro-cortantes não esterilizados”, explica o infectologista.

Quando os sintomas da hepatite aparecem são na forma de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Os locais onde aconteceram a campanha “Julho Amarelo” de testagem das hepatites B e C foram os seguintes: 22/07 – Lineu Araújo, 26/07 – HGV, 28 e 29/07 – HU e 30/07 – Lineu Araújo.

Essa testagem é disponibilizada nas UBS que também tem as vacinas para a população. (Foto: Ascom/FMS)

Tipos de hepatite

Hepatite A: tem o maior número de casos, está diretamente relacionada às condições de saneamento básico e de higiene. É uma infecção leve e se cura sozinha. Existe vacina.

Hepatite B: é o segundo tipo com maior incidência; atinge maior proporção de transmissão por via sexual e contato sanguíneo. A melhor forma de prevenção para a hepatite B é a vacina, associada ao uso do preservativo.

Hepatite C: tem como principal forma de transmissão o contato com sangue. É a principal causa de transplantes de fígado e pode causar cirrose, câncer de fígado e morte. Não tem vacina.

Hepatite D: causada pelo vírus da hepatite D (VHD) ocorre apenas em pacientes infectados pelo vírus da hepatite B. A vacinação contra a hepatite B também protege de uma infecção com a hepatite D.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. Existem ainda, com menor frequência, o vírus da hepatite D (mais comum na região Norte do país) e o vírus da hepatite E, que é menos frequente no Brasil.

FMS realiza testagem para hepatites virais nesta quinta-feira (22) no Lineu Araújo

Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo (Foto: Ascom/FMS)

Este mês é desenvolvida a campanha “Julho Amarelo” que tem por finalidade reforçar as ações de vigilância, prevenção e controle das hepatites virais. Como ação dessa campanha, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) faz testagem nesta quinta-feira, 22, pela manhã, em pacientes que estiverem no Centro Integrado de Saúde Lineu Araújo (Cisla).

Os locais onde acontecerão a campanha de testagem das hepatites B e C, pela manhã, são os seguintes: 22/07 – Lineu Araújo, 26/07 – HGV, 28 e 29/07 – HU, 30/07 – Lineu Araújo.

Essa testagem ocorre com frequência nas Unidade Básicas de Saúde (UBS) que também dispõem dos testes. É importante porque a doença é silenciosa e demora anos para aparecerem os sintomas.

O infectologista da FMS, Kelsen Eulálio, fala sobre as complicações da doença quando não é tratada. “As hepatites são inflamações no fígado, tem como causa principal as infecções virais. As do tipo B e C são muito perigosas porque podem permanecer por longos anos sem sintomas e evoluir para complicações como cirrose, câncer de fígado e até provocar a morte. A hepatite B pode ser adquiridas por relações sexuais desprotegidas e pelo sangue. A transmissão pelo sangue é mais frequente nos materiais perfuro-cortantes não esterilizados”, explica o infectologista.

Marilene Oliveira, responsável técnica pela vigilância das hepatites virais da FMS, informa que este ano foram notificados 58 casos e que a testagem é muito importante. “Estamos focando mais na prevenção e no aumento de oferta de teste rápido para a população porque ainda é muito baixa a quantidade de testagem”, diz. Ela informa que os atendimentos pelo SUS dos pacientes com hepatite acontecem no Lineu Araújo, Hospital Universitário (HU) e ambulatório do HGV e que a medicação é disponibilizada para esses pacientes.

Hepatites
Nem sempre a doença apresenta sintomas, mas quando aparecem, estes se manifestam na forma de cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.
No caso específico das hepatites virais, que são o objeto da campanha Julho Amarelo, estas são inflamações causadas por vírus classificados pelas letras do alfabeto em A, B, C, D (Delta) e E.

Hepatite A: tem o maior número de casos, está diretamente relacionada às condições de saneamento básico e de higiene. É uma infecção leve e se cura sozinha. Existe vacina.
Hepatite B: é o segundo tipo com maior incidência; atinge maior proporção de transmissão por via sexual e contato sanguíneo. A melhor forma de prevenção para a hepatite B é a vacina, associada ao uso do preservativo.
Hepatite C: tem como principal forma de transmissão o contato com sangue. É a principal causa de transplantes de fígado e pode causar cirrose, câncer de fígado e morte. Não tem vacina.
Hepatite D: causada pelo vírus da hepatite D (VHD) ocorre apenas em pacientes infectados pelo vírus da hepatite B. A vacinação contra a hepatite B também protege de uma infecção com a hepatite D.
No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. Existem ainda, com menor frequência, o vírus da hepatite D (mais comum na região Norte do país) e o vírus da hepatite E, que é menos frequente no Brasil.

Teresina registra 243 novos casos de COVID-19

Teresina registrou 243 novos casos de Covid-19 na última segunda-feira (10), além de quatro mortes. É o que revela o boletim do Painel Epidemiológico elaborado diariamente pela Fundação Municipal de Saúde (FMS). Desde o início da pandemia, a capital registrou um total de 20.059 casos e 790 mortes em decorrência da doença.

Dos novos óbitos notificados, um ocorreu dia 6 de julho, um no dia 19 de julho, um no dia 9 de agosto e outro no dia 10 de agosto. Foram dois homens e duas mulheres, com idades entre 27 e 78 anos. Todos tinham comorbidades, como doença neurológica, diabetes, obesidade e hipertensão arterial.

Uma das estratégias de contenção da disseminação do novo coronavírus é o rastreamento de contatos. Teresina conta com oito Centros de Rastreamento e Testagem (CRT), que são espaços específicos para a realização de testagem, mediante agendamento, dos contatos de pacientes que receberam o diagnóstico positivo de Covid-19.

O objetivo dos CRTs é concentrar, em pontos espalhados pela cidade, a testagem de pessoas assintomáticas que moram com pacientes diagnosticados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) através do teste laboratorial do Lacen realizado nos hospitais. Também estão sendo direcionadas para estes locais as pessoas que contactaram a FMS por meio do serviço Testa Teresina, conforme orientação recebida durante atendimento via whatsapp.

Todos os testes são feitos exclusivamente mediante agendamento prévio, dando prioridade ao local mais próximo onde o paciente foi atendido. “Após o diagnóstico, a FMS entrará em contato por telefone com o paciente testado positivo para marcar de forma organizada o teste rápido de seus contatos domiciliares”, esclarece o diretor de Atenção Básica do órgão, Kledson Batista.

O diretor ressalta, porém, que apenas farão testagem nos CRTs as pessoas que, apesar da convivência, não apresentaram sintomas gripais. “Os contatos sintomáticos serão testados nas UBSs, onde também receberão atendimento médico”, destaca Kledson.

Prefeitura amplia Centros para testagem de contatos de pessoas com Covid-19

Crédito: Rômulo Piauilino

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) está ampliando os Centros de Rastreamento e Testagem (CRT) com a instalação de mais três pontos na capital. Trata-se de espaços específicos para a realização de testagem, mediante agendamento, dos contatos de pessoas que receberam o diagnóstico positivo de Covid-19. Agora, Teresina conta com sete centros espalhados em todas as zonas da cidade.

Os CRTs foram criados com a função de serem pontos de testagem para quem mora com pacientes diagnosticados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) através do teste laboratorial do Lacen realizado nos hospitais, exclusivamente mediante agendamento prévio. Também estão sendo direcionadas para estes locais as pessoas que contatarem a FMS por meio do serviço Testa Teresina, conforme orientação recebida durante atendimento via whatsapp.

“Uma vez testado positivo, a FMS entrará em contato por telefone com o paciente para marcar de forma organizada o teste rápido de seus contatos domiciliares, no centro mais próximo à UBS em que ele foi atendido”, informa o diretor de Atenção Básica do órgão, Kledson Batista. Ele ressalta que apenas farão testagem nos CRTs pessoas que, apesar da convivência, não apresentaram sintomas gripais. “Os contatos sintomáticos serão testados nas UBSs, onde também receberão atendimento médico”, destaca o diretor.

O objetivo da estratégia é conseguir fazer o rastreio do maior número de pessoas com o vírus, o que garante um isolamento com segurança.  “Assim, garantimos que o paciente identificado na UBS com o novo coronavírus possa ter seus contatos domiciliares rastreados, isolados e mantidos em quarentena por 14 dias. Isso ajuda a evitar a transmissão e, ao mesmo tempo, traz segurança aos usuários em relação ao futuro e o andamento dessa doença”, explica Kledson Batista.

Os Centros de Testagem ficam localizados na Faculdade Uninovafapi, Colégio CEV (zona Leste), faculdades Estácio (zona Sudeste) e Uninassau e Clube dos Cem (zona Sul), além do Clube dos Servidores Municipais e Centro de Artes e Esportes Unificados (zona Norte). Há ainda a previsão de abertura de mais um CRT, no CEU da zona Sul.

Abrigos aplicam testes para controle da Covid-19 entre venezuelanos

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, os abrigos que receberam as famílias venezuelanas em Teresina vêm desenvolvendo diversas atividades informativas e de conscientização, acompanhamento em saúde e a aplicação de testes para detectar a doença. Atualmente, 163 venezuelanos ocupam os abrigos destinados pela Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas e 54 deles testaram positivo para a Covid-19. Um deles, paciente de 58 anos, veio a óbito e os demais 53 estão curados.

Em abril, a Semcaspi providenciou a transferência de 70 indígenas que estavam no abrigo CSU no bairro Buenos Aires para diminuir a aglomeração de pessoas e depois um outro espaço foi disponibilizado para receber famílias recém chegadas de outros estados, a fim de garantir um isolamento e testagem antes de adentrarem nos 3 acolhimentos disponíveis. “Desde o início da pandemia, as equipes dos abrigos de venezuelanos estão desenvolvendo uma série de ações de conscientização, com a distribuição de máscaras, produtos de higiene, exposição de cartazes na língua materna e palestras. A Semcaspi solicitou, junto à Fundação Municipal de Saúde (FMS), testes rápidos da covid-19. Uma primeira remessa de testagens foi feita em maio e outra em junho. Neste último, dos 78 testes aplicados, 54 deram positivados para a doença, que prontamente foram submetidos ao tratamento de saúde”, afirma Janaína Carvalho, secretária da Semcaspi.

Em uma destas ações, os migrantes receberam cartilhas informativas em sua língua materna “Warao” sobre cuidados e prevenção da doença. A distribuição das cartilhas ocorreu em uma palestra organizada pelas professoras Carmen Lima, Janaína Santos e Lílian Catenacci da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em junho. O material foi traduzido com a ajuda dos indígenas Yovini Eulalio e Ignacio Perez. “Ao final da palestra, os representantes de cada abrigo receberam, além da cartilha, galões de álcool em gel e máscaras. Eles ficaram responsáveis por repassar para as demais famílias as instruções aprendidas na palesta e também distribuírem os itens que receberam”, disse a antropóloga Lílian Castelo Branco, coordenadora do abrigo instalado no antigo prédio do Emater.

Outra atividade realizada no abrigo foi um bate-papo virtual com o indígena Elemir Martins da etnia Guarani Ñandeva, residente do município de Caarapó, em Mato Grosso do Sul. Para a coordenadora do abrigo, o diálogo proporcionou a troca de experiência entre os grupos no que se refere ao enfrentamento da doença de acordo com a crença e a cultura indígena, e também para a maior conscientização quanto aos cuidados recomendados pelas instituições de saúde, aos quais parte tem resistência.

“Através desse diálogo, o Elemir tratou de alguns pontos das estratégias que eles têm adotado para a conscientização entre a comunidade, pois para eles tem sido muito complicado a compreensão, principalmente pelos mais idosos, que não compreendem a gravidade da doença. Então, os mais jovens estão engajados nesse trabalho de conscientização produzindo e distribuindo informações sobre a Covid-19. Fica mais fácil essa troca entre eles mesmos. Na cultura indígena é muito forte a questão da coletividade, então ele mostrou que por conta da doença, infelizmente eles teriam que adotar estas estratégias para que eles possam atravessar esse momento sem tantas perdas”, disse.

Um dos indígenas, com 58 anos, foi internado no HGV no dia 11 de junho e veio a óbito em 14 de julho. “No início dos sintomas, ele resistiu bastante a ir junto com a equipe para os serviços de saúde e a fazer um tratamento, o que gerou o agravamento dos sintomas. A equipe da secretaria acompanhou a família em todo o processo funerário. Todos os demais estão bem e não apresentam mais nenhum sintoma”, informou a secretária da Semcaspi, Janaína Carvalho.

Mais de 12 mil empregados da iniciativa privada de Teresina testaram para a Covid-19

Rômulo Piauilino

Um total de 12.391 funcionários de empresas privadas de Teresina já foram testados para a Covid-19 na capital em cumprimento ao Decreto municipal Nº 19.854, que determina a realização de testes em trabalhadores de estabelecimentos que estão em funcionamento. A medida é uma forma de garantir maior segurança tanto dos clientes quanto dos profissionais.

Entre as empresas que informaram a testagem no sistema da Prefeitura de Teresina, 90 comprovaram a realização de testes dos seus trabalhadores, com o envio das notas fiscais. Outros 94 empregadores ainda não anexaram o documento de aquisição dos testes, uma exigência que consta no decreto.

“A testagem é importante para que se tenha um diagnóstico mais precoce dos trabalhadores para detectar possíveis casos de infecção e o necessário isolamento para diminuir a disseminação do vírus em Teresina”, explica o secretário municipal de Governo, Fernando Said.

Segundo a gerente de Vigilância Sanitária da capital, Jeanyne Seba, o teste permite identificar quem está imunizado e pode voltar ao trabalho. “Aplicar a testagem rápida ou sorológica em trabalhadores que mantiverem rotina de trabalho presencial, frequentando ambientes compartilhados, é uma das soluções apontadas por especialistas como a maneira mais eficaz de permitir a retomada segura da economia, sem uma explosão de casos. Dessa forma, estamos fiscalizando as empresas para que possamos reabrir a cidade de maneira mais segura para todos”, disse.

De acordo com o decreto, os locais que ainda estão com funcionamento suspenso só poderão reabrir durante o processo de retomada das atividades econômicas quando realizarem testes nos seus colaboradores. Em caso de descumprimento da determinação, ficarão sujeitos à interdição total das atividades e cassação de alvará de localização e funcionamento. A testagem deve ser feita pelas empresas que têm a partir de 41 empregados e nos trabalhadores que são do grupo de risco.

FMS cria centros para testagem de contatos de pacientes com Covid-19

A partir de agora as pessoas que moram na mesma casa de quem foi positivado com Covid-19 terão locais específicos para realizar sua testagem mediante agendamento. São os Centros de Rastreamento e Testagem (CRT), criados pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) para garantir uma maior agilidade na realização dos exames, cortando a cadeia de transmissão do novo coronavírus.

Esses centros estarão espalhados por toda a cidade e realizarão a testagem de quem mora com pacientes diagnosticados nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) através do teste laboratorial do Lacen realizado nos hospitais, exclusivamente mediante agendamento prévio. “Uma vez testado positivo, a FMS entrará em contato por telefone com o paciente para marcar de forma organizada o teste rápido de seus contatos intradomiciliares, no centro mais próximo à UBS em que ele foi atendido”, informa o diretor de Atenção Básica da FMS, Kledson Batista.

Também serão direcionadas para estes locais as pessoas que contatarem a FMS por meio do serviço Testa Teresina, conforme orientação recebida durante o atendimento via whatsapp.

Quatro destes centros já estão em funcionamento. Eles estão localizados nas faculdades AESPI/Unifapi (zona Leste), Estácio (zona Sudeste) e Uninassau (zona Sul), além do Clube dos Servidores Municipais (zona Norte). Kledson Batista informa que há previsão para que em breve mais dois pontos sejam abertos pela FMS. “É importante destacar que esses centros de testagem são apenas para pessoas assintomáticas. Os contatos que apresentarem sintomas serão testados nas UBSs, onde também receberão atendimento médico”, destaca o diretor.

O objetivo é conseguir fazer o rastreio do maior número de pessoas com o vírus, o que garante um isolamento com segurança. “Lembramos, no entanto, que o isolamento e a quarentena não dependem apenas do resultado do teste, e sim do compromisso daquela pessoa que está em contato com um positivo de ficar em casa pelo período indicado conforme a conduta médica”, alerta Kledson Batista. “Este isolamento deve ser cumprido por todos a partir do caso índice, que é a primeira pessoa que testou positivo na residência”, ressalta ele.

Prazo para empresas testarem funcionários encerra nesta sexta-feira (10)

Encerra nesta sexta-feira, 10, o prazo para que os estabelecimentos com autorização de funcionamento façam o teste de diagnóstico para Covid-19 em seus funcionários. A medida foi estabelecida no decreto Nº 19.854, e deve ser observada por todos os estabelecimentos comerciais, industriais, de prestação de serviços, órgãos e instituições públicas com funcionamento permitido pela administração municipal.

A testagem é mais uma das ações que foi adotada pela Prefeitura nesse período de crise de saúde pública decorrente da pandemia do novo Coronavírus. A ideia da Prefeitura é ter um diagnóstico mais precoce dos trabalhadores para detectar possíveis casos de infecção e o necessário isolamento para diminuir a disseminação do vírus em Teresina.

De acordo com o decreto, a testagem é obrigatória nas empresas que possuem a partir de 41 trabalhadores. Eles também devem realizar o teste nos trabalhadores com mais de 60 anos ou com comorbidade(s) ou sintomáticos. Não se enquadram no decreto os trabalhadores que estejam desempenhando funções nas suas residências ou no regime de teletrabalho. Os estabelecimentos que prestam serviços de saúde devem testar todos os seus trabalhadores. Os testes sorológicos devem, preferencialmente, diferenciar anticorpos IgM de anticorpos IgG.

Ainda segundo o decreto, caso seja identificado pelo menos um caso confirmado da Covid-19, o empregador ficará obrigado a realizar teste diagnóstico em todos os funcionários daquele estabelecimento, filial, agência ou sucursal, independente da quantidade de empregados, bem como deverá tomar todas as medidas sanitárias recomendáveis para limpeza, higienização, sanitização do local e comunicação às autoridades sanitárias locais.

Os estabelecimentos também deverão fazer um acompanhamento frequente da situação de saúde dos seus funcionários e fazer a atualização através do site público (http://testecovid19.fms.pmt.pi.gov.br). No site, é necessário o preenchimento de avaliação básica quanto ao estado de saúde dos trabalhadores.

Em caso de descumprimento do decreto, os estabelecimentos comerciais, industriais, prestação de serviços, órgãos e instituições públicas ficarão sujeitos à interdição total das atividades e cassação de alvará de localização e funcionamento.

Clique AQUI para ver o decreto.

Prefeitura altera decreto que obriga empresas a testarem empregados para Covid-19

O prefeito Firmino Filho assinou, nesta sexta-feira, decreto com alterações sobre a realização de testes diagnósticos para Covid-19 nos trabalhadores da iniciativa privada e do setor público que estão em funcionamento. A partir de agora, a testagem deverá ser feita em estabelecimentos com mais de 41 funcionários e nas pessoas consideradas do grupo de risco.

Outra mudança que consta no novo decreto é que, caso seja identificado pelo menos um caso confirmado de Covid-19, o empregador ficará obrigado a realizar teste de diagnóstico em todos os funcionários daquele estabelecimento, filial, agência ou sucursal, independente da quantidade de empregados. Também deverá tomar todas as medidas sanitárias recomendáveis para limpeza, higienização, sanitização do espaço e comunicação às autoridades sanitárias locais.

Para aquelas empresas que possuem um quadro com menos de 41 pessoas, o documento apenas recomenda a realização do teste nos trabalhadores com mais de 60 anos, com comorbidade ou sintomáticos. Já na área de prestação de serviço em saúde, é obrigatório realizar o teste de diagnóstico em todos os colaboradores. Só deverão ser testados os trabalhadores que estejam no exercício de suas funções e atividades nos seus respectivos locais de trabalho. Aqueles trabalhadores que estejam desempenhando suas funções nas suas residências ou no sistema de teletrabalho não necessitam ser testados.

Além dos testes, os estabelecimentos comerciais, industriais, de prestação de serviços, órgãos e instituições públicas deverão fazer, no mínimo a cada três dias, o preenchimento de formulário de avaliação quanto ao estado de saúde dos seus trabalhadores no site público (http://testecovid19.fms.pmt.pi.gov.br).

O decreto destaca também os tipos de testes que devem ser feitos e outras formas de avaliação do estado de saúde dos empregados. As empresas e órgãos públicos são obrigados a monitorar os sintomas dos trabalhadores diariamente através de aferição de temperatura com utilização de termômetro corporal digital sem toque.

Os estabelecimentos públicos e privados terão o prazo de 15 dias para fazer a testagem. Em caso de descumprimento, ficarão sujeitos à interdição total das atividades e cassação de alvará de localização e funcionamento. Já aqueles que estejam com funcionamento suspenso em razão do Decreto Nº19.548, só terão autorização para reabrir, quando for definida a retomada das atividades econômicas, após a realização dos testes nos seus colaboradores.

Decreto 19.854

Mais de 3 mil trabalhadores terceirizados da Prefeitura farão teste da Covid-19

Em nova etapa de testagem dos trabalhadores que continuam exercendo suas atividades presencialmente nos órgãos da Prefeitura de Teresina, cerca de 3.300 terceirizados farão o teste da Covid-19 ao longo desta semana. A ação acontece com o apoio do sindicato da categoria.

O secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Nonato Moura, destaca que a medida faz parte da estratégia do município para monitorar o comportamento do vírus na cidade e, assim, nortear as ações de combate e prevenção à doença.

“Em maio iniciamos os testes nos servidores efetivos, comissionados e terceirizados que estão trabalhando presencialmente neste período de pandemia. Ao todo, mais de 10 mil servidores, incluindo as equipes da Fundação Municipal de Saúde, já foram testados e agora vamos ampliar a ação”, detalha.

Além dos trabalhadores terceirizados, mais 700 servidores do município serão testados até sexta-feira (12), entre eles servidores da educação e dos demais órgãos que não haviam sido submetidos ao testes no mês passado. “Assim, vamos chegar a quase 14 mil servidores efetivos, comissionados, estagiários e terceirizados testados”, finaliza o gestor.