Transporte público em Teresina segue com restrições no final de semana

O transporte público de Teresina seguirá com restrições neste final de semana. No sábado (12), o serviço opera com 70% da frota do dia útil e, aos domingos, a circulação dos ônibus continua suspensa. As medidas restritivas de funcionamento das atividades econômicas foram ampliadas para os próximos dois domingos pela Prefeitura de Teresina, por meio do Decreto 20.077.

“A Prefeitura de Teresina tem liberado o funcionamento de atividades aos sábados e o transporte público vem se adequando a isso, mediante a demanda de passageiros. Seguiremos com as restrições aos domingos, visto que o lockdown parcial permanece. A luta contra a Covid-19 não acabou e devemos seguir com todas as recomendações”, ressaltou o gestor da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (Strans), Weldon Bandeira.

Neste domingo, funcionam farmácias e drogarias; serviços de saúde; segurança e vigilância; delivery exclusivamente para alimentação pronta, gás de cozinha e água; órgãos e profissionais de comunicação; serviços e rituais religiosos; e situações comprovadas de urgência e emergência. Também podem funcionar serviços públicos como energia elétrica, saneamento básico, funerários, segurança pública, bem como os estabelecimentos que façam a operação de fornos em turnos ininterruptos de 24 horas.

A fiscalização do cumprimento das medidas restritivas é de responsabilidade da Guarda Civil Municipal, Vigilância Sanitária Municipal com o apoio da Strans, Polícias Militar e Civil e da Secretaria de Transportes (Setrans/PI).

Firmino se reúne com Rodrigo Maia para tratar de Programa Emergencial para o Transporte Coletivo

O prefeito Firmino Filho integrou o grupo de dirigentes da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) que esteve em audiência hoje (05), em Brasília, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. O objetivo do encontro era pedir apoio na aprovação do substitutivo ao Projeto de Lei 3364/2020, que trata sobre programa emergencial para o transporte coletivo e prevê a partilha de recursos entre estados e municípios para a área de mobilidade urbana.

A FNP propôs ao deputado Rodrigo Maia algumas alterações ao Projeto de Lei no sentido de contemplar mais municípios na iniciativa. Firmino é o primeiro vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos e esteve na audiência acompanhado do presidente da entidade, o prefeito Jonas Donizette, de Campinas/SP.

“Defendemos junto ao presidente da Câmara de Deputados que o Projeto de Lei atinja municípios com mais de 200 mil habitantes e não apenas para as cidades com mais de 300 mil, como está no projeto atual. Além disso, apresentamos também critérios de distribuição mais justa dos recursos”, explicou Firmino. O Projeto de Lei 3364/2020 institui o Regime Especial de Emergência para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros (Remetup).

A FNP defende também que o número de passageiros transportados em 2019 seja considerado na partilha dos recursos. “Esse número deve ser levado em consideração, tendo em vista que o sistema público de transporte está operando com muito menos passageiros atualmente devido às medidas de isolamento social por causa da pandemia do Coronavírus”, acrescentou Firmino.

Ainda durante o encontro com Rodrigo Maia, os prefeitos discutiram a proposta de unificação dos mínimos constitucionais de Saúde e Educação, totalizando 40%, de forma que os governantes tenham autonomia para direcionar os recursos transferidos para as áreas de maior demanda em sua localidade. Os dirigentes defenderam ainda junto ao deputado a construção de uma pauta municipalista a ser debatida ainda neste semestre.

Transporte coletivo será suspenso no sábado (11) e domingo (12)

O serviço de transporte coletivo será suspenso neste sábado (11) e domingo (12) devido às medidas restritivas para evitar a propagação da Covid-19 em Teresina. Na segunda-feira (13), os coletivos retornam com 70% da frota em horários de pico, das 6h às 9h, e das 17h às 19h. Nos demais horários, a frota será de 30%.

A determinação da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) é mais uma tentativa de melhorar os índices de isolamento social na capital. Segundo Weldon Bandeira, gestor da Superintendência, medidas mais duras precisam ser adotadas aos finais de semana, incluindo a restrição de alguns serviços essenciais. “Esse é o momento de todos contribuírem para reduzir a contaminação, para que a cidade possa restabelecer todos os serviços”, diz.

Nos finais de semana estão em vigor medidas restritivas previstas no Decreto Municipal 19.890. Conforme o documento, nos sábados (11, 18 e 25) e domingos (12, 19 e 26) só funcionarão farmácias e drogarias, serviços de saúde, segurança e vigilância, delivery exclusivo para entrega de produtos de alimentação pronta, comunicação e situações comprovadas de urgência e emergência.

A motivação para restrições é que os dados dos órgãos de saúde comprovam a necessidade de manter o distanciamento social.  Até o momento, a capital contabiliza 11.415 casos e 498 mortes desde o início da pandemia, de acordo com dados do painel epidemiológico da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Ônibus circulam sem aglomerações nesta quarta-feira (08)

Foto: Ascom Strans

O primeiro dia da volta do transporte público na capital teve ônibus circulando sem aglomerações. Na manhã desta quarta-feira (08), 14 fiscais da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) acompanharam o cumprimento da frota estipulada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e o percurso dos veículos desde a saída das garagens, às 4h.

Os 14 fiscais se dividiram entre as zonas da cidade para verificar o uso obrigatório de máscaras dos operadores e passageiros, cumprimento da frota estipulada pelo TRT, sanitização dos veículos e o percurso estabelecido no formato radial (bairro para o Centro).

O gerente de fiscalização da Strans, Pedro Moura, relata que não foram verificadas lotações durante toda a manhã desta quarta-feira e alerta para que a população utilize o transporte somente em situações essenciais. “Nesta manhã não verificamos lotações nos horários de pico, 6h às 9h, em que tivemos disponíveis 70% da frota. Esperamos que a movimentação se mantenha assim nesta primeira etapa de reabertura gradual do comércio e que a população só utilize o transporte coletivo para serviços essenciais e abastecimento pessoal”, enfatiza.

Sanitização

Além da sanitização das estações de embarque e desembarque de passageiros e paradas de ônibus de competência da Strans, está sendo feita também a higienização dos veículos ao final de cada viagem nas paradas finais dos bairros. Já no final de cada turno, durante a noite, o Setut é responsável pela sanitização dos ônibus nas garagens. 

Veículos cadastrados pela Strans atenderão trabalhadores de serviços essenciais no feriado desta sexta-feira (29)

Os veículos cadastrados pela Superintendência Municipal Transportes e Trânsito (Strans) atenderão aos usuários do transporte coletivo que atuam nos serviços essenciais durante o feriado de Corpus Christi, que acontece nesta sexta-feira (29). Em virtude da pandemia da Covid-19, o feriado celebrado no dia 11 de junho, foi antecipado.

Os ônibus e vans cadastrados no início do mês de maio pela Strans vêm garantindo o atendimento aos usuários, mesmo com a paralisação do transporte público pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários (Sintetro).

O superintendente da Strans, Weldon Bandeira, explica que o cadastro foi uma medida de planejamento dentro da logística de funcionamento do transporte público. “Durante a paralisação, os 54 veículos cadastrados têm sido fundamentais para garantir a permanência do atendimento aos usuários de serviços essenciais da cidade. O cadastro foi feito para solucionar as demandas mais urgentes em momentos de maiores necessidades”, ressalta.

Pesquisa aponta perfil de usuário do transporte público na pandemia

Uma pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), entre os dias 13 e 14 de abril, revela que 55,7% de pessoas que precisam sair de casa para trabalhar, mesmo com o isolamento social, são mulheres. A maior parte delas atua em setores considerados essenciais.

Para realizar o levantamento, foram aplicados 125 questionários nos oito Terminais de Integração espalhados pela cidade (Bela Vista, Buenos Aires, Itararé, Livramento, Parque Piauí, Rui Barbosa, Santa Lia e Zoobotânico), no período de 6h às 8h da manhã, os quais tinham como objetivo observar o comportamento de pessoas que continuam precisando se locomover diariamente pela cidade.

Segundo os dados levantados, 88% dos entrevistados precisam sair de casa, pelo menos uma vez na semana, para cumprir jornada de trabalho, 60,8% dos quais são do setor privado. Desse total, 45,5% dos pesquisados revelaram que precisam sair para trabalhar diariamente, e apenas 17,6% são do setor público.

Outro dado que chamou bastante atenção é que 30,4% dos entrevistados eram pessoas entre 36 e 50 anos, grupo bastante atingido pelos efeitos provocados pelo vírus. A pesquisa apontou também que alguns destes trabalhadores não atuam em áreas consideradas essenciais, o que pode contribuir com a facilitação do contágio na capital.

De acordo com o secretário da Semdec, Raul Ferraz, a pesquisa vai ajudar o poder público municipal a entender por que ainda há uma parcela considerável de pessoas que precisam sair de casa. “O levantamento nos fez perceber que muita gente, em especial as mulheres, precisa sair de casa para trabalhar. O que preocupa é que uma parcela dos entrevistados não precisaria estar nas ruas, enquanto outros são completamente necessários por atuarem em setores considerados essenciais”, explica.

Para o coordenador da pesquisa, Eneas Barros, que é coordenador de Turismo da Semdec, os dados servirão para que a Prefeitura de Teresina possa adotar medidas espelhadas no comportamento das pessoas. “As pesquisas retratam momentos e situações específicas, servindo como balizamento para a tomada de decisões. Ao ouvir a opinião do passageiro de transporte coletivo, a Prefeitura de Teresina pode adotar medidas espelhadas na mobilidade urbana dessas pessoas, levando a atos fundamentados pelos números, que com certeza trarão maiores benefícios sociais na luta contra o avanço do coronavírus em nossa cidade”, esclarece.

Strans mantém frota de ônibus de acordo com demanda de usuários

Os terminais de integração de Teresina continuam funcionando para atender a quem realmente necessita se deslocar pela cidade. Conforme a demanda, os profissionais nos terminais estão coordenando o fluxo de veículos e de pessoas. Na próxima terça-feira, 24, terá reunião com representantes dos consórcios de ônibus para avaliar o serviço de transporte de passageiros.

A Superintendência Municipal de Transportes e Transito (Strans) mantém o funcionamento desse serviço, apesar do decreto municipal da ultima sexta-feira, 20, de fechamento de estabelecimentos comerciais, como bares, restaurantes e a não realização de festas, entre outros. A recomendação é que as pessoas permaneçam em casa.

“A administração dos terminais observa a demanda de passageiros e faz os ônibus circularem porque temos que atender a população que necessita. Na última sexta-feira já havia uma redução de passageiros de cerca de 60% e deve se reduzir ainda mais após o decreto”, explica o superintendente da Strans, Weldon Bandeira.

Teresina terá 100 novos abrigos de passageiros para usuários do transporte coletivo

Ascom/Strans

Bairros de todas as zonas de Teresina e também o Centro serão atendidos com 100 novos abrigos para usuários dos ônibus. Na construção destes espaços, a Prefeitura de Teresina vai empregar recursos próprios da ordem de R$ 2,4 milhões. O processo está na fase de licitação e, quando concluído, será contratada empresa para que a construção aconteça nos próximos meses.

A estrutura dos abrigos é de aço galvanizado, que oferecem mais resistência às intempéries e tem espaço específico para cadeirantes, banco e estrutura coberta.

O superintendente da Strans, Weldon Bandeira, ressalta que é um investimento da política de desenvolvimento urbano de Teresina e que os abrigos estão conforme as necessidades da população. “São três modelos de abrigos diferentes em suas dimensões para melhor adequação a cada situação do espaço da área de calçadas e proporcionar mais conforto para os usuários. Irá beneficiar grande parte das avenidas e ruas de Teresina, declara.

O engenheiro José Lopes, da Gerência de Engenharia de Tráfego, informa que muitos locais onde serão instalados os novos abrigos são para atender as solicitações da comunidade. “Recebemos solicitações para instalações de abrigos, pois temos um clima muito quente e as paradas precisam oferecer o conforto de um espaço coberto e com adequação para atender também os deficientes físicos”, adianta.

Reajuste da tarifa de ônibus será abaixo da inflação e valor fica R$ 4,00 inteira

O prefeito Firmino Filho assinou nesta sexta-feira (31) o decreto que definiu o novo valor da tarifa de ônibus em Teresina. A passagem inteira será R$ 4,00 e a estudantil, de R$ 1,35.  O reajuste foi de 3,89%, índice abaixo da inflação, que ficou em 4,31%, e menor que o valor da planilha apresentada ao Conselho Municipal de Transporte. Os novos valores passam a vigorar a partir desta segunda-feira (3) de fevereiro.

O decreto ressalta que o reajuste foi necessário para manter o equilíbrio do sistema de transporte coletivo. Em reunião realizada esta semana, o Conselho de Transporte havia analisado o estudo tarifário do transporte público, que apontou a necessidade de um reajuste no percentual de 9,59%, o que elevaria o valor da passagem inteira para R$ 4,22, e para R$ 1,40 a de estudante.

O superintendente municipal de Transportes e Trânsito, Weldon Bandeira, explica que o valor da tarifa do transporte coletivo em Teresina poderia ser menor se houvesse, por parte do Governo do Estado, a isenção do ICMS sobre os combustíveis e do IPVA sobre os veículos.

A passagem poderia ser algo em torno de R$ 3,60 se acontecesse o mesmo que em outros lugares, onde existe a isenção de ICMS, que aqui é de cerca de 31%. Os custos dos combustíveis representam cerca de 25% do preço da tarifa. Em Teresina, os valores com mão de obra, juntamente com os encargos, compõem cerca de 50% do preço da tarifa. Em outras cidades, esse custo está, em média, em torno de 38%”, afirmou.

Ele informa que, em 2019, a Prefeitura de Teresina subsidiou o custo do sistema com aproximadamente R$ 8,2 milhões. “Lembramos que os estudantes presentam 26,77% do total de pagantes e ainda têm a gratuidade,  que é de 15,29%”, acrescentou.

Os dados do parecer técnico apresentados ao Conselho Municipal de Transporte de Teresina especificam a inflação acumulada no ano, que foi de 4,31%, INPC de 4,48% e a variação do preço do litro do diesel acumulado em 2019, que foi de 10,56%.  Além desses índices que entram nos custos da planilha, tem sido verificada uma queda de cerca de 10% na quantidade de passageiros no sistema.

Clique aqui para ver o decreto.

Emissão do Passe Livre cresce 200% e chega a quase 8 mil novos cartões em 2019

Ascom/Semcaspi

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) expediu 7.854 cartões para usuários que solicitaram a primeira via do Passe Livre Municipal em 2019, um crescimento de 200% em relação ao ano anterior. O cartão concede a idosos e pessoas com deficiência o benefício de gratuidade no sistema de transporte coletivo de Teresina, instituído pelo Decreto nº 5.559/2003 e pela Lei Municipal nº 3.444 de 2002.

Segundo a Divisão de Cidadania da Semcaspi, foi registrado um total de 11.471 emissões em 2019, somente de primeira via foram 5.528 para idosos e 2.326 para pessoas com deficiência. Já os atendimentos para emissão da segunda via do cartão somaram 3.617 usuários.

“É uma satisfação saber que a população que tem direito a este benefício está buscando a emissão do cartão, visto que são famílias carentes financeiramente e precisam deste auxílio, sobretudo para cuidados de saúde. Mas é importante alertar para o uso correto para que não tenha o cartão bloqueado”, afirmou o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira.

A representante da Divisão de Cidadania, Larissa Rêgo, atribuiu o aumento das emissões dos cartões Passe Livre a maior divulgação da informação sobre o benefício e a aproximação dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) com a população.

“Esse crescimento no número de emissões com relação a 2018 foi possível por conta do trabalho dos CRAS, que está bem próximo da população descentralizando os serviços socioassistenciais do município e também divulgando informações sobre o benefício”, explicou.

Além da emissão, a Semcaspi tem se preocupado com as demandas apresentadas pelos usuários quanto ao uso do cartão. Houve a denúncia de que os cartões estavam sendo bloqueados pelo Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina (SETUT). Para resolver a situação, a secretaria se reuniu com o Sindicato, Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Teresina (CONADE-TE), Associação dos Deficientes Físicos de Teresina (ADEFT) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PI). Ao final do encontro, o SETUT se comprometeu a desbloquear todos os cartões bloqueados de pessoas com deficiência.

Como adquirir

Para adquirir o Passe Livre Municipal, o interessado pode comparecer a uma das 19 unidades dos Centros de Referências da Assistência Social (CRAS) da capital apresentando RG, CPF, comprovante de residência e laudo médico que comprove deficiência, se necessário. Se o solicitante preenche aos requisitos necessários para obter o benefício, o agente social realiza o agendamento para emissão do cartão eletrônico na sede da Semcaspi, que fica localizada na Rua Álvaro Mendes nº 861 Centro (Sul).

Tem direito ao benefício: usuários com 65 anos ou mais e pessoas com algum tipo de deficiência, seja física, auditiva, intelectual ou mental, visual ou múltipla que sejam comprovadamente carentes financeiramente.