FMS amplia para 25 a quantidade de UBSs que atendem síndromes gripais

Teresina conta agora com mais duas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para atender, de forma exclusiva, pacientes com sintomas gripais leves. Elas estão localizadas nos bairros Mafrense e Parque Brasil. Agora são 25 unidades com esse tipo de assistência e que tem funcionamento diário das 7h às 19h, sendo sete UBSs situadas na zona norte, oito na zona sul, seis na zona leste e quatro na zona sudeste.

A ampliação das UBSs é mais uma estratégia do município para enfrentamento da Covid-19. “A iniciativa contribui para diminuir aglomerações nesses estabelecimentos e facilita o acesso dos usuários aos serviços de saúde”, afirma o diretor de Atenção Básica da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Kledson Batisa.

Quem apresentar sintomas leves da Covid-19 pode se direcionar a uma das 25 UBSs, a exemplo de febre, tosse, dor de cabeça, dor muscular, perda do olfato e do paladar, corrimento nasal, diarreia e dor de garganta. “Se o usuário apresentar, pelo menos, duas dessas manifestações clínicas, o quadro é considerado leve”, afirma o médico infectologista Walfrido Salmito.

Nessas 25 UBSs os médicos, utilizando equipamentos de proteção, avaliam cada caso e tem autonomia para tomar a conduta necessária, baseado no seu conhecimento técnico. Ele pode fazer orientações médicas, prescrever medicamentos, indicar isolamento domiciliar ou mesmo encaminhar o paciente para hospitais.

Em Teresina há ainda 65 UBSs que estão atendendo pessoas com problemas básicos de saúde que não sejam gripais. Ali, são ofertadas consultas médicas e de enfermagem, sem necessidade de agendamento. Os serviços de coleta de exame, vacinas, curativos, trocas de sonda e entrega de medicamentos também permanecem funcionando.

 

Projeto “Acolher: Conte Comigo” inicia nesta segunda (2) em unidades de saúde

Começou nesta segunda (2) o trabalho dos estudantes que fazem parte do projeto “Acolher: Conte Comigo”. A ação propõe levar um acolhimento humanizado às Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e às Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital.

A pauta tem como foco a definição conceitual do termo “acolhimento”, que consiste em desenvolver atitude de disponibilidade interna para com o outro, possibilitando o diálogo e a compreensão mútua.

“Os benefícios do trabalho acontecem nas três vias, uma vez que, além do aumento na satisfação por parte do usuário, as unidades terão seu atendimento facilitado e resolutividade potencializada. Os próprios estagiários poderão ter um contato mais íntimo com a realidade do Sistema Único de Saúde (SUS), o que contribuirá para a atuação como profissionais no futuro”, diz Charles Silveira, presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

A seleção dos estudantes se deu no início deste mês de agosto e foi executada pela Gerência de Desenvolvimento de Pessoas da FMS, mediante análise do Histórico Escolar com base no Índice de Rendimento Acadêmico – IRA. O contrato foi de um ano a contar da publicação do ato de homologação do resultado no Diário Oficial do Município e não haverá prorrogação.

Após a contratação, os estudantes passaram por uma capacitação, onde puderam aprender mais sobre a Política Nacional de Humanização do SUS e suas diretrizes para o acolhimento. Os contratados farão jus a uma bolsa-auxílio de R$ 500,00 (quinhentos reais) mais auxílio-transporte e trabalharão em turnos de quatro horas, das 7h às 11h ou das 13 às 17h, nas UBSs e das 7h às 11h, 11h às 15h ou 15h às 19h, nas UPAS.

Encontro discute fortalecimento e viabilização de terceiro turno nas UBSs de Teresina

Discutir propostas para o aprimoramento da Atenção Básica em Saúde e os desafios para um atendimento acolhedor, integral e resolutivo é o objetivo do Encontro Municipal para o Fortalecimento da Atenção Básica, que acontece nesta quinta-feira (29) no auditório da Fundação Municipal de Saúde (FMS). Entre outras pautas, será discutida a viabilização de um terceiro turno nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), que passariam a funcionar também no turno da noite.

O encontro, que faz parte das comemorações do aniversário de Teresina, conta com a participação de Otávio Pereira D’ Avila, diretor do Departamento de Saúde da Família da Secretaria de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde. Segundo ele, a Atenção Básica é a principal prerrogativa do Governo Federal, que tem planos de implementar mudanças estruturais e dar prioridade orçamentária. “O Programa Saúde na Hora visa estender o horário de funcionamento das UBS para o turno da noite. Vamos apresentar a proposta e discutir possibilidades de readequação de rede. Também vamos apresentar outras agendas do Ministério da Saúde, reformas importantes como a própria questão do financiamento da atenção primária. A ideia é colocar mais recurso ainda, pagar muito mais por desempenho e por resultados alcançados”, disse o diretor.

Antes mesmo do lançamento do programa, a Prefeitura de Teresina já estava realizando estudos para ampliação do horário de atendimento nestas unidades. O projeto piloto prevê a abertura de oito UBSs das 17h às 21h, ampliando a jornada total para 60 horas. “Entendemos que as UBSs que devem abrir no período noturno são as mais distantes dos hospitais existentes na cidade. Nós temos 11 hospitais e três UPAs, então é importante que as unidades abertas sejam aquelas onde por perto não tem hospital. Estamos negociando com o Ministério da Saúde que lógica vamos adotar, se adotamos esta lógica local e ao mesmo tempo garantindo que o financiamento federal possa existir também”, conta o prefeito Firmino Filho.

O município de Teresina, de acordo com dados da Secretaria de Atenção Primária à Saúde, possui população de 861.442 habitantes com cobertura de 100% de atenção básica, organizada em quatro regionais de saúde a fim de facilitar o processo de gestão e organização das equipes. Atualmente, 35% do orçamento municipal de Teresina é gasto com saúde. São 264 equipes distribuídas em 90 UBSs em todas as zonas da cidade.

O presidente da FMS, Charles Silveira, apontou alguns indicadores do investimento feito na saúde municipal. “Primeiro, a requalificação dos profissionais que atuam nas UBS, que nós estamos fazendo em parceria com a UFPI. Segundo, a requalificação de nossas unidades, com construções e adaptação para que seja prestado um serviço de qualidade para que nossos trabalhadores possam trabalhar em ambientes compatíveis e necessários para um bom atendimento. Por fim, o fortalecimento da atenção básica, pela qual estamos tendo hoje esta interlocução com o Ministério da Saúde”, afirma o presidente.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a atenção básica é um serviço eficaz e age sobre as principais causas de problemas de saúde e riscos ao bem-estar, lidando com os desafios emergentes que ameaçam a saúde das pessoas, constituindo a principal porta de entrada no Sistema Único de Saúde.