Prefeitura de Teresina promove evento para testar soluções digitais na melhoria do transporte público

A Prefeitura de Teresina, através do departamento Agenda Teresina 2030, vinculado à Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), promoverá entre os dias 20 e 22 de setembro, o evento Urban Hackton Teresina 2030. O evento tem a proposta de utilizar técnicas do urbanismo tático para oferecer aos usuários do transporte público de Teresina a oportunidade de testar soluções digitais que visam a melhoria do sistema.

Essas soluções estão em desenvolvimento e foram escolhidas através de um processo de inovação aberta do projeto Euroclima+ Observatório do Transporte (https://observatoriodotransporteteresina.org/). Outra parceira para esta maratona é a iniciativa Urban95 (https://urban95.org.br/), da qual Teresina faz parte, que apoia cidades no exercício de pensar políticas públicas para a primeira infância.

O evento terá início às 8h e ocorrerá na Praça Marechal Deodoro da Fonseca, Centro de Teresina. As inscrições podem ser feitas no link disponibilizado pela Agenda 2030(

https://www.eventbrite.com.br/e/urban-hack-teresina-2030-tickets-169496367197?ref=estw) e ocorrem até o dia 15 de setembro.

“Essa já é a terceira edição do Urban Hackton Teresina 2030. Temos uma expectativa positiva para este evento e acreditamos que nos trará uma oportunidade única de testar soluções inteligentes para nossa cidade, proporcionando mais diálogo e troca de conhecimento. Além de melhores resultados”, explica Cínthia Bartz, coordenadora da Agenda Teresina 2030.

A iniciativa conta com palestras e discussões sobre urbanismo, mas abrange também outras áreas do conhecimento, sendo possível que estudantes de áreas correlatas também possam participar do evento. “Eventos como este são importantes para criar uma consciência de sustentabilidade nesse grupo e proporcionar desenvolvimento que serve não apenas para nossa geração como também para as futuras“, conclui Cíntia.

Semplan promove evento sobre urbanismo e gestão pública

A Secretaria Municipal de Planejamento realizado no próximo sábado (19), às 8h30, o “Café da Agenda”, evento online da Prefeitura de Teresina com uma série de palestras abordando temas como sustentabilidade, mudanças climáticas e outros tópicos relacionados ao urbanismo e ao planejamento urbano de Teresina. A participação será totalmente gratuita e as inscrições podem ser feitas através do link bit.ly/cafedaagenda.

O evento é organizado pela Agenda Teresina 2030, departamento da Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan) responsável por projetos relacionados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. Esta é a segunda edição do Café da Agenda, que aconteceu também em 2019. Este ano, por conta da pandemia de Covid-19, as palestras serão transmitidas através da plataforma Zoom, popular ferramenta de reuniões por videoconferência.

Entre os palestrantes, pode-se destacar a presença do Professor Pepijn Verpaalen, coordenador do departamento de Urbanismo da Universidaed Fontys, da Holanda, que irá falar sobre como as mudanças climáticas afetam mais as mulheres e meninas ao redor do mundo; e a mestre em Psicologia social, Cláudia Vidigal, com ampla experiência em políticas públicas para a infância e que tratar do uma Cidade para Crianças.

“Por ser um encontro virtual, foi possível reunir um grande número de convidados que, mesmo que não estejam em Teresina, fazem parte de importantes projetos para o desenvolvimento sustentável da cidade”, afirma Mariana Fiúza, urbanista da Agenda Teresina 2030.

Além das palestras, serão também apresentados os resultados de projetos realizados pela Agenda Teresina 2030. Um deles é o programa de resiliência urbana em parceria como a ONU – Habitat, relacionado às vulnerabilidades da cidade e como combatê-las. Outro projeto que será destaque é o Mulheres pelo Clima, que aborda a mudança climática sob um viés de gênero.

“O objetivo desse evento é compartilhar com todos os moradores de Teresina a forma como a Prefeitura tem se preparado para o futuro, agindo no presente, e também compartilhar informações importantes sobre nossa cidade, suas forças e vulnerabilidades”, conclui Mariana.

Praça da Bandeira receberá projeto-piloto de arquitetura

Renato Bezerra

 

A Praça Marechal Deodoro da Fonseca, mais conhecida como Praça da Bandeira, será renovada através de projeto de arquitetura e urbanismo. O local será contemplado com projeto-piloto a ser executado por meio de um termo de cooperação técnica firmado entre a Prefeitura de Teresina e o Departamento do curso de Arquitetura da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Em reunião na tarde desta quinta-feira (25), na sede da vice prefeitura, o prefeito Firmino Filho recebeu os representantes da UFPI para apresentação de detalhes sobre a parceria, que propõe a elaboração e execução de projetos arquitetônicos em todas as zonas da cidade.

“Essa pactuação é fundamental, porque Teresina possui uma demanda muito grande de qualificação dos espaços urbanos. Todos os novos arquitetos poderão aprender praticando, mostrando suas versões da cidade, e melhorando áreas de grande importância para os teresinenses”, afirmou o prefeito Firmino Filho.

O projeto-piloto será concretizado com base em pesquisa realizada pela professora Nadja Rocha, que adotou a Praça da Bandeira como objeto de estudo na sua dissertação de mestrado. “Ouve muita pesquisa, simulação computacionais, pesquisas feitas a nível de usuário da Praça, e eu sempre quis que todo esse material produzisse algo maior que uma dissertação, que tomasse forma. Este projeto é um ponto de partida, dele sairão outros que conseguiremos dar maior visibilidade”, destacou.

A ideia inicial da parceria é que a Prefeitura apresente as solicitações de projetos variados que beneficiem a cidade e que a UFPI, através do laboratório escola do curso de Arquitetura, aponte as soluções por meio de estudos e pesquisas dos alunos e docentes.

“A união entre as instituições possibilita a inserção dos alunos neste processo. Eles aprenderão sobre projetos de Arquitetura e Urbanismo e colocarão em prática todo conhecimento adquirido em sala de aula no estágio no escritório escola”, acrescentou a professora Nadja Rocha.

Rômulo Marques, ex aluno da UFPI e arquiteto da SDU Centro Norte, comenta que a universidade tem uma produção gigante de projetos que podem sair do papel. “Nosso objetivo é unir as duas demandas. Será um casamento de uma instituição que tem a necessidade, com outra que tem uma mão de obra e uma equipe para realizar”, disse.