Firmino defende separação do ISS do projeto de Reforma da Tributária em reunião com Paulo Guedes

Em conversa com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o prefeito Firmino Filho, que é vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), defendeu a separação do Imposto Sobre Serviços (ISS) do projeto da Reforma Tributária. O assunto foi tratado em reunião por videoconferência com a participação de outros representantes da FNP, nesta sexta-feira, 07. A divisão era uma demanda dos prefeitos de todo o país, por entenderem a importância da manutenção do imposto aos municípios como gerador de receitas.

Segundo o prefeito Firmino Filho, a economia das cidades está cada vez mais baseada na prestação de serviços, muitos deles mais sofisticados e com valor agregado. “O nosso entendimento é que o ISS é um imposto de potencial fantástico. Se os municípios abrirem mão, a rigor, estarão abrindo mão de receita futura, o que seria uma irresponsabilidade. A União já deixou claro que não irá compensar nenhum ente federativo por eventuais perdas. Para nossa surpresa, o ministro concordou com o nosso pleito e manifestou apoio explícito à nossa demanda. Ganhamos um aliado importante nessa discussão”, pontuou.

Ele explicou que a estratégia do Ministério da Economia é fazer a unificação dos impostos de forma gradual para evitar conflitos mais graves entre os entes federados. “A proposta é unificar, inicialmente, os impostos federais e depois acoplar os Estados e iniciar o processo de negociação com os municípios. O que deu para entender é que essa é uma estratégia gradual, mas segura. Essa discussão do ISS ficará fora da agenda de discussões nessas primeiras rodadas”, completou o prefeito.

O Ministro Paulo Guedes destacou que a indexação seria um desastre para o Brasil. “A vinculação obrigatória dos recursos é um equívoco e explica bem a necessidade de um novo Pacto Federativo. Estou comprometido com um novo formato, uma pirâmide em que as decisões ocorram de baixo para cima. A gente sente que os prefeitos estão com o futuro na mão, porque são serviços. O ISS é serviços. Você tá no meio de recessão e vai abrir mão desse dinheiro?”, afirmou.

A Frente Nacional de Prefeitos levou também as discussões relacionadas à educação. Os prefeitos querem que as despesas empenhadas em 2020 possam ser incluídas como gastos de educação. Isso porque, com a pandemia, as aulas foram suspensas e, por isso, muitas das despesas não foram realizadas. Isso dificulta que os municípios cheguem aos 25% determinados pela Constituição. “Não vamos deixar de fazer o investimento em educação. O pedido é apenas que, o que não foi cumprido no exercício de 2020, seja pago em anos posteriores. Isso seria uma excepcionalidade do ano de 2020”, pontuou Firmino Filho.

Na reunião com o ministro, o prefeito defendeu ainda um apoio do Governo Federal para financiar o transporte público. Segundo ele, o setor já vinha sofrendo queda de receitas por conta de diversos fatores, como a redução no número de passageiros, o que se agravou com a pandemia. “O transporte público está em crise há décadas e agora a queda foi brutal. Um aporte de recursos seria fundamental para manter o funcionamento do sistema e também evitar que o transporte público venha ser um vetor de aglomerações no país”, defendeu, citando o projeto de Lei 3364/2020 e a emenda 23 que tratam do assunto.

Outro ponto discutido no encontro foi a suspensão do pagamento de precatórios para esse ano, o que necessitaria de uma medida legislativa que garantisse uma segurança jurídica aos municípios.

Balé da Cidade de Teresina estreia “Morada”

Entre os dias 30 de julho e 02 de agosto, às 16h30, o Balé da Cidade estreia “Morada”, uma experiência em vídeo criada pela artista da dança e coordenadora artística da Companhia, Janaína Lobo. O espetáculo será transmitido pela plataforma de videoconferência Zoom, ao vivo.

““Morada” é uma casa imaginária, construída e mostrada a partir da manifestação da intimidade de cada bailarino, assim como um quebra-cabeça com diversas possibilidades de se montar. É sobre o lugar onde sempre vivemos e voltamos, a nossa casa”, diz a coordenadora.

A apresentação será dividida em quatro episódios: “Plantas e Furações”, “Ainda Sonhamos Enquanto Vivemos?”, “Um Vôo Azul” e “Extrapolar as Paredes”. Os episódios são autônomos, e o espectador poderá escolher quais quer assistir. 

“Estamos vivendo um momento atípico e todos tivemos de nos adaptar a ele. O Balé da Cidade, mesmo tendo um trabalho que sempre foi voltado para o presencial, não deixou de ensaiar e criar neste período de isolamento social. E “Morada” é um acontecimento em dança criado e performando ao vivo”, explica Janaína.

Os ingressos estão disponíveis no Sympla e, ao comprar, o público estará ajudando os grupos Cultura Solidária e Diverse Grupo, respectivamente, organizações filantrópicas que apoiam artistas e pessoas LGBTQI+ afetados pela pandemia. Os interessados devem acessar o link: https://www.sympla.com.br/morada-bale-da-cidade-de-teresina__899427.

“O acesso ao trabalho é via contribuição voluntária. O que for arrecadado com a venda dos ingressos será destinado a instituições filantrópicas voltadas para auxiliar pessoas em situação de vulnerabilidade e estão desassistidas e sem renda devido a pandemia. São várias faixas de contribuição que o público escolhe ao adquirir o seu ingresso”, diz Janaína.

 Sobre a Companhia

O Balé da Cidade de Teresina é uma companhia pública de dança Contemporânea que vem atuando no cenário artístico local e nacional, contribuindo com o desenvolvimento e aprofundamento da dança piauiense. Vem aproximando a dança da cidade através da sua atuação compromissada em diferentes ações, como temporadas de apresentações públicas, conversas e formação continuada.

O Balé da Cidade de Teresina conta com 18 bailarinos e é mantido pela Prefeitura Municipal de Teresina, através da Associação dos Amigos do Balé da Cidade de Teresina. Tem direção geral de Chica Silva, coordenação artística de Janaína Lobo e ensaios de Carla Fonseca.

FMS promove amanhã (23) videoconferência para conscientização sobre Hepatites Virais

Em todo o Brasil, o mês de julho é marcado pela campanha de conscientização das Hepatites Virais. Em Teresina, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) promove videoconferência sobre vigilância e manejo das hepatites virais. A reunião virtual acontece nesta quinta-feira (23), a partir das 16h. A transmissão será pelo YouTube, na página DAB FMS Teresina.

A reunião tem como objetivo alertar a população, além de promover ações para intensificar a prevenção e o controle das hepatites virais em Teresina. A programação conta com a participação do Dr. Eric Basseti, membro da Sociedade Brasileira de Hepatologia, que apresentará a aula de epidemiologia e diagnóstico das hepatites virais B e C.

A enfermeira responsável pela Vigilância das Hepatites Virais da FMS, Marilene Oliveira, ressalta que durante todo o ano são realizadas ações educativas e de prevenção das hepatites virais, e no mês do Julho Amarelo os trabalhos são intensificados. “Neste ano, devido a pandemia, faremos uma reunião virtual, que além da participação de um especialista, também terá a contribuição de infectologistas da FMS. Será um momento de esclarecer informações e alertar a população para a importância sobre o assunto”, explica.

As hepatites virais são responsáveis por aproximadamente 1,4 milhões de mortes anualmente no mundo, sendo um grave problema de saúde pública no Brasil. Existem cinco tipos identificados de hepatite: A, B, C, D e E. As dos tipos A e E só se manifestam de forma aguda, e o paciente elimina o vírus do organismo depois da crise. Mas os tipos B, C e D podem se tornar crônicos e pedem mais atenção dos órgãos de saúde no mundo.

O Dr.Kelsen Eulálio, infectologista da FMS, é um dos mediadores da videoconferência e alerta sobre os perigos das hepatites virais. “No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. É uma infecção que atinge o fígado, causando alterações leves, moderadas ou graves. Na maioria das vezes são infecções silenciosas, ou seja, não apresentam sintomas, o que reforça a necessidade de ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam os vários tipos de hepatites”, informa.

Em Teresina, os ambulatórios públicos especializados para o atendimento em hepatites virais são o Lineu Araújo e o Hospital Universitário. O Núcleo de IST/ Aids e Hepatites Virais também realiza ações de testagem em instituições, além da distribuição do uso do preservativo para a população.

Clique aqui para assistir a videoconferência.

Semcaspi conversa com líderes comunitários sobre o Programa Teresina Solidária

Ascom/Semcaspi

Representantes da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) participaram na tarde desta terça-feira (09), de uma reunião por vídeochamada com os presidentes das associações de moradores dos bairros localizados nas zonas Sul e Norte de Teresina para tirar dúvidas sobre a nova etapa do programa Teresina Solidária. O encontro on-line foi um pedido das próprias associações para que todos tivessem a oportunidade entender como funciona o sistema de cadastramento e o processo de análise por parte dos técnicos da Semcaspi.

A secretária Janaína Carvalho explicou que o encontro serviu para otimizar toda a estratégia de atendimento às famílias que necessitam receber o benefício do município e que novas reuniões serão agendadas para que sejam feitas avaliações semanais das entregas.

“A tecnologia é uma importante ferramenta que tem nos ajudado a atender a demanda das famílias que precisam ter acesso aos benefícios nesse tempo da pandemia do novo coronavírus. Tivemos essa oportunidade de esclarecer as dúvidas dos líderes comunitários que receberão todo o suporte da Semcaspi para cadastrar o número permitido de famílias necessitadas”, disse a secretária.

De acordo com o líder comunitário do bairro Santa Fé, Iratan Araújo, a nova metodologia de entrega das cestas básicas do Teresina Solidária reforça a parceria firmada entre Semcaspi e os presidentes das associações no atendimento às famílias que tiveram dificuldades no acesso aos benefícios disponibilizados por outros órgãos.

“A gente conseguiu externar e esclarecer todas as dúvidas do projeto e abrir esse canal de diálogo para que a avaliação seja feita da forma mais transparente e mais próxima possível do cidadão. Ficamos satisfeitos com essa metodologia adotada no projeto”, explicou o líder comunitário.

Nesta nova etapa, o Programa Teresina Solidária organiza a distribuição de 36.600 cestas básicas a associações de moradores e também para algumas categorias de autônomos que não foram contempladas, como motoristas de aplicativos e artesãos. Na primeira etapa, foram distribuídas 11.409 cestas básicas. A distribuição será feita através das 732 associações de moradores cadastradas no banco de dados do Orçamento Popular de Teresina.

Cada associação, através de seu representante, poderá efetivar o cadastro de 50 famílias em situação de vulnerabilidade que ainda não foram contempladas por este benefício e que se enquadram nos critérios para o recebimento da cesta básica. Conforme a legislação do Sistema Único da Assistência Social – SUAS, podem ser beneficiadas famílias que declarem estar sem nenhuma renda contínua e fixa no momento; famílias que nenhum de seus membros tenha sido beneficiado pelo auxílio emergencial do Governo Federal.

A solicitação da cesta básica pode ser feita através do cadastro disponível no site da Prefeitura [http://sts.pmt.pi.gov.br/app/login.php]. O acesso ao cadastro pede usuário e senha. O usuário é o CPNJ da instituição e a senha é o conjunto dos quatro primeiros números do CNPJ. Para mais informações, as entidades podem entrar em contato com a Semcaspi através do número (86) 3131-4729.

Firmino Filho fala sobre situação da pandemia para conselheiros do Orçamento Popular

O prefeito Firmino Filho se reuniu, nesta quinta-feira (29), através de videoconferência, com conselheiros do Orçamento Popular, para tratar sobre o atual momento de pandemia e expor o cenário em que Teresina está inserida neste momento. O gestor recebeu apoio dos conselheiros em relação às ações já executadas na capital e respondeu às perguntas feitas por eles.

Sobre a retomada das obras do Orçamento Popular, o prefeito explicou que ainda não há uma data. “Nós só teremos uma retomada das atividades econômicas quando tivermos um cenário seguro para que isso aconteça”, afirmou, explicando que apenas obras emergenciais, essenciais e da área da saúde estão sendo executadas na capital.

Firmino disse ainda que a ideia neste momento é acelerar os projetos e processos licitatórios de obras que estão previstas para Teresina. “Isso é importante para que, quando as atividades retomarem, nós tenhamos um grande número de obras licitadas para iniciarmos, o que ajudará na retomada da economia”, disse.

O gestor apresentou aos conselheiros a situação de Teresina, mostrando dados e gráficos da pesquisa sorológica que vem sendo realizada há algumas semanas na capital. “Os dados nos mostram que estamos em um momento crítico e nas próximas semanas ainda enfrentaremos dias difíceis. Estamos em plena expansão da doença e retornar com as atividades agora seria uma grande irresponsabilidade. Dessa forma, é muito importante ainda que possamos reforçar o isolamento social”, pontuou.

Prefeitura estuda com setores econômicos de Teresina protocolo para retomada de atividades

Depois de ouvir cerca de 25 entidades representativas de trabalhadores e empresários no último mês, a Prefeitura de Teresina iniciou um planejamento para a retomada das atividades econômicas. Nesta terça-feira, representantes do Comitê Gestor de Medidas para Enfrentamento da Pandemia do Coronavírus apresentaram aos vereadores os resultados das primeiras discussões para a elaboração de um protocolo de flexibilização.

O professor Washington Bonfim, membro do Comitê, apresentou aos vereadores a base do planejamento que está sendo elaborado pela Prefeitura de Teresina. “Para o funcionamento dos negócios, é necessário pensar na segurança da população, que tem sido a preocupação fundamental do prefeito. E o principal trabalho do Comitê tem sido essa conversa com a sociedade para sejam criados protocolos específicos para as diversas categorias.  Já dialogamos com mais de 20 categorias, e a ideia é que cada setor desenvolva seu plano de segurança de abertura, pois para abrir a atividade econômica para o novo normal é essencial ter também uma nova forma de se relacionar nas atividades comerciais”, afirmou.

Bonfim explicou que alguns eixos deverão ser levados em consideração na criação do protocolo de abertura das atividades. “Questões como distanciamento social, higiene pessoal, limpeza e higienização de ambientes, comunicação das medidas que estão sendo tomadas, além do monitoramento das condições de saúde dos funcionários são aspectos que deverão ser levados em consideração para garantir a segurança das pessoas”, disse.

Na conversa com os vereadores, foi destacado também que Teresina vive atualmente o distanciamento social ampliado e que a Prefeitura de Teresina tem avaliado as possibilidades do distanciamento social seletivo, que permite a abertura das atividades econômicas. “Quanto mais a gente testar, rastrear e isolar os positivados, mais bem sucedidos seremos na abertura das atividades com segurança. Então, é muito importante continuarmos monitorando a taxa de reprodução do vírus, e a questão da testagem dos trabalhadores, tanto da iniciativa pública quanto privada, é fundamental para que possamos fazer a ampliação de funcionamento das atividades econômicas. E essa transição só será possível quando critérios de segurança forem rigorosamente observados pelas empresas”, informou.

Variáveis como impacto econômico e baixo risco de contaminação dos setores econômicos também estão sendo analisadas para a elaboração do protocolo. “Compartilhamos com todos da ansiedade por um cronograma, mas estamos nos cercando dos cuidados para fazer disso uma experiência bem sucedida. A Prefeitura de Teresina considera a vida das pessoas o seu principal ativo, inclusive do ponto de vista econômico”, acrescentou Francisco Canindé, secretário municipal de Finanças.

A reunião foi conduzida pela líder do prefeito na Câmara Municipal de Teresina, vereadora Graça Amorim. Participaram da discussão, além do professor Washington Bonfim, o secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma, e o secretário municipal de Finanças, Francisco Canindé, que também integram o Comitê Gestor de Medidas para Enfrentamento da Pandemia Coronavírus.

Em conferência, prefeito tira dúvidas de lideranças comunitárias da zona sudeste

Na noite desta segunda-feira (25), o prefeito Firmino Filho conversou, por meio de vídeo conferência, com lideranças comunitárias da zona sudeste da capital e tirou dúvidas sobre as ações adotadas para conter a disseminação do novo coronavírus.

Durante a conversa, os líderes comunitários questionaram o prefeito sobre diversos temas, entre eles a possibilidade de reabertura do comércio e retorno de atividades. Além disso, perguntaram sobre a realidade do número de infectados na capital e o que será feito para evitar ainda mais o crescimento de pessoas contaminadas pela Covid-19.

Firmino destacou que a capital precisa do engajamento de todos teresinenses para conseguir conter o número de casos e, consequentemente, voltar com as atividades normais no intervalo de tempo menor possível. “O empenho dos líderes comunitários torna-se essencial nesta luta que é de todos. À medida que conseguirmos melhorar a situação na nossa cidade, iremos afastar o nosso inimigo invisível que, infelizmente já vitimou muitos dos nossos familiares e amigos”, pontuou o prefeito de Teresina.

Ele tem realizado reuniões por videoconferência com as lideranças, ouvindo as demandas e sugestões para o enfrentamento da doença. Na reunião de hoje destacou ainda as ações de assistência dada às famílias durante a pandemia, bem como a importante da pesquisa sorológica realizada em todos os bairros da capital que tem feito o mapeamento das pessoas infectadas. Firmino apontou que a pesquisa já está em sua sexta etapa e vem mostrando um cenário preocupante em relação ao número de infectados. “Todos os esforços que fizemos até aqui, no sentido de buscar o isolamento social, foi para que pudéssemos reduzir a curva de infecções e também de mortes. O trabalho que vem apresentando resultados positivos, mas não podemos afrouxar. É preciso que cada um possa fazer sua parte, conversando, sensibilizando sua família, seus amigos, sua comunidade. Essa é uma luta que é de todos”, frisou.

O prefeito orientou os moradores sobre o uso do Alô Saúde disponibilizado para pessoas com sintomas leves da Covid-19 ou com outros problemas simples de saúde que podem ser atendidas por telefone na capital. O serviço está disponível através do telefone 0800 291 0084 e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h.

Prefeito se reúne com atacadistas e reforça importância da testagem nos trabalhadores

Em reunião por videoconferência com representantes da Associação Piauiense de Atacadistas e Distribuidores (APAD) nesta quarta-feira (20), o prefeito Firmino Filho reforçou a importância do Decreto Nº19.73, que determina a realização de testes de diagnósticos para Covid-19 em trabalhadores dos serviços essenciais, e se comprometeu em prorrogar o prazo para testagem.

Baseado nos resultados das pesquisas sorológicas, na ocupação de leitos e nos números oficiais de infectados e óbitos de Covid-19 em Teresina, o gestor municipal elencou que o objetivo principal da medida é evitar o crescimento explosivo da doença na cidade, que está em período de ascensão. Segundo a quinta etapa da pesquisa realizada pela Prefeitura, em parceria com o Instituto Opinar, 32.691 pessoas devem estar infectadas.

“Quantos mais testes fizermos e isolarmos os positivos, mais rápido vamos voltar para a atividade econômica, o que vai beneficiar todos nós. Mas precisamos ter a certeza que iremos retornar para um campo seguro. Não podemos ser irresponsáveis com a vida de mais de 860 mil pessoas. Por isso, para voltar a vida normal, temos que fazer o dever de casa, que é reduzir o contágio”, destacou o prefeito.

Durante a conversa, os representantes do setor atacadista tiraram dúvidas sobre alguns aspectos do decreto e explanaram suas dificuldades com relação a compra, custos e operacionalização dos testes. “Alguns testes que estão disponíveis não tem a qualidade ideal e, os custos para cada um de nós é elevado, considerando o momento que estamos vivendo”, disse o empresário Emmanuel Filho.

Em resposta, o prefeito destacou que os empresários devem considerar a relação custo benefício existente na medida de enfrentamento ao coronavírus. “Toda receita tem um custo correspondente. A decisão do empresário sempre deve ser baseada se esse custo vai compensar. Estamos pedindo ao setor privado que se faça um teste mensal para facilitar o nosso retorno. Se continuarmos nesse bom caminho, ampliando a testagem e isolando os casos positivos da doença, vamos sair mais rápido que os outros e a vida vai voltar ao novo normal”, acrescentou.

O prefeito frisou ainda que só pode haver a reabertura da economia quando à taxa de propagação do vírus, denominado de R0 (R-zero) for menor ou igual a um, e no momento esse índice em Teresina cidade está em 1,62%. “Se soubéssemos quem são as 32 mil pessoas infectadas, isolaríamos elas e a doença reduziria em 14 dias, mas como temos informação suficiente sobre quem está positivado, não há como ter um controle da doença”, completou.

Até o momento, de acordo com último boletim epidemiológico de Covid-19, Teresina tem 1.504 pessoas com teste positivo e 45 mortes causadas pelo novo Coronavírus. Os dados são da Fundação Municipal de Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde do Estado (Sesapi).

“O transporte coletivo no Brasil necessita de novas fontes de financiamento”, diz Firmino em videoconferência

O prefeito Firmino Filho participou, na tarde desta quarta-feira (20), de videoconferência na qual foram debatidas soluções para o transporte público e mobilidade urbana durante o enfrentamento da crise causada pela pandemia do coronavírus. A reunião virtual contou com a participação de prefeitos, secretários, deputados, senadores e do secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Jorge da Costa.

Umas das questões abordadas durante a reunião foi a MP 936/2020, enviada à Câmara dos Deputados, que institui o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda, com aplicação durante o estado de calamidade pública, bem como a Emenda 26, que propõe a criação do Programa Emergencial Transporte Social, o qual consiste na aquisição de créditos eletrônicos de transporte (passagens) pelo Governo Federal que poderão ser destinados aos programas sociais do Governo para utilização futura dos seus beneficiários.

Segundo o prefeito Firmino Filho, se faz necessária uma discussão profunda para reinventar o transporte coletivo no Brasil, com novas fontes de financiamento.  “O transporte coletivo vive uma crise secular. Os municípios não têm fonte de subsídios para manter o transporte coletivo e as cidades estão ficando cada vez mais estranguladas pelo transporte individual. Este é um setor que está definhando e que chegamos ao fundo do poço”, disse Firmino.

Para o gestor teresinense, essa é a oportunidade para fazer uma reengenharia do setor. “O transporte coletivo vai continuar sendo deficiente por um tempo até se reposicionar e se reinventar. Precisamos de uma discussão profunda para reinventar o transporte coletivo no Brasil, com novas tecnologias, novas fontes de financiamento, para construir um novo transporte coletivo a partir dessa crise. Precisamos dar um salto qualitativo também no transporte coletivo para que possamos ter mais qualidade de vida nas cidades”, destacou o prefeito.

De acordo com Carlos da Costa, secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, a questão do transporte público é um problema emergencial, mas ao mesmo tempo também um problema de longo prazo. “As soluções de mobilidade urbana são fundamentais para organizar as cidades. Entendemos, portanto, que o transporte público é um problema sério e urgente. Mas, precisamos transformar isso em uma oportunidade. E isso passa por melhorar o marco regulatório e como as concessões são feitas no setor, financiamento, entre outras coisas. Temos que trabalhar nessas soluções e buscar alternativas criativas, afirmou.

Estavam presentes também na reunião virtual Diogo Mac Cord, secretário de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério da Economia; Pedro Maciel Capeluppi, secretário-adjunto de Desenvolvimento da Infraestrutura do Ministério da Economia, Jeronimo Goergem (PP – RS), deputado federal, autor da Emenda 26 da MP 936/2020; Nelsinho Trad (PSD – MS), senador, ex-prefeito de Campo Grande; Rodrigo Tortoriello, presidente do Fórum de Secretários Municipais de Mobilidade Urbana (Secretário de Porto Alegre/RS); Fábio Ney Damasceno, secretário de Estado de Mobilidade e Infraestrutura – Governo do Estado do Espírito Santo; e membros da Diretoria Executiva da NTU (Otávio Cunha, Marcos Bicalho e André Dantas).

Firmino Filho discute medidas de combate ao coronavírus com prefeitos turcos

Investimentos na saúde nos últimos 15 anos e uma atuação coordenada entre o governo central do país e os gestores das cidades estão entre as razões que explicam o sucesso de algumas cidades da Turquia no combate à pandemia do novo Coronavírus. Para trocar experiências com prefeitos turcos, o prefeito Firmino Filho conduziu, nesta quinta-feira (30), uma videoconferência organizada pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

A prefeita de Gaziantep e presidente da União dos Municípios Turcos, Fátima Sahin, conta que em sua cidade as medidas preventivas, traçadas pelo governo central do país, foram adotadas de forma precoce, o que foi primordial para que o município pudesse controlar o avanço da pandemia. “Foram identificados de forma precoce os casos do vírus e tomamos rapidamente medidas de prevenção. Isso fez com que a Turquia tenha hoje um grande número de casos de pessoas que se curaram. Quando as diretivas do governo central começaram a chegar, não perdemos um só minuto”, contou.

Dentre as medidas adotadas no município, a prefeita destaca o cuidado no transporte público, nos quais foi adotado um rígido distanciamento social; a distribuição de máscaras para a população e ainda a medição de temperatura dos cidadãos, em toda a cidade, como na entrada do município, em todo o sistema de saúde, no transporte coletivo, nas feiras, supermercados e entre as equipes de trabalho. “A partir do momento em que é identificada uma pessoa com temperatura alta, encaminhamos para o nosso sistema de saúde”.

O Prefeito de Bursa e presidente da Associação de Cidades Saudáveis da Turquia, Alinur Aktas, destacou como medida importante para conter o avanço do vírus no seu município, o toque de recolher, que é realizado todo final de semana e nos feriados. “No final de semana, as pessoas não podem sair de casa e nós vigiamos isso com a ajuda da polícia e de outros meios que temos para desestimular a saída da população de casa”.

Para ajudar as empresas que sofrem com a crise, o prefeito conta que o governo central lançou uma campanha de solidariedade, que criou um fundo comum usado para manter os negócios que passam por dificuldades neste momento. “Foi uma campanha enorme, em que prefeitos e deputados contribuíram com seus próprios salários”, pontuou.

O prefeito Firmino Filho ressaltou a importância da troca de experiência entre os gestores de todo o mundo na crise provocada pelo Novo Coronavírus. “Foi importante ouvir a experiência de um país que está vencendo essa batalha com liderança forte, levando o isolamento social a sério e respeitando a vida das pessoas”, disse. Também participou da reunião o prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth, que também falou das medidas adotadas na cidade.