Prefeitura reforça orientações sobre descarte de resíduos em período de pandemia

Com a pandemia de Covid-19, uma das dúvidas da população diz respeito ao descarte correto do lixo, em especial de pessoas infectadas pela doença que estão em isolamento domiciliar. Por isso, a Prefeitura de Teresina estabeleceu algumas regras que garantem a segurança da população e também dos trabalhadores envolvidos na coleta domiciliar.

A Vigilância Sanitária de Teresina estabeleceu em seu protocolo que o lixo de pessoas com Covid-19 deve ser descartado de preferência no banheiro, em lixeiro revestido de saco plástico, e com armazenamento reforçado. “Todos os resíduos devem ser colocados em dois sacos plásticos resistentes e bem fechados. Pedimos que eles só sejam preenchidos até atingir a capacidade máxima de 2/3, pois assim ele não fica muito pesado e não corre risco de rasgar”, esclarece a gerente Jeanyne Seba.

Ela orienta ainda que procedimento semelhante também seja tomado pelos outros moradores da casa, pois sempre há o risco de algum deles estar assintomático. “Por isso, também pedimos que as pessoas não descartem as máscaras em via pública. Caso precise trocar, elas podem levar um saquinho consigo, onde vão guardar a máscara usada para ser descartada em casa”, diz a gerente.

A coordenadora de limpeza pública da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), Lílian Guimarães, explica que, no período de pandemia, o serviço de coleta domiciliar não parou, por ser considerado essencial para a cidade e reforça que cada morador é responsável por seu resíduo até o momento do recolhimento.

“É de extrema importância que coloquem as sacolas na porta de suas residências no dia e horário próximo à coleta. Assim, evitamos que animais ou terceiros rasguem esse lixo e espalhem pelas ruas. Em um momento delicado como o que estamos passando, todo lixo pode ser considerado como infectado e é importante que permaneça bem acondicionado até a coleta”, conclui.

 

Vigilância Sanitária orienta comerciantes do varejo sobre protocolos em nova fase de reabertura

Ascom/FMS

Técnicos da Vigilância Sanitária de Teresina estão percorrendo estabelecimentos no centro comercial e em bairros de Teresina para orientar e garantir a implantação do protocolo higiênico e sanitário estabelecido para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. As ações começaram nesta segunda-feira (03) com início da segunda etapa da Fase 2 de retomada das atividades econômicas.

A gerente de Vigilância Sanitária da FMS, Jeanyne Seba, explica que todos os estabelecimentos autorizados a funcionar devem disponibilizar uma pia com água e sabão na porta ou álcool 70%, ter uma pessoa aferindo a temperatura e ainda tapetes sanitizantes na entrada. Além disso, a quantidade de consumidores dentro da loja deve ser controlada e as pessoas precisam manter um distanciamento de 2 metros entre si.

“A população deve ser objetiva naquilo que for fazer nestes estabelecimentos, tocar somente naquele produto que for levar e também permanecer o menor tempo possível dentro deste local. Outro ponto fundamental, que deve ser seguido à risca, é o uso constante de máscaras. No momento da troca, elas devem ser retiradas pelas hastes e acondicionadas em sacos plásticos, com higienização das mãos antes e depois do procedimento”, orienta Jeanyne Seba.

A gerente reforça que é preciso cumprir o protocolo de higienização ao chegar em casa, que inclui não entrar com os sapatos, retirar toda a roupa, tomar banho e higienizar o produto comprado. “O momento ainda é de cautela. Por isso pedimos que a população só saia em caso de extrema necessidade. E, se precisar sair, que siga todas essas regras para que tenhamos uma retomada segura, sem aumento do número de pessoas infectadas”, acrescenta.

Vigilância Sanitária alerta população sobre cuidados na reabertura dos shoppings

Com o funcionamento dos shoppings previsto para o período de terça a sexta, das 14h às 20h, a Vigilância Sanitária de Teresina  dá algumas orientações para quem precisa ir aos centros de compras. Os cuidados são necessários para evitar a disseminação do novo coronavírus nessa nova fase da retomada das atividades econômicas.

O principal alerta é que as pessoas evitem aglomerações. Como frisa a gerente de Vigilância Sanitária da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Jeanyne Seba, os clientes devem ser objetivos durante as compras para permanecer o mínimo tempo possível nestes locais. “Desta forma, vamos evitar que muitas pessoas permaneçam nos shoppings por muito tempo, o que formaria um ambiente propício para a transmissão do vírus”, alerta. “Este ainda não é um momento de lazer. Por isso, toda a parte de lazer e alimentação permanece fechada no momento”, acrescenta.

Ela explica que se deve evitar também o contato excessivo com os produtos. Provas de maquiagem e de roupas, por exemplo, não são recomendadas. “O consumidor pode optar por marcas já conhecidas, que já saiba o número. Assim não precisa experimentar a roupa na loja. Caso seja extremamente necessário, a orientação é que esteja sempre de máscara, protegendo  os olhos e, quando for vestir, não passe a roupa pelo seu rosto, e higienize a mãos em seguida. Se for sapato, coloque uma proteção”, aconselha a gerente. As lojas por sua vez foram orientadas a somente devolver as roupas à exposição após quarentena e higienização com vapor quente.

Em cumprimento ao protocolo específico estabelecido pela FMS, os centros de compras adaptaram seus espaços para a adoção de medidas como a disponibilização de pias e/ou álcool 70% para a lavagem das mãos, tapetes sanitizantes e aferição de temperaturas nas entradas, além de sinalizações educativas sobre a obrigatoriedade da máscara dentro dos shoppings. 

O uso de máscaras nestes locais segue obrigatório. Elas devem ser trocadas a cada três horas, ou quando estiverem úmidas, sendo retiradas pelas hastes e acondicionadas em sacos plásticos, com higienização das mãos antes e depois do procedimento. “Pedimos à população para que siga as regras dos estabelecimentos e só vá quando estritamente necessário. O momento ainda é de cautela”, orienta Jeanyne Seba.

Vigilância Sanitária faz vistoria em shoppings de Teresina

Ascom/FMS

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) está trabalhando junto aos lojistas e shopping centers para garantir uma reabertura segura para a população. As equipes de fiscais da Vigilância Sanitária Municipal estão visitando os estabelecimentos e avaliando todas as medidas de segurança tomadas para receber a população a partir da próxima segunda-feira (03), quando está programada a abertura desses locais.

Como informa a gerente de Vigilância Sanitária da FMS, Jeanyne Seba, a inspeção é mais uma etapa do trabalho conjunto que se iniciou com a elaboração do protocolo específico para os shopping centers e outro para o varejo, além de reuniões virtuais para orientar administração e lojistas sobre as principais medidas sanitárias que deveriam ser implantadas de acordo com estas normas.

“A prioridade ainda deve ser evitar aglomerações, por isso uma das principais medidas é o controle da quantidade de clientes no interior das lojas e o uso constante de máscara”, alerta a gerente, ressaltando ainda que as máscaras devem ser trocadas a cada três horas ou quando estiverem úmidas, sempre pelas hastes e acondicionamento em sacos plásticos, além da higienização das mãos antes e depois do processo.

Outras medidas especificadas é o uso de barreiras de proteção ou face shield por funcionários de balcões e atendimento direto ao público, disponibilização de álcool 70% para funcionários e clientes, evitar prova de produtos e manutenção constante dos ar condicionados.

A Vigilância Sanitária também reforça a importância de se priorizar o atendimento online, com entregas, retirada expressa sem desembarque (drive-thru) ou retirada em balcão. As empresas devem flexibilizar os horários de trabalho com a adoção de sistemas de escalas mínimas no horário padrão das 14h às 20h, e priorizar reuniões virtuais.

“Alertamos que neste momento ainda é muito importante evitar aglomerações, por isso pedimos às pessoas maiores de 60 anos ou pertencentes ao grupo de risco que permaneçam em casa e só saiam se for extremamente necessário, pois o risco ainda é muito grande”, diz Jeanyne Seba. “Não deixem de usar a máscara, cobrindo nariz e boca, e nunca levem a mão suja ao rosto. Com todas essas medidas, vamos garantir um retorno seguro às atividades econômicas”, finaliza a gerente.

Vigilância Sanitária fiscaliza locais de práticas de atividade física ao ar livre

Ascom/FMS

Com a flexibilização da prática de atividade física ao ar livre no município, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) está reforçando a fiscalização para garantir uma retomada livre de transmissão da Covid-19. Nesta segunda (27), a equipe da Vigilância Sanitária Municipal esteve na Avenida Raul Lopes, dando orientações e distribuindo máscaras para uso das pessoas que estavam no local.

O protocolo de reabertura do município listou regras específicas para a prática de atividades físicas ao ar livre. Entre elas, está o uso obrigatório de máscaras por todos os frequentadores desses espaços. Segundo Jeanyne Seba, gerente de Vigilância Sanitária da FMS, o trabalho da equipe foi focado na conscientização sobre o uso do acessório, que evita uma maior disseminação do novo coronavírus pelo ar. “O decreto estadual estabelece que a ausência de máscara em espaços públicos pode gerar multa de até 500 reais”, alerta.

Outra regra fundamental estabelece que a prática deve ser individual, respeitando as medidas de distanciamento de dois metros entre pessoas que estão apenas caminhando (tanto para os lados como para a frente) e de 10 metros entre pessoas que estão correndo. “Isso porque gotículas de saliva vêm como uma nuvem que percorre um espaço maior quando a pessoa está correndo”, esclarece Jeanyne Seba. Ela reforça ainda que no caso do ciclismo, deve ser mantida uma distância de 20 metros entre cada praticante.

Além disso, as pessoas devem evitar compartilhar objetos ou tocar as mãos no solo e procurar manter os cabelos presos. O uso dos equipamentos das academias ao ar livre está proibido, bem como o consumo ou comercialização de alimentos. “Pessoas com sintomas gripais ou pertencentes aos grupos de risco também devem evitar ir a estes locais, dando prioridade à prática de atividade física em casa”, recomenda a gerente.

Vigilância Sanitária orienta sobre protocolo com reabertura de novas atividades em Teresina

Para garantir a segurança no processo de reabertura de novas atividades a partir próxima segunda-feira, 27, a Vigilância Sanitária do município elaborou, em parceria com o Estado e União, protocolos de acordo com a necessidade de cada setor, com orientações para o exercício de suas atividades de forma a evitar a transmissão do novo coronavírus. Celebrações religiosas, atividades físicas ao ar livre, comércio de itens não essenciais e serviços administrativos são alguns dos setores que reabrem nesta etapa.

A Vigilância Sanitária reforça ainda que, apesar da reabertura, as pessoas devem priorizar os serviços online e de delivery, evitando sair de casa para casos que não sejam de extrema necessidade. “Ainda não chegou o momento de ir à rua simplesmente para passear. Evitar aglomerações é um dos pontos estratégicos que todos devem adotar para combater o perigo de se contaminar com Covid”, alerta a gerente de Vigilância Sanitária da FMS, Jeanyne Seba. “Essa retomada só terá sucesso se todos os envolvidos se comprometerem a seguir as regras determinadas nos protocolos. Se todos estivermos comprometidos, a nossa retomada será segura”.

O protocolo também orienta para mudanças na organização das jornadas de trabalho. “Pessoas dos grupos de risco devem continuar em casa realizando home office; os horários de trabalho e de almoços ou lanches devem ser flexibilizados para reduzir a proximidade entre os trabalhadores; reuniões devem ser feitas de preferência por videoconferência e deve ser realizado um trabalho de orientação sobre a Covid-19, tanto de trabalhadores como clientes”, reforça Jeanyne.

No caso do comércio varejista, por exemplo, o protocolo orienta que as empresas devem dar preferência às vendas online, por delivery ou drive thru. Devem-se evitar aglomerações, com manutenção da distância mínima entre clientes e evitando sua longa permanência nos estabelecimentos. O contato entre funcionário e cliente deve ser reduzido, com a instalação de barreiras e fitas de isolamento em frente aos balcões. As superfícies devem ser higienizadas constantemente, bem como os depósitos de mercadorias; e os clientes devem ser orientados a manipular o mínimo possível os produtos a serem adquiridos.

O protocolo das atividades religiosas procura contemplar as rotinas específicas das principais religiões praticadas na capital e adaptar às medidas de segurança. Nestes locais, deve haver redução de participantes a 30% da lotação máxima, uso obrigatório de máscara por fiéis, celebrantes e coros ou músicos. Deve ser garantido o distanciamento de dois metros entre as pessoas, com marcação e bloqueio de cadeiras se necessário. Se possível, deve ser dada preferência a atividades ao ar livre, assim como a manutenção das transmissões online. Crianças de até 12 anos não devem participar, assim como pessoas dos grupos de risco. As instituições foram orientadas ainda a manter pias e álcool em gel 70% disponíveis para a população, além de formar grupos encarregados de disseminar as informações entre os frequentadores.

Já as atividades ao ar livre só devem ocorrer de forma individual, respeitando o distanciamento. As pessoas devem correr ou caminhar respeitando o distanciamento de 2 metros, evitar compartilhar objetos ou tocar as mãos diretamente no solo, além de sempre usar máscara e manter os cabelos presos. No ciclismo, deve ser mantida uma distância de 20 metros entre cada praticante.

A gerente de Vigilância Sanitária da FMS ressalta que os demais setores desta primeira etapa da fase 2 devem seguir o protocolo geral, elaborado pelos órgãos municipal, estadual e União. “As empresas devem reforçar as medidas de higienização, colocação de pias para lavagem das mãos, disponibilizando álcool 70% e mantendo a ventilação do local para que haja circulação de ar. Além disso, o uso correto da máscara deve ser constante, com trocas sempre que ela estiver úmida”, explica Jeanyne.

Vigilância Sanitária alerta para cuidados durante a reabertura das atividades econômicas

A Vigilância Sanitária de Teresina faz um alerta para os cuidados a serem tomados durante esse processo de reabertura das atividades econômicas. Cada setor autorizado a funcionar deverá seguir os protocolos de segurança específicos para sua atividade, estabelecidos pela União, Governo do Estado e pela Prefeitura de Teresina. Os estabelecimentos devem priorizar as medidas higiênicas e sanitárias de enfrentamento ao novo Coronavírus, incentivando a mudança de comportamento de trabalhadores e clientes.

“As empresas devem reforçar as medidas de higienização, colocação de pias para lavagem das mãos, disponibilizando álcool 70% e mantendo a ventilação do local para que haja circulação de ar, além de seguir regras estabelecidas nos protocolos como redução de trabalhadores, carga horária reduzida e testagem dos funcionários”, afirma a gerente de Vigilância Sanitária da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Jeanyne Seba.

Ela alerta sobre os cuidados gerais que todos devem seguir, como a lavagem frequente das mãos, uso da máscara de forma a cobrir nariz, boca e queixo, além de distanciamento e evitar aglomerações. “Todos devem contribuir, tanto o trabalhador como a população, respeitando as regras para entrar nesses estabelecimentos”, diz a gerente. “Lembramos que o momento ainda é de cautela, por isso respeitem as orientações de saúde e só saiam de casa se realmente for necessário”, acrescenta.

As empresas que já autorizadas a abrir estão sendo fiscalizadas por técnicos das Vigilâncias Sanitárias Municipal e Estadual, que darão orientações acerca das medidas de segurança. Para viabilizar a fiscalização, todas as empresas devem se cadastrar no programa PRO Piauí, no endereço eletrônico https://www.propiaui.pi.gov.br, onde responderão a um questionário e poderão enviar fotos das evidências solicitadas.

Para mais informações ou para denúncias de empresas que não estão cumprindo os protocolos, a Prefeitura de Teresina dispõe de um canal com a população por meio do aplicativo Colab. “Além disso, a Vigilância Sanitária de Teresina dispõe dos telefones de contato 3215-9102 ou 3215-9115 para atender este tipo de demanda”, diz Jeanyne Seba.

Vigilância Sanitária orienta sobre cuidados com retomada das atividades econômicas

Com o início da primeira fase da retomada das atividades econômicas de Teresina esta semana, a Vigilância Sanitária do município alerta para a necessidade ainda maior de se continuar adotando medidas de proteção contra o novo Coronavírus. O objetivo é evitar o aumento do número de infectados e de óbitos pela Covid-19.

“Devemos redobrar os cuidados neste momento em que algumas atividades voltam a funcionar na cidade. As pessoas precisam continuar atentas aos protocolos básicos de proteção, como evitar cumprimentar as pessoas com apertos de mãos, abraços, beijos ou outro tipo de contato físico; evitar tocar a boca, nariz e rosto com as mãos; ficar em casa sempre que possível e utilizar os serviços online e delivery”, explica a gerente da Vigilância Sanitária de Teresina, Jeanyne Seba.

A gerente orienta também sobre o comportamento a ser adotado caso seja necessário utilizar alguns dos serviços que estão em funcionamento. “A nossa orientação é que a pessoa permaneça no estabelecimento o menor tempo possível. É importante planejar as atividades antes de sair de casa; sempre ficar a uma distância mínima de dois metros de qualquer pessoa dentro da empresa; realizar a higienização das mãos ao entrar e sair de estabelecimentos, ao acessar balcões de atendimento e “caixas”; evitar conversar, manusear telefone, ou tocar no nariz, boca, olhos durante a permanência no interior dos estabelecimentos; ao realizar  as compras, reduzir o manuseio de produtos e realizar pagamentos de preferência por meios eletrônicos”, destaca.

Jeanyne ressalta ainda sobre a importância do uso de máscara de tripla proteção como forma de proteção. Ela lembra que é preciso lavar as mãos com água e sabão ou passar álcool 70% antes de colocar a máscara no rosto. “A máscara deve ficar ajustada ao rosto cobrindo totalmente a boca e o nariz, não devendo ser retirada para tossir, espirrar ou falar. A troca de máscaras deve ser feita a cada duas horas, ou sempre que estiver úmida. Ela deve ser retirada pela frente e guardada em um saco plástico bem fechado, de onde será retirado apenas para lavar novamente, ou para ir ao lixo, no caso das descartáveis”.

A gerente lembra que, no entanto, o uso de máscara não garante a proteção total do indivíduo. “Mesmo com toda essa orientação, o isolamento social é a melhor forma de proteção da população. Sem esse compromisso, mais pessoas podem ser infectadas pelo vírus, o retorno das atividades econômicas fica comprometido e as medidas de flexibilização podem ser adiadas”, alerta Jeanyne Seba.

Nessa primeira fase de reabertura, que terá 14 dias, os estabelecimentos comerciais e empresariais funcionarão quatro dias por semana, de segunda a quinta-feira, em turno único de trabalho de seis horas consecutivas por dia. Todos ficam obrigados a fixar cartazes com orientações sobre a Covid-19 e as medidas de proteção dentro do estabelecimento para clientes, funcionários e prestadores de serviço. Continua suspenso o funcionamento de escolas, bares, restaurantes, shoppings e de todos aqueles setores que geram aglomerações.

Barreiras sanitárias terão ampliação de equipes para agilizar trânsito

Os órgãos que atuam nas três barreiras sanitárias nas pontes que ligam Teresina e Timon definiram reforço nas equipes de trabalho com o intuito de dinamizar a fiscalização. As definições ocorreram em reunião entre representantes da Semcaspi – Secretaria Municipal da Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Vigilância Sanitária, Strans, Guarda Municipal e Fundação Municipal de Saúde. As equipes fizeram as primeiras avaliações do trabalho.

A instalação das barreiras sanitárias entre as duas cidades foi uma medida tomada pelo poder público como forma de conter a disseminação do novo coronavírus na capital. No Estado vizinho já são 14.198 casos confirmados da doença, com 604 óbitos, segundo boletim do Ministério da Saúde.

O Secretário Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, explicou que o encontro buscou avaliar a participação de cada órgão nas barreiras ocorridas nos últimos dias e a intensificação dos trabalhos das equipes para que todos os veículos sejam fiscalizados, independente do congestionamento que possa ocorrer. “Definimos que todos os órgãos vão dobrar os seus efetivos para que as fiscalizações ocorram na sua totalidade e também maior agilidade”, disse o secretário.

Pelo novo decreto, todas as pessoas que pretendam ingressar no município de Teresina, a partir de agora, deverão apresentar, perante as autoridades de fiscalização presentes nas barreiras sanitárias, documentos de identificação pessoal, documento de habilitação do condutor e comprovante de endereço residencial, assim como documentos referentes ao veículo, como Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo. Além disso, é necessária a comprovação da necessidade de trafegar entre os dois municípios, seja por motivos de saúde, trabalho, ou qualquer outro. Está permitido o tráfego para servidores e empregados públicos, trabalhadores de empresas privadas, funcionários que atuem em serviços essenciais que morem no Maranhão e trabalhem em Teresina. Alguns casos de atendimentos de saúde também serão permitidos, além de outros casos especificados no decreto.

As pessoas que se enquadrem nos critérios do decreto e que necessitem de acesso frequente ao município de Teresina, poderão se cadastrar em site público (http://barreiracovid19.fms.pmt.pi.gov.br) para obter documento digital comprobatório a ser apresentado sempre que passar no controle das barreiras.

As barreiras sanitárias estão montadas nas proximidades das três pontes que ligam Teresina a Timon desde o mês passado. Elas são necessárias para controlar a entrada de pessoas em Teresina e monitorar o estado de saúde delas. Desde o início, está sendo medida a temperatura corporal de quem trafega entre as duas cidades.

Vigilância Sanitária alerta para risco de intoxicação por produtos de limpeza


Nesse período da pandemia do Coronavírus, cresceu o consumo e a utilização do álcool a 70° e do hipoclorito de sódio para a desinfecção de superfícies e de objetos. Para orientar a população sobre o seu correto manuseio, a Vigilância Sanitária, administrada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), faz um alerta para evitar a intoxicação por esses produtos de limpeza.

“Esses produtos são excelentes contra microrganismos, como o Coronavírus, porém, o álcool a 70° é inflamável e de fácil combustão em temperaturas elevadas; já o hipoclorito é produto químico que pode causar lesões térmicas, oculares e alergias. Os dois têm cheiro forte e não devem ser inalados”, explica a farmacêutica bioquímica da Vigilância Sanitária, Gildevane Nascimento.

A farmacêutica informa ainda que não é recomendado deixar o álcool dentro dos carros: “Teresina é uma cidade quente, situação que pode causar facilmente a combustão desse produto. Orientamos que a população dê preferência ao álcool em gel, utilize frasco pequeno e não o deixe em contato direto com a luz. É importante também mantê-lo fora do alcance de crianças”.

A recomendação para uso do hipoclorito é de que 50ml desse produto seja diluído em 950ml de água potável. “O ideal é que coloque em frasco escuro, etiquetado e utilize imediatamente. Isso porque o armazenamento do produto deve ser na sua própria embalagem e guardada em local fora do alcance das crianças, para evitar acidentes domésticos”, recomenda Gildevane Nascimento.

Em caso de urgência envolvendo intoxicação por produto de limpeza, a população pode ligar para o 192 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMIU) ou ir por meios próprios para ambiente hospitalar. Em Teresina, a Prefeitura mantém 10 Hospitais de bairro e três Unidades de Pronto Atendimento (UPAS).

Proibição

A gerente da Vigilância Sanitária, Jeanyne Seba, informa que o órgão fiscalizou mercados, supermercados e farmácias e notificou estabelecimentos que estavam comercializando álcool de cinco litros. “Para evitar acidentes, é proibida a venda dessa quantidade de álcool para a população, só pode ser comercializada para empresas”, finaliza.