Secretaria da Mulher vai realizar 2° edição do evento Bem Me Quero 

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) vai promover a 2° edição do “Bem Me Quero – Amor por você e pela vida”, no no Centro Comunitário De Aprendizagem Carlos Novares, com serviços voltados para enfrentamento à violência de gênero, assistência social e serviços de justiça para mulheres. O evento está previsto para acontecer no dia 7 de maio, das 8h às 13h, no bairro Pedra Mole, zona Leste de Teresina.

Durante o evento, serão oferecidos serviços e atendimentos pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), Comissões da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil/Secção Piauí, Coife Odonto, Fundação Wall Ferraz e Fundação Municipal de Saúde. Durante o evento, as mulheres poderão ter acesso aos serviços de testagem de Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), agendamentos e encaminhamentos de benefícios sociais e ações educativas com a população sobre conscientização da violência.

A secretária da SMPM, Gabriela Rodrigues, ressaltou que o projeto tem caráter itinerante e visa alcançar cada vez mais mulheres em zonas descentralizadas de Teresina. Com a ação, será possível acessar serviços de cadastro, orientações, esclarecimentos para resgatar pilares de empoderamento e enfrentamento às violências cometidas contra as mulheres na capital.

“Um dos pilares da gestão do Dr. Pessoa é que hajam cada vez mais ações de contato com a população para que elas alcancem seus direitos”, afirma a secretária. “Com uma nova edição do Bem Me Quero, a gente garante que elas possam fazer agendamento se necessário, mas também, informá-las dos seus direitos para acioná-los quando necessário”, pontua.

A técnica do núcleo de Articulação da SMPM, Danyelle Batista, explicou que apesar do evento ter o enfoque de gênero, é aberto para a população em geral. “O espaço é um local que toda a comunidade conhece, portanto, homens e meninos que desejem comparecer também serão bem-vindos”, garante a técnica.

Duas apresentações culturais estão previstas para se apresentarem durante a edição do Bem Me Quero. As apresentações serão abertas para o público.

Mulheres em situação de violência de gênero podem procurar serviços da SMPM

A Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) está realizando entre os dias 20 de novembro a 10 de dezembro a campanha dos 21 Dias de Ativismo – Pelo Fim das Violências Contra as Mulheres. Acontecendo internacionalmente desde 2003, os dias serão temáticos, para poder contemplar o enfrentamento às mais diversas formas de violência cometidas contra as mulheres.

Saiba mais: Secretaria da Mulher vai dar início aos 21 Dias de Ativismo pelo Fim das Violências contra as Mulheres AQUI

Neste domingo (21), a SMPM destaca os serviços oferecidos às mulheres em situação de violência de gênero – tema do 2° dia conforme o calendário temático da Campanha. A técnica da SMPM, Gabriela Rodrigues, explica que gênero se refere aos atributos particulares da feminilidade e masculinidade. Nesse sentido, entende-se que o gênero é uma construção social que não decorre de aspectos naturais.

“Em outras palavras, as características sociais entre homens e mulheres, que definem os seus papéis e responsabilidades dentro de uma sociedade, não são estabelecidas pelo sexo – como determinação biológica – mas influenciadas pela cultura”, explica Gabriela. “Ou seja, gênero é um elemento subjetivo que se refere a ser menino ou menina, homem ou mulher em uma determinada sociedade”, finaliza.

Dessa forma, a violência de gênero pode ser definida como qualquer tipo de agressão física, psicológica, sexual ou simbólica contra alguém em situação de vulnerabilidade devido a sua identidade de gênero ou orientação sexual. Os dados são alarmantes, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) uma em cada três mulheres em todo o mundo já foram vítimas de alguma violência de gênero durante a sua vida.

A Secretária da Mulher, Karla Berger, destaca que a Prefeitura de Teresina através da SMPM possui serviços específicos para atender mulheres que possam estar em situação de violência de gênero na capital: Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência – Esperança Garcia (Creg)

“Atende mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero, residentes em Teresina, com idade de 18 a 59 anos, oferecendo assistência jurídica, social e psicológica”, destaca Karla. “As mulheres podem ser encaminhadas pela rede de enfrentamento a violência contra a mulher ou acessar diretamente o serviço”, complementa a secretária.

Onde encontrar o serviço?
R. Benjamin Constant, 2170 – Centro Norte
Segunda à Sexta, das 08:00 às 17:00
(86) 3233-3798 / 99416-9451

Além desse serviço, a Secretária da Mulher dispõe do Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas Crianças: Florescer. Karla frisa que em Teresina possuem três unidades, localizadas na Zona Norte, Sudeste e Zona Rural de Teresina.

Nos espaços, mulheres em situação de vulnerabilidade social, residentes em Teresina, que tenham crianças na faixa etária de 1 ano a 2 anos e onze meses, possuem acesso à qualificação profissional, do acesso à informação e a serviços de saúde e justiça, além de acolher e realizar atividades de desenvolvimento psicossocial com suas crianças.

“No início de 2022, uma nova unidade será instalada na Zona Sul de Teresina”, destaca Karla. “A sede será inaugurada no bairro Promorar”, finaliza.

Saiba mais sobre o Serviço Florescer: Serviço Florescer é símbolo de acolhimento às mulheres e suas crianças em Teresina AQUI

Campanha dos 21 Dias de Ativismo – Pelo Fim das Violências contra as Mulheres

As ações fazem parte de uma importante mobilização pelo combate a todas as violências cometidas contra mulheres – seja ela física, psicológica, patrimonial, matrimonial ou no meio virtual. De acordo com a Secretária da SMPM, Karla Berger, as ações são um momento de engajamento da população e órgãos de apoio às mulheres que estão em situação de violência.

Karla explica que neste ano, durante a atual gestão da Prefeitura de Teresina, a Secretária da Mulher vai aderir ao calendário nacional de 21 dias – comumente, outros órgãos e repartições utilizam 16 dias. “Aderimos aos 21 dias pois consideramos que o ativismo se inicia no Dia da Consciência Negra (20) e vai até o dia Internacional dos Direitos Humanos (10)”, reforça a secretária.

As atividades e ações serão divulgadas através do site oficial da SMPM e das redes sociais: Twitter, Instagram e YouTube.

Doutora em violências de gênero realiza consultoria sobre atendimento a mulheres em Teresina

Ascom/SMPM

A Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) recebeu, nesta terça (12) e quarta-feira (13), a especialista e doutora em violências de gênero, Wânia Pasinato, para mais uma consultoria com o objetivo de discutir sobre os indicadores e diagnósticos de serviços de atendimento à mulher em situação de violência na cidade de Teresina.

A consultoria, financiada pelo Programa Lagoas do Norte, tem como finalidade também fortalecer e aprimorar o serviço de atendimento às mulheres vítimas de violência, acompanhadas pelo Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) e Serviços de Atendimento Integral à Mulher e suas Crianças: Amor de Tia.

A abordagem no atendimento à mulher em situação de violência, procedimentos necessários, estratégias com base em casos que tiveram a execução da consultoria, foram alguns dos assuntos colocados em pauta. “A proposta da consultoria é justamente consolidar o funcionamento desses serviços naquilo que eles têm de especialização no atendimento às mulheres, como aprimorar o acolhimento e organizar o melhor encaminhamento. Tem sido uma experiência bastante rica, de troca de conhecimento, de poder transformar o conhecimento teórico numa política pública mais efetiva”, destacou Wânia Pasinato.

Ascom/SMPM

Ressaltando a efetividade e sucesso dos projetos de atendimento e as políticas públicas existentes, a secretária municipal da SMPM, Macilane Gomes, trouxe como exemplo o Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas Crianças: Amor de Tia. “Não existe em nenhum outro lugar um serviço que atenda a mulher e a criança. Nesse projeto, as crianças já são abordadas sob uma perspectiva de gênero, que tenta promover a alteração de um modelo de mentalidade de uma geração. Isso é importante porque é o que o torna inovador. Atendemos as mulheres, fortalecendo esse empoderamento, e as crianças, impactando no processo de educação”, contou.

A secretária municipal destacou também a importância em trazer o olhar de uma especialista para análise de todo o projeto de atendimento às mulheres. “Ela traz essa bagagem teórica, técnica, sobre a violência contra a mulher. Com essa visão macro, ela olha para os projetos que a gente vem desenvolvendo. A gente quer saber se eles realmente atendem aos princípios de emancipação da mulher”, finalizou Macilane Gomes.

Wânia Pasinato mora em São Paulo, tem pós-doutorado em Núcleos de Estudos de Gênero e já desenvolveu ações de combate ao feminicídio como coordenadora de Acesso à Justiça no escritório da ONU Mulheres no Brasil. Ela trabalha como Assessora Técnica da ONU Mulheres com foco no enfrentamento à violência e possui diversas publicações científicas sobre temas relacionados à violência de gênero.