Mais de 40 moradores de rua apresentaram sintomas gripais em Teresina

Cerca de 48 pessoas em situação de rua apresentaram sintomas gripais em Teresina no período de março a maio desse ano, mas nenhuma foi diagnosticada com a Covid-19. O dado é do Consultório na Rua, da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, que leva ações de saúde a esse público e, nesse período de pandemia, tem reforçado os cuidados e o monitoramento dos casos.

Desde o início da pandemia, o Consultório na Rua já atendeu a 455 moradores de rua e passou a realizar busca ativa dos sintomáticos em todas as zonas da cidade. “Também realizamos ações educativas para esclarecer sobre o coronavírus, espalhamos recipientes com sabão líquido em praças e distribuímos kits de higiene para esse público”, explica a assistente social Melissa Lima.

Durante a abordagem feita pela equipe de saúde, os moradores em situação de rua são orientados sobre a importância do autocuidado. “Eles são orientados, por exemplo, a se higienizarem, a não compartilharem garrafas de bebida, a manterem distância dos seus colegas e a procurarem serviço de saúde, caso sintam sintomas similares à gripe”, ressalta a assistente social.

Melissa Lima alerta que essa população está crescendo a cada dia e pessoas que tinham vida organizada, agora estão se tornando os chamados moradores de rua. “É preciso que a gente veja as suas histórias de vida e acabe com o preconceito. Nessa pandemia, propomos à sociedade um novo olhar aos moradores em situação de vulnerabilidade e de rua”, afirma.

O presidente da FMS, Manoel de Moura Neto, relembra que, antes, as pessoas em situação de rua eram excluídas dos serviços públicos. “Hoje, é possível contar com o atendimento humanizado do Consultório na Rua e, durante a pandemia, a Prefeitura de Teresina também está garantindo abrigo para esse público no estádio Lindolfo Monteiro”.

O Consultório na Rua possui equipe de médico, enfermeiro, assistente social, psicólogo e redutor de danos. Diariamente, eles circulam em uma van levando serviços de saúde para pessoas em situação de rua.

Já no abrigo montado no Estádio Lindolfo Monteiro, a FMS está mantendo equipes exclusivas para os moradores de rua que aceitaram acolhimento no local. O espaço possui capacidade para atender a 70 pessoas. Atualmente, cerca de 35 se encontram abrigadas no local.

Projeto atende mais de 160 gestantes em situação de vulnerabilidade social

Ascom/Semcaspi

Gestantes e recém-nascidos podem contar com serviços de deslocamento e enxoval oferecidos pela Prefeitura de Teresina por meio do projeto Mãe Teresinense. O programa presta atendimento integral às mães em situação de vulnerabilidade social e renda e já contabiliza 162 atendimentos.

As ações inclusas no Mãe Teresinense são realizadas em conjunto, por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Fundação Municipal de Saúde (FMS) e da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres. O projeto conta com eixo de Política de Atenção às Mulheres, de Assistência Social, que consiste em acompanhamento familiar, atendimento no benefício eventual de auxílio-natalidade e a inclusão nos demais serviços ofertados pelo CRAS.

Além do acompanhamento do pré-natal, por meio da estratégia Saúde da Família, o eixo de Saúde atua de forma informativa, oferecendo oficinas que buscam tornar o processo da gestação, do parto e do nascimento mais seguro e confortável. O programa Amor de Tia, serviço que busca orientar sobre os cuidados necessários aos filhos de mulheres que sofreram violência, também está incluso no quadro do Mãe Teresinense.

Como participar

Já na suspeita de uma eventual gestação, a mulher pode procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Se confirmada a gravidez, se inicia o pré-natal e o encaminhamento ao Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), onde mediante adequação aos critérios de renda per capita de ¼ do salário mínimo e inscrição no CadÚnico, se realiza a inclusão no Mãe Teresinense.

A família recebe, então, atendimento por parte do Serviço de Proteção e Atendimento Integral a Família (PAIF) e concessão para utilização do transporte no dia do parto e no retorno para sua residência, de forma que a segurança seja assegurada. A população pode conhecer ainda mais e sanar eventuais dúvidas por meio do 3131-4729 e do 3131-4730.